29 de maio de 2018

Capítulo 3

DEPOIS QUE PETER me deixa em casa, corro para dentro para contar tudo a Margot e Kitty, e me sinto como uma bolsa cheia com moedas de ouro. Eu não posso esperar para contar.
Kitty está deitada no sofá, assistindo TV com Jamie Fox-Pickle no colo, e ela se mexe quando passo da porta. Em voz baixa, ela diz:
— Gogo está chorando.
Meu entusiasmo seca instantaneamente.
— O quê? Por quê?
— Acho que ela foi no Josh, e eles tiveram uma conversa e não foi boa. Você deveria ir vê-la.
Ah, não. Não era para ser assim. Eles deveriam voltar a ficar juntos, como Peter e eu.
Kitty se acomoda de novo no sofá, controle remoto na mão, seu dever fraternal cumprido.
— Como foi com Peter?
— Ótimo — eu digo. — Realmente excelente.
O sorriso vem para o meu rosto sem eu mesmo pretender, e eu rapidamente o fecho, por respeito à Margot.  Vou para a cozinha e faço uma xícara de chá Night-Night para ela, com duas colheres de sopa de mel, como mamãe costumava fazer para nós na hora de dormir. Por um segundo penso em adicionar um toque de uísque porque vi isso em um seriado vitoriano na tevê – as empregadas colocavam uísque na bebida quente da senhora para acalmar os nervos. Eu sei que Margot bebe na faculdade, mas ela já está de ressaca e, além disso, duvido papai gostaria disso. Então só coloco o chá sem uísque na minha caneca favorita e mando Kitty levar a bebida para o andar de cima. Digo-lhe para ser gentil. Que ela deveria primeiro dar o chá a Margot e, em seguida, se aconchegar com ela por, pelo menos, cinco minutos. Kitty que se recusa, porque Kitty somente abraça se há algo com ela, e também porque sei que a assusta ao ver Margot chateada.
— Vou levar Jamie para ela se abraçar — diz Kitty.
Egoísta!
Quando vou para o quarto de Margot com um pão de canela com manteiga, nem sinal de Kitty, nem de Jamie. Margot está encolhida de lado, chorando.
— Realmente acabou, Lara Jean — ela sussurra. — Já estava acabado, mas agora eu sei que acabou para sempre. Eu pe-pensei que se eu quisesse voltar, ele também iria querer, mas ele n-não quis.
Eu me deito na cama ao lado dela, minha testa pressionado suas costas. Posso sentir cada respiração que ela dá. Ela chora em seu travesseiro, e eu massageio suas omoplatas do jeito que ela gosta. Uma coisa a saber sobre Margot é que ela nunca chora, então vê-la chorar deixa o meu mundo, e esta casa, fora do eixo. Tudo parece inclinado de alguma forma.
— Ele disse que relacionamento à distância é muito di-difícil, que eu estava certa de romper com ele antes de ir. Eu sinto tanto a falta dele, e parece que ele não sentiu a minha.
Mordo meu lábio, culpada. Eu fui a única que a encorajou a falar com Josh. Isto é em parte culpa minha.
— Margot, ele tinha saudades de você. Ele sentia muito a sua falta. Olhei pela janela durante a aula francês, e o vi lá fora nas arquibancadas, comendo seu almoço sozinho. Era deprimente.
Ela funga.
— Verdade?
— Sim.
Não entendo qual é o problema com Josh. Ele agiu como se estivesse tão apaixonado por ela; praticamente entrou em depressão quando ela se foi. E agora isso? Suspirando, ela diz:
— Eu acho... acho que ainda o amo de verdade.
— Ama?
Amar. Margot disse que o ama. Não acho que eu já a tenha ouvido dizer que ela amava Josh antes. Talvez apaixonada, mas não que o amava.
Margot enxuga os olhos com a fronha.
— O motivo por eu ter terminado com ele era para não ser essa menina chorando por ter perdido o namorado, e agora isso é exatamente o que eu sou. É patético.
— Você é a pessoa menos patética que conheço, Gogo — digo a ela.
Margot para de fungar e se vira, de modo que estamos deitadas cara a cara. Franzindo a testa para mim, ela diz:
— Eu não disse que eu era patética. Disse que chorar por perder um garoto é.
— Ah. Bem, ainda não acho que é patético chorar por alguém. Significa apenas que você gosta dele profundamente e está triste.
— Tenho chorado tanto que sinto como se meus olhos parecessem... uvas-passas. Parecem?
Margot aperta os olhos para mim.
— Estão inchados — admito — Seus olhos simplesmente não estão acostumados a chorar. Tenho uma ideia!
Salto da cama e desço as escadas para a cozinha. Encho uma tigela com gelo e duas colheres de prata e venho correndo de volta.
— Deite-se — instruo, e Margot obedece. — Feche os olhos.
Coloco uma colher sobre cada olho.
— Será que isso realmente funciona?
— Eu vi em uma revista.
Quando as colheres aquecem contra a pele dela, eu as mergulho no gelo e coloco de volta no rosto dela, de novo e de novo. Ela me pede que lhe conte o que aconteceu com Peter, então eu falo, mas deixo de fora tudo sobre estar nos beijando porque acho de mau gosto trazer à luz sua própria mágoa. Ela se senta e diz:
