20 de dezembro de 2018

CAPÍTULO Cinquenta e cinco

— Foi uma decisão ruim — disse Scarlet.
Winter olhou para ela. Havia inquietação no rosto de Scarlet, uma linha funda entre as sobrancelhas.
Winter esticou a mão e puxou um dos cachos de Scarlet.
— Você ainda não deu meia-volta.
Scarlet afastou a mão dela.
— É, porque não tenho mais ideia de onde estamos. — Scarlet olhou por cima do ombro. — Estamos vagando por essas cavernas há horas.
Winter acompanhou o olhar dela, mas a caverna estava tão escura que elas não enxergavam muita coisa antes que as sombras tomassem conta, iluminadas apenas pelos ocasionais globos no teto. Winter não conseguia avaliar o quanto ela e Scarlet haviam progredido pelos tubos subterrâneos de lava na busca pelos soldados lobos, na busca por um exército, e ainda não sabia o quanto teriam que andar. Mas, sempre que pensava em voltar, imaginava ouvir um uivo baixo ao longe, compelindo-a a ir em frente. Seu sonho com Ryu e Levana grudava em seus pensamentos como pólen, incitando a determinação dela repetidamente.
Levana acreditava que era capaz de controlar todo mundo naquela lua. O povo, os soldados, a própria Winter.
Mas estava enganada. Winter estava cansada de ser manipulada e sabia que não podia ser a única. Ela encontraria soldados para lutar por ela, e juntos se livrariam de sua madrasta e da crueldade dela.
Elas fizeram outra curva. As paredes escuras e ásperas nunca mudavam. O teto era irregular, mas o chão era liso de anos de pessoas passando por ali a pé. Marchando. Os soldados marchavam? Winter não tinha certeza. Não tinha prestado muita atenção ao exército da madrasta. Queria ter tido mais interesse no que Levana estava fazendo com aqueles garotos transformados em soldados. No que vinha planejando o tempo todo.
Fora o piso, a caverna estava igual a quando foi criada por lava derretida bilhões de anos antes. Naquela época, Luna era um lugar de calor e transformação. Era difícil imaginar, ali naquelas cavernas frias e áridas, a existência esquecida na escuridão silenciosa.
Quando os terráqueos construíram sua primeira colônia, fizeram dos tubos amplos e interconectados de lava sua casa enquanto os domos estavam em construção, e depois os converteram em depósito e trilhos de transporte.
Foi só recentemente que eles foram usados com um objetivo violento e grotesco.
— Um alojamento secreto para um exército secreto — sussurrou ela baixinho.
— Tudo bem, hora da pausa. — Scarlet parou e apoiou as mãos nos quadris. — Sabe para onde estamos indo?
Winter puxou um cacho do próprio cabelo desta vez, como uma mola em espiral ao lado da bochecha. A cabeça ainda estava com um galo, mas a dor tinha praticamente passado.
— Muitos dos tubos de lava que não foram usados para os trens foram convertidos em locais subterrâneos de treinamento. É onde os soldados vão estar. Pelo menos, os que não foram mandados para a Terra.
Scarlet piscou devagar.
— E quantos tubos de lava existem na superfície de Luna?
Winter também piscou devagar.
— Não sei. Mas você sabia que Luna começou a vida como uma bola gigante de magma, líquido e ardente?
Scarlet repuxou os lábios para o lado.
— Quantos regimentos de lobos ainda existem em Luna?
Desta vez, Winter não respondeu.
Scarlet expirou e massageou a testa.
— Eu deveria saber. Eu sabia que não deveria ouvir você. Winter. Nós podemos ficar vagando por aqui durante dias e não ver ninguém. E, mesmo se encontrarmos um desses regimentos, ou matilhas, sei lá como eles se chamam, é provável que acabem comendo a gente. Isso é suicídio! — Ela apontou para a direção de onde vieram. — Deveríamos estar procurando aliados, não inimigos.
— Pode voltar, então. — Winter continuou pelo túnel infinito.
Scarlet soltou um gemido contrariado e saiu andando atrás dela.
— Trinta minutos — disse ela. — Vamos andar mais trinta minutos, e, se não encontrarmos evidência de que estamos nos aproximando, vamos voltar, e não vou aceitar não como resposta. Bato na sua cabeça e a arrasto se precisar.
Winter bateu os cílios, achando a ideia engraçada.
— Vamos encontrá-los, amiga Scarlet. Eles vão se juntar a nós. Seu Lobo é prova de que eles são homens, não monstros.
