29 de outubro de 2018

Capítulo 99

Ela estava caindo.
Caindo e sendo atirada.
Os portões de Wyrd selados atrás dela e, no entanto, ela não estava em casa.
Ao fechá-los, todos os mundos se sobrepuseram.
E ela agora caía através deles.
Um após o outro. Mundos de água, mundos de gelo, mundos de escuridão.
Ela os atravessou, mais rápido que uma estrela cadente, mais rápido que a luz.
Casa.
Ela tinha que encontrar sua casa...
Mundos de luzes, mundos de torres que se estendiam até os céus, mundos de silêncio.
Tantos.
Havia tantos mundos, todos milagrosos, todos tão preciosos e perfeitos que, mesmo quando ela caiu através deles, seu coração se partiu ao vê-los.
Casa. O caminho para casa...
Ela procurou a corda, o elo em sua alma. Pintada em sua carne.
Volte para mim.
Aelin mergulhou mundo após mundo, depois em outro mundo.
Muito rápido.
Ela chegaria em seu próprio mundo rápido demais e o perderia completamente.
Mas ela não podia diminuir. Não podia parar.
Caindo, se revirando, passou por eles um por um, um a um.
É a força disso que importa. Não importa onde você esteja, Aelin, não importa a distância, isto a levará para casa.
Aelin rugiu, uma faísca de si mesma brilhando no céu.
A corda ficou mais forte. Mais tensa. Puxando-a.
Muito rápido. Ela tinha que desacelerar...
Ela buscou aquela última parte de si mesma, no que restava, lutando por qualquer tipo de poder para retardar sua corrida.
Ela passou por um mundo onde uma grande cidade tinha sido construída ao longo da curva de um rio, os edifícios impossivelmente altos e cintilando com luzes.
Passou por um mundo de chuva, verde e vento.
Rugindo, ela tentou diminuir a velocidade.
Ela passou por um mundo de oceanos sem terra para ser vista.
Perto. Sua casa estava tão perto que ela quase podia sentir o cheiro de pinheiro e da neve. Se ela perdesse, se ela passasse reto...
Ela passou por um mundo de montanhas cobertas de neve sob estrelas brilhantes. Passou por cima de uma daquelas montanhas, onde um macho alado estava ao lado de uma fêmea gravida, contemplando aquelas mesmas estrelas. Feéricos.
Eles eram feéricos, mas este não era o mundo dela.
Ela estendeu a mão, como se pudesse sinalizar para eles, como se pudessem de alguma forma ajudá-la quando ela não passava de uma partícula invisível de poder...
O macho alado, belo além da razão, virou a cabeça para ela enquanto ela se curvava sobre seu céu estrelado.
Ele levantou a mão, como se em cumprimento.
Uma explosão de poder sombrio, como uma suave noite de verão, a atingiu.
Não para atacar, mas para retardá-la.
Uma parede, um escudo, que ela rasgou e mergulhou através.
Mas aquilo a desacelerou. O poder daquele macho alado a deixou mais lenta, apenas o suficiente.
Aelin desapareceu de seu mundo sem um sussurro.
E ali estava.
Ali estava o pinho e a neve, a espinha sinuosa das montanhas até o continente, a floresta Carvalhal à direita, as terras desérticas à esquerda. Uma terra de muitos povos, muitos seres.
Ela viu todos eles, familiares e estranhos, lutando e em paz, em cidades extensas ou escondidas nas profundezas da floresta. Tantas pessoas, reveladas a ela. Erilea.
Ela se jogou nesse mundo. Agarrou a corda e berrou enquanto se arrastava em direção a ela. Para baixo.
Lar.
Lar.
Lar.
Não era o fim. Ela não tinha acabado.
Ela se forçou, quis que o mundo parasse. Assim quando os portões de Wyrd se fecharam com um estrondo trovejante, todas as outras portas com ele.
E Aelin mergulhou de volta em seu próprio corpo.


