29 de maio de 2018

Capítulo 18

QUANDO KITTY NASCEU, eu falei que ela parecia uma gatinha kitty e não uma Katherine, então esse foi o nome que pegou. Depois que voltamos para casa da visita a ela e a mamãe no hospital, Margot e eu fizemos um cartaz com FELIZ ANIVERSÁRIO KITTY para fazer o tempo passar mais rápido. Nós pegamos todas as tintas e folhas de ofício, e vovó ficou irritada porque havia uma grande bagunça para limpar na cozinha, respingos por todo o chão, marcas das mãos em todos os lugares. Temos uma foto da mamãe sentada com Kitty embaixo do cartaz em seu primeiro dia em casa, os olhos cansados, mas brilhantes. Felizes.
É nossa tradição colocar o cartaz na porta de Kitty, assim é a primeira coisa que ela vê quando acorda. Eu me levanto bem cedo e penduro o cartaz com cuidado, para que as bordas não dobrem ou rasguem. Para o café da manhã, faço para ela uma omelete monstro de queijo. Com uma garrafa de ketchup, faço os traços da cara de um gato com um coração em torno. Nós temos uma “gaveta das festas”, que tem velas de aniversário, chapéus de cone, toalhas de mesa, cartões de aniversário de emergência. Puxo os chapéus de cartolina e coloco um na minha cabeça, levemente inclinado para um lado. Separo um para Kitty e outro para o papai, e coloco um em Jamie Fox-Pickle também. Ele não fica com ele, mas consigo tirar uma foto antes que ele o arranque.
Papai está preparando o almoço favorito de Kitty para ela levar para a escola. Um sanduíche de queijo e batatas fritas, além de um cupcake red velvet com merengue de cream cheese.
Kitty se delicia com os ajustes dos lugares e seu omelete com cara de gato. Ela aplaude e ri como uma hiena quando a tira de borracha do chapéu de papai estoura e ele cai da cabeça. Verdadeiramente, não há nenhuma aniversariante mais feliz do que a nossa Kitty.
— Posso usar o seu suéter com as margaridas? — ela me pergunta, com a boca cheia de omelete.
Olho para o relógio.
— Eu vou buscá-lo, mas você tem que comer rápido.
Ele estará aqui a qualquer minuto. Quando é hora de sair, nós colocamos nossos sapatos, damos beijos de adeus no papai, e caímos fora pela porta da frente. Esperando por nós na rua na frente do seu carro está Peter, com um buquê de cravos rosa embrulhado em celofane.
— Feliz aniversário, garota — diz ele.
Kitty arregala os olhos.
— São para mim?
Ele ri.
— Para quem mais poderiam ser? Apresse-se e entre no carro.
Kitty vira para mim, os olhos brilhantes, seu sorriso tão largo quanto seu rosto. Eu estou sorrindo também.
— Você vai também, Lara Jean?
Balanço a cabeça.
—Não, só há espaço para dois.
— Você é minha única garota hoje — diz Peter.
E Kitty corre até ele e lhe arranca as flores da mão. Galante, ele abre a porta para ela. Ele a fecha e se vira e pisca para mim.
— Não fique com ciúmes, Covey.
Eu nunca gostei dele mais do que neste momento.

