22 de outubro de 2018

Capítulo 8

Rosie: Calma, Stephanie!
Steph: Não consigo! É bizarro demais! Vocês dois são como irmãos! Alex é como um irmãomais novo pra mim! Vocês não podem!
Rosie: STEPHANIE! NÃO FIZEMOS NADA!
Steph: Ah.
Steph: Então, o que foi que aconteceu?
Rosie: Bem, vai ser difícil eu te contar agora, srta. Reação Exagerada.
Steph: Pare de querer me enrolar e conte!
Rosie: Tudo bem, reconheço que foi uma atitude muito imbecil da minha parte e me sinto envergonhadíssima, então não me venha com sermões...
Steph: Continue...
Rosie: Bem, foi algo muito mais inocente do que você pensa, mas tão constrangedor quanto. Eu beijei Alex.
Steph: Eu sabia!!! O que aconteceu?
Rosie: Ele não retribuiu.
Steph: Ah. E você ficou chateada?
Rosie: O mais estranho é que sim, eu fiquei.
Steph: Ah, Rosie, sinto muito... Tenho certeza de que Alex vai reconsiderar. Ele só deve ter ficado meio chocado. Tenho certeza de que ele sente o mesmo!!! Isso é muito legal! Eu sempre soube que algum dia algo aconteceria entre vocês dois.
Rosie: Fiquei aqui na cama deitada, olhando para o teto, desde que cheguei em casa, tentando descobrir o que foi que me deu. Será que foi alguma coisa que eu comi que me deixou zonza e me fez agir por impulso? Será que foi alguma coisa que ele disse que eu interpretei mal? Estou tentando me convencer de que não foi só o silêncio do momento que fez o meu sentimento mudar. No começo, tínhamos tanta coisa pra conversar que falamos umas cem palavras por segundo, e mal esperávamos o outro terminar uma frase pra começar outra. E demos muita risada. Rimos à beça. Então os risos terminaram e veio o silêncio. Um silêncio estranhamente confortável. Que diabos foi aquilo? Foi como se o mundo tivesse parado naquele instante. Como se todos ao nosso redor tivessem desaparecido. Como se tudo em casa tivesse sido esquecido. Foi como se aqueles poucos minutos tivessem sido feitos apenas pra nós dois, e tudo que pudéssemos fazer fosse olhar um para o outro. Foi como se Alex estivesse me vendo pela primeira vez. Ele pareceu confuso, mas ao mesmo tempo surpreso. Da maneira exata como eu me senti. Porque eu estava ali, na grama, sentada com o meu amigo Alex, e aquele era o rosto do meu melhor amigo Alex, o nariz, os olhos e os lábios dele, mas eles pareciam diferentes. Então eu o beijei. Aproveitei aquele momento e o beijei.
Steph: Uau! E o que ele disse?
Rosie: Nada.
Steph: Nada?
Rosie: Nada. Absolutamente nada. Só ficou me olhando.
Steph: Então como você sabe que ele não sentiu o mesmo?
Rosie: Bem na hora, Sally apareceu toda saltitante. A gente estava esperando por ela mesmo, pra sair. Ela estava toda empolgada. Queria saber se Alex já tinha me contado a grande novidade. Ela estalou os dedos bem na nossa cara e voltou a perguntar: “Alex, amor, você contou a novidade pra Rosie?” Tudo o que Alex fez foi piscar, aí Sally o abraçou e ela mesma me contou. Eles vão se casar. Por isso voltei pra casa.
Steph: Ah, Rosie...
Rosie: Mas o que diabos foi aquele silêncio?
Steph: Acho que eu no seu lugar teria gostado desse silêncio. Acho que foi algo bom.
Rosie: E foi.

