22 de outubro de 2018

Capítulo 40

Bem-vinda ao bate-papo dos Divorciados Aliviados de Dublin. Há cinco pessoas na sala de bate-papo agora.
Divorciada_1: LadySolitária, pare de chorar por um minuto e pense na sua situação. Você devia estar furiosa, não triste. Repita comigo: Sou uma mulher forte.
LadySolitária: Sou uma mulher forte.
Divorciada_1: Tenho total controle sobre a minha vida.
LadySolitária: Tenho total controle sobre a minha vida.
Divorciada_1: Não tenho culpa pelo fato de que Tommy foi embora.
LadySolitária: Não tenho culpa pelo fato de que Tommy foi embora.
Divorciada_1: E não me importo com o que ele fez, porque Tommy é um desgraçado, um filho da puta.
LadySolitária: Não posso dizer isso!
Divorciada_1: Olha, deixe-me colocar sua vida em perspectiva para você. Ele te largou quando vocês só tinham seis meses de casados, levou os móveis, os talheres, os pratos e as panelas da cozinha, e até o capacho do banheiro. E a única coisa que ele deixou para você foi um bilhete, pelo amor de Deus. Por isso, repita comigo: não me importo com o que ele fez, porque Tommy é um desgraçado, um filho da puta.
LadySolitária: Não me importo com o que ele fez, porque Tommy é um DESGRAÇADO, um FILHO DA PUTA.
Divorciada_1: Ele que se foda!
LadySolitária: Ele que se foda!
Insegura: Senhoras, não tenho certeza se essa é uma maneira saudável de ajudar LadySolitária.
Divorciada_1: Ah, cale a boca. Você nunca tem certeza de nada.
LadySolitária: Ah, cale a boca. Você nunca tem certeza de nada.
Divorciada_1: Não era para você repetir isso.
FlorSilvestre: Hahahaha.
Insegura: Por Deus, não tenho certeza de que alguém aqui pode ter opinião própria além de você, Divorciada_1.
Divorciada_1: Mas você nunca tem sua opinião.
SamSolteiro: Ei, vocês todas, calma. Não seja boba, Insegura: É claro que todos querem ouvir a sua opinião. Como você lidou com o fato de que Leonard estava tendo um caso e, depois, quando ele a deixou?
Divorciada_1: Ela tomou a decisão inteligente de se mudar para o quarto de hóspedes e deixou de cuidar da própria vida.
SamSolteiro: Calma, Divorciada_1. Dê a ela a chance de falar.
Insegura: Obrigada, SamSolteiro, você é mesmo um gentleman. O que eu ia dizer é que não acredito em divórcios. Sigo os ensinamentos da Igreja Católica, e foi o próprio Papa que disse que o divórcio é um “mal” que está “se espalhando como uma praga” pela sociedade. No meu caso, eu concordo com ele. O objetivo de uma família é permanecer unida. E unidos ficaremos, não importa o que aconteça.
Divorciada_1: Bem, o Papa nunca se casou com o meu ex-marido, e isso é a única coisa que vou dizer a respeito dessa situação.
Insegura: Não vou continuar com esta conversa. Não estou gostando do jeito que você fala.
FlorSilvestre: A Igreja Católica acredita em anulações, Insegura. Por que não tenta conseguir uma?
Insegura: Não.
FlorSilvestre: Por que não? É praticamente a mesma coisa. A diferença é que isso é algo que o Papa acaba abençoando, de certa maneira.
Insegura: Não.
FlorSilvestre: Mas você pode ao menos explicar o porquê?
Divorciada_1: Porque ela não quer terminar o casamento, e ponto final.
Insegura: Não, Divorciada_1. Eu só acho que isso não seria certo. Ainda mais para as crianças.
Divorciada_1: O que há de certo no fato de que o seu marido fica com o quarto de casal, a TV e a suíte, forçando você a dormir no quarto de hóspedes? E você acha certo ter que ficar em casa nos fins de semana enquanto ele sai para se encontrar com outras? Seus filhos vão se casar achando que é certo dormir em quartos separados e ter vários parceiros.
FlorSilvestre: Você deixa o seu marido sair para se encontrar com outras?
Insegura: Ah, não são encontros. Não ligue para o que a Divorciada_1 está dizendo, ela está daquele jeito hoje. Ele sai para participar de jantares de negócios. Não posso impedi-lo de fazer isso, não é? E, apenas porque a chefe do meu marido é uma mulher, eu não acho que deva me preocupar. Vocês não estariam falando assim comigo se o chefe dele fosse homem.
SamSolteiro: Sim, mas ele estava tendo um caso com a chefe, não é, Insegura?
FlorSilvestre: Hahahaha.
LadySolitária: Eu entendo o raciocínio da Insegura. Pelo menos ela consegue continuar morando com o homem que ama, ela o vê todos os dias, conversa com ele, sabe onde ele está e o que está fazendo em vez de passar o dia inteiro sozinha. Quem se importa se ele não retribui o amor que ela sente?
Insegura: Você realmente devia tentar resolver as coisas com Tommy. Seis meses não é tempo suficiente para fazer um casamento funcionar.
Divorciada_1: Insegura, Tommy esvaziou a conta bancária do casal, roubou o anel de noivado, surrupiou a mobília, a TV, o aparelho de som, todos os CDs que ela tinha, as roupas e os objetos pessoais, e ainda por cima desapareceu. Por que diabos ela deveria querer vê-lo outra vez, com exceção de apontá-lo num grupo de suspeitos na delegacia?
Insegura: Porque ela o ama e o casamento é para sempre.
