9 de junho de 2018

Capítulo 23

A PISCINA PÚBLICA sempre abre no fim de semana do Memorial Day, que cai na última segunda-feira de maio. Quando éramos pequenas, Margot e eu contávamos os dias para o feriadão. Nossa mãe fazia sanduíches de presunto e queijo e os embrulhava em papel-manteiga, levava palitos de cenoura e uma jarra grande de água saborizada. O resultado era sempre mais água do que suco. Eu implorava pelos refrigerantes vendidos lá nas máquinas ou por ponche de frutas, mas, não. Mamãe lambuzava a gente com protetor solar da mesma forma que passava manteiga em um peru. Kitty berrava como louca; não tinha paciência para essa parte. Ela sempre foi impaciente, sempre quis mais. É engraçado ver como algumas características de quando éramos bebês permanecem conosco conforme vamos crescendo. Eu nunca perceberia isso se não fosse Kitty. Ela ainda faz as mesmas caras de irritação.
Ela não está na equipe de natação este ano. Diz que não é mais divertido agora que nenhuma de suas amigas participa. Eu a vi lendo os horários das reuniões no quadro de eventos da comunidade, quando ela não sabia que eu a estava observando, e notei a tristeza em seus olhos.
Acho que isso também é parte de crescer, ter de se despedir de coisas que você amava.
Todos os gramados estão recém-cortados, e o ar cheira a trevos e folhas. Os primeiros grilos do verão cantam. Essa é a trilha sonora do meu verão, de todos os verões. Peter e eu ocupamos as espreguiçadeiras mais afastadas da piscina infantil, tentando fugir do barulho. Estou estudando para minha prova de francês ou, pelo menos, tentando.
— Venha aqui para eu passar nos seus ombros primeiro — falo para Kitty, que está de pé em frente à piscina com a amiga Brielle.
— Você sabe que eu não me queimo — responde ela, e é verdade; os ombros dela já estão bronzeados como um brioche dourado. No fim do verão, vão estar escuros como casca de pão integral. O cabelo de Kitty está molhado, para trás, uma toalha envolve seus ombros. Ela ficou mais alta.
— Venha aqui mesmo assim — falo.
Kitty se aproxima das espreguiçadeiras em que Peter e eu estamos sentados, os chinelos batendo contra o chão.
Eu borrifo protetor solar e espalho nos ombros dela.
— Não importa se você não se queima. Precisa proteger a pele para não ficar toda enrugada que nem uma bolsa de couro velha.
Era o que Stormy me dizia.
Kitty ri quando digo “bolsa de couro velha”.
— Como a sra. Letty. A pele dela é cor de salsicha.
— Bom, eu não estava falando de ninguém especificamente. Mas é verdade. Ela devia ter usado protetor solar quando era mais jovem. Que isso sirva de lição para você, querida irmã.
A sra. Letty é nossa vizinha, e a pele dela é flácida como massa de crepe.
Peter coloca os óculos escuros.
— Vocês são cruéis.
— Olha só quem fala! Você já encheu o gramado dela de papel higiênico!
Kitty ri e rouba um gole da minha Coca.
— Você fez isso?
— Tudo intriga da oposição — diz Peter, fazendo pouco caso.
Conforme o dia vai ficando mais quente, Peter me convence a largar o livro de francês e pular com ele na piscina. Ela está cheia de crianças pequenas, não tem ninguém da nossa idade. Steve Bledell tem piscina em casa, mas eu queria vir aqui, por causa dos velhos tempos.
— Não ouse me dar um caldo — aviso. Peter começa a nadar ao meu redor como um tubarão, apertando cada vez mais o círculo. — Estou falando sério!
Ele mergulha e me segura pela cintura, mas não me dá caldo. Ele me beija. Sua pele está fria e lisa contra a minha. Seus lábios também.
Eu o empurro e sussurro:
— Não me beije! Tem crianças aqui!
— E daí?
— E daí que ninguém quer ver adolescentes se beijando na piscina em que crianças estão tentando brincar. Não é legal. — Sei que pareço chata, mas não ligo. Quando eu era pequena e havia adolescentes fazendo bagunça na piscina, eu sempre ficava com medo de entrar, porque parecia que a piscina era deles.
Peter cai na gargalhada.
— Você é engraçada, Covey. — Nadando de lado, ele diz: — “Não é legal.” — E começa a rir de novo.
O salva-vidas toca o apito para sinalizar a hora de os adultos nadarem, e todas as crianças saem da piscina, eu e Peter também. Voltamos para as espreguiçadeiras e Peter as empurra, juntando-as.
Eu me viro de lado e, estreitando os olhos por causa do sol, pergunto:
— Qual você acha que é a idade mínima para ficar na piscina na hora dos adultos? Dezoito ou vinte e um?
— Não sei. Vinte e um? — Ele está olhando o celular.
