22 de outubro de 2018

Capítulo 33

VOCÊ RECEBEU UMA MENSAGEM DE: RUBY.
Ruby: Quer dizer então que você ainda está por aqui?
Rosie: Ah, hoje não, Ruby, por favor. Não estou com cabeça para isso.
Ruby: Estou começando a me cansar disso, Rosie Dunne. Primeiro você diz que vai se mudar para Cork, depois diz que não vai mais, depois diz que vai se mudar para Boston (de novo), depois diz que não vai mais. Depois, espero ouvir você enfim proclamar seu amor por Alex e você fica quieta, de modo que ele ainda não faz a menor ideia do que está acontecendo. Não consigo acompanhar essas idas e vindas, coisas como “sair do país/mudar de emprego/largar o marido”. Às vezes eu acho que você precisa de um bom chute na bunda por desperdiçar todas essas oportunidades. Você é uma pessoa incrivelmente frustrante, Rosie.
Rosie: Bem, eu sou uma mulher incrivelmente frustrada neste exato momento. E não estou “desperdiçando” boas oportunidades. Isso se chama “presentear a minha filha com novas oportunidades”.
Ruby: Você pode usar o nome que quiser, só que, no final do dia, uma oportunidade perdida continua sendo uma oportunidade perdida. Mas não se preocupe; acho que há uma lição para ser aprendida em tudo isso.
Rosie: Por favor, me diga que há alguma razão para tudo o que está acontecendo. Qual é a lição?
Ruby: Que você não precisa mais se preocupar tanto, porque não vai chegar a lugar nenhum. E aí, como estão as coisas?
Rosie: Tudo bem.
Ruby: Tem certeza? Ah, pare com isso, Rosie. Se o meu coração não puder aguentar o que está acontecendo com você, então não consigo imaginar como você está se sentindo.
Rosie: O meu coração está espatifado. Parou de bater há duas semanas.
Ruby: Bem, se olhar pelo lado positivo, você conhece um homem que é capaz de consertá-lo.
Rosie: Não, não, não, é aquela regra implícita. Ele cura os corações das outras pessoas, não o meu. Eu entendo que é assim que as coisas têm que ser agora.
Ruby: Bom, vou te dar uma ideia, Rosie. Por que você não conta a Alex o que está sentindo? Por que não abre afinal o seu coração para ele, expõe seus sentimentos e areja essa cabecinha confusa? Pelo menos ele vai ficar sabendo que a razão pela qual você não vai para os Estados Unidos não é por não se importar com ele, mas porque, apesar de, na realidade, você o amar mais do que ele imagina, precisa ficar aqui por causa da Katie. Isso vai colocar a bola no campo dele. Ele pode tomar a decisão de vir até aqui encontrá-la ou não.
Rosie: Mas o que vai acontecer com o trabalho dele? O que vai ser de Josh?
Ruby: Essa decisão pertence a ele.
Rosie: Ruby, não posso fazer isso. Como vou contar a ele? Se tivéssemos nos mudado para Boston eu poderia ver como as coisas progridem, saber o que ele sente por mim e abrir o meu coração em seguida. Ele havia acabado de ter um encontro com outra mulher na semana passada, pelo amor de Deus. Como você acha que eu iria me sentir se dissesse que o amo quando ele já está saindo com alguém? Vai acontecer tudo de novo como na época em que ele estava com a Sally. É complicado demais. E, agora, a última coisa com que eu pretendo me preocupar é saber quem será o próximo homem por quem vou me apaixonar. E, de qualquer maneira, ele não está nem retornando as minhas ligações. Ele acha que eu tomei uma decisão idiota.
Ruby: Dê um tempo para ele. Ele está decepcionado com a maneira como as coisas aconteceram.
Rosie: Desculpe... Ele está decepcionado? Ele está decepcionado? Acho que eu e o resto do mundo estamos tendo algum problema de comunicação por aqui. Será que todo mundo acha que eu estou dando pulos de alegria com essas novas revelações? Olha, eu não estou querendo que sintam pena de mim ou coisa do tipo, mas...
Ruby: Você está querendo isso, sim.
Rosie: Como é?
Ruby: Pena. Você quer que sintam pena de você. Quer mesmo.
