9 de junho de 2018

Capítulo 26

NA CASA DE Steve Bledell, um monte de gente está na sala ao lado da cozinha fumando maconha e vendo futebol na enorme tevê de tela plana na parede. Lucas está aqui e, quando lhe conto as novidades, ele me pega no colo e me gira.
— Você também vai sair daqui!
— Bom, eu só vou para o estado vizinho, para a Carolina do Norte — falo, rindo. Sinto uma emoção inesperada ao dizer essas palavras em voz alta. — Não é tão longe.
— Mas é fora daqui. — Lucas me devolve ao chão e encosta as mãos nas minhas bochechas. — Vai ser muito bom para você, Lara Jean.
— Você acha?
— Tenho certeza.
Estou na cozinha pegando uma Coca quando Genevieve entra descalça, usando um moletom da Virginia Tech e segurando uma cerveja em um porta-latas também da Virginia Tech. Ela se balança um pouco antes de dizer:
— Eu soube que você entrou na UNC. Parabéns.
Eu espero o golpe, o comentário venenoso, mas ele não vem. Ela só fica ali parada, um pouco bêbada, mas ainda sóbria o bastante.
— Obrigada — falo. — Parabéns pela Virginia Tech. Sei que você sempre quis estudar lá. Sua mãe deve estar feliz.
— Está. Você soube que Chrissy vai para a Costa Rica? Aquela vaca sortuda. — Ela toma um gole da cerveja. — Chapel Hill é bem longe daqui, hein?
— Nem tanto. Só três horas — minto.
— Ah, boa sorte então. Espero que Peter continue tão fiel a você quanto é hoje. Mas, conhecendo ele, duvido muito. — Ela solta um arroto alto, e a expressão de surpresa e susto em seu rosto é tão engraçada que quase dou uma gargalhada. Por um segundo, parece que Genevieve também vai rir, mas ela se controla, faz cara feia e sai da cozinha.
Só tenho vislumbres de Peter ao longo da noite, conversando com as pessoas, tomando cerveja. Seu humor parece ter melhorado. Está sorrindo, com o rosto um pouco corado por conta da cerveja. Acho que nunca o vi beber tanto.
Perto da uma da manhã, ando pela casa à procura de Peter, e quando o encontro, ele está participando de um jogo envolvendo bebida na garagem de Steve. Todos estão rindo de alguma coisa que ele disse. Ele me vê no alto da escada e faz sinal para mim.
— Venha jogar com a gente, Covey — diz ele alto demais.
Meus pés ficam firmes no degrau.
— Não posso. Eu tenho que ir para casa.
O sorriso dele some.
— Tá, eu levo você.
— Não, tudo bem. Vou pegar uma carona ou chamar um Uber.
Eu me viro para ir embora, e Peter vai atrás de mim.
— Não faça isso. Eu levo você.
— Não, você está bêbado. — Tento não ser cruel, mas é a verdade.
Ele ri.
— Eu não estou bêbado. Só tomei três cervejas ao longo de quê? Três horas? Eu estou bem. Você não bebe, então não tem noção, mas isso não é nada. Eu juro.
— Bom, dá para eu sentir seu bafo de bebida e sei que você não passaria pelo teste do bafômetro.
Peter olha para mim.
— Você está com raiva?
— Não. Só não quero que você dirija para me levar em casa. Também não devia voltar para casa dirigindo. Devia dormir aqui.
— Ah, você está com raiva. — Ele se aproxima de mim e olha ao redor antes de dizer: — Sinto muito por antes. Eu devia ter ficado mais animado por você. Eu só estava cansado.
— Tudo bem — falo, embora eu não esteja sendo completamente sincera.
Stormy dizia uma coisa: Vá embora com quem você chegou, a não ser que ele esteja bêbado; nesse caso, arranje outro jeito de voltar para casa. Acabo pegando carona com Lucas e chego antes da minha hora, mas por pouco. Depois da noite anterior, não posso forçar a barra.
Peter fica me mandando mensagens, e sou mesquinha o bastante para ficar feliz por ele não estar mais se divertindo. Eu o deixo esperando muitos minutos antes de responder em poucas palavras que ele não devia voltar dirigindo para casa, e ele me manda uma foto em que aparece deitado no sofá de Steve com a jaqueta de alguém como cobertor.
Não consigo dormir, então desço para fazer um queijo quente. Kitty também está no andar de baixo vendo um programa de entrevistas e brincando no celular.
— Quer um queijo quente?
— Quero — diz ela, erguendo os olhos do celular.
Faço o de Kitty primeiro. Aperto o sanduíche na frigideira para a parte de baixo ficar crocante, e o sanduíche, achatado. Corto outro pedaço de manteiga e o vejo derreter em uma poça, ainda me sentindo desanimada por causa desta noite. Então, do nada, surge um pensamento na minha cabeça. Contato direto. O pão precisa de contato direto com a frigideira quente para ficar crocante do jeito certo.
É isso. Essa é a resposta para as dificuldades que venho enfrentando com os cookies com gotas de chocolate. Durante todo esse tempo, eu estava usando um tapete antiaderente para os cookies não grudarem na assadeira. A solução é papel-manteiga. É fininho, diferente do tapete. Com papel-manteiga, a massa tem contato direto com o calor e assim se espalha mais. Voilà, biscoitos mais finos.
Estou tão determinada que começo a pegar os ingredientes na despensa. Se eu fizer a massa certa neste instante, ela pode descansar a noite toda e eu vou poder testar minha teoria amanhã.