Phil: Que tipo de silêncio?
Alex: Um silêncio estranho.
Phil: Tá, mas como assim “estranho”?
Alex: Incomum, um silêncio fora do normal.
Phil: Sim, mas foi bom ou ruim?
Alex: Bom.
Phil: E isso é ruim?
Alex: Sim.
Phil: Por quê?
Alex: Porque fiquei noivo da Sally.
Phil: Alguma vez já teve esse tipo de “silêncio” entre vocês?
Alex: Sim, temos uns silêncios...
Phil: A Margaret e eu também. Ah, você não precisa ficar falando o tempo todo, sabe...
Alex: Não, aquilo foi diferente, Phil. Não foi só um silêncio, foi um... Ah, sei lá!
Phil: Caraca, Alex!
Alex: É, eu sei... Estou me sentindo perdido.
Phil: Então, não se case com a Sally.
Alex: Mas eu a amo.
Phil: Mas e a Rosie?
Alex: Não tenho certeza.
Phil: Bom, então não vejo problema nenhum aqui. Se você estivesse apaixonado pela Rosie e não tivesse certeza do que sente pela Sally, aí sim você estaria encrencado. Case com a Sally e esqueça o maldito silêncio.
Alex: Você, mais uma vez, me fazendo enxergar as coisas de forma mais clara, Phil.

QUERIDA ROSIE,
Sinto muito pelo que aconteceu. Você não precisava ter saído daqui tão cedo; poderíamos ter resolvido essa situação... Desculpe não ter contado sobre a Sally antes de você chegar aqui, mas é que eu estava esperando você chegar para conhecê-la — não queria te dar a notícia por telefone. Talvez fosse melhor se eu tivesse contado...
Por favor, não se afaste de mim. Faz semanas que não recebo notícias suas. Foi maravilhoso reencontrar você... Por favor, me escreva.
Beijo,
Alex

Para Alex, ou, melhor dizendo, dr. Alex!
PARABÉNS!
DÊ UM TAPINHA NAS SUAS COSTAS POR MIM...
VOCÊ CONSEGUIU!!! SABÍAMOS QUE VOCÊ CONSEGUIRIA!
Parabéns por ter se formado em Harvard, seu gênio!!
Desculpe por não estarmos aí.
Com carinho, Rosie e Katie

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: ALEX.
Alex: Rosie, quero que você seja a primeira pessoa a saber que decidi me tornar cirurgião cardiovascular!
Rosie: Que ótimo! E paga bem?
Alex: Rosie, não tem nada a ver com dinheiro.
Rosie: Bom, aqui no meu pedaço, tudo é uma questão de dinheiro. Deve ser porque não tenho nenhum. Trabalhar meio período na Randy Andy Paperclip não compensa tanto assim como pode parecer.
Alex: Bem, no meu mundo, a questão tem a ver com as vidas que você salva. Mas e aí, o que você achou? Aprova a especialidade que escolhi?
Rosie: Hum... Meu melhor amigo, um médico especialista no coração... Está aprovado.

De: Alex
Para: Rosie
Assunto: Obrigado!
Na última vez em que nos falamos me esqueci de agradecer o cartão que você e a Katie me enviaram. Ele é a única coisa que tenho aqui comigo, no novo apartamento. Sally e eu nos mudamos há poucas semanas. Você e a Katie estão convidadas para conhecê-lo, podem vir quando quiserem e serão muito bem-vindas. Pode ser a primeira viagem de avião de Katie para visitar o padrinho em Boston! Tem um parque muito legal ali do outro lado da rua com um playground. Katie ia amar!
O apartamento é pequeno, mas, de qualquer modo, como tenho turnos extensos no hospital, quase nunca fico por aqui. Preciso cumprir mais uma pena interminável aqui no Hospital Central de Boston antes de me tornar de fato cirurgião cardiovascular. Enquanto isso recebo uma mixaria e trabalho feito escravo até altas horas.
Bom, chega de falar de mim. Parece que ultimamente ando falando muito de mim. Por favor, escreva e me conte como vão as coisas com vocês. Não quero que fique nenhum clima estranho entre nós, Rosie.
Vamos nos falando,
Alex

Para: Alex
FELIZ NATAL!
Que esta data seja repleta de amor e felicidade para você e todos os que você ama.
Com carinho, Rosie e katie

Rosie e Katie,
FELIZ ANO NOVO!
Que este novo ano traga muitas alegrias, amor e realizações!
Com carinho,
Alex e Sally

