29 de maio de 2018

Capítulo 6

NO DIA ANTES DE VOLTAR para a escola, Kitty e eu estamos deitadas na minha cama assistindo vídeos de animais no meu computador. Nosso cachorrinho, Jamie FoxPickle, está enrolado em uma bola no pé da cama. Kitty o embrulhou em seu antigo cobertor de bebê, então apenas seu rosto está espreitando para fora. Ele está sonhando – posso dizer pela maneira como ele estremece e mexe as patas a cada poucos momentos. Não sei dizer se é um sonho bom ou um pesadelo.
— Você acha que nós deveríamos começar a fazer vídeos de Jamie? — Kitty me pergunta. — Ele é bonito o suficiente, certo?
— Ele definitivamente tem a aparência, mas não tem qualquer talento discernível ou algo peculiar sobre ele.
Assim que eu digo “peculiar”, penso em Peter e em como ele disse uma vez que eu era bonita de uma forma peculiar. Eu me pergunto se é assim como ele ainda me vê. Já ouvi pessoas dizerem que, quanto mais você gosta de alguém, mais você acha que eles são lindos, mesmo que não pensasse assim no começo.
— Jamie faz aquela coisa onde ele se empina como um bebê cervo — Kitty me lembra.
— Hmm. Eu não chamaria exatamente de peculiaridade. Não é o mesmo que pular em caixas de papelão ou tocar piano ou ter uma cara realmente mal-humorada.
— A sra. Rothschild vai me ajudar a treiná-lo. Ela acha que ele tem a personalidade certa para truques.
Kitty clica no próximo vídeo, um cão que uiva quando você toca “Thriller” do Michael Jackson. Kitty e eu nos acabamos de rir e o assistimos novamente. Depois de um vídeo de uma mulher cujo gato envolve o rosto dela como um lenço, eu digo:
— Espere um minuto, você fez sua lição de casa?
— Tudo o que eu tinha que fazer era ler um livro.
— Então, você leu?
— A maior parte — desconversa Kitty, aconchegando mais perto de mim.
— Você teve todas as férias de Natal para lê-lo, Kitty!
Eu realmente gostaria que Kitty fosse mais leitora como Margot e eu. Ela prefere a TV. Eu clico para pausar o vídeo e afasto meu computador, fechando-o com um floreio.
— Nada mais de vídeos de bichinhos para você. Você vai terminar o seu livro.
Começo a empurrá-la para fora da cama, mas Kitty se agarra à minha perna.
— Não me renegue, minha irmã querida! — orgulhosa, ela diz: — Isso é Shakespeare. Romeu e Julieta, caso você não tenha lido.
— Sem chance de você ter lido Shakespeare. Vi você assistindo o filme na TV no outro dia.
— Quem se importa se eu li ou vi o filme? A mensagem ainda é a mesma.
Kitty rasteja de volta para mim. Dou um tapinha no cabelo dela.
— Então, qual é a mensagem?
— Não se mate por um menino.
— Ou uma menina.
— Ou uma menina — ela concorda.
Ela abre o meu computador.
— Mais um vídeo de gato e depois vou ler.
O meu telefone vibra, uma mensagem da Chris.
Veja o instagram da MeninaVeneno AGORA.
MeninaVeneno é uma conta anônima Instagram que posta imagens escandalosas e vídeos de pessoas se agarrando ou ficando bêbadas em festas ao redor da cidade. Ninguém sabe quem é administrador da conta; as pessoas enviam o conteúdo. Teve uma foto de uma menina de outra escola que viralizou no ano passado, ela estava se exibindo para um carro da polícia. Ouvi dizer que ela foi expulsa da escola por isso. O meu telefone vibra novamente.
AGORA!
— Espere, Kitty, deixe-me ver algo primeiro — digo e pauso o vídeo.
Quando digito o endereço, completo:
— Se você quiser ficar aqui, feche os olhos até que eu diga para abri-los.
Kitty obedece.
No topo do feed do MeninaVeneno, há um vídeo de um menino e uma menina fazendo sexo em uma banheira de água quente.
MeninaVeneno é particularmente famosa por seus vídeos de ofurô. Ela sempre usa a tag #amassosmolhados. Este está um pouco granulado, mostrando que foi ampliado de longe. Dou play. A menina está sentando-se no colo do menino, seu corpo caído sobre o dele, pernas dobradas em torno da cintura, os braços em volta do pescoço dele. Ela está usando uma camisola vermelha, que se infla na água como uma vela cheia. A parte de trás de sua cabeça oculta o menino. Seu cabelo é longo, e as extremidades mergulham na banheira de água quente como pincéis de caligrafia em tinta. O menino corre com as mãos para baixo por sua coluna vertebral como se ela fosse um violoncelo e ele a estivesse tocando. Estou tão hipnotizada que não noto de início que Kitty está assistindo comigo. Ambas as nossas cabeças estão inclinadas, tentando desvendar o que estamos olhando.
