22 de outubro de 2018

Capítulo 50

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: KATIE.
Katie: Parabéns, mãe! Qual é a sensação de completar 50 anos?
Rosie: Um calor enorme.
Katie: Está tendo outro daqueles calores da menopausa?
Rosie: Sim. Qual é a sensação de estar com quase 31 anos? Será que existe alguma chance de a minha filha se estabelecer na vida, encontrar um emprego decente e me dar netos?
Katie: Hmmmm... Não sei, mas tinha um menininho na praia esta manhã fazendo castelos de areia, e pela primeira vez na vida eu achei aquilo superfofo. Talvez eu esteja começando a pensar como o resto do mundo.
Rosie: Bem, isso me dá um pouco de esperança. Pensei que esses sonhos teriam que morrer, mas você me deu esperança. Talvez eu possa começar a dizer às pessoas que tenho uma filha, agora.
Katie: Engraçadinha. E como está indo a pousada?
Rosie: Está bem movimentada, graças a Deus. Eu estava bem no meio de uma atualização do site quando você me mandou essa mensagem. A Pousada Docinho agora tem sete suítes.
Katie: Eu cei, o lugar está cada vez mais fantástico.
Rosie: É SEI, e não CEI.
Katie: Desculpe. Nós, DJs, não precisamos saber escrever direito. AH, MEU DEUS! Eu quase esqueci de te falar. Não acredito que isso não é a primeira coisa que eu disse! Você nunca vai adivinhar quem eu encontrei na boate ontem à noite!
Rosie: Bem, se eu nunca vou adivinhar, então não quero participar dessa brincadeira.
Katie: Toby Flynn!!!
Rosie: Nunca ouvi falar dele. É algum antigo namorado?
Katie: Mãe! Toby Flynn! Toby!
Rosie: Não acho que ficar repetindo o nome dele vá ajudar.
Katie: Meu melhor amigo do tempo da escola! Toby!
Rosie: Ah, Senhor! Toby! Como está aquele fofo?
Katie: Ele está ótimo! Formou-se em Odonto, trabalha em Dublin como sempre quis e está aqui em Ibiza para passar duas semanas de férias. Foi muito esquisito vê-lo depois de dez anos, mas ele não mudou nada.
Rosie: Isso é fabuloso. Diga a ele que eu mandei um beijo, tá?
Katie: Digo, sim. Ele falou muitas coisas legais sobre você. Inclusive, vou vê-lo de novo hoje à noite. Vamos sair para jantar.
Rosie: Estou sentindo cheiro de romance no ar?
Katie: Não! Não posso namorar o Toby. É o Toby! Vamos só botar o papo em dia.
Rosie: Claro, se você diz. Acredito. Com certeza, querida.
Katie: É sério, mãe! Não posso namorar o Toby. Ele era o meu melhor amigo. Seria esquisito demais.
Rosie: Não vejo nada de errado em namorar o seu melhor amigo.
Katie: Mãe, seria a mesma coisa que você namorar o Alex.
Rosie: Bom, eu acho que isso seria perfeitamente normal também.
Katie: Mãe!
Rosie: O que foi? Não sei qual é o problema. Aliás, você tem falado com Alex nos últimos tempos?
Katie: Sim, falei ontem. Ele está dormindo no sofá de novo. Bethany está pegando no pé dele outra vez. Para ser sincera, eu acho que os dois estão agindo feito idiotas, esperando o Theo entrar na faculdade.
Rosie: Bem, os dois estão agindo como idiotas desde que resolveram se casar. Você sabe como é o Theo, Katie — ele é muito sensível. A separação dos pais vai partir o coraçãozinho dele. Mas ele vai ter que lidar com isso quando estiver na faculdade de artes de Paris, e eu não sei por que eles acham que vai ser melhor para ele dessa forma.
Katie: Bem, quanto mais cedo, melhor. O destino deles foi traçado no inferno, e eu sempre disse isso. Josh diz que não aguenta mais esperar até que Alex e ela se separem. Ele não a suporta.
Rosie: Mesmo assim, eles ficaram juntos bem mais tempo do que as pessoas pensaram que ficariam. Mande um beijo para o Josh também.
Katie: Vou mandar. Bom, é melhor eu ir e contar para Alex sobre Toby. Ele não vai acreditar! Não trabalhe demais no seu aniversário, mãe!