Divorciada_1: Mas ele é um ladrão. Vocês estão loucas, senhoras.
FlorSilvestre: Bem, é como dizem por aí, o amor é cego.
Divorciada_1: E também é surdo e burro nesta sala de bate-papo.
Docinho entrou na sala.
Divorciada_1: Ah, que maravilha. Chegou a voz da razão para dar um jeito em vocês.
Docinho: Ele é um desgraçado de merda, sabiam disso? Ele casou com aquela piranha.
Divorciada_1: Ah, bem. Ele que se foda.
SamSolteiro: Ele chegou a entrar em contato com você?
Docinho: Não. Não recebo notícias desde que ele me disse para não entrar mais em contato.
SamSolteiro: Achei que ele iria lhe mandar um convite de última hora.
Docinho: Duvido, aquele egoísta filho de uma...
Insegura: Bem, você foi muito grosseira com ele, Docinho, quando o acusou de querer se casar com aquela mulher por causa de todos aqueles motivos escusos.
LadySolitária: Eu só queria que o meu pai pudesse dar uma promoção a Tommy. Aí sim ele voltaria de uma vez para mim.
Divorciada_1: Ah, claro, seria um alicerce amoroso maravilhoso para o seu casamento. Muito saudável, LadySolitária.
Docinho: Imagine o que é convidar uma garota de 13 anos para ir a Boston sozinha. O homem pirou. Pronto, é definitivo e oficial: ele deixou de ser o meu melhor amigo.
LadySolitária: Posso ficar com o posto?
Divorciada_1: Você não tem jeito, mulher.
LadySolitária: O que foi agora?
FlorSilvestre: Mas você iria ao casamento se ele a tivesse convidado, Docinho?
Docinho: Nem se ele me pagasse.
LadySolitária: Provavelmente ele não se incomodou em imprimir outro convite porque sabia que você não iria comparecer. Convites são bem caros, como você bem sabe. Eu me lembro do dia em que Tommy e eu repassamos a lista do casamento juntos. Foi uma época em que estávamos muito felizes.
Divorciada_1: Provavelmente porque ele sabia que não iria ficar por lá por tempo suficiente para cumprimentar a outra metade dos convidados.
LadySolitária: Isso não é justo.
Docinho: Bem, dinheiro é o que menos falta para essa gente, pode acreditar. Além disso, por que ele convidaria Katie e não a mim? Tenho certeza de que ele só fez isso para esfregar a ocasião na minha cara, como se fosse um lenço esfoliante que arranca a pele... Bom, de qualquer maneira, tenho certeza de que a felicidade do casamento vai ter vida curta. Ele logo vai se juntar a nós neste bate-papo, porque aquela mulher é má. Tenho certeza disso.
Divorciada_1: Não, quem é mau é o divórcio. Não é mesmo, Insegura?
FlorSilvestre: Hahahaha.
Insegura: Isso não tem a menor graça.
Divorciada_1: Durante a noite inteira, tudo que ela fez foi rir. Acho que FlorSilvestre andou cheirando flores do campo, se é que você me entende.
Insegura saiu da sala.
FlorSilvestre: Você está sendo agressiva demais com ela, Divorciada_1.
Divorciada_1: Ah, não seja boba, ela adora o jeito que eu falo. Ela volta aqui noite após noite, não é? Acho que isso aqui é a única oportunidade que ela tem de participar de uma conversa adulta durante todo o dia.
Docinho: E então, todos curtiram bastante o Natal?
FlorSilvestre: Não parei de festejar a semana inteira. Está sendo ótimo. Nunca sentei no colo de tantos papais noéis em toda a minha vida. Por falar nisso, preciso ir agora; tenho que me arrumar para uma festa à fantasia que vai acontecer hoje. Vou vestida de coelhinha da Playboy. Tchau!
FlorSilvestre saiu da sala.
Docinho: E o resto de vocês, pessoal?
Divorciada_1: Acho que engordei uns vinte quilos.
LadySolitária: Foi um Natal bem tranquilo.
SamSolteiro: A televisão estava ótima este ano. Fiquei assistindo.
Divorciada_1: Isso mesmo.
Docinho: Eu gosto dos especiais de Natal.
Divorciada_1: É bom para ocupar as crianças também.
Docinho: Pois é.
SamSolteiro: Bons documentários também.
Docinho: Aham.
Divorciada_1: Eu assisti àquele com os ursos-polares ontem à noite.
Docinho: Eu vi esse programa também.
SamSolteiro: Eu não sabia que os ursos-polares eram todos canhotos.
Docinho: Sim, isso foi bem interessante... E os caracóis também...
Divorciada_1: Eles são canhotos também?
SamSolteiro: Não, mas parece que são capazes de dormir por três anos.
Docinho: Bichos sortudos...
Divorciada_1: Sim, a TV é ótima no Natal.
SamSolteiro: Até que é bom ficar sozinho no Natal, para ter um pouco de paz e sossego.
LadySolitária: Paz e sossego totais.
Docinho: Sim, muito sossego...
SamSolteiro: Sabem, eu e a minha ex costumávamos fazer festas enormes no Natal, todos os anos. Passávamos o tempo inteiro ocupados, saíamos todas as noites ou recebíamos convidados sempre que estávamos em casa. Mal conseguíamos dar atenção um para o outro. Mas esta situação é bem diferente. Não há ninguém por perto. Nada de festa, nada de convidados este ano.
Docinho: Comigo era a mesma coisa.
Divorciada_1: Ah, quem é que nós queremos enganar? Foi horrível. O pior Natal que já tive em toda a minha vida.
Docinho: O meu também.
SamSolteiro: O meu também.
LadySolitária: O meu também.
Clique neste ícone para imprimir a conversa.