— Você não deveria estar vendo isso — digo.
— Eles estão fazendo aquilo? — ela pergunta.
— É difícil dizer, por causa da camisola.
Será?
Em seguida, a menina toca a bochecha do menino, e há algo sobre o movimento, a maneira como ela o toca enquanto olha para ele. Algo familiar. A parte de trás do meu pescoço fica gelado, e sou atingida por uma rajada de consciência, de reconhecimento humilhante.
Essa menina sou eu.
Eu e Peter, no ofurô da viagem de esqui.
Ah, meu Deus.
Eu grito.
Margot vem correndo, vestindo uma daquelas máscaras de beleza coreanas no rosto com fendas para olhos, nariz e boca.
— O quê? O que foi?
Tento cobrir a tela do computador com a mão, mas ela a empurra para fora do caminho, e, em seguida, solta um grito também. Sua máscara cai.
— Ah, meu Deus! É você?
Ah, meu Deus, Ah, meu Deus, Ah, meu Deus.
— Não deixe Kitty ver! — grito.
Kitty arregala os olhos.
— Lara Jean, eu pensava que você fosse boazinha.
— Eu sou! — grito de volta.
Margot engole em seco.
— Isso... isso parece...
— Eu sei. Não fale.
— Não se preocupe, Lara Jean — Kitty acalma. — Eu já vi pior na TV aberta, não foi nem na HBO.
— Kitty, vá para o seu quarto! — Margot grita.
Kitty geme e se apega mais perto de mim. Eu não posso acreditar no que estou vendo. A legenda diz A sem graça da Lara Jean transando para valer com Kavinsky no ofurô. Será que camisinha funciona debaixo da água? Acho que descobriremos em breve ;) Os comentários são um monte de emojis e lols de olhos arregalados.. Alguém chamada Veronica Chen escreveu, Que piranha! Ela é oriental?? Eu não conheço nenhuma Veronica Chen!
— Quem poderia ter feito isso comigo? — eu lamento, pressionando as mãos contra meu rosto. — Não consigo sentir meu rosto. O meu rosto ainda é meu rosto?
— Quem diabos é MeninaVeneno? — pergunta Margot.
— Ninguém sabe — respondo. O rugido em meus ouvidos é tão alto que mal posso ouvir minha própria voz. — Todo mundo compartilha as postagens dela. Ou dele. Estou falando muito alto?
Eu estou em choque. Agora não consigo sentir minhas mãos ou pés. Eu vou desmaiar. Isso está acontecendo? Esta é a minha vida?
— Temos de conseguir retirar isso agora mesmo. Existe uma linha de ajuda para conteúdo impróprio? Temos que denunciar!
Margot pega o computador de mim. Ela clica na aba Reportar conteúdo impróprio.
Descendo os comentários da página, ela ferve:
— As pessoas são completas idiotas! Poderíamos ter que chamar um advogado. Isso não vai se retirado de imediato.
— Não! — eu grito. — Não quero que papai veja!
— Lara Jean, isso é sério. Você não quer que as faculdades pesquisem o seu nome e apareça este vídeo! Ou futuros empregadores...
— Gogo! Você está me fazendo sentir muito pior agora!
Pego o meu telefone. Peter. Ele vai saber o que fazer. São cinco horas, o que significa que ele ainda está no treino de lacrosse. Eu não posso nem ligar para ele agora. Mando mensagem em vez disso:
Me ligue. AGORA.
Então ouço a voz de papai chamando Da escada.
— Estas batatas não vão virar um purê sozinhas! Quem é que vem me ajudar?
Meu Deus. Agora eu tenho que sentar no jantar e olhar o meu pai na cara, sabendo que este vídeo existe.
Esta não pode ser a minha vida.
Margot e Kitty olham uma para a outra, depois para mim.
— Ninguém diz uma palavra para o papai! — assobio para elas. — Isso significa você, Kitty!
Ela me dá um olhar magoado.
— Eu sei quando manter a minha boca fechada.
— Desculpe, desculpe — murmuro.
Meu coração está batendo tão forte que está me dando dor de cabeça. Eu não consigo nem mesmo pensar direito.
No jantar, meu estômago está embrulhado e mal consigo engolir uma colherada de purê. Felizmente, eu tenho Margot e Kitty para agirem e manter uma conversa constante, então não tenho que falar. Eu só empurro a comida pela beirada do prato e sorrateiramente Jamie Fox-Pickle come debaixo da mesa. Assim que todos terminaram de comer, corro lá para cima e vejo o meu celular. Nada ainda de Peter. Mais mensagens apenas de Chris e uma de Haven:
OMG é você?