* * *

Durmo até tarde de novo porque não tem aula graças às reuniões dos professores e porque fiquei acordada até as três da manhã fazendo minha massa e vendo tevê com Kitty. Quando acordo, como no dia anterior, há mensagens de Peter.
Desculpa.
Sou um babaca.
Não fique com raiva.
Fico lendo as mensagens dele sem parar. O intervalo entre elas é de minutos, então sei que ele deve estar se perguntando se ainda estou com raiva ou não. Não quero ficar com raiva, só quero que as coisas voltem ao normal.
Mando uma mensagem:
Quer vir aqui para ter uma surpresa?
Ele responde na mesma hora:
A CAMINHO

* * *

— O cookie com gotas de chocolate perfeito tem que ter três aros — falo. — O do centro deve ser macio e meio molengo. O intermediário deve ser úmido. E o de fora deve ser crocante.
— Não aguento mais ouvir ela dando esse discurso — diz Kitty para Peter. — Não aguento.
— Seja paciente — pede ele, apertando o ombro dela. — Está quase acabando, e, depois, vamos ganhar cookies.
— O cookie perfeito é mais gostoso quando ainda está quente, mas também é delicioso à temperatura ambiente.
— Se você não parar de falar, eles não vão mais estar quentes — resmunga Kitty.
Olho para ela de cara feia, mas, na verdade, estou feliz por ela estar aqui para tornar o clima mais tranquilo entre mim e Peter. A presença dela faz as coisas parecerem normais.
— No mundo dos doces, é uma verdade universalmente reconhecida que Jacques Torres aperfeiçoou o cookie com gotas de chocolate. Peter, nós experimentamos um da loja dele alguns meses atrás. — Agora estou enrolando para fazer os dois sofrerem. — Como meu cookie vai se sair comparado ao dele? Alerta de spoiler: está incrível.
Kitty desce do banco.
— Já chega. Vou embora. Um cookie com gotas de chocolate não vale isso tudo.
Eu dou um tapinha na cabeça dela.
— Ah, gatinha. Garota querida e tola. Esse cookie vale isso e muito mais. Sente-se, ou não vai provar.
Revirando os olhos, ela se senta.
— Meus amigos, eu finalmente encontrei. Minha baleia branca. Meu anel para a todos governar. O cookie dos cookies. — Com um floreio, puxo um pano de prato e apresento meus cookies finos, macios e com a densidade perfeita, artisticamente arrumados em um prato.
Para minha consternação, Peter enfia um inteiro na boca e, com ela cheia, diz:
— Delicioso!
Ele ainda está com medo de eu ter ficado chateada, então diria qualquer coisa agora.
— Coma mais devagar. Saboreie, Peter.
— Eu estou saboreando, acredite.
Kitty é a verdadeira crítica que devo agradar. Digo, ansiosa:
— Eu usei açúcar mascavo. Dá para sentir um toque de melado?
Ela está mastigando, pensativa.
— Não sinto a diferença entre este e o que você fez duas fornadas atrás.
— Desta vez usei chocolate fèves, não chocolate picado. Está vendo como o chocolate derrete em levas?
— O que é fève?
— Lascas.
— Então diga lascas. E papai não ficou irritado por você ter gastado trinta dólares em chocolate?
— Eu não diria que ele ficou irritado. Talvez aborrecido. Mas acho que vai concordar que vale a pena. — Kitty me olha com uma cara de Ah tá, e eu murmuro: — É chocolate Valrhona, tá? Não é barato. Além do mais, o saco é de um quilo! Olha, essa não é a questão. Você não consegue perceber como as bordas são mais crocantes e o centro, mais macio? Preciso explicar de novo sobre o tapete antiaderente e o papel-manteiga?
— A gente entendeu — retruca Kitty.
Peter enfia o dedo no passador da minha calça jeans e me puxa para perto.
— Melhor cookie da minha vida — declara. Ele está pegando pesado, mas eu ainda estou um pouco irritada.
— Vocês são tão bregas — diz Kitty. — Vou pegar minha cota de cookies e sair daqui. — Ela começa a empilhar biscoitos em um guardanapo, rápida como um raio.
— Só pegue três!
Ela coloca dois de volta e sobe a escada.
Peter espera que ela vá embora e pergunta:
— Você ainda está com raiva de mim? Nunca mais vou beber quando estiver de carro com você, prometo. — Ele me dá um grande sorriso.
— Você está mesmo numa boa com a minha ida para a UNC?
O sorriso dele some, e ele hesita por um momento antes de assentir.
— É como você falou. A gente vai dar um jeito, seja como for. — Por um milésimo de segundo, o olhar dele procura o meu, e sei que ele está querendo que eu o tranquilize. Nessa hora, passo os braços em volta dele e o abraço com força, força suficiente para que ele saiba que estou aqui. Que não vou deixá-lo.

9 comentários:

  1. Será q a autora vai dar essa receita pra gente tbm? 😗💟 QUERO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu comprei o livro, veio a receita em um livrinho

      Excluir
    2. aaaaain...não creio👏😍👌
      Louca pra comprar os meus livros .

      Excluir
    3. Onde vc comprou seus livros ? Por um site?? 💖💖

      Excluir
  2. Estou amando o livro! Me identifico muito com a Lara Jean, sou a irmã do meio de outras duas irmãs e entrei na faculdade esse ano então já passei por tudo isso! Crescer é barra, é assustador e muito legal!

    ResponderExcluir
  3. "— Desta vez usei chocolate fèves, não chocolate picado. Está vendo como o chocolate derrete em levas?
    — O que é fève?
    — Lascas.
    — Então diga lascas. E papai não ficou irritado por você ter gastado trinta dólares em chocolate?"
    Eu te amo menina kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já chega. Vou embora. Um cookie com gotas de chocolate não vale isso tudo.

      Morri de rir quando a kitty disse isso, essa menina é demais, morro de rir!!

      Excluir
  4. Quero a receita desse cookie genteee

    ResponderExcluir
  5. Ah me passa a receita do cookie por favor....🙌

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!