29 de maio de 2018

Capítulo 42

PETER E EU, A NOSSA SEPARAÇÃO, foi tudo muito ensino médio. Com isso, quero dizer que foi efêmera. Mesmo essa dor será fugaz, finita. Mesmo a dor aguda dessa traição que eu deveria segurar e recordar e estimar, porque é meu primeiro rompimento de verdade. É tudo apenas parte do processo de se apaixonar. E não é como se eu tivesse pensado que ficaríamos juntos para sempre; temos apenas dezesseis e dezessete anos. Um dia eu vou olhar para trás e pensar em tudo isto com carinho.
É o que continuo dizendo a mim mesma, mesmo quando as lágrimas estão enchendo meus olhos, mesmo quando estou deitada na cama naquela noite, chorando até dormir. Choro até meu rosto arder de enxugar minhas lágrimas. Este poço de tristeza, ele começa com Peter, mas ele não termina aí.
Porque mais e mais pensamentos correm em minha cabeça em um ciclo: sinto falta da minha mãe. Sinto falta da minha mãe. Tenho tantas saudades dela. Se ela estivesse aqui, me traria uma xícara de chá Night-Night, ficaria sentada ao pé da minha cama. Ela colocaria a minha cabeça em seu colo, correria os dedos pelo meu cabelo e sussurraria Vai ficar tudo bem, Lara Jean. Vai ficar tudo bem em meu ouvido, e eu acreditaria nela, porque suas palavras eram sempre verdade.
Ah, mamãe. Como eu sinto a sua falta. Por que você não está aqui, quando eu preciso de você?

* * *

Até agora eu tinha guardado um guardanapo onde Peter desenhou um pequeno esboço do meu rosto, um tíquete da primeira vez em que fui ao cinema, o poema que ele me deu no Dia dos Namorados. O colar. Claro que guardei o colar. Eu não tinha sido capaz de me obrigar a tirá-lo. Ainda não.
Passo o sábado todo na cama, saindo apenas para lanchinhos e para deixar Jamie sair para fazer xixi no quintal. Avanço rapidamente para as partes tristes das comédias românticas. O que devo fazer é bolar um plano para tirar Genevieve, mas não consigo. Dói cada vez que penso nela, no jogo, em Peter acima de tudo. Eu resolvo colocá-los para fora da minha mente até que eu possa me concentrar.
John me envia uma mensagem de texto uma vez para ver se estou bem, mas não respondo. Desligo o celular mais tarde também.
A única vez em que saio de casa é no domingo à tarde, para ir a Belleview para uma reunião de comitê de planejamento do coquetel. Com um pouco de persuasão por parte de Stormy, Janette deu seu Ok para a minha ideia da festa temática da Segunda Guerra, e o show tem que continuar, rompimentos que se danem.
Stormy diz que toda a comunidade dos aposentados está alvoroçada sobre isso. Ela está particularmente animada porque tem havido rumores de que Ferncliff, a outra grande casa de repouso na cidade, pode vir de ônibus com alguns de seus moradores. Stormy diz que eles têm, pelo menos, um viúvo elegível que ela conhece do clube do livro de idosos da biblioteca local. Isso deixa as outras residentes do sexo feminino agitadas.
— Ele é um senhor muito distinto — ela continua dizendo a todos. — Ele ainda dirige, também!
Eu me certifiquei de espalhar essa informação. Qualquer coisa para construir excitação.
Na festa todos terão cinco “bônus de guerra”, que você pode usar para um copo de ponche de uísque, um pequeno broche da bandeira, ou uma dança. Foi ideia do sr. Morales. Na verdade, a ideia exata era um tíquete para dançar com uma senhora, mas todos nós lhe demos um tapa por ser sexista e falamos que deveria ser uma dança com um homem ou uma mulher. Alicia, pragmática como sempre, disse:
— Haverá muito mais mulheres do que homens, por isso as mulheres é que estarão no comando de qualquer maneira.
Eu tenho ido de apartamento em apartamento pedindo às pessoas para emprestarem fotos dos anos quarenta, se tiverem, especialmente de uniforme ou em uma festa de apoio ao país. Uma moradora fungou para mim e disse:
— Desculpe-me, mas eu tinha seis anos em 1945!
Rapidamente lhe falei que fotos de seus pais também seriam bem-vindas, é claro – mas ela já estava fechando a porta na minha cara.