De: Julie Casey
Para: Rosie
Assunto: Fax para você
Não quero perturbá-la enquanto você está tão “ocupada” trabalhando (como está Ruby?), mas acabou de chegar um fax no meu escritório há alguns minutos. Não estava especificamente endereçado para você, mas, quando comecei a lê-lo, descobri que só podia ser para você. Afinal, qual dos meus outros funcionários daria o número do meu fax para que o aparelho fosse usado com fins pessoais? Acho que consigo identificar um “Du Josh” no pé da folha. Venha ao meu escritório buscá-lo. Ah, e, nesse meio-tempo, programe seu telefone para mandar todas as ligações para o meu escritório. Traga duas xícaras de café e um maço de cigarros também.

“Vidas Sociais”, por Eloise Parkinson
Para aqueles de nós que tiveram a sorte de poder participar do casamento do ano (ou, pelo menos, o casamento da semana), nós sobrevivemos à experiência para fazer o relato de toda a extravagância, sofisticação e esplendor que foram oferecidos para os trezentos convidados sortudos do dr. e da sra. Williams no casamento da sua filha Bethany com o dr. Alex Stewart.
Nenhuma despesa foi poupada na cerimônia de casamento, que aconteceu na Igreja Memorial da Universidade de Harvard, com buquês vibrantes de rosas vermelhas e velas vermelhas margeando o corredor que levava ao altar, como luzes iluminando uma passarela para que o elegante casal decolasse rumo à sua futura vida cheia de felicidade. Bethany, 34, estava deslumbrante como sempre, em um elegante vestido branco desenhado especialmente para ela pelo famoso amigo das estrelas (e meu amigo) Jeremy Durkin. O corpete com barbatanas era cravejado com dez mil pérolas (e disfarçou bem a gravidez que todos estão comentando). A saia rodada em estilo bailarina, feita com várias e várias camadas de tule macio, dançava no corredor do altar enquanto ela flutuava apoiada no braço do seu pai orgulhoso, o renomado cirurgião Dr. Reginald Williams.
Miranda Williams era a imagem perfeita da mãe da noiva com o seu terninho Armani escarlate combinando com um fabuloso chapéu Philip Treacy que quase roubou as atenções que deveriam estar concentradas na filha. As supermodelos (amigas que Bethany conheceu há muito pouco tempo) Sara Smythe e Hayley Broadbank foram as damas de honra de Bethany e usaram sexies vestidos de seda vermelha com alças estreitas sobre os ombros que modelavam bem as poucas curvas dos seus corpos, com meia dúzia de rosas entre os dedos com as unhas pintadas à francesinha. O buquê da noiva tinha meia dúzia de rosas brancas e meia dúzia de rosas vermelhas (e foi apanhado por ninguém mais ninguém menos do que eu). Seu cabelo loiro e longo, que costuma ficar solto e esvoaçante, estava preso em um coque francês que repousava sobre a nuca e ajudou a futura mamãe a ser a noiva perfeita.
Diante do altar, o Príncipe Encantado olhava orgulhoso para a sua princesa, vestindo meio-fraque clássico de três botões, camisa branca e gravata vermelha, com uma rosa vermelha na lapela. Rosas, com certeza, não faltaram nesse dia.
A recepção extravagante realizou-se no Boston Harbor Hotel, onde o melhor discurso de todos foi feito pelo padrinho Josh Stewart, de 5 anos, filho do casamento anterior do noivo com uma namorada do tempo da escola, Sally Gruber.
O dia correu de acordo com as expectativas (e os padrões) de “Vidas Sociais”, e ficou claro para todos os que testemunharam os recém-casados dançando pela primeira vez como marido e mulher que este casamento será para sempre. Que eles tenham uma vida a dois longa, feliz, rica e elegante. Quanto a mim, a sua colunista favorita da seção de casamentos, vou pegar o meu buquê e sair para encontrar um pretendente.