* * *

A festa de aniversário de Kitty com todos os seus amigos não vai acontecer por mais algumas semanas. Ela insistiu em uma festa do pijama, e papai está de plantão nos fins de semana de fevereiro. Esta noite, vamos comemorar com um jantar em família.
Um dos jantares do papai é frango assado. Ele chama isso de especialidade da casa. Ele passa na manteiga, coloca uma cebola e uma maçã dentro, polvilha um pouco de tempero próprio e coloca no forno. Normalmente, uma batata de alguma forma do lado. Esta noite faço purê de batata-doce e polvilhei açúcar mascavo e canela por cima, em seguida, coloco no fogo para que o açúcar queime como no crème brûlée.
Kitty é encarregada de pôr a mesa e colocar os condimentos: molho quente do Texas Pete para o papai, mostarda para Kitty, geleia de morango para mim. Chutney para Margot se ela estivesse aqui.
— Que tipo de molho a mamãe gostava com seu frango? — Kitty me pergunta de repente.
— Eu... não me lembro — eu digo.
Nós duas olhamos para o papai, que está verificando o frango.
— Será que ela gostava de mostarda como eu? — ela pergunta.
Fechando a porta do forno, papai diz:
— Hmm. Bem, eu sei que ela gostava de vinagre balsâmico. Muito. Muitíssimo.
— Só no frango? — Kitty pergunta.
— Em tudo, na verdade. Abacates, torrada com manteiga, tomate, bife.
Arquivo sobre esses gostos. Fatos sobre M.
— Prontas para comer? — papai pergunta. — Quero devorar esta ave enquanto ela ainda está boa e suculenta.
— Em um minuto — diz Kitty.
E, literalmente, um minuto depois, a campainha toca. Kitty entra em ação. Ela volta com a Sra. Rothschild do outro lado da rua. Ela veste jeans skinny e uma blusa de gola alta preta e botas de salto alto, um colar com contas pretas e douradas no pescoço. Parte de seu cabelo castanho mogno está preso para cima. Ela está carregando um presente embrulhado. Jamie Fox-Pickle com suas pernas de filhote de cachorro não pode chegar a ela rápido o suficiente; ele desliza em todo o lugar, abanando o rabinho. Rindo, ela diz:
— Bem, olá, Jamie.
Ela deixa seu presente sobre o balcão e se ajoelha e acaricia ele.
— Olá, todo mundo.
— Oi, Sra. Rothschild — eu digo.
— Trina! — papai diz, surpreso.
A sra. Rothschild solta um riso estranho.
— Ah, você não sabia que eu estava vindo? Kitty me convidou quando saiu com Jamie hoje... — Ela ruboriza. — Kitty — ela repreende.
— Eu falei... só que o papai estava distraído — Kitty responde.
— Hum — diz a sra. Rothschild, lançando-lhe um olhar, que Kitty finge não ver. — Bem, obrigada de qualquer maneira!
Jamie começa a pular em cima dela, outro de seus maus hábitos. A sra. Rothschild se levanta e Jamie para imediatamente.
— Sente, Jamie.
E então ele realmente se senta! Papai e eu trocamos um olhar impressionado. Claramente, Jamie precisa continuar sob a tutela da sra. Rothschild.
— Trina, posso oferecer algo para beber? — papai pergunta a ela.
— Eu vou querer qualquer coisa que esteja aberta — diz ela.
— Eu não tenho nada aberto, mas ficarei feliz em abrir o que você quiser...
— A sra. Rothschild gosta de pinot grigio — diz Kitty. — Com um cubo de gelo.
Ela fica ainda mais vermelha.
— Deus, Kitty, eu não sou luxuosa! — ela se vira para nós e diz: — Eu tomo uma pequena taça depois do trabalho, mas não todas as noites.
Papai ri.
— Vou colocar vinho branco no freezer. Estará frio em breve.
Kitty parece feliz da vida, e quando papai e a sra. Rothschild vão para a sala, eu a seguro pelo pescoço e sussurro:
— O que você está fazendo?
— Nada — ela diz, tentando se esquivar.
— Está juntando-os? — assobio.
— E se for? Eles seriam um bom par.
Uh!
— O que te faz dizer isso?
— Ela ama os animais, é bonita, tem o seu próprio dinheiro, e eu gosto dela — Kitty levanta um dedo a cada argumento.      
Hmm. Tudo isso soa bem. Além disso, ela mora do outro lado da rua, o que é conveniente.
— Você acha que a sra. Rothschild assiste documentários?
— Quem se importa com documentários antigos empoeirados? Ele pode vê-los com você ou Margot. O importante é a química — Kitty se sacode e tenta se soltar da minha mão. — Me solta para que eu possa ver se eles têm alguma!
Eu libero seu pescoço.
— Não, não vá ainda.
Kitty bufa e dá um safanão, e digo significativamente:
— Vamos deixar ferver por um minuto.
Ela para rápido e, em seguida, me dá um aceno agradecido.
— Vamos deixar ferver — ela repete, saboreando as palavras.