* * *

A aula de Scrapbook para idosos acabou se transformando em uma comissão de dança e planejamento. Imprimi os bônus de guerra, e o sr. Morales está usando o meu cortador de papel para cortá-los. Maude, que é nova no grupo mais experiente na Internet, está recortando artigos de notícias da guerra para decorar a mesa de refrescos. Sua amiga Claudia está trabalhando na playlist.
Alicia terá uma pequena mesa própria. Ela está fazendo uma guirlanda de dobradura, todo em papéis coloridos diferentes, lilás, cor de pêssego e azul-turquesa e floral. Stormy hesita no desvio do tema vermelho, branco e azul, mas Alicia manteve-se firme e eu a apoiei. Elegante como sempre, suas fotos de nipo-americanos em campos de concentração nos Estados Unidos estão em molduras de prata extravagantes.
— Essas fotos vão realmente fazer o humor despencar — Stormy sussurra teatralmente para mim.
Alicia gira para ela.
— Estas fotos são destinadas a educar o ignorante.
Stormy se eleva em toda a sua altura de um metro e sessenta sobre saltos.
— Alicia, você acabou de me chamar de ignorante?
Eu me encolho. Stormy tem trabalhado bastante para essa festa, e tem sido um pouco menos Stormy recentemente.
Eu simplesmente não posso ter uma briga entre elas agora. Estou prestes a implorar pela paz quando Alicia encara Stormy com um olhar de aço e diz:
— Se a carapuça serve.
Stormy e eu suspiramos. Em seguida, Stormy cai até a mesa de Alicia e derruba as montanhas de papel de Alicia para o chão com um floreio. Alicia grita, e eu suspiro de novo. Todos os outros na sala olham.
— Stormy!
— Você está ficando do lado dela? Ela me chamou de ignorante! Stormy Sinclair pode ser um monte de coisas, mas eu não sou ignorante.
— Eu não estou do lado de ninguém — falo, me abaixando para pegar os papéis.
— Se você for tomando um lado, deve ser o meu — diz Alicia. Ela move o queixo na direção de Stormy. — Ela acha que é alguma grande dama, mas é uma criança, tendo um chilique por causa de uma festa.
— Uma criança! — Stormy grita.
— Será que vocês duas podem por favor parar de brigar? — para a minha mortificação, lágrimas jorram dos cantos dos meus olhos. — Eu não posso com isso hoje — minha voz treme. — Eu realmente não posso.
Elas trocam um olhar, e então as duas correm para o meu lado.
— Querida, o que está errado? — Stormy pergunta. — Deve ser um garoto.
— Sente-se, sente-se — diz Alicia.
Elas me levam para o sofá e sentam-se cada uma do meu lado.
— Todo mundo, fora! — Stormy grita, e os outros dispersam. — Agora nos conte o que está errado.
Limpo meus olhos com as pontas da manga da camiseta.
— Peter e eu terminamos.
É a primeira vez que falo as palavras em voz alta. Stormy suspira.
— Você e o sr. Bonito terminaram! Foi por causa de outro menino?
Ela parece esperançosa, e sei que ela está pensando em John.
— Não foi sobre outro menino. É complicado.
— Querida, nunca é tão complicado — diz Stormy. — Nos meus tempos...
— Você vai deixá-la falar? — Alicia lança um olhar para ela.
— Peter nunca esqueceu sua ex-namorada, Genevieve — eu digo, fungando. — Foi ela que postou o vídeo de nós no ofurô, Peter descobriu e não me contou.
— Talvez ele quisesse poupar os seus sentimentos — diz Alicia.
Stormy balança a cabeça veementemente, grandes seus brincos batendo.
— O menino é um cachorro, pura e simplesmente. Deveria tratar você como uma rainha, não essa outra garota Genevieve.
— Você só quer que Lara Jean namore seu bisneto — Alicia acusa.
— E daí se eu quiser? — Com um brilho nos olhos, ela continua: — Diga, Lara Jean. Você tem quaisquer planos para esta noite?
O que faz todas nós rirmos.
— Eu não posso pensar em qualquer garoto além de Peter agora. Você ainda se lembra do seu primeiro amor?
Stormy teve tantos – ela poderia? Mas ela concorda.
— Garrett O’Leary. Eu tinha quinze anos e ele dezoito, e nós só tivemos uma dança, mas a maneira como me senti quando ele olhou para mim... — ela treme.
Olho para a minha esquerda, para Alicia.
— E o seu foi o seu marido, Phillip, certo?
Para minha surpresa, ela balança a cabeça.
— Meu primeiro amor se chamava Albert. Ele era o melhor amigo do meu irmão mais velho. Pensei que eu iria me casar com ele. Mas não era para ser. Eu conheci o meu Phillip — ela sorri. — Phillip era o amor da minha vida. E ainda assim eu nunca esqueci Albert. Eu fui tão jovem um dia! Stormy, você pode acreditar que nós fomos tão jovens?
Stormy não lhe dá a sua resposta alegre habitual. Seus olhos estão úmidos, e ela fala tão suavemente como eu nunca ouvi antes:
— Foi a um milhão de vidas atrás. E mesmo assim.
— E mesmo assim — Alicia ecoa. Ambas sorriem para mim com carinho, com tanto carinho verdadeiro e genuíno que novas lágrimas vem aos meus olhos.
— O que vou fazer agora que Peter não é mais meu namorado? — eu me pergunto em voz alta.
— Você só vai fazer o que fazia antes que ele fosse o seu namorado — diz Alicia. — Vai passar o seu dia, e vai sentir falta dele no início, mas ao longo do tempo, ficará mais fácil. Vai diminuir.
Ela estende a mão, roça levemente a minha bochecha. Um sorriso surge em seus lábios.
— Tudo do que você precisa é tempo, e você, pequena, tem todo o tempo do mundo.
É um pensamento reconfortante, mas eu não sei se acredito ser verdade, não completamente. Acho que o tempo pode ser diferente para os jovens. Os minutos mais longos, mais fortes, mais vibrantes. Tudo o que sei é que a cada minuto sem ele parece interminavelmente longo, como se eu estivesse esperando, apenas esperando que ele volte para mim. Eu, Lara Jean, sei que ele não está, mas meu coração não parece entender que acabou.