— Eu queria que você parasse de compará-los com Lobo. Lobo é diferente. O resto… eles são monstros. Eu vi a matilha de Lobo em Paris, eles eram brutais e terríveis. Eram os agentes especiais dela, e eles ainda são mais humanos do que animais! Não dá para argumentar com esses monstros, assim como não dá para argumentar com uma…
— Matilha?
Scarlet fez cara feia.
— Exatamente.
— Ryu era meu amigo.
Scarlet levantou as mãos.
— O que você vai fazer, brincar de jogar gravetos? Você está pensando nisso de um jeito errado. Eles estão sob o controle de Levana, ou do taumaturgo que os comanda. Vão fazer o que mandarem, e vão mandá-los comer a gente.
— Eles eram garotos que foram forçados a entrar em uma situação difícil. Não pediram essa vida, assim como seu Lobo não pediu, mas fizeram o que foi preciso para sobreviver. Se tiverem a oportunidade de romper os grilhões da escravidão, vão agarrá-la. Acredito que vão ficar do nosso lado.
Winter ouviu um uivo distante e baixo, e tremeu. Mas Scarlet não pareceu escutar, então não disse nada.
— Você não faz ideia de que lado vão tomar. Eles foram tão maltratados que vão se juntar a quem oferecer um bife maior. — Scarlet hesitou. — O que foi? Você está tendo uma alucinação?
Winter forçou um sorriso.
— Só se você for obra da minha imaginação, mas como posso ter certeza se é ou não? Então, vou continuar acreditando que você é real.
Scarlet não pareceu impressionada com a lógica dela.
— Você sabe o que esses homens se tornam, não sabe? Sabe que nunca vão poder ser normais de novo.
— Eu pensei que você, dentre todas as pessoas, acreditaria na capacidade deles de mudar. Lobo mudou por causa do amor por você. Por que eles também não podem mudar? — Ela saiu andando de novo.
— Lobo é… não é a mesma coisa. Winter, sei que você está acostumada a piscar para todo mundo que passa e esperar que todos se apaixonem por você, mas isso não vai acontecer aqui. Eles vão rir e debochar de você, depois vão…
— Me comer. Sim, eu entendi.
— Você não parece entender o significado por trás das palavras. Isso não é umametáfora. Estou falando sobre dentes e sistemas digestórios enormes.
— Gordura e ossos e tutano e carne — cantarolou Winter. — Nós só queríamos um lanchinho.
Scarlet grunhiu.
— Você é tão esquisita.
Winter passou o braço pelo de Scarlet.
— Não tenha medo. Eles vão nos ajudar.
Antes que Scarlet pudesse iniciar outra discussão, um cheiro peculiar as atingiu, intenso e pungente. Um cheiro animal, como o do jardim, mas diferente. Doce, salgado e odor corporal se misturando no ar estático da caverna, junto com uma coisa rançosa, como carne velha.
— Bem, acho que os encontramos — disse Scarlet.
Um arrepio desceu pelo pescoço de Winter. Nenhuma das duas se mexeu por um bom tempo.
— Se conseguimos sentir o cheiro deles, eles conseguem sentir o nosso — sugeriu Scarlet.
Winter levantou o queixo.
— Vou entender se você for embora. Posso seguir sem você.
Scarlet pareceu pensar no assunto, mas deu de ombros. A sua expressão era de indiferença.
— Estou começando a achar que vamos todos acabar sendo comida de lobo de qualquer jeito quando isso tudo terminar.
Winter virou-se para ela e segurou o rosto de Scarlet com as duas mãos.
— Não é feitio seu falar assim.
Scarlet contraiu o maxilar.
— Levaram Lobo e levaram Cinder, e, por mais que eu queira ver Levana em pedacinhos para alimentar os próprios mutantes dela, acho que não temos muitas esperanças sem eles. — Ela engoliu em seco, e seu ressentimento tomou conta. — E eu… não quero ver esse lugar. Ele foi treinado aqui, sabe. Tenho medo de ver de onde ele veio, o que ele… quem ele era.
— Ele é seu Lobo agora, e você é a alfa dele.
Scarlet riu.
— De acordo com Jacin, deve haver uma matilha para ser uma alfa.
Jacin. O nome trouxe luz do sol e sangue e beijos e rosnados à pele de Winter. Ela esperou um momento para que tudo afundasse até os ossos, depois inclinou a cabeça de Scarlet e deu um beijo no alto do cabelo furioso cor de fogo.
— Vou conseguir sua matilha.

2 comentários:

  1. Parem de maltratar a Winter. Ela não tem culpa de estar ficando louca. Scarlet sendo hipócrita ta foda. O namorado dela é diferentão. Só ele pode sair disso. Aff

    ResponderExcluir
  2. the girl you'll never know who it is9 de março de 2019 23:05

    Tá bom,mas e o lobo? Onde ele tá?

    ResponderExcluir

Para comentar, por favor utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!