Rosie,
Feliz aniversário, amiga.
Mais um ano, e lá vamos nós outra vez.
Ruby

De: Stephanie
Para: Rosie
Assunto: Sua visita
Estou ansiosa para que você chegue no mês que vem e conheça Sophia. Ela está muito empolgada, querendo conhecer você. E Jean-Louis está cheio de energia, como sempre.
Feliz trigésimo terceiro, maninha. Tenho certeza de que você e Ruby vão ficar em algum bar até tarde da noite.

Queridos Alex e Bethany
Parabéns pelo nascimento do seu neném.
Desejamos toda a felicidade no futuro e estamos muito felizes porque Josh ganhou o irmãozinho que queria!
Rosie e Katie

Feliz aniversário de 14 anos, meu anjo.
Tenha uma ótima noite na balada, mas lembre-se: nada de beber, nada de sexo e nada de drogas.
Beijos,
Mãe

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: ROSIE.
Rosie: Ouvi dizer que você andou beijando e dançando de rostinho colado com um garoto na sexta à noite, Katie Dunne. Quem é ele?
Katie: Não posso falar agora, mãe. O sr. Simpson está explicando algo muito importante para as provas finais, e eu preciso prestar atenção.
Rosie: Mentirosa.
Katie: Não estou mentindo. Tenho certeza de que é importante, seja lá o que for.
Rosie: Vamos lá, abra o jogo. Quem era o garoto?
Toby: Oi, Rosie.
Rosie: Ah, você chegou bem na hora, Toby. Eu estava perguntando para a minha filha quem era o cara misterioso na danceteria, na sexta-feira à noite.
Toby: Haha. As notícias voam.
Katie: Não conte a ela, Toby.
Rosie: Quer dizer que é verdade?
Toby: Sim
Katie: Sim, e Toby também passou a noite inteira lambendo a cara da Monica.
Rosie: Ah, não, Toby. Não me diga que era a Monica Birrenta.
Toby: Por que vocês duas vivem chamando ela assim? Ela não faz birra quando está comigo.
Rosie: Porque nós não a beijamos na frente de todo mundo quando o pessoal da escola vai a uma danceteria. Então vamos lá, filha querida, seja uma boa menina e compartilhe os detalhes desse romance que está florescendo.
Katie: O nome dele é John McKenna, ele tem 15 anos, está mais adiantado do que eu na escola e é muito legal comigo.
Rosie: Ahhhh, um homem mais velho.
Katie: É, mãe. Tenho bom gosto.
Rosie: O que você acha dele, Toby?
Toby: Ele é legal. Está no time de futebol da escola. É gente fina.
Rosie: Você vai ter que ficar de olho nele para mim, não é?
Katie: Mãe! Nossa, agora ele nunca mais vai parar de falar na minha orelha.
Rosie: Você transou com ele?
Katie: Mãe! Eu tenho 14 anos!
Rosie: Bem, às vezes eu vejo meninas de 14 anos na TV que estão grávidas.
Katie: Bom, não é o meu caso!
Rosie: Ótimo. Você usou alguma droga?
Katie: Mãe! Para com isso! Onde eu ia arranjar drogas?
Rosie: Não sei, às vezes eu vejo meninas de 14 anos na TV que estão grávidas e usam drogas.
Katie: Bom, não é o meu caso!
Rosie: Ótimo. Você tomou álcool?
Katie: Mãe! A mãe do Toby nos levou para a escola e veio nos buscar. Quando é que teríamos tempo para beber?
Rosie: Não sei. Às vezes eu vejo meninas de 14 anos alcoólatras e grávidas na TV, e que são viciadas em drogas.
Katie: Bom, sem sombra de dúvida, esse não é o meu caso!
Toby: Que programas você assiste na TV?
Rosie: Os noticiários, em geral.
Katie: Bem, não se preocupe. Minhas orelhas quase apodreceram de tanto que você me falou para não fazer essas coisas. Tá certo?
Rosie: Sim, mas lembre-se: beijos são legais, mas é o máximo que você pode fazer. Entendeu?
Katie: Mãe! É só isso que eu quero.
Rosie: Ótimo. Agora, voltem a prestar atenção na aula. Quero ver vocês dois tirarem nota A nessa matéria!
Katie: Não vamos conseguir se você não parar de mandar mensagens!