* * *

Eu não sei quem é a garota no vídeo. Eu não me reconheço nele. Não é como eu me vejo. É como qualquer outra pessoa que não tem nada a ver comigo. Eu não sou alguém que entra em ofurôs com meninos, se senta no colo deles e os beija apaixonadamente com uma camisola molhada agarrando-se a eles. Mas eu fui naquela noite. O vídeo só não diz toda a verdade.
Continuo dizendo a mim mesma que não é como se nós realmente estivéssemos fazendo sexo no vídeo. Não é como se eu estivesse nua. Só parece isso no vídeo. E tudo em que posso pensar é que todo mundo na escola viu o vídeo, um vídeo de mim em um dos momentos mais íntimos e verdadeiramente românticos da minha vida. E não só isso, mas alguém gravou. Alguém estava lá. A memória que deveria ser só minha e de Peter, mas agora descubro que havia um voyeur conosco. Não é apenas mais nossa. É uma sensação ruim agora. Certamente parece assim.
No momento em que me senti livre e aventureira, talvez até mesmo sexy. Eu não sei se já me senti sexy em toda a minha vida. E agora eu só quero não existir.
Estou deitada na cama olhando para o teto, o celular ao meu lado. Margot e Kitty me proibiram de ver o vídeo. Elas tentaram levar o meu celular para longe, mas eu lhes disse que preciso dele para quando Peter ligar. Então dei uma olhada no vídeo e, até agora, existem mais de cem comentários, nenhum bom.
Kitty brinca com Jamie Fox-Pickle no chão e Margot está enviando um e-mail ao atendimento ao cliente do Instagram quando Chris bate na minha janela. Margot a destrava para ela, e Chris entra, tremendo e de bochechas rosadas.
— Ela está bem?
— Acho que está em estado de choque — diz Kitty.
— Eu não estou em estado de choque — respondo.
Mas talvez eu esteja. Talvez isto seja o choque. É um tipo estranho de sentimento, surreal; estou meio que entorpecida, mas também todos os meus sentidos parecem intensificados.
— Por que você não pode entrar pela porta da frente como uma pessoa normal? — Margot pergunta a Chris.
— Ninguém atendeu. — Chris tira suas botas e se senta no chão ao lado de Kitty. Acariciando Jamie, ela diz: — Ok, primeiro de tudo, mal se pode dizer que é você. E em segundo lugar, é tão sensual, portanto, não há nada para se envergonhar. Quero dizer, você está ótima.
Margot faz um som de desgosto.
— Isso é tão irrelevante que eu nem sei por onde começar.
— Eu só estou sendo honesta! Objetivamente, é uma sacanagem, mas Lara Jean parece incrível nele.
Rastejando sob a minha colcha, eu digo:
— Pensei que você tivesse dito que mal se podia dizer que era eu! Eu sabia que não deveria ter ido naquele passeio de esqui. Eu odeio ofurôs. Por que entraria de boa vontade em um ofurô?
— Ei, agradeça porque estava de pijama — diz Chris. — Você poderia estar nua!
Tiro minha cabeça de debaixo da colcha e olho para ela.
— Eu jamais ficaria nua!
Chris bufa.
— Jamais ficaria nua. Sabia que isso existe de verdade? Algumas pessoas usam roupas o tempo todo, mesmo no chuveiro. Tipo shorts e tal.
Viro para o outro lado, para longe de Chris.
O peso da minha cama desloca quando Margot sobe.
— Tudo vai ficar bem — diz ela, puxando a colcha mais uma vez. — Nós vamos fazê-los tirar o vídeo.
— Não importa — respondo. — Todo mundo já viu. Todos pensam que eu sou uma vagabunda.
Os olhos de Chris se estreitam.
— Então você está dizendo que, se uma menina transa num ofurô, isso faz dela uma vagabunda?