Rosie: Obrigada por decifrar isso por mim. Certo, talvez fosse bom se pelo menos algumas pessoas reconhecessem o fato de que o meu marido teve um caso com outra, que o meu casamento terminou, que ainda estou a um milhão de quilômetros de distância de Alex e nunca saberei o que sinto por ele de verdade, que o pai desaparecido da minha filha voltou para a Irlanda e que eu NÃO TENHO EMPREGO! Um tapinha nas costas, um sorriso compreensivo e um abraço seriam muito bons neste momento. Passar alguns meses deitada na cama em posição fetal, debaixo de um monte de cobertores, vestindo um pijama folgado, tudo isso seria a minha ideia de paraíso. Mas infelizmente eu não posso fazer isso agora, porque tenho uma filha que está com a respiração acelerada por causa do pai que ela nunca conheceu e que resolveu voltar a fazer parte da sua vida, e eu preciso esquecer um pouco de mim e ser forte por ela. Mas um pouco de compaixão seria bom, também.
Ruby: Respire, Rosie.
Rosie: Não, é assim que todos os meus problemas acontecem. Se eu não estivesse respirando, tudo ficaria bem.
Ruby: Não fale assim.
Rosie: Ah, cale a boca. Não tenho tempo para me matar. Estou ocupada demais com esse colapso nervoso.
Ruby: Bem, imagino que isso seja uma boa notícia, ou algo assim. Como foi o reencontro com Brian?
Rosie: Foi tranquilo. Ele comprou uma passagem para vir para cá assim que terminamos de falar ao telefone, então parece que ele está levando a sério o seu papel de pai. Disse que está morando em Ibiza há treze anos e é dono de uma danceteria. Dá aos irlandeses jovens e cheios de hormônios algumas boas lembranças sobre bebedeiras.
Ruby: Ele é bronzeado e gostosão?
Rosie: Eu nunca colocaria as palavras “Brian Chorão” e “bronzeado e gostosão” na mesma frase. Ele continua quase o mesmo, com menos cabelo e mais barriga.
Ruby: O que você sentiu quando o viu?
Rosie: Tive que reunir todas as minhas forças para não socá-lo. Katie estava tão nervosa antes do encontro que tremia como vara verde, agarrada a mim. Ela esperava que eu fosse a pessoa forte. Imagine... Alguém estava confiando em mim. Nós o encontramos na cafeteria do Shopping Jervis Street, e preciso admitir que comecei a ficar enjoada conforme chegávamos perto da mesa dele. Enjoada pela raiva de que aquele homenzinho miserável com quem eu teria que me forçar a ser gentil durante uma hora inteira e ajudar a se transformar em uma parte da vida da minha filha era a mesma pessoa que me causou tanta dor no passado. Eu tive que prestar ajuda a ele. Além disso, foi estranho perceber que, por mais que eu me sentisse fraca por ter que levar Katie até a cidade de ônibus naquela manhã e por mais que estivesse cansada, nervosa, irritada e decepcionada por estar fazendo tudo isso, essas duas pessoas precisavam que eu as aproximasse. Assim, pelo bem da relação entre Katie e Brian, terei que guardar para mim quaisquer ressentimentos que sinto por ele.
Ruby: Você fez uma coisa boa, Rosie. Deve ter sido difícil. É bem provável que continue sendo difícil por um bom tempo, ainda mais se você tiver que vê-los se tornando mais próximos.
Rosie: Eu sei. Tenho que morder a língua para não ficar dizendo a Katie que o seu pai não é nenhum herói quando ela me conta algumas coisas que ele fez na vida.
Ruby: Como ele agiu quando estava com ela?