As marcas de Wyrd desvanecera- se no solo rochoso quando o sol se ergueu sobre Endovier.
Rowan estava de joelhos diante de Aelin, preparando-se para os últimos suspiros dela, para o fim que ele esperava que de alguma forma o levasse também.
Ele faria com que este fosse o seu fim. Quando ela se fosse, ele iria.
Mas então ele sentiu. Enquanto o sol se levantava, ele sentiu, aquilo surgindo pelo desgastado elo de parceria.
Uma explosão de calor e luz que soldou os fios quebrados.
Ele não se atreveu a respirar. A ter esperança.
Mesmo quando Aelin caiu de joelhos onde as marcas de Wyrd estiveram.
Rowan estava imediatamente lá, segurando seu corpo cambaleante.
Um batimento cardíaco ecoou em seus ouvidos, em sua própria alma. E esse era o peito dela, subindo e descendo. E aqueles eram seus olhos, abrindo-se devagar.
O cheiro das lágrimas de Dorian e Chaol substituiu o aroma do sal de Endovier quando Aelin olhou para Rowan e sorriu.
Rowan segurou-a contra o peito e chorou à luz do sol nascente
 Uma mão fraca pousou em suas costas, correndo sobre a tatuagem que ele tinha feito. Como se traçasse os símbolos que ele escondia ali, numa esperança desesperada e selvagem.
— Eu voltei — ela falou asperamente.


Ela estava quente, mas... fria, de alguma forma. Uma estranha em seu próprio corpo.
Aelin se sentou, gemendo com a dor ao longo de seus ossos.
— O que aconteceu? — Dorian perguntou, segurando o braço que Chaol tinha em volta de sua cintura.
Aelin ergueu as palmas das mãos diante dela. Uma pequena chama de fogo apareceu dentro delas.
Nada mais.
Ela olhou para Rowan, depois para Chaol e Dorian, os rostos deles tão abatidos sob a luz do dia.
— Se foi — ela disse baixinho. — O poder. — Ela virou as mãos, a chama rolando sobre elas. — Apenas uma brasa permanece.
Eles não falaram.
Mas Aelin sorriu. Sorriu pela falta daquele bem dentro dela, aquele mar agitado de fogo. E o que restou – um dom significativo, sim, mas nada além do comum.
Tudo o que restava do que Mala lhe dera, em agradecimento por Elena.
Mas...
Aelin alcançou o interior, em direção àquele lugar dentro de sua alma.
Ela colocou a mão no peito. Colocou uma mão lá e sentiu o coração batendo por dentro.
O coração feérico. O custo.
Ela deu tudo de si mesma. Tinha desistido de sua vida.
A vida humana. Sua mortalidade. Queimada, tornando-se nada além de poeira entre mundos.
Não haveria mais mudanças de forma. Apenas este corpo, esta forma.
Ela lhes disse isso. E contou a eles o que havia ocorrido.
E quando terminou, quando Rowan permaneceu segurando-a, Aelin estendeu a mão mais uma vez, só para ver.
Talvez tenha sido um presente final de Mala também. Preservar este pedaço dela que agora se formava em sua mão – esta gota de água.
O dom de sua mãe. O que Aelin havia guardado até o final, do qual não queria se desfazer até que os últimos restos dela fossem entregues ao cadeado, aos portões de Wyrd.
Aelin estendeu a outra mão e o núcleo de chamas ganhou vida dentro dela.
Um dom comum. Não mais a Portadora do Fogo.
Mas Aelin mesmo assim.

29 comentários:

  1. o feerico alado era o Rhyssand???!!!

    ResponderExcluir
  2. MEU DEEEEEEEEEEEUS... ELA PASSOU POR CORTE? FINALMENTE UM CROSSOVER? ERA RHYS E FEYRE? SOCORRO, ALGUÉM ME AJUDAAAAA. OU TÔ VIAJANDO?

    ResponderExcluir
  3. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH RHYSAND, MARIDO ETERNOOOOOOOOOOOOOOOOOO

    É errado eu ficar triste que ela não vá mais explodir em chamas toda vez que ficar com raiva?

    ResponderExcluir
  4. Ela passou por um mundo de montanhas cobertas de neve sob estrelas brilhantes. Passou por cima de uma daquelas montanhas, onde um macho alado estava ao lado de uma fêmea gravida, contemplando aquelas mesmas estrelas.
    Fae
    Eles eram Fae, mas este não era o mundo dela. Ela estendeu a mão, como se pudesse sinalizá-los, como se pudessem de alguma forma ajudá-la quando ela não passasse de uma partícula invisível de poder ...
    O macho alado, bonito além da razão, virou a cabeça para ela enquanto ela se curvava sobre seu estrelado céu.
    Meus deuses q crossover

    ResponderExcluir
  5. "Ela passou por um mundo de montanhas cobertas de neve sob estrelas brilhantes. Passou por cima de uma daquelas montanhas, onde um macho alado estava ao lado de uma fêmea gravida, contemplando aquelas mesmas estrelas..."
    "..O macho alado, bonito além da razão, virou a cabeça para ela enquanto ela se curvava sobre seu estrelado céu.
    Ele levantou a mão, como se estivesse cumprimentando. Uma explosão de poder sombrio, como uma suave noite de verão, bateu nela. Não para atacar, mas para atrasá-la. Uma parede, um escudo, que ela rasgou e mergulhou. Mas isso a desacelerou. O poder daquele macho alado a diminuiu, apenas o suficiente.."