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: KATIE.
Katie: Oi, Alex.
Alex: Olá, minha linda afilhada. Como você está hoje, e o que você quer?
Katie: Estou bem, e não quero nada!
Alex: Vocês, mulheres, sempre querem alguma coisa.
Katie: Isso não é verdade e você sabe disso!
Alex: Como está o meu filho? Espero que ele esteja trabalhando duro por aí.
Katie: Ele ainda está vivo, pelo menos.
Alex: Ótimo. Diga para ele ligar para casa mais vezes. Por melhor que seja conversar com você e tudo mais, seria bom saber notícias dele que viessem direto dele.
Katie: Entendi. Pode deixar que eu digo a ele. Bom, de qualquer maneira, o motivo pelo qual estou lhe mandando essas mensagens é que você nunca vai adivinhar quem eu encontrei na boate ontem à noite!
Alex: Bem, se eu nunca vou adivinhar, então não quero participar dessa brincadeira.
Katie: Foi exatamente isso que a minha mãe disse! Bom, eu encontrei Toby Flynn!
Alex: Ele é algum ex-namorado? Ou alguém famoso? Dê uma pista pra mim.
Katie: Alex! Aff, fala sério! Você e a minha mãe estão começando a ficar desmemoriados. Toby era o meu melhor amigo do tempo da escola!
Alex: Ah, aquele Toby. Direto do túnel do tempo. Como ele está?
Katie: Ele está bem. Terminou a faculdade de Odonto, é dentista em Dublin e veio passar alguns dias de férias em Ibiza. Ele perguntou de você.
Alex: Que maravilha. Bem, se vocês se virem outra vez, mande lembranças. Ele era um bom rapaz.
Katie: Pode deixar. Vou vê-lo de novo hoje de noite. Vamos sair para jantar.
Alex: Opa, há um toque de romance no ar?
Katie: Aff, fala sério! O que há com você e com a minha mãe? Ele era o meu melhor amigo. Não posso namorar o Toby.
Alex: Ah, não seja boba. Não há nada de errado em namorar o melhor amigo.
Katie: Foi isso que a minha mãe disse!
Alex: Foi, é?
Katie: Sim. Tentei explicar que seria a mesma coisa que ela começar a namorar você.
Alex: E o que foi que ela disse?
Katie: Ela não pareceu ficar escandalizada com a ideia. Está vendo, Alex? Quando você conseguir tirar esse rabo gordo dessa sua casa, você sabe que há pelo menos uma mulher no mundo que vai te aceitar. Haha.
Alex: Pois é.
Katie: Meu Deus, Alex. Anime-se. Bom, preciso ir, tenho que me arrumar para o jantar.