QUERIDA STEPHANIE,
Você não vai acreditar no cartão que acaba de chegar à minha porta. Quase me senti enjoada. Estava eu limpando a bagunça que a mamãe e o papai fizeram depois daquela festa de Ano-Novo que eles fazem todo ano, quando ele fez a sua entrada triunfal pelo capacho. Fiquei surpresa por ele não ter vindo acompanhado pelo som de trombetas! Tchanããã!
Anunciamos a entrada do nefasto cartão-casal! (A propósito, nosso maravilhoso tio Brendan estava na festa, olhando para os meus peitos com aquela cara de sempre, de desprezo. Ele perguntou de você... Muito. Deus do céu, como ele é repugnante!) Tinha mais ou menos uns dez milhões de garrafas de vinho espalhadas rolando pelo chão quando desci e quase tropecei num tabuleiro de Trivial Pursuit1 (sim, foi uma noite daquelas!). Tinha um monte daqueles chapéus de papel espalhados pela sala de estar, pendurados nos abajures, dependurados nas molheiras, tudo muito nojento. Tinha também pacotes abertos de biscoitos, com miniaturas de brinquedos jogados de lado (coisas que ninguém jamais usaria, como tochas do tamanho do nosso polegar ou quebra-cabeças de duas peças) e em cima dos restos de comida. A casa estava uma zona!
Fala sério, Steph, sempre que a mamãe e o papai saíam, a gente dava as festas mais loucas, mas não se comportava feito um bando de animais no curral. Além disso, eles gritaram, cantaram (bem, tentaram cantar) e dançaram (ou batiam o pé no chão numa espécie de ritual maluco) a noite inteira. A coitadinha da Katie ficou apavorada com aquele barulho todo (é óbvio que ela nem parece minha filha!) e passou a noite inteira chorando, então tive de deixá-la ficar na cama comigo (levei umas dez cotoveladas na cara durante a noite). Por fim, todo mundo começou a ir embora, lá pelas 6, 7 da manhã, e, quando eu estava começando a pegar no sono, fui sacudida por um monstrinho que começou a pular em cima da minha cama, exigindo comida.
Bom, de qualquer modo, acho que o que estou tentando dizer é que eu não estava nos meus melhores dias quando aquele cartão apareceu no capacho. Minha cabeça estava explodindo, eu estava exausta depois de ter limpado toda aquela bagunça lá embaixo (o que não é problema, porque, afinal, estou na casa dos meus pais, que estão gentilmente me deixando ficar aqui sem pagar nada, então não estou reclamando deles), e eu só queria um pouco de paz, sossego e algumas horas de sono.
Mas aí o cartão chegou.
Na frente, havia uma pequena e encantadora foto de Alex e Sally embrulhados em seus casacos quentinhos de inverno, chapéus, luvas etc. Os dois estavam em um parque coberto de neve, com os braços envolvendo um... Um boneco de neve. Um maldito boneco de neve. Os dois pareciam repugnantemente felizes. Duas cabecinhas felizes de Harvard. Urgh! Não é lamentável enviar uma foto sua com o namorado, fazendo um boneco de neve??? Muito, muito, muito triste! Deprimente. E, além de tudo, enviá-la para mim!!! Que cara de pau! Eu deveria ter enviado uma foto minha pra eles... Minha e do... e do... George (o homem do pirulito e o único cara com quem falo hoje em dia, pelo que parece), ao ar livre, congelando no frio, pulando nas poças. Imagino quão “sem noção” isso pareceria pra eles!
Ah, meu Deus, estou delirando. Desculpe. Preciso ir agora, antes que Katie acabe com o resto de vinho tinto daquela garrafa no chão.
Ah, por falar nisso, foi ótimo conhecer o Pierre, afinal! Ele é um cara muito legal mesmo. Vocês dois deveriam vir pra cá mais vezes. Foi divertido conversar com gente que tem idade mais próxima da minha pelo menos uma vez.
Feliz Ano Novo. Quem será que inventou essa expressão?
Com carinho, de sua contente e extremamente feliz irmã mais nova,
Rosie

Para Rosie
Feliz Aniversário, minha amiga!
Seja bem-vinda ao mundo dos 26 anos!
Estamos ficando velhos, Rosie!
Vê se me escreve com mais frequência!
Beijos, Alex

PARA ALEX
VOCÊ ESTÁ CONVIDADO PARA MINHA FESTA DE ANIVESÁLIO DE 7 ANOS VAI SE NO DIA 4 DE MAIO NA MINHA CAZA. VAI TER UM MÁJICO. NÃO VEJO A HORA. COMEÇA 2 HORAS E VOCÊ PODE IR IMBORA AS 5H.
COM CARINHO DA KATIE