* * *

Depois, energias renovadas, com lágrimas secas, estou com Janette em seu escritório, repassando os detalhes da festa. Quando ela menciona casualmente a sala de estar, eu congelo.
— Janette, sala de estar não será grande o suficiente.
— Eu não sei o que te dizer. A sala de atividades principais está reservada para o bingo. Eles fizeram a reserva para a noite de sexta faz um tempo.
— Mas esta festa é um grande evento! Não tem como as pessoas do bingo ficarem na sala de estar por apenas uma noite?
— Lara Jean, eu não posso mover o bingo. Pessoas de toda a comunidade virão aqui para isso, incluindo a própria mãe do agente de locação. Há muita política em jogo aqui.
Minhas mãos estão atadas.
— Bem, o que acontece com a sala de jantar? Poderíamos mover todas as mesas e criar a pista de dança no centro da sala, e colocar os refrescos em uma longa mesa contra a parede. Poderia dar certo.
Janette me dá um olhar tipo Garota, por favor.
— E quem vai mover todas as mesas e cadeiras? Você?
— Bem, eu, e tenho certeza de que poderia conseguir alguns voluntários...
— E fazer com que os moradores tenham um troço e processem a casa? No, gracias.
— Nós não teríamos a necessidade de pôr de lado todas as mesas, apenas a metade. Você não poderia fazer com que a equipe ajudasse?
Janette já está balançando a cabeça quando a inspiração me acerta.
— Janette, ouvi dizer que Ferncliff está fornecendo um ônibus para alguns de seus moradores. Ferncliff. Eles já se autodenominam a melhor comunidade de aposentados das Montanhas Blue Ridge.
— Oh meu Deus, Ferncliff é um lixo. As pessoas que trabalham nesse lugar são lixo. Eu tenho um mestrado. “Melhor comunidade de aposentados das montanhas Blue Ridge?” Ha! Minha bunda.
Agora só preciso trazê-la para mim.
— Eu estou lhe dizendo, Janette, se esta noite não for acima da média, vai fazer nos parecer como tolos. Não podemos deixar que isso aconteça. Eu quero aqueles residentes de Ferncliff saindo andando daqui – ou rodando daqui – e desejando que fossem de Belleview!
— Tudo bem, tudo bem. Vou pegar os porteiros para ajudar a arrumar a sala de jantar — Janette balança a dedo para mim. — Você é como um cachorro com um osso, garota.
— Você não vai se arrepender — prometo a ela. — Mesmo que apenas pelas fotos. Vamos colocá-las em todo o site. Todo mundo vai querer estar conosco!
Os olhos de Janette se estreitam com satisfação, e solto a respiração que eu estava segurando. Esta festa tem que dar certo. Tem. Ela é o meu ponto brilhante.

6 comentários:

  1. Esse festa vai ser um arraso 🌚 tô até vendo já

    ResponderExcluir
  2. Eu não lembro o pq da mãe dela ter morrido ? Alguém pode me falar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela escorregou e caiu, batendo a cabeça, ficou um tempo lúcida e depois morreu

      Excluir
  3. Não se esqueça do jogo Laranjinha ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. continue a jogar, continue a jogar...

      Excluir
  4. laranjinha é um anjo <3

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!