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: ROSIE.
Rosie: Olá, velha senhora. O que está fazendo de bom?
Ruby: Estou sentada na minha cadeira de balanço e fazendo tricô. O que você acha? Não. Gary, Maria e as crianças acabaram de ir embora e eu estou exausta. Não consigo mais correr atrás deles como antes.
Rosie: Mas você quer mesmo fazer isso?
Ruby: Não, e estar com os músculos doloridos é uma ótima desculpa para não ter que brincar de esconde-esconde 24 horas por dia, 7 dias por semana. E você, o que está aprontando por aí?
Rosie: Estou descansando um pouco depois de limpar toda a poeira que os pedreiros deixaram. Sinceramente, será que eles já ouviram falar de uma coisa chamada “aspirador de pó”?
Ruby: Não, e nem eu. É alguma invenção nova? Como está indo a construção da nova ala?
Rosie: Ah, está uma beleza, Ruby. Vou ter muito mais privacidade agora. Posso ficar do meu lado da casa e os hóspedes ficam do lado deles. Decorei um quarto da maneira que você gosta, então você pode ficar lá quando quiser visitar. É só dizer quando quer vir. Vou sair com Sean hoje à noite.
Ruby: De novo? Olhe, isso está ficando bem frequente.
Rosie: Ele é um homem muito gentil e eu gosto muito da companhia dele. Mesmo que a casa esteja sempre cheia de estranhos, ainda acabo me sentindo sozinha. Por isso é bom poder me encontrar com ele de vez em quando.
Ruby: Entendo o que você quer dizer. Ele parece ser um verdadeiro cavalheiro.
Rosie: E é mesmo.
Ruby: Fiquei sabendo que o casamento de Alex terminou.
Rosie: Ruby, o casamento dele nem chegou a começar, e terminar então... Bem, é uma pena.
Ruby: E como você se sente em relação ao fato?
Rosie: Triste por ele. Feliz por ele.
Ruby: Bem, agora você pode me contar a verdade. Como é que você se sente de verdade?

De: Katie
Para: Rosie
Assunto: Putz, mãe
Putz, mãe.
Meu Deus, mãe.
Aconteceu a coisa mais bizarra do mundo comigo.
Eu nunca me senti tão... Esquisita em toda a minha vida.
Ontem foi a noite mais estranha de toda a minha vida. Encontrei Toby e nós saímos para jantar no Raul’s, um restaurante na parte velha da cidade. Para chegar lá nós tivemos que andar por uma rua de pedras muito íngreme, passando pelas mulheres que se vestem de preto da cabeça aos pés e que estavam sentadas em cadeiras de madeira diante das suas casas, aproveitando o calor e o silêncio.
O lugar tinha só umas poucas mesas, e como éramos os únicos turistas lá eu quase me senti mal por estar me intrometendo, mas eles foram muito atenciosos e o clima estava ótimo. É uma parte da ilha que eu não visito com tanta frequência, infelizmente.
O gerente do hotel de Toby sugeriu o restaurante, e a sugestão foi muito boa porque o lugar ficava bem no alto de uma montanha, com vista para a ilha de um lado e o mar do outro. O ar estava morno, as estrelas estavam brilhando e tinha um homem tocando violino no canto. Foi como algo saído de um filme, mas foi muito melhor porque era real e estava acontecendo comigo.
Conversamos, conversamos, conversamos por horas e horas, até bem depois de terminarmos de comer, e tiveram até mesmo que pedir para irmos embora às duas da manhã. Acho que nunca ri tanto em toda a minha vida. Continuamos conversando enquanto passeávamos pela praia, e até mesmo o ar estava mágico! Falamos nos velhos tempos e conversamos sobre os novos tempos também.
Mãe, não sei se foi o vinho, o calor, a comida ou só os meus hormônios, mas havia alguma coisa no ar naquela noite. Toby tocou o meu braço e eu me senti toda... Elétrica, da cabeça aos pés. Já tenho quase 31 anos e nunca senti isso antes. E foi naquele momento que surgiu o silêncio. Um silêncio muito esquisito. Começamos a nos olhar como se estivéssemos nos vendo pela primeira vez. Foi como se o mundo parasse de girar apenas para nós. Um silêncio mágico e estranho.
E então ele me beijou. Toby me beijou. E foi o melhor beijo de todos os meus 30 anos. E quando os nossos lábios se separaram as minhas pálpebras se abriram devagar e eu vi que ele estava olhando para mim, como se fosse dizer alguma coisa. E, como é típico de Toby, ele disse: “Aposto que tinha pepperoni no seu jantar.”
Que vergonha.
Na mesma hora as minhas mãos voaram para os meus dentes, lembrando como ele me zoava por causa da comida presa no meu aparelho. Mas ele segurou as minhas mãos e afastou-as da minha boca gentilmente, e disse: “Não, desta vez eu consegui sentir o gosto.”
Minhas pernas quase cederam debaixo de mim. A sensação de beijar Toby foi muito estranha, mas ao mesmo tempo parecia ser algo completamente natural, e eu acho que isso era o mais estranho de tudo que aconteceu. Não cei se você consegue me entender.
Passamos o dia inteiro juntos e as minhas tripas estão virando cambalhotas só de pensar que vamos nos ver de novo hoje. O meu coração está batendo com tanta força que as vibrações quase chegam a fazer o meu medalhão bater contra o peito. Agora eu cei por que as minhas amigas falavam daquele jeito quando tentavam descrever seus sentimentos. É tão bom que chega a ser indescritível. Meu pai passou o dia inteiro me zoando porque eu fiquei andando de um lado para outro com um sorriso bobo na cara.
Toby pediu que eu voltasse a morar em Dublin, mãe! Não para morar com ele, claro, mas apenas para que pudéssemos ficar mais próximos. E eu acho que vou fazer isso. Por que diabos eu não faria? Vou jogar tudo pro ar e saltar de cabeça no escuro e todos aqueles outros clichês, e vamos ver aonde eu consigo chegar. Porque, se eu não seguir essa intuição neste momento, quem sabe onde eu estarei daqui a vinte anos?
Parece loucura, né? Mas foram vinte e quatro horas superintensas!