* * *

Kitty está cortando um pedaço de carne branca – o único tipo que ela gosta de comer – em fatias finas, e papai tenta mas sempre acaba com um desfiado de aparência triste. Acho que talvez eu dê a ele uma faca elétrica pelo seu aniversário. Pessoalmente, eu gosto da coxa. Eu honestamente não sei por que alguém se preocuparia em comer qualquer coisa além da coxa se tivesse escolha.
Quando a sra. Rothschild joga um pouco de molho picante sobre seu frango, os olhos de Kitty brilham como um vaga-lume.
Faço uma anotação que a sra. Rothschild ri das piadas bobas do papai com sinceridade. Eu também aprecio a forma como ela gosta dos meus biscoitos amanteigados de canela. Coloquei alguns congelados no forno quando o papai ligou a cafeteira.
— Adoro a forma como esse biscoito é crocante, mas também suave. Você está me dizendo que os preparou a partir do zero?
— Sempre — eu digo a ela.
— Bem, me dê a receita, menina. — Então ela ri. — Espere, não se preocupe. Eu conheço meus pontos fortes, e assar não é um deles.
— Nós vamos compartilhar com você a qualquer hora, sempre temos um monte de bolos e biscoitos — diz Kitty.
O que é ótimo vindo dela, porque não é sempre que Kitty ajuda. Ela só aparece para as partes divertidas, a decoração e a comilança. Espio papai, que está placidamente tomando seu café. Eu suspiro. Ele está completamente alheio.
Todos nós lavamos e guardamos as sobras juntos, e tudo parece muito natural. Sem que ninguém lhe fale, a sra. Rothschild sabe lavar a mão os copos de vinho e em vez de colocá-los na máquina, e na primeira tentativa, ela encontra o papel-alumínio e filme plástico na gaveta. O que poderia dizer mais sobre as competências organizacionais de Margot do que a intuição da sra. Rothschild, mas ainda assim. Acho que eu poderia vê-la integrada com a gente perfeitamente. E, como eu disse, ela mora do outro lado da rua, o que é conveniente. As pessoas dizem que a ausência deixa o coração mais afeiçoado, mas acho que eles estão errados: a proximidade faz o coração ficar mais afeiçoado.
Assim que a sra. Rothschild volta para casa e papai vai para seu escritório, Kitty se joga sobre mim no meu quarto, onde estou escolhendo a roupa do dia seguinte. Suéter azul-marinho com um desenho de raposa que estive poupando para um dia chuvoso, meias até os joelhos, saia amarelo mostarda.
— Então? — ela exige. Ela está com Jamie Fox-Pickle em seus braços.
— Gosto da maneira como ela começou a guardar as coisas com filme plástico; foi uma boa iniciativa — eu digo, prendendo um arco de tartaruga no meu cabelo e checando no espelho. — Ela também elogiou muito os meus biscoitos amanteigados de canela, gostei. Mas eu não sei se vi necessariamente qualquer faísca com papai. Quero dizer, você acha que ele parecia interessado?
— Eu acho que ele poderia estar se ela lhe desse uma chance. Ela estava namorando um cara do escritório, mas não deu certo porque ele lhe lembrava o seu ex-marido.
Levanto minhas sobrancelhas.
— Parece que vocês tiveram algumas conversas sérias.
Orgulhosamente Kitty diz:
— Ela não me trata como uma criança.
Se Kitty está louca por ela, isso diz muito.
— Bem, ela pode não ser do tipo de papai, mas se continuarmos colocando eles juntos, quem sabe?
— O que quer dizer que ela pode não ser do tipo do papai?
— Seu estilo parece muito diferente do de mamãe. Será que ela fuma? Papai odeia isso.
— Ela está tentando parar de fumar. Ela tem um cigarro eletrônico agora.
— Vamos continuar convidando-a para as coisas e ver o que acontece — eu digo, pegando minha escova de cabelo. — Ei, você acha que se assistir a um vídeo, conseguiria fazer uma pequena trança lateral?
— Eu poderia dar-lhe um tiro — diz Kitty. — Enrole as pontas primeiro e depois verifique comigo depois que eu ver meus programas.
— Entendi.

6 comentários:

  1. acho que gostei mais dessa ideia, o pai delas com sra.Rothschild, alias Kitty gosta dela e confio no gosto dela (não me leve a mal mas acho que ela salvou a Lara muitas vezes de passar vergonha por causa das roupas), alem disso parece ser muito legal, e parece que sabe dar a volta por cima e se divertir um otimo exemplo para a Kitty(tenho impressão que isso enlouqueceria a margot)e claro admiteremos que ela tem um certo charme, pena que acho que o pai dela não esta afim, ele esta muito distraido hum... tem coisa aí

    ResponderExcluir
  2. Gente kkkk,Existe uma diversidade de comida tão grande nesse livro...Sério, já descobri tanta comida e a maioria deixa com água na boca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nê! E os bolos que ela assa então,e dão uma vontade!

      Excluir
    2. Já pesquisei até receitas de biscoitos na internet kkkk

      Excluir
  3. A Kitty é mais madura q eu, adoro ela kkkkk

    ResponderExcluir
  4. É livro tá mais para um livro de receitas kkkk amo ❤

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!