    AAAAAAAAAH!!! NÃO ACREDITO!!! EU VIVI PRA ISSO BRASIIIIIL!!
    Meu pai do céu, quando eu comecei a ver ela passando por mundos, eu fiquei ali na esperança, e caramba esse "encontro" realmente aconteceu, e caralhooooo, eu tô surtando, ela passou pelo Meu Grão-Senhor, e pela Freye GRÁVIDA, e o Rys a ajudou, Jesus eu tô chorando aqui de emoção, como c já não houvesse sido bom o suficiente a Aelin conseguir se salvar ainda me acontece isso? Obrigada Sarah eu amo vc, q em um livro futuro quem sabe vc escreva um novo encontro de forma mais desenvolvida, que vc reúna esses meus amores, Meu Deus, ainda embasbacada com esse momento!!!!

    ResponderExcluir
  6. Aelin nunca foi só magia. Uma força poderosa mesmo sem ela. E é por isso que sabemos que chamas ou não, ela é capaz de vencer todos aqueles que se colocarem em seu caminho. Aelin do Coração Selvagem. ♥️

    ResponderExcluir
  7. EU LI UMA REFERENCIA A CORTE ALI!? É ISSO MESMO BRASIL!? RHYS E FEYRE?
    ESTOU BEEEEM MORTA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza é isso mesmo...Que da hora cara...
      Só pode!!! *Macho alado, lindo, noite estrelada...* Só pode ser a corte.

      Excluir
  8. Ela passou por um mundo de montanhas cobertas de neve sob estrelas brilhantes. Passou por cima de uma daquelas montanhas, onde um macho alado estava ao lado de uma fêmea gravida, contemplando aquelas mesmas estrelas. Será o Rhysand com a Feyre ?

    ResponderExcluir
  9. É isso mesmo???? Era o Rhys e a Feyre ou estou delirando????

    ResponderExcluir
  10. O macho mais bonito alem da razão, e um poder sombrio, só pode ser o rhysand e Freyre grávida, sim isso é Sarah J.Maas no mais lindo crossover que já li.
    Ammmmeeeiii

    ResponderExcluir
  11. Melhor capítulo aonde histórias se cruzam Freyre e rhysand ,rowan e selim love forever

    ResponderExcluir
  12. Crossover lindo..... Freyre e rhysand 😍😍😍rowan e selim love forever💞💕

    ResponderExcluir
  13. GENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE SARAH EU TE AMO! Eu to chorando, na vdd não é novidade eu chorando nesse livro, pqp, Rhys mozão, Feyre gravida, que presente ela deu pra genteeeeee <3

    ResponderExcluir
  14. Eu não acredito que ela passou pelo nosso mundo e pela Corte
    aaaaaaaaaaaa a sarah é muito foda pqp

    ResponderExcluir
  15. Com um crossover maravilhoso, vem também uma confirmação: as Cortes ficam em um outro mundo, também com humanos e feéricos.

    ResponderExcluir
  16. Respostas
    1. Personagem de Corte de Espinhos e Rosas, também da Sarah

      Excluir
  17. Genteeee!! Teoria de louco:
    Lembram da Queda das Estrelas na Corte Noturna? Então
    O Rhysand disse que as estrelas eram espíritos viajantes e bá blá blá... Ele afirmou que menos e menos passavam a cada ano naquele dia em específico e que as vezes ele pensava que eles continuariam até só sobrar apenas um deles, viajando solitário na esperança de encontrar seus "irmãos", sua casa.
    E se na verdade eles são viajantes entre mundos? E digamos de nossa Aelin foi essa última luz viajando para encontrar sua casa?

    ResponderExcluir
  18. Ela passou por um mundo onde uma grande cidade tinha sido construída ao longo da curva de um rio, os edifícios impossivelmente altos e cintilando com luzes.

    Viu Velaris, depois viu O RHYS, depois viu a FEYROCA gravidíssima no salto... Acho que o presente que ela ganhou não foi só o fogo de Mala no fim... <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sao mundos diferentes. Eu acho q a cidade na curva de um rio e alguma cidade do NOSSO mundo

      Excluir
  19. Ps. TO MORRENDO DE AMORES POR ESSE NENÊ QUE VEM AI E NEM SEI SE É BENINO OU BENINA AINDA #FEYRHYS

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!