De: Rosie
Para: Katie
Assunto: Sim!
Ah, não é loucura, Katie! Não é loucura de jeito nenhum! Aproveite, meu bem. Aproveite cada segundo.

De: Katie
Para: Alex
Assunto: Apaixonada!
Minha mãe estava certa, Alex! É possível se apaixonar pelo seu melhor amigo! Fiz as malas e resolvi voltar para Dublin com o coração cheio de amor e esperança, e a cabeça cheia de sonhos! Minha mãe falou sobre a vez que ela percebeu o silêncio, há vários anos. Ela sempre me disse que, quando eu sentisse esse silêncio com alguém, era um sinal de que aquela pessoa seria aquela que ficaria comigo pelo resto da vida. Eu estava começando a achar que ela tinha inventado isso aí, mas não! O silêncio mágico existe!

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: ALEX.
Alex: Ela sentiu o silêncio também.
Phil: Quem? Quando? Onde? Como?
Alex: Rosie. Ela também sentiu o silêncio, há tantos anos.
Phil: Ah, aquele temido silêncio voltou para nos assombrar, não foi? Faz anos que não ouço você tocar no assunto.
Alex: Eu sabia que aquilo não era coisa da minha cabeça, Phil!
Phil: Bem, então, por que você está falando disso para mim? Saia da internet, seu imbecil, e pegue o telefone. Ou a caneta.
Alex fez logoff.

MINHA QUERIDA ROSIE,
Sem que você soubesse, eu resolvi arriscar e aproveitar a oportunidade há muitos e muitos anos. Você nunca chegou a receber aquela carta, e eu fico feliz por isso, porque os meus sentimentos mudaram radicalmente. Eles se intensificaram com cada dia que passou. Vou direto ao ponto porque, se eu não disser o que tenho a dizer agora, receio que nunca seja dito. E eu preciso dizer.
Hoje eu amo você mais do que nunca; amanhã, vou amá-la ainda mais. Eu preciso de você mais do que nunca; eu quero você mais do que nunca. Sou um homem de 50 anos que chega até você sentindo-se como um adolescente apaixonado, pedindo que me dê uma chance e que retribua o meu amor.
Rosie Dunne, eu amo você do fundo do meu coração. Sempre amei você, até mesmo quando tinha 7 anos e menti sobre ter caído no sono enquanto esperava pelo Papai Noel, quando tinha 10 anos e não a convidei para a minha festa de aniversário, quando tinha 18 anos e tive que me mudar, e mesmo nos dias em que me casei, no dia do seu casamento, nos batizados, aniversários e quando brigamos. Amei você durante tudo isso. Faça com que eu seja o homem mais feliz do mundo e fique comigo.
Por favor, responda.
Com todo o meu amor,
Alex

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!