5 de abril de 2019

Capítulo 17

Meredith limpou melancolicamente a lama nas ranhuras de suas botas de caminhada, sacudindo os pedacinhos de terra no chão do carro.
Ao lado dela, Alaric dirigia de volta ao campus. Havia um vinco pensativo entre suas sobrancelhas, e Meredith sabia que ele estava revirando possibilidades, tentando abordar o problema de Klaus de todos os ângulos que pudesse imaginar. Ela sentiu uma onda de afeição por ele, e estendeu a mão para apertar seu joelho. Alaric olhou para ela e sorriu.
Virando-se para olhar para o banco de trás, ela viu Bonnie dormindo, a cabeça no ombro de Zander. Ele a abraçava, descansando a bochecha no cabelo dela.
Mas, enquanto Meredith observava, o rosto pacífico de Bonnie ficou agitado, a boca se apertando e as sobrancelhas franzidas numa expressão preocupada. Ela se retorceu no assento, puxando as pernas para baixo e enterrando o rosto no peito de Zander.
— Não — disse ela, a palavra abafada contra Zander.
Zander sorriu e apertou o braço ao redor dela.
— Ela está sonhando — disse ele a Meredith. — É tão fofo como ela fala enquanto dorme.
— Alaric, encosta — disse Meredith bruscamente. Alaric estacionou o carro no lado do estrada, e Meredith rapidamente vasculhou o porta-luvas. Graças a Deus, Alaric levava papel e canetas no carro.
— O que é isso? — perguntou Zander, alarmado. Pressionada contra ele, Bonnie sacudiu a cabeça com força, seus cachos se espalhando pelo peito, e murmurou pequenos ruídos de angústia.
— Ela não está apenas sonhando, está tendo uma visão — explicou Meredith.  — Bonnie — disse, mantendo a voz baixa e suave. — Bonnie, o que está acontecendo?
Bonnie gemeu e se debateu, seu corpo se arqueando para longe de Zander. Com os olhos arregalados, Zander a agarrou, tentando segurá-la ainda.
— Bonnie — disse Meredith novamente. — Está tudo bem. Me diga o que você está vendo.
Bonnie respirou fundo, e então seus grandes olhos castanhos se abriram e ela começou a gritar. Alaric estremeceu de surpresa, batendo o cotovelo no volante.
O grito continuou, enchendo o carro com o barulho.
— Bonnie, pare com isso! — Zander estava puxando Bonnie para seu peito, tentando acalmá-la e impedi-la de cair do assento enquanto ela lutava.
Finalmente, ela ficou imóvel, e os gritos desapareceram em gemidos. Então ela olhou em volta para os outros.
— O que está acontecendo? — perguntou ela densamente.
— Você estava tendo uma visão, Bonnie — disse Meredith. — Está tudo bem.
Bonnie sacudiu a cabeça.
— Não — sussurrou, sua voz falhada e tensa de gritar. — Não foi uma visão.
— O que você quer dizer? — perguntou Alaric.
— Foi um sonho. — Bonnie estava visivelmente mais calma, e Zander cautelosamente a soltou do aperto em que ele a segurava em seus braços e pegou a mão dela.
— Apenas um sonho? — Meredith disse, em dúvida.
Bonnie sacudiu a cabeça de novo, lentamente.
— Não exatamente — disse ela. — Você se lembra dos sonhos que eu tinha quando Klaus estava mantendo Elena prisioneira? Depois... — Ela hesitou. — Depois que Elena morreu. Os sonhos que ela me enviou? Que Klaus invadiu? Acho que Klaus estava me mandando esse sonho.
Meredith trocou um olhar com Alaric.
— Se ele consegue entrar na mente dela assim, como vamos protegê-la? — perguntou ela baixinho, e ele balançou a cabeça.
— O que aconteceu no sonho? — perguntou Zander, acariciando o braço de Bonnie.
— Era... era como um acampamento militar ou algo assim — disse Bonnie, franzindo a testa, claramente tentando lembrar. — Tinha árvores por toda parte. Klaus tinha um grupo inteiro de pessoas em torno dele. Ele estava em pé na frente deles, dizendo o quão fortes eles eram e que eles estavam prontos.
— Prontos para quê? — Meredith perguntou rapidamente.
Bonnie fez uma careta.
— Ele não disse exatamente, mas nada de bom, tenho certeza — disse ela. — Eu não conseguia enxergar quantas pessoas tinham ou saber o que elas pareciam exatamente. Mas parecia que havia muitas delas. Era meio nebuloso e vago, mas eu podia ver Klaus tão claramente quanto qualquer coisa.
— Ele está reunindo um exército — disse Meredith, seu coração afundando. Eles não tinham freixo nem armas contra Klaus. E ele não estava sozinho.
— Tem mais — disse Bonnie. Ela encolheu os ombros, curvando-se protetoramente, pressionando-se mais perto de Zander. Parecia triste e assustada, o rosto doentio e os olhos vermelhos. — Depois que terminou seu discurso, ele olhou diretamente para mim, e eu sabia que ele tinha me levado para lá. Ele estendeu a mão como se fosse pegar minha mão e apenas roçou os dedos. — Ela estendeu a mão para frente e a olhou, os lábios tremendo. — Sua mão estava tão fria. E ele disse: ‘Estou indo, pequena. Estou indo atrás de você’.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar, por favor utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!