— Talvez seja dezoito. Nós devíamos perguntar. — Coloco os óculos escuros e começo a cantar “Sixteen Going on Seventeen”, de A Noviça Rebelde. — “You need someone older and wiser, telling you what to do.” — Bato de leve no nariz dele para enfatizar a letra da música.
— Ei, eu sou mais velho do que você — protesta ele.
Eu passo a mão pela bochecha de Peter e canto:
— “I am seventeen going on eighteen, I-I-I’ll take care of you.”
— Promete que vai cuidar de mim? — pergunta ele.
— Cante só uma vez para mim. — Peter me olha. — Por favor. Adoro quando você canta. Sua voz é tão bonita.
Ele não consegue evitar um sorriso. É impossível para Peter ser elogiado e não sorrir.
— Eu não sei a letra.
— Sabe, sim. — Finjo balançar uma varinha na cara dele. — Imperio! Espere… você sabe o que isso quer dizer?
— É… uma maldição imperdoável?
— É. Impressionante, Peter K. E o que ela faz?
— Obriga você a fazer coisas que não quer.
— Muito bom, jovem bruxo. Ainda há esperança para você. Agora, cante!
— Sua bruxinha. — Ele olha ao redor para ver se tem alguém ouvindo e canta baixinho: — “I need someone older and wiser telling me what to do… You are seventeen going on eighteen… I’ll depend on you.”
Eu bato palmas de alegria. Tem algo mais empolgante do que fazer com que um garoto satisfaça aos seus caprichos? Eu me aproximo mais dele e passo os braços pelo seu pescoço.
— Agora é você quem está fazendo demonstrações públicas de afeto! — diz ele.
— Você tem mesmo uma voz bonita, Peter. Não devia ter largado o coral.
— O único motivo para eu ter me inscrito no coral foi porque todas as garotas estavam lá.
— Bom, então nem pense em entrar em um coral na UVA. Nem grupos a capela. — Falo como piada, de verdade, mas Peter parece incomodado. — Eu estou brincando! Entre para todos os grupos a capela que quiser! Os Hullabahoos são todos rapazes mesmo.
— Eu não quero entrar em nenhum grupo a capela. E também não pretendo olhar para outras garotas.
Ah.
— Claro que você vai olhar para outras garotas. Afinal, você tem olhos, não tem? Isso é tão bobo! É como quando as pessoas dizem que não enxergam cor de pele. Todo mundo vê todo mundo. Não dá para não notar.
— Não foi isso que eu quis dizer!
— Eu sei, eu sei. — Eu me sento ereta e coloco o livro de francês no colo. — Você não vai mesmo estudar para sua prova de história americana de quarta?
— A esta altura, eu só preciso passar — lembra ele.
— Deve ser bom, deve ser bom — cantarolo.
— Ei, você não vai perder sua vaga na William and Mary se tirar C em francês.
— Eu não estou preocupada com francês. Estou preocupada com minha prova de cálculo na sexta.
— Ah, bom, eles também não vão expulsar você por tirar C em cálculo.
— É verdade, mas ainda quero terminar bem — comento. Já estamos na contagem regressiva, agora que maio está quase acabando. Só temos mais uma semana de aula. Eu estico os braços e as pernas, olho para o sol e solto um suspiro feliz. — Vamos vir aqui todos os dias do fim de semana que vem?
— Não posso. Vou àquele fim de semana de treino, lembra?
— Já?
— É. É estranho... A temporada acabou e nós não vamos mais jogar juntos.
O time de lacrosse da escola não se classificou para o campeonato estadual. Eles sabiam que era difícil, porque, como Peter gosta de dizer: “Eu sou um só.” Rá! No fim de semana que vem ele vai para um treinamento com o novo time da UVA.
— Você está animado para conhecer os colegas de time?
— Eu já conheço alguns caras, mas estou. Vai ser legal. — Ele estica a mão e começa a trançar uma parte do meu cabelo. — Acho que estou ficando melhor nisso.
— Você tem o verão todo para treinar — falo, me inclinando para ele poder pegar mais cabelo. Ele não diz nada.

11 comentários:

  1. Só eu q tô anotando todos esses filmes pra ver dps??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela está falando dos filmes que os personagens estão assistindo, que estão na listinha de Lara Jean e Peter.
      Mas a Netflix está com os direitos, vai sair filme!

      Excluir
    2. Só esperando chegar agosto!!!

      Excluir
    3. Já tem filme sim, assisti e gostei muito. Só soube dos livros depois que assisti o filme.

      Excluir
    4. Alguém tem uma lista com todos os filmes citados?
      Quero assistir todos

      Excluir
    5. Pior que nao k
      Eu vou assistir a maioria

      Excluir
  2. faltam algum diasssss,o filme vai sair dia 17/08

    ResponderExcluir
  3. Olha eu sei que é chato e tals, mas o Josh não foi mais mencionado e eu gostava muito dele... 😔

    ResponderExcluir
  4. Só passei pra dizer que o filme é lindo S2 assim como os livros S2 S2

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!