9 de junho de 2018

Capítulo 25

QUANDO ACORDO, ENROLO na cama por um tempo, espreguiçando os braços e as pernas como um X enorme. A noite anterior parece um sonho. É mesmo verdade? Eu vou para a UNC?
Vou, vou sim. Que loucura, é emocionante como uma vida pode mudar de direção da noite pro dia. Eu sempre tive medo de mudanças, mas agora não me sinto assim. Estou empolgada. Percebo agora como estar animada com a minha futura faculdade é um privilégio. Peter, Chris e Lucas, eles vão para onde querem ir, mas meu futuro parecia uma segunda escolha porque era mesmo isso, ainda que a William and Mary seja uma ótima universidade. A UNC é uma opção que eu nem sabia que tinha, como uma porta que se abriu como num passe de mágica, uma porta que pode me levar a muitos lugares.
Quando termino meu devaneio, olho para o relógio e vejo que dormi o dia todo. Eu me sento, ligo o celular e vejo todas as ligações perdidas e mensagens de voz do meu pai e de Kitty da noite anterior. Apago tudo sem ouvir, para não precisar escutar a raiva na voz do papai; vejo que Peter também deixou uma mensagem de voz. Quando vejo o nome dele no celular, meu coração perde o compasso. Tem mensagens de texto também, querendo saber onde estou. Eu ligo para ele, que não atende, então concluo que deve estar no meio do treino. Deixo uma mensagem dizendo para vir aqui em casa quando voltar. Ficamos de ir mais tarde à festa de Steve Bledell.
Estou nervosa para contar a novidade para Peter. Tínhamos um plano, e agora estou mudando as coisas, mas eu não sabia que ia ter essa oportunidade. Ele vai entender. Sei que vai.
Eu me deito na cama e chamo Margot pelo FaceTime. Ela está na rua, indo para algum lugar.
— E aí? — pergunta ela.
— Adivinha.
— O quê?
— Eu passei para a UNC!
Ela dá um grito e larga o celular. Felizmente, ele cai na grama. Ela o pega de volta. Ainda está gritando.
— Ah, meu Deus! Isso é incrível! É a melhor notícia do mundo! Quando você soube?
Eu me deito de bruços.
— Ontem! Chris e eu fomos visitar o campus ontem à noite, e, Gogo, foi tão divertido. Nós acabamos vendo um show de uma banda, dançamos e gritamos como umas bobas. Minha garganta está doendo!
— Então, espere… você vai, né?
— Vou!
Margot grita de novo, e eu dou uma gargalhada.
— Como é o campus da UNC? — pergunta ela.
— Ah, é bem parecido com o da UVA.
— Foi o que me contaram. Ouvi que os campi são parecidos. As cidades também. As duas são liberais, mas Chapel Hill talvez seja um pouco mais. Tem muita gente inteligente lá. Mal posso esperar para ver os cursos com você. — Ela começa a andar de novo. — Você vai adorar lá. Maggie Cohen, que era um ano acima do meu, ama. Você devia falar com ela. — Sorrindo, Margot diz: — É agora que tudo começa, Lara Jean. Você vai ver.