Rosie: Ele estava ainda mais nervoso do que Katie, então eu é que tive de fazer a conversa avançar entre os dois. Você sabe, ser a pessoa mais forte naquele trio me fez perceber que a decisão que tomei de não me mudar para Boston foi acertada. Katie precisava de mim. Os dois precisavam de mim. Ele parecia sincero ao demonstrar interesse na minha vida e na de Katie. Queria saber tudo sobre ela, e eu até gostei de compartilhar as histórias que aconteceram conosco no decorrer dos anos. No começo eu contava cada uma das histórias com raiva, porque ele nunca estava por perto naquelas situações, mas percebi que estava fazendo isso para me gabar. Comecei a repensar a situação e isso me fez perceber a sorte que tive, por mais que eu fique reclamando e choramingando sobre as responsabilidades de ser mãe. E isso também me ajudou a ver que a minha situação com Katie é bem especial. Somos as duas únicas pessoas que compartilham todas essas memórias. E o que decidimos contar às outras pessoas só depende de nós. Se Brian conseguir destruir quase todo o resto da minha vida, pelo menos ele está me ajudando a perceber isso, mesmo que sem intenção. Mesmo assim, infelizmente, este não é o que se pode chamar de melhor momento para voltar a entrar em contato com um ex. Nessas situações, imagina-se que você progrediu e teve muito sucesso na vida desde a última vez que o viu — que está feliz e bem-sucedida a ponto de dizer: “Nananão, olha o que eu consegui desde que você foi embora.” Meu casamento fracassou, não tenho emprego e estou morando com os meus pais. Tenho certeza de que isso não causou o efeito desejado.
Ruby: Nada disso é importante, Rosie. Você deveria estar feliz porque ele amadureceu um pouco. Quanto tempo ele vai ficar?
Rosie: Algumas semanas, e depois ele vai ter que voltar a Ibiza por algum tempo. Sem dúvida, é nos meses do verão que ele trabalha mais. Ele voltará algumas vezes para visitar Katie, é claro, e depois vai contratar alguém para cuidar da danceteria para que ele possa ficar em Dublin no inverno. Ele parece mesmo estar levando isso a sério, e isso me deixa mais satisfeita em relação ao bem-estar de Katie. Ter Brian por perto não é bem uma maravilha para mim, mas, se servir para colocar um sorriso no rosto dela, então vale a pena.
Ruby: Conseguiu encontrar um emprego?
Rosie: Bem, eu havia acabado de ligar o computador para pesquisar na internet quando você me mandou aquela mensagem.
Ruby: Ah, entendi. Bem, vou sair agora e deixar que você se transforme na mãe responsável que deveria ser. Por falar nisso, vou fazer o meu Gary ir às aulas de salsa comigo. Miss Behave bebeu umas sangrias a mais na festa do verão passado e torceu o tornozelo usando aquelas plataformas de vinte e cinco centímetros. Tudo que ouvimos foi um CRACK! Eu me virei e ela estava deitada no chão, com um fio corrido na meia-calça e a peruca caída no chão.
Rosie: Meu Deus! Você teve que levá-la para o hospital?
Ruby: Ah, não, ela só quebrou o salto do sapato, e, como disse que aqueles eram os “únicos sapatos de dança” que tinha, ela se recusa a voltar às aulas até que consiga substituí-los. Infelizmente, só existe uma loja em Nova York que vende aqueles sapatos, e ela terá que esperar até que eles renovem o estoque e façam a entrega. Assim, não tenho mais parceiro e não vou nem pedir a você, porque sei que vai dizer não.
Rosie: Você tem razão. Mas como foi que você conseguiu que Gary aceitasse ir às aulas de dança com você? Você o ameaçou de morte ou coisa parecida?
Ruby: Sim.
Rosie: Ah. Bem, espero que ele se divirta.
Ruby: Não seja boba. Ele vai detestar e vai passar várias semanas gritando comigo, mas pelo menos vamos voltar a conversar. Bom, preciso ir agora; tenho que comprar uma calça e uma regata de lycra para ele na hora do meu almoço. Sei que de fato não precisamos usar isso nas aulas de dança, mas vou adorar ver a cara dele quando tirar as peças da minha bolsa.
Rosie: Você é má. Muito má.
Ruby: Obrigada. Agora, vá procurar um emprego. Em um hotel. Depois de todo esse tumulto na sua vida, quero que você se torne a funcionária hoteleira de maior sucesso em todo o mundo. Nada mais de problemas. Entendeu?
Rosie: Alto e claro.

QUERIDO ALEX,
Quando você vai parar de me tratar com esse silêncio todo? Você tem que entender que eu não posso tomar decisões pensando apenas em mim. Tenho que pensar em Katie também. É importante para ela conhecer Brian. Você, entre todas as pessoas, deveria saber como é querer e precisar dar apoio a um filho. Brian enfim percebeu que quer participar da vida de Katie. Antes tarde do que nunca, como você sempre diz. Algumas coisas são assim.