— Não! Não é o que estou dizendo; isso é o que outras pessoas estão dizendo.
— Então o que você está dizendo? — ela exige.
Olho para Kitty, que está trançando o cabelo de Chris em pequenas madeixas. Ela está silenciosa, portanto, esqueci que ela está aqui e não a expulsei.
— Eu acho que, enquanto você está pronta e é o que quer fazer, e se está protegida, então tudo bem, faça o que quiser fazer.
— A sociedade envergonha tanto uma mulher por desfrutar do sexo e aplaude o cara — acrescentou Margot. — Quero dizer, todos os comentários são sobre como Lara Jean é uma vagabunda, mas ninguém fala nada sobre Peter, e ele está logo ali com ela. É ridículo como são dois pesos e duas medidas.
Eu não tinha pensado nisso.
Chris olha para seu telefone.
— Cara, três pessoas diferentes me mandaram o vídeo enquanto estávamos sentadas aqui.
Deixo escapar um soluço e Margot diz:
— Chris, isso não está ajudando. Nem um pouco. — Para mim, ela diz: — Se as pessoas disserem qualquer coisa, apenas as ignore, como se isso estivesse abaixo de você.
— Ou dê a cara a tapa — opina Chris.
Atrás dela, Kitty diz:
— Ninguém vai dizer qualquer coisa para Lara Jean porque ela é a garota de Peter. Isso significa que ela está sob a proteção dele, como em A Família Soprano.
Horrorizada, Margot intervém:
— Ah meu Deus, você viu A Família Soprano? Como você viu A Família Soprano? Não está nem passando mais na TV.
— Eu assisti on-line. Estou na terceira temporada.
— Kitty! Pare de ver isso! — Ela fecha os olhos e balança a cabeça. — Deixa pra lá. Isso não importa agora. Falaremos sobre isso mais tarde. Kitty, Lara Jean não precisa de um garoto para protegê-la.
— Não, Kitty tem um bom argumento — diz Chris. — Não é sobre o fato de Peter ser um garoto. Bem, não completamente. É sobre o fato de que ele é popular e ela não. É aí que a proteção entra em jogo. Sem ofensa, LJ.
— Não ofendeu — respondo.
É um pouco insultante, mas também é verdade, e agora não é o momento para eu ficar magoado com algo tão minúsculo em comparação com um vídeo que nem sexo tem.
— O que Kavinsky tem a dizer sobre isso? — Chris me pergunta.
— Nada ainda. Ele ainda está no treino de lacrosse.
Meu celular imediatamente começa a vibrar, e nós três olhamos uma para a outra, olhos arregalados. Margot pega e olha para ele.
— É Peter!
Ela joga o telefone para mim como se fosse uma batata quente.
— Vamos lhes dar alguma privacidade — diz ela, cutucando Chris.
Chris dá de os ombros para ela. Eu ignoro ambas e atendo o telefone.
— Alô. — Minha voz sai fina como palha.
Peter começa a falar rápido.
— Tudo bem, eu vi o vídeo, e a primeira coisa que vou dizer é para você não pirar.
Ele está respirando com dificuldade; parece estar correndo.
— Não pirar? Como não pirar? Isso é terrível. Você sabe o que todos estão falando sobre mim nos comentários? Que eu sou uma vagabunda. Eles acham que nós estamos fazendo sexo no vídeo, Peter.
— Nunca leia os comentários, Covey! Essa é a primeira regra do...
— Se você disser “Clube da Luta”, vou desligar na sua cara.
— Desculpe. Ok, eu sei que é chato mas...
— Não é “chato”. Isso é um pesadelo literal. Meu momento mais privado, para que todos possam ver. Eu estou completamente humilhada. As coisas que as pessoas estão dizendo... — Minha voz quebra
 Kitty, Margot e Chris estão todas olhando para mim com expressões tristes, o que me faz sentir ainda mais triste.
