5 de abril de 2019

Capítulo 42

Meredith correu pelo campus, os pés batendo num ritmo constante, sua respiração saindo em arfadas ásperas e dolorosas. Suas pernas estavam doloridas. Ela estava correndo há muito tempo, percorrendo os caminhos do campus de novo e de novo. O suor ardente escorria em seus olhos, fazendo-os arder e lacrimejar.
Quanto mais ela corria, mais tempo conseguia se impedir de pensar em qualquer coisa, exceto a batida do tênis no chão ou o som de sua própria respiração.
A tarde estava começando a escurecer, quando ela passou pela curva do edifício histórico e subiu a colina em direção ao refeitório. Quando chegou ao topo da colina, Alaric estava à sua espera.
— Oi — cumprimentou Meredith, parando quando chegou perto dele. — Você estava esperando por mim? — Ela levantou um pé para esticar os quadríceps; não queria ceder.
— Eu queria ter certeza que você estava bem — disse Alaric.
— Eu estou bem — disse Meredith estupidamente. Ela deixou o pé cair, e em vez disso, entrelaçou as mãos por trás de si mesma e dobrou-se para frente, de modo que a cabeça quase tocou os joelhos. Ela podia sentir sua espinha se alongando, e também começou a sentir a dor de correr por tanto tempo.
— Meredith? — Alaric se ajoelhou ao lado dela para olhá-la no rosto. Meredith concentrou-se nas sardas douradas espalhadas pelo nariz e no topos das maçãs do rosto dele, porque não queria encontrar seus preocupados olhos castanhos. Sua cor era como mel contra a pele bronzeada.
— Meredith? — chamou Alaric novamente. — Você poderia se levantar e falar comigo por um minuto? Por favor?
Meredith se desdobrou, mas não encontrou os olhos de Alaric. Em vez disso, ela se virou de um lado para o outro, puxando os ombros para frente.
— Tenho que me alongar ou meus músculos ficarão doloridos — murmurou.
Alaric se levantou e a observou, esperando, calmamente. Depois de um tempo, Meredith começou a se sentir infantil por não olhar nos olhos de Alaric, e se endireitou e olhou-o diretamente nos olhos. Ele ainda estava ali parado pacientemente, com o rosto suave de simpatia.
— Eu sei — disse ela. — Sei tudo o que você vai dizer.
— Sabe? — perguntou Alaric. Ele estendeu a mão e pegou uma longa mecha de cabelo que tinha caído de seu rabo de cavalo, a mão se demorando na bochecha dela. — Porque eu não faço a menor ideia do que dizer. Eu não posso imaginar como deve ser conhecer seu irmão e depois ter que matá-lo.
— Sim — Meredith suspirou, e limpou o suor do rosto. — Eu não sei o que sentir também. É quase como se Cristian nunca tivesse sido real para mim. Ele era apenas uma história, algo que as Guardiãs poderiam mudar em um instante. — Ela desenhou uma linha com o dedão do tênis na poeira do chão. — Em última análise — disse ela —, eu nunca o conheci. Ele falou sobre... oh, ir à praia e outras coisas, e do jeito que nosso pai é. Eu podia imaginar o mundo, o mundo onde nós éramos uma equipe. — Ela pressionou as palmas das mãos nos olhos. — Mas tudo era uma mentira, para ele e para mim.
Alaric passou o braço nos ombros dela e puxou Meredith para mais perto dele.
— Não é justo — disse ele, sério. — Klaus destruiu a vida de muitas pessoas. No final, você foi uma parte importante em derrubá-lo e parar essa destruição, e deve se orgulhar disso. E aquela outra vida, aquela em que ele cresceu feliz, com uma irmã, não era mentira. Havia um mundo onde Cristian amava você, e você o amava. Isso ainda é verdade. Você e seus amigos fizeram isso acontecer.
Enterrando o rosto no pescoço de Alaric, Meredith disse em uma voz abafada:
— Meus pais nunca vão superar isso, perdê-lo de novo.
— Talvez tenha sido melhor que eles conhecessem Cristian por tanto tempo, que puderam vê-lo crescer em vez de perdê-lo quando ele tinha três anos, como as coisas eram no mundo que você lembra — sugeriu Alaric gentilmente.
— Talvez. — Meredith rolou a cabeça no ombro de Alaric até que estava encostada no ombro dele e olhando para o outro lado do campus. — Sabe o que Cristian disse pra mim, no final? Eu estava prestes a empalá-lo, e ele disse com aquela voz baixa e secreta: 'Papai ficaria tão orgulhoso de você.' E sabe de uma coisa? Ele estava certo. Talvez parte de Cristian queria que eu o matasse, para eu ser forte.
Alaric apertou os braços ao redor dela.
— Você é forte, Meredith. Você é a pessoa mais corajosa que eu já conheci.
— Você é corajoso também — disse Meredith, afundando em seu abraço. Ela pensou em Alaric cantando feitiços, tentando levantar Poder para protegê-los durante a batalha, enfrentando um exército de vampiro com nada além de uma estaca e um livro de feitiços. — Eu te amo muito — disse ela. — E quero você comigo, sempre.
Os lábios de Alaric roçaram a nuca dela.
— Eu também — ele murmurou. — É uma honra lutar ao seu lado, Meredith Sulez. E nunca se esqueça disso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar, por favor utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!