29 de maio de 2018

Capítulo 15

DE MANHÃ ANTES DA ESCOLA, Josh está raspando o gelo de seu para-brisa quando corro para o meu carro. Papai já raspou o meu gelo, ligou o motor e o aquecedor. Pela aparência do carro de Josh, ele não chegará na escola a tempo.
Nós quase não vimos o Josh desde o Natal; depois de toda a estranheza comigo e depois do rompimento com Margot, ele tem sido um fantasma nesta casa. Ele sai um pouco mais cedo para a escola agora, chega em casa um pouco mais tarde. Nunca estendeu a mão para mim quando toda a coisa do vídeo aconteceu, embora parte de mim tenha ficado aliviada por isso. Não quero ouvir sobre como ele estava certo sobre Peter.
Começo a sair da entrada de carros, e no último segundo abro a janela e me inclino para fora.
— Você quer uma carona? — pergunto para Josh.
Os olhos dele se arregalam em surpresa.
— Sim. Claro.
Ele atira o raspador de gelo dentro do carro e pega sua mochila, em seguida, vem correndo. Subindo ele diz:
— Obrigado, Lara Jean.
Ele aquece as mãos nas saídas de ar. Nós fazemos o nosso caminho para fora do bairro, e estou dirigindo com cuidado, porque as estradas estão congeladas da noite anterior.
— Você ficou realmente boa em dirigir — comenta Josh.
— Obrigada.
Eu tenho praticado, sozinha e com Peter. Ainda fico nervosa às vezes, mas cada vez que entro no carro, é um pouco menos, porque agora sei que posso fazê-lo. Você só sabe que pode fazer alguma coisa quando a faz de fato.
Estamos a poucos minutos da escola quando Josh pergunta:
— Quando é que vamos conversar de novo? Apenas me diga, para eu ter uma ideia geral.
— Nós estamos falando agora, não estamos?
— Você sabe o que eu quero dizer. O que aconteceu comigo e Margot estava entre nós – você e eu não podemos ser amigos como éramos antes?
— Josh, é claro que continuaremos a ser amigos. Mas você e Margot terminaram a menos de um mês.
— Não, nós terminamos em agosto. Ela decidiu que queria voltar há três semanas, e eu disse que não.
Eu suspiro.
— Por que você disse não, no entanto? Foi apenas a distância?
Josh suspira também.
— Relacionamentos são trabalhosos. Você vai ver. Depois que estiver com Kavinsky há mais tempo, verá do que estou falando.
— Ah meu Deus, você é um sabe-tudo. O maior sabe-tudo que já conheci, tirando a minha irmã.
— Qual delas?
Posso sentir um riso borbulhando dentro de mim, que forço de volta para baixo.
— Ambas. As duas são sabe-tudo.
— Só mais uma coisa. — Ele hesita, então continua. — Eu estava errado sobre Kavinsky. A maneira como ele lidou com essa coisa toda do vídeo, posso dizer que ele é um cara legal.
— Obrigada, Joshy. Ele realmente é.
Ele balança a cabeça, e há um silêncio confortável entre nós, e fico feliz pelo tempo ruim da noite passada, feliz pelo gelo em seu para-brisa esta manhã.

7 comentários:

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!