29 de maio de 2018

Capítulo 24


AS GAROTAS SONG levam o Dia dos Namorados muito, muito a sério. Um dia dos namorados é humilde e doce e sincero e fora de moda, assim, caseiro é o melhor. Eu tenho matérias-primas em abundância por causa dos meus scrapbooks, mas, além disso, tenho guardado pedaços de renda e fita. Também tenho uma lata com pequenas contas, pérolas e strass dentro; antigos carimbos de borracha na forma de Cupido, corações de todos tipos e flores.
Historicamente, papai recebe um cartão de Dia dos Namorados de nós três. Este ano é o primeiro que Margot enviará um dos seus próprios. Josh ganhará um também, embora eu deixe Kitty assumir a liderança disso e simplesmente assine o meu nome sob o dela.
Passei a maior parte da tarde trabalhando no do Peter. É um coração branco, debruado de renda branca. No centro eu costurei VOCÊ É MEU, PETER K em linha rosa. Eu sei que vai fazê-lo sorrir. É leve, provocativo; algo que não se leva muito a sério, muito parecido com o próprio Peter. Ainda assim, reconhece o dia e o fato de que nós, Peter Kavinsky e Lara Jean Song Covey, estamos em um relacionamento. Eu ia fazer um cartão muito mais extravagante, grande com frisados e laços, mas Kitty disse que seria um pouco demais.
— Não use todas as minhas pérolas — digo a Kitty. — Levei anos para construir a minha coleção. Literalmente, anos.
Pragmática como sempre, Kitty responde:
— Qual é o ponto de colecioná-las se você não usa? Todo esse trabalho para que elas possam simplesmente viver em uma latinha, onde ninguém pode nem mesmo vê-las?
— Eu acho — respondo, porque ela tem um argumento — só estou dizendo, só coloque pérolas sobre o cartão de dia dos namorados das pessoas que você realmente gosta.
— E os cristais roxos?
— Use tantos quanto você quiser. — Eu digo em tom benevolente, como um rico proprietário de terras a um vizinho menos afortunado. Os cristais roxos não estão no meu motivo. Estou querendo um olhar vitoriano, e cristais roxos são mais Mardi Gras, mas você não me verá dizendo isso a Kitty. O temperamento de Kitty é tal que quando ela sabe que você não dá muito valor a algo, ela começa a suspeitar também e o apelo está perdido para ela. Por muito tempo eu tive que convencê-la de que uvas passas eram o meu favorito absoluto, e ela nunca devia comer mais do que sua parcela, quando na verdade eu odeio uva passas e estava grata por que alguém as estava comendo. Kitty costumava esconder uva passas; ela foi provavelmente a menina mais regular do jardim de infância.
Estou usando a cola quente em bricabraque branca em torno de um coração quando me pergunto em voz alta:
— Devemos fazer um café da manhã especial para o papai? Nós poderíamos comprar um daquelas máquinas suco no shopping e fazer suco de toranja rosa. E acho que vi waffle em forma de coração on-line, não muito caro.
— Papai não gosta de toranja — diz Kitty. — E nós apenas usamos a nossa máquina de waffle normal. Basta cortar o waffle na forma de um coração em vez disso, que tal?
— Isso parece tão barato — eu zombo.
Mas ela está certa. Não há nenhum sentido em comprar algo que só usaremos uma vez por ano, mesmo que custe apenas 19,99 dólares. Enquanto Kitty fica mais velha, percebo que ela é muito mais parecida com Margot do que eu. Mas então ela diz:
— E se a gente usar o nosso cortador de biscoitos para fazer panquecas em forma de coração, em vez disso? E colocar em corante vermelho?
— Isso, garota! — grito para ela.
Então talvez haja um pouco de mim nela, afinal.
— Poderíamos colocar corante vermelho no xarope, também, para fazer parecer como sangue — Kitty continua. — Um coração sangrento!
Não, não mesmo. Kitty é toda ela mesma.

6 comentários:

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!