— Não chore, Lara Jean. Por favor, não chore. Prometo a você que vou resolver isso. Vou descobrir quem é essa MeninaVeneno e vou tirar o vídeo d elá.
— Como? Nós nem sequer sabemos quem é! E, além disso, aposto que toda a nossa escola já viu agora. Os professores também. Eu sei com certeza que os professores olham o MeninaVeneno. Eu estava na sala dos professores uma vez e ouvi o sr. Filipe e a sra. Ryan falando sobre a imagem ruim que essa página traz à escola. E o que dizer dos comitês de admissões da faculdade e os nossos futuros empregadores?
Peter dá gargalhadas.
— Futuros empregadores? Covey, eu já vi muito pior. Inferno, eu já vi fotos piores de mim lá. Lembra-se daquela foto minha cabeça com no vaso sanitário, e eu estava pelado?
Eu tremo.
— Nunca vi essa foto. Além disso, esse é você, não eu. Eu não faço esse tipo de coisa.
— Apenas confie em mim, ok? Prometo que vou cuidar disso.
Eu aceno, mesmo que sabendo que ele não pode me ver. Peter é poderoso. Se alguém puder consertar uma coisa dessas, seria ele.
— Escute, eu tenho que ir. O treinador vai chutar a minha bunda se me vir no telefone. Vou ligar para você hoje à noite, ok? Não durma.
Eu não quero desligar. Eu gostaria que pudéssemos conversar mais.
— Ok — eu sussurro.
Quando desligo, Margot, Chris e Kitty estão olhando para mim.
— E então? — pergunta Chris.
— Ele falou que vai cuidar disso.
— Eu avisei — Kitty fala presunçosamente.
— O que isso significa, “ele vai cuidar disso”? — Margot pergunta. — Ele não tem exatamente se comprovado ser responsável.
— Não é culpa dele — Kitty e eu falamos ao mesmo tempo.
— Oh, eu sei exatamente de quem é a culpa — Chris proclama. — Minha prima demoníaca.
Isto tira o meu ar.
— O quê? Por quê?
Ela me lança um olhar incrédulo.
— Porque você ficou com o homem dela!
— Genevieve foi quem traiu Peter. Foi por isso que eles se separaram. Não por minha causa!
— Como se isso importasse! — Chris balança a cabeça. — Vamos lá, Lara Jean. Lembra do que ela fez com Jamila Singh? Dizendo a todos que a família dela tinha um escravo indonésio só porque ela teve a coragem ter um encontro com o Peter depois que eles se separaram? Só estou dizendo, eu não descartaria a possibilidade de ela ter feito algo tão baixo.
No passeio de esqui, Genevieve falou que sabia sobre o beijo, o que significava que Peter contou a ela em algum momento de seu relacionamento, embora eu duvido que ele tenha dito que foi ele quem me beijou, e não o contrário. Mesmo assim, acho difícil acreditar que ela pudesse fazer algo tão cruel comigo. Jamila Singh e Genevieve nunca gostaram uma da outra. Mas Gen e eu fomos melhores amigas uma vez. Claro, nós não nos falamos muito nos últimos anos, mas Gen sempre foi leal a seus amigos.
Tinha que ter sido um dos caras que ficou do lado de fora da sala de recreação, ou talvez...
Eu não sei. Talvez qualquer um!
— Eu nunca confiei nela — Margot falou. Em seguida, acrescenta para Chris: — Sem ofensa. Eu sei que ela é sua prima.
Chris bufa.
— Por que eu ficaria ofendida? Eu não consigo suportá-la.
— Tenho certeza que foi ela que arranhou a lateral do carro da vovó com a bicicleta — diz Margot. — Lembra, Lara Jean?
Na verdade foi Chris, mas não digo isso. Chris começa a roer suas unhas e a me lançar olhares de pânico, e respondo:
— Não acho que tenha sido Genevieve quem postou o vídeo. Qualquer um poderia ter nos visto naquela noite.
Margot coloca o braço em volta de mim.
— Não se preocupe, Lara Jean. Vamos fazê-los tirarem o vídeo. Você é menor de idade.