QUERIDA KATIE,
Sinto muito por não poder ir à sua festa de aniversário. Um mágico! Parece que vai ser muito legal. Vai ter tantos amigos seus aí que você não vai nem notar a minha ausência! Preciso ficar aqui, trabalhando no hospital, então eles não vão me deixar tirar uma folga. Eu disse a eles que é o seu aniversário, mas mesmo assim eles não me deram ouvidos!
Mandei uma coisinha pra você e espero que goste. Feliz aniversário, Katie, e cuide da sua mamãe por mim. Ela é muito especial.
Muitos beijos pra você e para a mamãe,
Alex

Para Alex
Obrigada pelo meu presente de anivesálio. Minha mamãe chorou quando eu abri. Nunca tive um medalhão. As fotos de você e da mamãe são muito pequenas.
O májico foi legal mas meu melhor amigu Toby disse que sabia que ele estava enganando a gente e mostrou pra todo mundo onde o homem escondeu as cartas. O homem não ficou muito feliz e ficou bravo com Toby. Mamãe riu tão auto que acho que o májico também ficou muito bravo cum ela.
Ganhei um monte de presente legal, mas Avril e Sinead me deram uma agenda igual. A mamãe e eu vamos mudar para outra caza logo. Vou sentir muita saudade do vovô e da vovó e cei que a mamãe está triste porque ouvi ela chorando na cama ontem de noite.
Mais a gente não vai mudar pra longe. Dá pra pegar um ônibus da caza da vovó e do vovô até a nossa caza nova. Não demora muito e a gente vai ficar mais perto de todas as lojas na cidade, então a gente pode ir andando até lá.
É bem mais pequena que a caza que a gente mora agora. Mamãe é engraçada, ela chama a caza de caixa de sapato! Tem 2 quartos e a cozinha é espremida. Só tem espaço pra comer e assistir tv. Tem varanda e é legal mais mamãe não vai me deixar ficar lá sozinha.
Dá pra ver o parque. Mamãe diz que o parque é o nosso jardim e que temos o maior jardim do mundo.
Mamãe disse que posso pintar o meu quarto da cor que eu quizer. Acho que vou pintar de rosa, de roxo ou de azul. Toby disse que a gente devia pintar de preto. Ele é engraçado.
A mamãe tem um emprego novo. Ela trabalha só alguns dias da semana então às vezes ela me pega na escola e outras vezes não pode. Brinco com Toby até ela chegar em casa. A mãe dele sempre leva e traz ele porque diz que a gente é muito novo pra pegar ônibus. Acho que mamãe não gosta do emprego dela. Ela sempre está cansada e chorando. Ela diz que perferia voltar pra iscola e ter aula dobradinha de matemática. Não cei o que é isso que ela quer dizer.
Eu e o Toby odiamos a iscola mas ele sempre me faiz dar risada. Mamãe diz que está cansada de ter que voltar pra falar com a minha professora, a senhorita Casey. A vovó e o vovô acham isso engraçado. A senhorita Casey tem o maior nariz do mundo. Ela me odeia e odeia o Toby também. Acho que ela não gosta da mamãe também porque elas sempre brigam quando se encontram.
Mamãe tem uma amiga nova. Elas trabalham no mesmo prédio mais não no mesmo escritório. Elas se encontram lá fora no frio porque tem que fumar lá fora. Mamãe diz que ela é a melhor amiga que ela tem a anos. O nome dela é Ruby e ela é muito engraçada. Gosto quando ela vem aqui. A mamãe e ela estão sempre rindu. Gosto quando a Ruby está aqui porque a mamãe não chora.
Está muito sol aqui em Dublin agora. Eu e a mamãe fomos pra praia de Portmarnock umas vezes. A gente pega o ônibus e sempre tem um monte de gente vestindo roupa de praia, tomando sorvete e ouvindo música bem alta. O lado de cima do ônibus é o meu prefirido. Sento na frente e finjo que dirijo e a mamãe adora ficar olhando pela janela e para a água no caminho. Estou aprendendo a nadar. Mas tenho que ficar com as boias amarradas no meu braço no mar. Mamãe disse que quer morar na praia. Ela diz que gostaria de viver dentro das conchas do mar!
Quando você vem visitar a gente? Mamãe disse que você vai se casar com uma menina que se chama Loira Burra. Que nome engraçado.
Bj,
Katie

1 Jogo que testa os conhecimentos sobre assuntos gerais. (N.T.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!