— Você não tem que fingir que gosta de Peter apenas para poupar meus sentimentos — Margot engole dolorosamente, como se tivesse uma ferida em sua garganta. — Se alguma parte de você ainda gosta de Josh... se ele gosta de você...
Eu suspiro de horror. Abro minha boca para negar, dizer que isso parece ter sido há uma eternidade, mas ela me silencia com a mão.
— Seria realmente difícil, mas eu não gostaria de ficar no caminho, sabe? Estou falando sério, Lara Jean. Você pode me contar.
Estou tão aliviada, tão grata que ela esteja tocando no assunto. Me apresso para dizer:
— Oh, meu Deus, eu não gosto do Josh, Gogo. Não mesmo. De jeito nenhum. E ele não gosta de mim também. Eu acho... acho que nós dois apenas sentimos a sua falta. É do Peter que eu gosto.
Sob o cobertor, encontro a mão de Margot e enlaço meu mindinho com o dela.
— Juramento de irmã.
Ela engole em seco.
— Então acho que não há nenhuma razão secreta para ele não querer voltar. Acho que é só porque ele simplesmente não quer mais ficar comigo.
— Não, não é tão simples quando você está na Escócia, e ele na Virginia, relacionamentos à distância são muito difíceis. Você foi sábia de terminar antes de ir. Sábia, corajosa e certa.
A dúvida se arrasta em seu rosto como sombras escuras, e, em seguida, ela balança a cabeça e sua expressão se suaviza.
— Chega de falar de mim e Josh. São notícias velhas. Conte-me mais sobre Peter. Por favor, vai me fazer sentir melhor.
Ela volta a deitar, e eu coloco as colheres de volta em seus olhos.
— Bem, a princípio esta noite ele foi frio comigo, muito indiferente...
— Não, conte tudo desde o começo.
Então eu volto ainda mais: conto a ela sobre o nosso relacionamento de mentirinha, o ofurô, tudo. Ela pega as colheres e tira para que possa olhar para mim quando conto. Mas em pouco tempo seus olhos parecem menos inchados. E eu me sinto mais leve – inebriada, até. Guardei todos esses segredos dela por meses, e agora ela sabe tudo o que aconteceu desde que ela partiu, e me sinto tão próxima dela novamente. Não dava para realmente ser próxima de alguém quando existem segredos entre os dois.
Margot limpa a garganta. Ela hesita e depois pergunta:
— Então, como ele beija?
Estou corando. Bato os dedos nos lábios antes de dizer:
— Ele beija como... como se esse pudesse ser o trabalho dele.
Margot ri e levanta as colheres dos olhos.
— Como um prostituto?
Pego uma das colheres e bato na testa dela como um gongo.
— Ai!
Ela tenta pegar a outra colher, mas sou mais rápida e seguro as duas. Nós duas estamos rindo como loucas quando tento bater de novo como um gongo em sua testa.
— Margot... Doeu quando você fez sexo?
Estou tendo o cuidado de não dizer o nome de Josh. É estranho, porque Margot e eu nunca falamos sobre sexo antes a sério, porque nenhuma de nós tinha um ponto de referência. Mas agora ela fez e eu não, e quero saber o que ela sabe.
— Hmm. Quero dizer, as primeiras vezes, um pouco. — Agora é ela quem está corando. — Lara Jean, Eu não posso falar sobre isso com você. É muito estranho. Você não pode simplesmente perguntar para Chris?
— Não, eu quero ouvir isso de você. Por favor, Gogo. Você tem que me contar tudo sobre isso, então eu vou saber. Não quero parecer uma idiota quando eu fizer isso pela primeira vez.
— Não é como se Josh e eu tivéssemos transado centenas de vezes! Eu não sou uma especialista. Ele é a única pessoa com quem eu fiz. Mas se você está pensando em transar com Peter, certifique-se de serem cuidadosos e de usarem preservativo e tudo.
Eu aceno de cabeça rapidamente. É agora que ela vai chegar nas coisas boas.
— E tenha certeza, o máximo de certeza que puder. E certifique-se de que ele saiba ser muito gentil e paciente com você, para ser especial, algo que você possa relembrar com carinho.
— Entendi. Então, quanto tempo durou do início ao fim?
— Não muito. Não se esqueça, era a primeira vez de Josh também.
Ela soa melancólica. Agora me sinto melancólica também. Peter fez isso com Genevieve tantas vezes, ele provavelmente é um perito agora. É capaz até de eu ter um orgasmo na minha primeira vez. O que é ótimo, mas poderia ter sido bom se nós dois não soubéssemos o que estávamos fazendo em vez de apenas eu.
— Você não se arrepende, não é?
— Não. Acho que não. Acho que sempre ficarei feliz que tenha sido com Josh. Não importa como tenha acabado.
Isso me dá certo alívio, que, mesmo agora, com os olhos vermelhos de tanto chorar, Margot ainda não se arrependa de ter feito amor com Josh.