Acho que já deixei minhas desculpas na sua caixa de mensagens, mas agora estou escrevendo para lhe agradecer. Obrigada por me apoiar e me escutar como sempre fez durante todos esses anos. Por cuidar de todos os detalhes para mim quando eu não era nem capaz de pensar com clareza. Naquela semana o meu mundo virou de cabeça para baixo, e tudo que era seguro e sólido foi derrubado e caiu em cima de mim. Não vamos permitir que a minha decisão de ficar por aqui afete a nossa amizade.
Talvez algum dia, no futuro, nós possamos voltar a nos reunir da maneira que imaginamos quando tínhamos 7 anos. Tenho sorte de ter um amigo como você, Alex Stewart; você é mesmo o meu raio de luar, aquele que me mostra o caminho certo o tempo todo. Não sei ao certo se a promessa que fizemos quando crianças era pouco realista, de ficarmos lado a lado para sempre, mas continuamos a ser amigos em lados diferentes do oceano por mais de vinte anos, e tenho certeza de que isso é uma proeza.
Passei a semana toda caçando trabalho. Meu objetivo era tentar conseguir emprego em um hotel (surpresa, surpresa!), mas parece que, como o verão já começou, estudantes e imigrantes dispostos a trabalhar em troca de salários baixos já ocuparam todas as vagas que estavam disponíveis para os próximos meses. De qualquer maneira, o salário que esses empregos pagam não é o suficiente para que eu e Katie possamos voltar a viver sozinhas. Vou me unir ao coro insuportável da Irlanda do século 21 que diz que “tudo é tão caro hoje em dia”. Estou esperando receber notícias do conselho sobre a possibilidade de conseguir uma casa, mas já passei por isso uma vez e a lista de espera é imensa.
Infelizmente, o cargo que eu tinha no Hotel Two Lakes foi ocupado. Brian se ofereceu para pagar pensão alimentícia para Katie, mas não quero o dinheiro dele. Já consegui viver sem isso antes, e com certeza não preciso da ajuda dele agora. Ele pode dar a mesada que quiser para Katie, mas eu não quero nem preciso do dinheiro dele.
Qual-é-mesmo-o-nome-dele nem sequer entrou em contato nos últimos tempos. Parece que ele está com medo da própria sombra, então imagine o pavor que sente de mim. Entrei com o processo de divórcio na semana passada; preciso tirá-lo da minha vida de uma vez. Eu dei amor e oportunidade para ele em quantidades suficientes, mas ele atirou tudo de volta na minha cara. Eu seria uma idiota se ficasse alimentando esperanças de reatar com ele. Não é saudável para mim nem para Katie. Vou sair dançando pelada pelas ruas quando o divórcio estiver concluído.
Você soube que Stephanie está grávida? O bebê deve nascer em novembro, então é natural que a família inteira esteja muito empolgada. Meus pais estão ótimos e sempre perguntam sobre você e Josh, e estão aproveitando bastante a aposentadoria. Eles estão até falando em vender a casa e se mudar para o campo, onde é mais barato, para poderem usar o dinheiro extra para viajar juntos pelo mundo pelo resto de suas vidas. Acho que é uma ótima ideia. Eles não precisam de todos esses quartos vazios na casa (com exceção dos momentos em que venho chorando até eles), e não têm necessidade de viver na cidade. Mas isso também significa que tenho que me apressar e encontrar logo um emprego para poder me mudar com Katie. Eles não estão me pressionando, mas querem colocar a casa no mercado e aproveitar a temporada de verão para vendê-la rapidamente. Eu serei a única pessoa da família a morar em Dublin, e imagino que isso vai ser meio solitário. Kevin está em Kilkenny, Steph está na França e meus pais estarão viajando para algum lugar do mundo. Seremos apenas eu e Katie.
E Brian Chorão.
