12 de setembro de 2018

Um sonho perdido

Sohan Kishan Rajaram
(sua única experiência com a poesia)

Eu já tive
Um beijo na fronte,
Uma promessa eterna
De alguém que eu ansiava que fosse minha.

Agora
Um outro levou
De mim, depressa,
Aquela que eu ansiava que fosse minha.

Eu já contemplei
Um bebezinho cálido,
Uma mãe de formas delicadas,
Uma família que eu ansiava que fosse minha.

Agora
Meu amor está com outro.
O homem a que chamo irmão
Levou a família que eu ansiava que fosse minha.

Eu já acreditei
Que meu coração a esqueceria,
Minha alma não apodreceria
Por aquela que eu ansiava que fosse minha.

Agora
Meu mundo está destruído,
Meu amor ela abandonou,
Aquela que eu ansiava que fosse minha.

Desde
Que meu amor se foi,
Meu coração está partido
Por aquela que eu ansiava que fosse minha.

Então
O que restou pode alegrar
Este rio de tristeza?
Ela que anseio que seja minha.

Mas
Ai de mim! Parece
Que devo silenciar todos os meus sonhos
Com aquela que eu ansiava que fosse minha.

E, no entanto...
Se o destino piedoso julgar
Minha alma especial e redimida
Por ceder aquela que eu ansiava que fosse minha,

Então talvez eu encontre
Não aquela por quem meu coração sofre,
Mas aquela que anseia por ser minha.

3 comentários:

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!