* * *

Depois que me despeço de Margot, tomo um banho de espuma e faço todos os meus rituais: máscara facial, bucha, esfoliante de açúcar mascavo com alfazema. No banho, treino o que vou dizer para Peter. Tem duas árvores em lados opostos, e os galhos se encontram no meio… Fico tanto tempo no banho que Kitty grita para eu me apressar. Quando saio da banheira, seco o cabelo e faço cachos; refaço as unhas e até passo o creme de cutícula de limão que comprei, mas nunca me lembro de usar.
Papai, Trina e Kitty foram ao cinema, então estou sozinha em casa quando Peter chega, por volta das oito. Está usando um moletom novo da UVA. O cabelo está lavado e ainda úmido. Ele tem cheiro de sabonete Dove, que adoro. Ele me puxa para um abraço e apoia seu peso em mim.
— Estou todo dolorido — comenta, se sentando no sofá da sala. — Podemos perder a festa do Steve hoje? Eu só quero ficar aqui com você e não ter que bater papo com ninguém. Estou exausto.
— Claro — falo, e respiro fundo para dar a notícia, mas ele me olha com expressão cansada.
— Aqueles caras do time estão muito em forma. Foi difícil acompanhar o ritmo deles.
Eu franzo a testa.
— Ei, você também está em forma.
— Não tanto quanto eles. Preciso melhorar. — Ele massageia a nuca. — Então você vai me contar onde esteve ontem à noite?
Eu me sento no sofá de frente para ele, as pernas dobradas. Apoio as costas das mãos nas bochechas, que parecem quentes. Em seguida, as coloco no colo.
— Tá, tudo bem. — Eu faço uma pausa. — Você está pronto?
Ele ri.
— Aham, estou pronto.
— Tá. É loucura, mas fui à Carolina do Norte com Chris.
Peter ergue as sobrancelhas.
— Estranho. Tudo bem. Continue.
— Eu fui lá porque… passei para a UNC!
Ele pisca.
— Uau. Isso… uau. Isso é incrível.
Respiro fundo.
— Eu achava que não queria estudar lá, mas quando Chris e eu fomos, achei a cidade um charme, e as pessoas foram muito simpáticas, e tem um banco ao lado do Velho Poço onde, se você se deitar e olhar para cima, duas árvores de lados opostos se encontram no meio. Os galhos se tocam, assim. — Eu começo a demonstrar, mas paro, porque percebo que Peter não está ouvindo. Ele está olhando para o nada. — O que você está pensando?
— Então isso quer dizer que você vai para lá agora, e não para a William and Mary?
Eu hesito.
— É.
Ele assente para si mesmo.
— Fico feliz por você. De verdade. Mas é uma droga você ir morar tão longe. Se eu tivesse que pegar o carro e dirigir até Chapel Hill agora, eu acabaria dormindo ao volante. São quantas horas de Charlottesville a Chapel Hill? Umas quatro?
Sinto um nó no estômago.
— Três horas e vinte e cinco minutos. Sei que parece muita coisa, mas juro que passa rápido!
— É o dobro do tempo que leva de Charlottesville à William and Mary. E isso sem trânsito. — Ele encosta a cabeça no sofá.
— Não é o dobro — falo baixinho. — É uma hora e meia a mais.
Ele se vira para mim, e noto o arrependimento nos olhos dele.
— Desculpa. Eu estou muito cansado agora. Vai ser bem mais difícil do que eu achei que seria. Não o nosso namoro, mas a faculdade. Vou ter treinos o tempo todo, e quando não estiver treinando, vou estar malhando ou na aula ou dormindo. Vai ser exaustivo. Nem um pouco como o ensino médio. É muita pressão. E… eu não achei que você fosse estar tão longe.
Eu nunca o vi assim. Ele parece derrotado. Quando o assunto é o lacrosse e os estudos, ele é sempre tão tranquilo, tão confiante. Tudo sempre é fácil para ele.
— Peter, você vai se sair bem. Agora é só o começo. Quando você pegar o jeito, vai ser como sempre, sem problemas. — Timidamente, acrescento: — E… nós também vamos dar um jeito.
De repente, ele se senta ereto.
— Quer saber? Vamos para a festa.
— Tem certeza?
— Tenho. Você está toda arrumada. E não arrumou seu cabelo assim à toa. — Ele me puxa para perto. — Vamos comemorar sua vitória.
Eu o abraço. Os ombros estão contraídos; consigo sentir a tensão nas costas dele. A maioria dos garotos não repararia em uma coisa assim: que eu fiz cachos no cabelo, que estou usando uma blusa nova. Tento me concentrar nisso e não no fato de ele não ter me dado parabéns.

12 comentários:

  1. Tbm... sabia que ele reagiria assim.

    ResponderExcluir
  2. O Peter é incrível!, porém ele é egoista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vi nada de egoísta nessa primeira reação, ele não disse em nenhum momento que era para ela não ir, ele só falou na questão da distância e do tempo o que ate a Lara Jean estava ciente.

      Excluir
  3. Não acho egoísmo, as mudanças que a faculdade trás são complicadas mesmo, inseguranças quanto as pessoas dá escola fazem parte, já passei por isso :(

    ResponderExcluir
  4. peter não está sendo egoísta, está triste porque as coisas não vão ser como ele achava que seriam e ele vai ficar mais longe da lara jean. mesmo assim, ele tentou se animar por ela! e ele disse que era incrivel, tá cansado mas vai pra festa porque ela se arrumou e pq ela tem que comemorar, mas ela foca no fato de que ele não disse "parabéns"? poxa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Temos que ver todos os lados possíveis na história, não ficarmos focados só no que a Lara Jean pensa. Temos que pensar na Kitty, na Margot, no Peter, no John, e até na Gen! Todos tem sentimentos e inseguranças, não são robôs para sorrirem e fingirem que estão felizes a todo o tempo.

      Excluir
  5. Não achei egoísmo, ele só ficou preocupado por conta da distância, entendo muito o que ele sentiu. Faculdade, até você pegar o ritmo é complicado, e até depois de pegar o ritmo prece que só piora, às vezes, estou na torcida por eles 😭😭😭😭

    ResponderExcluir
  6. Também não vejo nada egoísta nessa reação. Eu reagiria igual ou pior, se eles tinham um plano e agora ela mudou e vai ficar muito mais longe , e eles vão se ver muito menos... o namoro pode estar em jogo. Ainda assim ele exausto repara nela arrumada e tenta ter disposição pra festa. Achei ruim da parte dela focar nele não ter dado "Parabéns ", no lugar de focar nas atitudes dele. As vezes Lara Jean me tira do sério... é evidente que ele a ama muito mais do que ela.

    ResponderExcluir
  7. Meu casal vai passar por tudo isso, assim espero!

    ResponderExcluir
  8. Isso foi uma bomba para ele, e mesmo assim ele disse que ficou feliz por ela...

    ResponderExcluir
  9. Acho difícil ela ir pra UNC e depois de um ano querer se transferir, ela vai acabar ficando lá.. não duvido nada

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!