29 de outubro de 2018

Capítulo 96

Rowan não se moveu pelas horas em que ficaram ao lado de Aelin e Dorian e os assistiram olhando para o nada. Chaol também não tinha se movido.
A noite passou, as estrelas girando sobre esse lugar odioso e frio. E então Dorian arqueou, engolindo ar – e caiu de joelhos. Aelin permaneceu onde estava. Permaneceu de pé e simplesmente soltou a mão de Dorian.
A própria alma de Rowan parou.
— Não — Dorian murmurou, lutando se levantar, tentando segurar a mão dela novamente, para se juntar a ela.
Mas a ferida na mão de Aelin estava selada.
— Não, não!— Dorian gritou, e Rowan soube então.
Sabia o que ela tinha feito.
O último engano, a última mentira.
— O que aconteceu? — Chaol exigiu, aproximando-se para içar Dorian para seus pés. O rei soluçou, soltando a antiga espada de sua cintura e atirando-a para longe. Damaris fez um leve tunc quando atingiu a terra.
Rowan apenas olhou para Aelin. Para sua parceira, que mentiu para ele. Para todos eles.
— Não foi o suficiente – os dois juntos. Teria destruído nós dois — chorou Dorian. — No entanto, Damaris de alguma forma convocou meu pai e... ele tomou o meu lugar. Ele se ofereceu para tomar o meu lugar, então ela... — Dorian se lançou para frente, tentando pegar a mão de Aelin, mas ele saíra do anel de marcas de Wyrd.
Elas agora o mantinham fora.
Uma parede que selava Aelin.
O elo de parceria se esticava mais e mais fino.
— Ela e ele – eles vão acabar com isso — disse Dorian, tremendo.
Rowan mal ouviu as palavras. Ele deveria saber. Deveria saber que, se o plano falhasse, Aelin jamais sacrificaria voluntariamente um amigo. Mesmo por isso. Mesmo pelo seu próprio futuro.
Ela sabia que ele tentaria impedi-la de forjar o cadeado se tivesse mencionado essa possibilidade, o que ela faria se tudo fosse para o inferno. Tinha concordado em deixar Dorian ajudá-la apenas para se colocar aqui. Provavelmente teria soltado a mão de Dorian mesmo que o pai dele não aparecesse.
Acabado – ela dissera tantas vezes que queria isso acabado. Ele deveria ter escutado.
Chaol segurou Dorian, e o jovem lorde disse a Rowan, suave e tristemente:
— Eu sinto muito.
Ela havia mentido. Seu Coração de Fogo havia mentido. E ele agora a assistia morrer.


De mãos dadas com seu inimigo, Aelin permitiu que a magia fluísse novamente. Permitiu que ela se enfurecesse para fora dela.
O poder do rei inominável não era nada comparado ao de Dorian. Mas era apenas o suficiente, como ele disse. Apenas o suficiente para ajudar.
Ela nunca pretendera que Dorian se destruísse por isso. Só que ele desse apenas o suficiente. E então ela o teria jogado de volta para Erilea. Assim ela poderia terminar isso sozinha.
Pagamento por dez anos de egoísmo, dez anos longe de Terrasen, dez anos de fuga.
A agonia se tornou um rugido entorpecedor. Até o velho rei ofegava com a dor.
Perto agora. As alças de ouro e os círculos do cadeado solidificaram-se.
Ainda mais era necessário. Para ligar este lugar, ligar todos os mundos.
Ele nunca iria perdoá-la.
Seu parceiro.
Ela precisava que ele a deixasse ir, precisava que ele aceitasse. Ela nunca teria sido capaz de fazer isso, de vir aqui, se ele estivesse implorando para ela não fazer, se estivesse chorando como ela queria chorar quando o beijou uma última vez.
Volte para mim, ele sussurrou.
Ela sabia que ele esperaria. Até que ele desaparecesse no além-mundo, Rowan esperaria que ela voltasse. Voltasse para ele.
A magia de Aelin derramou dela, um pedaço tão vital e profundo que ela gritou, balançando. Apenas o aperto do rei a impediu de cair.
O cadeado estava quase pronto, os dois círculos sobrepostos do Olho quase completos.
Sua magia se contorceu, implorando para ela parar. Mas ela não podia. Não pararia.
— Em breve agora — prometeu o rei.
Ela encontrou o homem sorrindo.
— Recebi uma mensagem para você — ele falou suavemente. Suas bordas ficaram borradas, enquanto o último de seus poderes se dissipava. Mas ele ainda sorria. Ainda parecia em paz. — Seus pais estão... eles estão muito orgulhosos de você. Eles me pediram para dizer que a amam muito. — Ele estava quase invisível agora, suas palavras pouco mais que um sussurro de vento. — E que a dívida foi paga o suficiente, Coração de Fogo.
Então ele foi embora. A última parte dele fluiu para o cadeado. Varrido da existência.
Ela mal sentiu as lágrimas no rosto quando caiu de joelhos. Quando deu e deu sua magia, a si mesma. Meu nome é Aelin Ashryver Galath...
Um grito sufocante saiu dela enquanto a última parte do cadeado era selada.
Quando o cadeado foi forjado mais uma vez, tão real quanto sua própria carne.
Quando a magia de Aelin desapareceu completamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!