9 de junho de 2018

Capítulo 38

CHRIS É A primeira a viajar. Ela passa na minha casa naquela semana e avisa:
— Não posso ir ao casamento do seu pai no fim de semana. Vou para a República Dominicana amanhã.
— O quê?
— Eu sei. Desculpa. — Chris não parece lamentar nada. Ela está com um sorriso enorme no rosto. — É tudo tão louco. Sabe, abriu uma vaga para mim em um hotel sustentável, e não posso deixar essa oportunidade passar. Falam espanhol na República Dominicana, não é?
— É. Mas eu achei que você ia para a Costa Rica!
— Essa outra oportunidade surgiu e eu agarrei — diz ela dando de ombros.
— Mas… não consigo acreditar que você já vai! Você só ia viajar em agosto. Quando você volta?
— Não sei… Acho que essa é a parte mais legal. Posso ficar seis meses, ou outra coisa aparecer e eu ir atrás.
Eu pisco.
— Então você vai embora de vez?
— Não de vez. Só por enquanto.
Alguma coisa dentro de mim sabe que é de vez. Não vejo Chris voltando para cá em um ano para estudar na Piedmont Virginia Community College. Ela é Chris, a gata de rua, que vem e vai quando quer. E ela sempre vai cair de pé.
— Não faça essa cara triste. Você vai ficar bem sem mim. Você tem Kavinsky. — Por um segundo, não consigo respirar. Ouvir o nome dele é como uma faca sendo enfiada no meu coração. — Nós todos vamos mesmo embora em pouco tempo. Só estou feliz de não ficar para trás.
Essa seria a sensação para ela se ficasse aqui, fosse para uma faculdade pública, trabalhasse no Applebee’s. Sinto uma onda de felicidade porque, em vez disso, ela vai embarcar em uma aventura.
— Só não consigo acreditar que você já vai. — Não conto para ela que Peter e eu terminamos, que não o tenho mais. O assunto hoje não somos eu e Peter; é Chris e seu futuro novo e empolgante. — Posso pelo menos ajudar a fazer as malas?
— Minhas malas já estão prontas! Só vou levar o essencial. Minha jaqueta de couro, uns biquínis, alguns cristais.
— Você não devia levar tênis e luvas de couro, esse tipo de coisa, só por garantia?
— Vou de tênis no avião, e vou comprar o resto lá. Esse é o objetivo de uma aventura. Fazer uma mala pequena e ir decidindo o que fazer conforme a necessidade.
Eu achei que nós teríamos mais tempo, Chris e eu no meu quarto, compartilhando segredos tarde da noite, comendo batata frita na cama. Eu queria consolidar nossa amizade antes de ela ir: Lara Jean e Chrissy, como antigamente.
Tudo está terminando.

Um comentário:

  1. Ahh eu to chorando pelo termino dela com o Peter. E eu odeio a mãe dele

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!