* * *

Dormi em seu quarto naquela noite como nos velhos tempos, amontoada ao lado dela sob sua colcha. O quarto de Margot é mais frio, porque fica em cima da garagem.
Eu escuto enquanto o aquecedor liga e desliga. No escuro ao meu lado, ela diz:
— Vou sair com um monte de escoceses quando voltar para faculdade. Quando mais eu terei outra oportunidade como essa, certo?
Dou risadinhas e rolo na cama, para ficarmos cara a cara.
— Não, já sei... Não saia com um monte de escoceses. Saia com um da Inglaterra, um da Irlanda, um da Escócia. E do País de Gales! Um passeio pelo Império Britânico!
— Bem, estou indo para a faculdade estudar antropologia. — Diz Margot, e rimos um pouco mais. — Você sabe a parte mais triste? Josh e eu nunca seremos amigos como éramos antes. Não depois de tudo isso. Essa parte está perdida agora. Ele era o meu melhor amigo.
Lanço a ela um falso olhar de mágoa para aliviar o clima, para que ela não comece a chorar de novo.
— Ei, pensei que eu fosse a sua melhor amiga!
— Você não é minha melhor amiga. Você é minha irmã, e isso é mais importante.
É mais importante mesmo.
— Josh e eu começamos tão tranquilamente, tão divertido, e agora nós somos como estranhos. Nunca vou ter essa pessoa de volta, que eu conhecia melhor do que ninguém e que me conhecia tão bem.
Sinto um aperto no meu coração. Quando ela diz dessa forma, é tão triste.
— Vocês podem se tornar amigos novamente, depois que passar algum tempo.
Mas não seria o mesmo, eu sei disso. Ela sempre lamentaria o que passou. Seria sempre um pouco... Menos.
— Mas não será como antes.
— Não — eu concordo. — Acho que não.
Estranhamente, penso em Genevieve, no que significávamos uma para a outra. A nossa amizade era o tipo que faz sentido quando criança, mas não tanto agora que estamos mais velhas. Suponho que não se possa segurar as coisas do passado apenas por uma questão de manter.
É o fim de uma era, ao que parece. Não mais Margot e Josh. Desta vez é para valer. É para valer porque Margot está chorando, e posso ouvir em sua voz que acabou, e desta vez nós duas sabemos disso. As coisas mudaram.
— Não deixe isso acontecer com você, Lara Jean. Não deixe ficar sério a ponto de as coisas não poderem voltar. Se apaixone pelo Peter se quiser, mas tome cuidado com seu coração. As coisas parecem que vão durar para sempre, mas não duram. O amor pode ir embora, ou as pessoas podem, mesmo sem querer. Nada está garantido.
Eu engulo em seco.
— Prometo que serei cuidadosa.
Mas não tenho certeza se eu mesmo sei o que isso significa. Como posso ser cuidadosa quando já gosto tanto dele?

3 comentários:

  1. Como costumam marcar onde pararam lendo online,leem um capitulo por vez ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mandy Nerd K-Otaku21 de junho de 2018 15:39

      nesse blog fica marcado os capitulos que vc ja leu, com uma cor diferente. Pelo menos por computador é assim. Mas vc pode anotar em algum lugar pra nao esquecer!!!

      Excluir
  2. A Margot é o tipo de pessoa que faz o papel de durona, até entendo...Sendo a irmã mais velha e com responsabilidades maiores. Só acho que se ela não tivesse sido tão orgulhosa no primeiro livro, talvez ela ainda estivesse com o Josh. Ela deveria ter confiado mais no amor que ela sente pelo Josh.

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!