Minha amiga Ruby vai levar o filho, Gary, para fazer aulas de salsa a partir desta semana, o que vai ser bem engraçado. Você conheceu o Gary, e tenho certeza de que concorda que ele não é a pessoa mais expressiva ou emotiva no mundo. Mas eu acho que é uma boa ideia. Katie e eu devíamos fazer algo juntas. Ela às vezes passa o dia com o pai, mas nós nunca saímos juntas para nos divertir. Nós sempre ficamos em casa, uma pegando no pé da outra. Vou pensar em algo que ela queira fazer, talvez levá-la para assistir algum show. Com Greg em casa eu sempre tinha que ser a mãe descolada que vinha socorrê-la, mas agora, com Brian por aqui, ele é o pai descolado que é dono de uma danceteria maneira e eu sou a mãe chata que manda limpar o quarto. Claro, saber que Brian tem uma danceteria só fez aumentar o desejo que Katie tinha de ser DJ. Não sei o que foi que criamos. A música que ela ouve fica cada vez mais alta. Meus pais se acostumaram a ter a casa em silêncio durante os últimos anos, e eu acho que meu pai vai perder a cabeça se Katie continuar ouvindo música num volume tão alto.
De qualquer forma, é isso que eu tenho para contar por enquanto. Estou deixando cada dia passar devagar, encarando um dia após o outro e seguindo todos aqueles clichês. Por favor, retorne as minhas ligações. A última coisa que eu quero que aconteça neste mundo é perder o meu melhor amigo. Mesmo que seja um homem.
Com todo o meu amor,
Rosie

Phil: Quer dizer que você está irritado porque ela não vai mais se mudar para Boston e porque o pai da filha dela, que não dava sinal de vida há treze anos, voltou e quer conhecer Katie. É isso?
Alex: Sim.
Phil: Meu Deus. Quem é que escreve os seus roteiros?

QUERIDA ROSIE,
Desculpe. Eu sei que essas foram as piores semanas da sua vida, e eu devia ter mantido contato. Às vezes eu fico muito frustrado quando vejo o que acontece com a sua vida, mas eu cei que não posso controlá-la para você. É você que tem que tomar as decisões. Eu não estava irritado com você; estava só decepcionado por sua causa. Quero ver você feliz o tempo todo, e eu sabia que Qual-é-mesmo-o-nome-dele não estava te fazendo feliz. Fazia anos que eu tinha certeza disso. Por pior que seja a sensação agora, estar longe dele tem um lado positivo. De qualquer maneira, conversaremos melhor sobre isso por telefone durante esta semana, porque vou poder falar um monte de coisas sobre Qual-é-mesmo-o-nome-dele sem parar.
Se eu puder ajudar financeiramente, é só me dizer. Tenho certeza de que você acabou de ler essa linha e está arrancando os cabelos de raiva por eu ter oferecido. Mesmo assim, a oferta está de pé. Meus negócios têm ido muito bem nesses últimos tempos. Graças às dietas e aos estilos de vida do mundo moderno, há uma demanda enorme por cirurgias cardíacas. Tá, tudo bem, isso não é engraçado.
Mande notícias, Docinho. Eu cei que você vai ficar bem.
Alex

De: Rosie
Para: Alex
Assunto: Re: Mensagens
Alex Stewart, é assim que se escreve: “Eu SEI que você vai ficar bem.”

De: Alex
Para: Katie
Assunto: Botar o papo em dia
Aqui é o seu amado padrinho. Estou mandando este e-mail apenas para saber como você está e como estão indo as coisas com o seu pai. Mantenha contato. Faz algum tempo que não recebo notícias suas, e imagino que as coisas estejam meio complicadas. Eu cei que você adora música, então me diga o que anda rolando de bom por aí. Você ainda quer ser DJ?

De: Katie
Para: Alex
Assunto: Re: Botar o papo em dia
Dsclpe, esse é um email rapdim pra dizer oi & q estou bem obg. Correndo pq vou sair c meu pai dq a poko. Ele vai me levar para um show no Point Theatre. Ele conseguiu ingresso de graça pq ele conhece a banda. Fiquei xatiada pq minha mãe já tinha comprado ingressos para nós duas, era pra ser surpresa. Disse que eu e ela devíamos fazer mais coisas juntas. Sei lá. Não cei o q ela quer dzr com isso pq a gente se vê todos os dias. Mas meu pai conseguiu ingressos melhores então eu vou com ele, e minha mãe vai levar Ruby. Elas estão com uns ingressos baratos do fundo do teatro. Brian é da hora. Disse que vc e ele eram amigos na escola e que vc foi na festa de aniversário dele de 10 anos e que ele deu uma festa de despedida pra vc antes que mudasse pros EUA. Mas ele disse que vc e a minha mãe sumiram depois de 10 minutos. Isso não se faz!