Ruby: E então, o que vocês vão fazer nos próximos dois meses agora que as crianças estão de férias? Você tem muita sorte de conseguir férias tão longas. Randy Andy me disse que eu já usei todas as minhas folgas — o que é ridículo, porque esses dias deviam ser aqueles em que eu estava doente. Ele disse que é impossível alguém passar sessenta e cinco dias do ano doente e ainda continuar vivo.
Rosie: Então você não pode mais tirar nenhum dia de folga? Eu esperava que a gente pudesse pegar o barco e ir até a Inglaterra passar o fim de semana. Em Blackpool ou algum lugar parecido.
Ruby: Agora eu posso. Eu disse que, se ele me der duas semanas de folga, vou mencionar a Fábrica de Clipes de Papel de Randy Andy quando Oprah me chamar para participar do seu programa depois que eu e Gary formos campeões do campeonato mundial de salsa. O que você vai fazer?
Rosie: Não sei ainda. Julie falou alguma coisa sobre eu poder me matricular em cursos para adultos na escola. Ela disse que eu deveria fazer um curso de administração hoteleira, como eu sempre quis. Como se fosse simples.
Ruby: Por que não pode ser algo simples? Preste atenção, Rosie. Você não vai saber até experimentar. Desde que eu te conheço você fala que quer trabalhar em um hotel. Você é obcecada por eles; sua casa é um tributo aos produtos dos hotéis. Nem dá para abrir a porta do banheiro, com todos aqueles tapetes roubados atrapalhando a entrada. Não consigo entender a fascinação que você tem por eles, mas eu sei que trabalhar em um hotel é a sua fixação, sua compulsão, o sonho da sua vida.
Rosie: Julie disse que, se eu não fizer o curso, ela vai me demitir. E disse que, quando eu terminar o curso, vai me demitir de qualquer maneira.
Ruby: Você precisa escutar o que ela diz. Ela foi uma boa professora para você durante todos aqueles anos.
Rosie: Mas, Ruby, vou levar dois anos para conseguir um diploma, o curso é caro e eu vou ter que trabalhar de dia e estudar de noite. Vai ser duro.
Ruby: Mas, mas, mas, Rosie Dunne. Qual é o problema? Você tem alguma ideia melhor para os próximos três anos da sua vida?

PREZADA ROSIE,
Desculpe a demora em responder. Com certeza, os últimos meses foram bem movimentados para Alex e para mim. Me acostumar com a vida de casada e um bebê recém-nascido, tudo em questão de meses, é coisa demais para a minha cabeça.
Ficamos muito felizes em receber o seu cartãozinho, e esperamos que você e Katie estejam bem na Irlanda.
Atenciosamente,
Bethany (e também Alex, Theo e Josh)

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: ROSIE.
Rosie: Você tem razão, Ruby. Parece que não vou fazer nada de importante nos próximos dois anos da minha vida. Por que não aprender alguma coisa nova?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!