— Rode de novo — peço.
Kitty abre e dá play. Eu tenho a mesma sensação de afundamento no meu estômago cada vez que assisto. Fecho meus olhos para não precisar ver. Graças a Deus, os únicos sons são os barulhos da floresta e o borbulhar do ofurô.
— Está... está tão ruim quanto eu me lembro? Quero dizer, realmente parece que estamos transando? Sejam honestas.
Abro meus olhos. Margot está olhando para o vídeo de cabeça inclinada.
— Não, realmente não. Só parece...
— Parece uma pegação quente — Chris fornece.
— Certo — Margot concorda. — Apenas uma pegação quente.
— Vocês juram?
Em uníssono elas dizem:
— Nós juramos.
— Kitty? — pergunto.
Ela morde o lábio.
— Parece sexo para mim, mas eu sou a única aqui além de você que nunca fez sexo, então o que eu sei?
Margot solta um suspiro.
— Desculpe, eu li o seu diário.
Margot tenta dar um tapa nela, mas Kitty se afasta rastejando rápido como um caranguejo. Eu tomo uma respiração profunda.
— Certo. Posso viver com isso. Quero dizer, quem se importa com uma pegação quente, certo? Isso é apenas parte da vida, certo? E mal se pode ver o meu rosto. Você teria que me conhecer para saber que sou eu. Meu nome completo não está em nenhum lugar, apenas Lara Jean. Deve haver centenas de Lara Jeans, certo? Certo?
Margot me dá um aceno impressionado.
— Eu nunca vi ninguém atravessar os cinco estágios da dor tão rápido. Você realmente tem um poder de reação incrível.
— Obrigada — eu digo, me sentindo um pouco orgulhosa.
Mas depois, no escuro, quando minhas irmãs e Chris já foram embora e Peter e eu já demos o nosso boa noite e ele me assegurou pela milionésima vez que tudo ficaria bem, eu vou para o Instagram novamente, desço pelos comentários. E estou mortificada.
Perguntei a Peter quem ele pensava que poderia ter feito isso; ele disse que não sabia. Provavelmente apenas algum cara patético com tesão, disse ele. Não perguntei uma coisa que ainda estou pensando, a única coisa que ainda está presa em minha mente. Foi Genevieve? Será que ela realmente me odeia tanto que quer me ferir e me fazer mal?
Lembro-me do dia em que trocamos pulseiras de amizade.
— Isso prova que nós somos melhores amigos — ela disse para mim. — Somos mais próximas uma com a outra do que com qualquer outra pessoa.

13 comentários:

  1. Nss q baixo.. Ela seria msm capaz disso??

    ResponderExcluir
  2. Pra mim não tem dúvida, foi a vaca Genevieve😒😉

    ResponderExcluir
  3. Foi a falsa da Genevieve😱estou chorando de raiva

    ResponderExcluir
  4. Ouuuu essa Cris tá muito suspeita

    ResponderExcluir
  5. Não acredito q seja a Cris...Tem cheiro da Genevieve

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo! A Cris nunca faria isso com a Lara, mas a Genevieve faria com certeza

      Excluir
  6. Deve ter sido a Genevieve... No primeiro livro a Lara disse que quando chegou no quarto a Cris já estava dormindo. Acho que não foi ela.

    ResponderExcluir
  7. Alguém tem dúvidas ainda que essa recalcada da Genevieve pode com certeza ter feito isso?!
    P.S só eu que acho tipo, muito brega a Lara Jean chamar a Margot de GoGo? 😂😂
    A.D.R

    ResponderExcluir
  8. Ai que raiva da Genevieve

    ResponderExcluir
  9. Puta raiva de quem fez isso😬

    ResponderExcluir
  10. O momento mais tenso do livro e eu morri de rir, coitada da Lara Jean, mas a Kitty é otima!

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!