Minha mãe riu qdo ele contou. Ela não me disse para onde vc e ela foram. Pra onde vcs foram?
Ah ele chegou. Tenho q ir.

Katie: Ele é legal, não é, Toby?
Toby: Aham.
Katie: Quando eu terminar a escola, vou poder me mudar para Ibiza e trabalhar como DJ na boate dele. É perfeito. Tudo se encaixa no meu plano.
Toby: Ele disse que você podia trabalhar na boate dele?
Katie: Não, mas duvido que ele diga que eu não posso.
Toby: Não sei. Como se chama a boate?
Katie: Dyma Nite Club. Legal, né?
Toby: É.
Katie: Você pode vir também se quiser.
Toby: Obrigado. Você iria gostar de morar em Ibiza?
Katie: Para começar, sim, seria legal. Primeiro eu ganharia experiência na danceteria dele e depois poderia viajar pelo mundo e trabalhar em um monte de baladas diferentes em cada país. Imagine, ganhar dinheiro para tocar e escutar música! Parece o paraíso.
Toby: Você precisa de pick-ups, então, não é?
Katie: Sim. Meu pai disse que vai conseguir umas para mim. Ele tem muitos amigos que são DJs e eles conseguem os melhores equipamentos mais barato do que nas lojas. Legal, né?
Toby: Sim. É estranho você chamá-lo de “meu pai”.
Katie: Sim, eu cei. Mas eu não falo isso para ele, só para outras pessoas. É meio estranho. Acho que ainda vou acostumar com isso.
Toby: Acho que sim. Você teve notícias do Greg?
Katie: Não. Por quê?
Toby: Não conte para a sua mãe, mas eu e meus pais fomos jantar em um restaurante chinês ontem e ele estava lá com uma mulher. Ele ficou todo envergonhado quando me viu e tentou ser legal e agir como se nada estivesse acontecendo, e até me chamou para a mesa deles e coisa e tal.
Katie: Meu Deus. O que você disse a ele?
Toby: Nada. Ignorei. Passei direto pela mesa deles.
Katie: Ótimo. Bem feito. Sua mãe e seu pai fizeram alguma coisa?
Toby: Não, minha mãe piscou para mim e meu pai fingiu que não viu Greg.
Katie: Com quem ele estava?
Toby: Quem, o meu pai?
Katie: Não, seu idiota. Qual-é-mesmo-o-nome-dele.
Toby: Com uma loira. Mas não conte para a sua mãe. Ela já conseguiu emprego?
Katie: Não, mas ela está fazendo entrevistas todos os dias. Está com um humor dos diabos ultimamente, andando de um lado para outro pela casa como se fosse o anticristo. Meu avô diz que é assim que eu devo ser, agora que tenho 13 anos. Ela está muito rabugenta.
Toby: Você vai ao ortodontista nesses dias?
Katie: Sim, meu avô vai me levar amanhã. Meu aparelho quebrou de novo. Por quê?
Toby: Posso ir com você?
Katie: Por que você sempre quer vir comigo? Estou com um monte de feridas dentro da boca e ele fica raspando os meus dentes enquanto você fica lá sentado chupando pirulito.
Toby: Eu gosto de ir lá. Aposto que você comeu sucrilhos no café da manhã.
Katie: Como você sabe? Está com algum poder paranormal?
Toby: Não, é que ficou tudo preso no seu aparelho.
Katie: Ah, larga do meu pé, Toby.
Toby: Largo se eu quiser. Então, posso ir com você amanhã?
Katie: De onde vem essa obsessão por aparelhos, seu doido?
Toby: Acho que eles são interessantes.
Katie: Sim, tão interessantes quanto a prova de geografia. E aí, qual é a resposta do número 5? A capital da Austrália é Sydney?
Toby: É sim, Katie.

PREZADA SRA. ROSIE DUNNE,
Ficamos felizes em oferecer-lhe o cargo para o qual a senhora se candidatou. Esperamos que possa começar em agosto. Por favor, responda assim que puder com a sua decisão e entre em contato com Jessica, no telefone abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!