29 de maio de 2018

Capítulo 44

KITTY VOA PARA O MEU QUARTO. Estou na minha mesa, fazendo lição de casa. Faz tanto tempo desde que sentei aqui e fiz lição de casa; Peter e eu costumávamos ir para o Starbucks depois da escola. A vida já é solitária.
— Você e Peter terminaram? — Kitty demanda.
Eu estremeço.
— Quem te contou?
— Não se preocupe com isso. Basta responder a pergunta.
— Bem... sim.
— Você não o merece — ela cospe.
Eu viro para trás em minha cadeira.
— O quê? Você é minha irmã – não é justo você ficar do lado de Peter. Você nem sequer ouviu o meu lado. Não que você deva ouvir. Não sabe que nunca se toma partido contra a sua irmã?
Ela franze os lábios.
— Qual é o seu lado?
— Meu lado é, é complicado. Peter ainda tem sentimentos por Genevieve...
— Ele não pensa mais nela dessa maneira. Não invente uma desculpa...
— Você não viu o que eu vi, Kitty! — eu explodo.
— O que você viu? — Ela questiona, queixo empurrado para fora como uma arma. — Conte-me.
— Não é apenas o que eu vi. É o que eu sabia o tempo todo. Só... não importa. Você não entenderia, Kitty.
— Você o viu beijando-a? Viu?
— Não, mas...
— Mas nada — ela aperta os olhos para mim. — Será que isso tem alguma coisa a ver com aquele garoto de nome estranho? John Amberton McClaren ou algo assim?
— Não! Por que você diria isso? — deixo escapar um suspiro. — Espere um minuto! Esteve lendo minhas cartas de novo?
Ela faz uma careta, e eu sei que ela leu, a demoniazinha.
— Não mude de assunto! Você gosta dele ou não?
— Isso não tem nada a ver com John McClaren. É apenas sobre mim e Peter.
Quero dizer a ela que ele sabia que foi Genevieve quem gravou aquele vídeo e o espalhou por aí. Ele sabia e mesmo assim a protegeu. Mas eu não posso estragar sua noção de menina sobre quem Peter é. Seria algo muito cruel a fazer com ela.
— Kitty, isso não importa. Peter ainda tem sentimentos por Genevieve, e eu sempre soube disso. E, além disso, qual o sentido em tornar a coisa séria com Peter quando só iríamos terminar como Margot e Josh? Romances do ensino médio quase nunca duram, você sabe. E por uma boa razão. Nós somos jovens demais para ficar tão a sério.
Mesmo enquanto estou dizendo as palavras, lágrimas escorrem pelos cantos dos meus olhos. Kitty amolece. Ela coloca o braço à minha volta.
— Não chore.
— Eu não estou chorando. Estou lacrimejando um pouco.
Suspirando pesadamente, ela diz:
— Se isso é amor, não, obrigado. Eu não quero qualquer parte dele. Quando eu ficar mais velha, só vou ficar na minha.
— O que significa isso? — pergunto-lhe.
Kitty dá de ombros.
— Se eu gostar de um garoto, tudo bem, vou sair com ele, mas não vou sentar em casa e chorar por ele.
— Kitty, não aja como se você nunca fosse chorar.
— Eu choro por coisas importantes.
— Você chorou na outra noite porque o papai não a deixou ficar acordada para assistir TV!
— Sim, bem, isso foi importante para mim.
Eu fungo.
— Não sei por que estou discutindo sobre essas coisas com você.
Ela pequena demais para entender. Parte de mim espera que ela nunca entenda.
Era melhor quando eu não entendia.

* * *

Naquela noite, papai e eu estamos lavando os pratos quando ele limpa a garganta e diz:
— Então Kitty me contou sobre o grande rompimento. Como você está?
Eu enxáguo um copo e o coloco na máquina de lavar.
— Kitty tem uma boca muito grande. Eu ia falar sobre isso mais tarde.
Talvez no fundo eu estivesse esperando não ter que falar.
— Você quer falar sobre isso? Posso fazer um pouco de chá Night-Night. Não tão bom quanto o de mamãe, mas ainda assim.
— Talvez mais tarde — eu digo, apenas para ser gentil. Sua versão de chá Night-Night não é a melhor.
Ele coloca o braço em volta dos meus ombros.
— Vai ficar mais fácil, eu prometo. Peter Kavinsky não é o único menino do mundo.
Suspirando, eu digo:
— Eu só não quero me ferir assim nunca mais.
— Não há como se proteger contra um coração partido, Lara Jean. É apenas uma parte da vida. — Ele beija o topo da minha cabeça. — Vá lá em cima e descanse. Vou terminar aqui.
— Obrigada, papai.
Eu o deixo sozinho na cozinha, cantarolando para si mesmo enquanto seca uma panela com um pano de prato.
Meu pai falou Peter não é o único menino no mundo. Eu sei que isso é verdade, é claro que é verdade. Mas olhe para o papai. Minha mãe era a única garota no mundo para ele. Se não fosse, ele teria encontrado alguém novo até agora. Talvez ele esteja tentando se proteger de um coração partido também. Talvez nós sejamos mais parecidos do que eu alguma vez percebi.

7 comentários:

  1. Own! Muito fofa. Essa relação pai e filha! Lindos! 😍

    ResponderExcluir
  2. Que dor estou sentindo.
    Sinto que meu coração se partiu junto com o da LJ

    ResponderExcluir
  3. "— Eu choro por coisas importantes.
    — Você chorou na outra noite porque o papai não a deixou ficar acordada para assistir TV!
    — Sim, bem, isso foi importante para mim." Te amo menina !!!

    ResponderExcluir
  4. — Se isso é amor, não, obrigado. Eu não quero qualquer parte dele. Quando eu ficar mais velha, só vou ficar na minha.
    Eu falava exatamente a mesma coisa nessa idade e agora, aqui estou intacta, ponderamento é mesmo uma coisa doce, meus amigos. (Ouvi isso em um filme e sempre quis falar tbm kkkkkkkk) dentre as três irmãs Song, Kitty de fato é a que mais me representa

    ResponderExcluir
  5. eu tô triste pela LJ e com ódio do Peter tô quase colocando uma bomba no quarto dele

    ResponderExcluir
  6. Não da pra discutir com a Kitty! Ela é otima

    ResponderExcluir
  7. Aiii!! Meu coração foi partido junto co o da Lara Jean 😢😭

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!