16 de abril de 2018

Capítulo 72

QUANDO ÉRAMOS SÓ Margot e eu, nossa mãe comprava tudo em pares, azul para Margot e rosa para mim. A mesma colcha, o mesmo bichinho de pelúcia ou a mesma cesta de Páscoa com duas cores diferentes. Tudo tinha que ser justo; nós precisávamos comer a mesma quantidade palitos de cenoura ou batatas fritas ou ter a mesma quantidade de bolas de gude ou borrachas no formato de cupcakes. Só que eu sempre perdia minhas borrachas ou comia a cenoura rápido demais, e então ficava pedindo as de Margot. Às vezes, mamãe a obrigava a dividir, o que até eu percebia que não era justo, obviamente Margot não deveria ser penalizada por comer devagar ou cuidar bem das borrachas. Depois que Kitty nasceu, ela tentou fazer tudo azul, rosa e amarelo, mas é bem mais difícil encontrar uma coisa em três cores diferentes.
Além do mais, Kitty era bem mais nova do que nós, e não queríamos os mesmos brinquedos que ela.
A caixa de chapéu azul-petróleo talvez tenha sido o único presente dela que só eu ganhei. Não precisei dividir, era meu e só meu.
Quando a abri, eu esperava encontrar um chapéu, talvez um de palha com a aba dobrada, ou talvez uma boina, mas estava vazia.
— É para o que você considera especial — disse ela. — Você pode guardar todas as suas coisas mais preciosas, favoritas e mais secretas aqui.
— Como o quê? — perguntei.
— O que couber dentro. O que você quiser guardar só para você.

* * *

O queixinho pontudo de Kitty treme.
— Eu sinto muito mesmo, Lara Jean.
Quando vejo isso, aquele tremorzinho, não consigo mais sentir raiva. Não consigo, nem um pouco. Vou até ela e a abraço com força.
— Tudo bem — digo, e ela relaxa de alívio. — Pode ficar com a caixa. Guarde todos os seus segredos aí dentro.
Kitty balança a cabeça.
— Não, é sua. Eu não quero. — Ela a empurra na minha direção. — Coloquei algo para você aí dentro.
Eu abro a caixa, e há bilhetes. Bilhetes e mais bilhetes e mais bilhetes. Os bilhetes de Peter. Os bilhetes de Peter que joguei fora.
— Encontrei quando fui esvaziar seu lixo — diz ela, antes de acrescentar rapidamente: — Só li uns dois. E decidi guardar porque percebi que eram importantes.
Toco em um que Peter dobrou em formato de avião.
— Kitty... você sabe que o Peter e eu não vamos voltar, não é?
Kitty pega a tigela de pipoca.
— Leia os bilhetes.
Ela vai para a sala e liga a tevê.
Eu fecho a caixa e a levo comigo para o quarto. Então me sento no chão e espalho os bilhetes à minha volta. Muitos deles só dizem coisas do tipo “Me encontra no seu armário depois da aula” e “Pode me emprestar as anotações de química da aula de ontem? ”. Encontro o do Halloween com a teia de aranha e acabo sorrindo. Outro diz: “Você pode ir para casa de ônibus hoje? Quero fazer uma surpresa para a Kitty indo buscá-la na escola, para ela poder exibir meu carro para as amigas.” “Obrigado por ir à venda comigo no fim de semana. Você fez o dia ficar divertido. Te devo uma.” “Não se esqueça de trazer o iogurte coreano para mim!” “Se você fizer os biscoitos idiotas de cranberry e chocolate branco do Josh e não os meus de frutas cristalizadas, acabou.” Dou uma gargalhada alta. E depois, o que leio e releio sem parar: “Você está bonita hoje. Gosto quando você usa azul.”
Nunca recebi uma carta de amor. Mas, ao reler esses bilhetes, um atrás do outro, sinto que recebi. É como... é como se sempre só tivesse existido Peter. Como se todos os que vieram antes dele tivessem apenas me preparado para isso. Acho que agora consigo ver a diferença entre amar alguém de longe e amar de perto.
Quando você convive com a pessoa, vê quem ela é de verdade, e ela também vê você. E Peter me vê. Ele me vê, e eu o vejo. O amor é assustador; ele se transforma; ele murcha. Faz parte do risco. Não quero mais ter medo. Quero ser corajosa como Margot. Afinal, um novo ano está quase começando.
Perto da meia-noite, pego Kitty, o cachorrinho e as velas. Vestimos casacos grossos, e eu faço Kitty colocar um gorro.
— O Jamie também precisa de um gorro? — pergunta ela.
— Ele não precisa — digo para ela. — Já tem um casaco de pele.
As estrelas brilham aos montes; parecem pedras preciosas a distância. Temos tanta sorte de morarmos perto das montanhas. Parece que estamos mais perto das estrelas. Do céu.
Acendo as velas para nós duas, e Kitty começa a dançar na neve, fazendo um anel de fogo com a dela. Ela está tentando fazer Jamie pular no meio, mas ele nem liga. Só quer fazer xixi pelo jardim. Ainda bem que temos cerca, senão ele faria xixi por todo o quarteirão.
A luz do quarto de Josh está acesa. Eu o vejo na hora em que ele abre a janela.
— Irmãs Song!
— Quer acender uma vela de estrela? — grita Kitty.
— Talvez ano que vem — responde Josh.
Eu olho para ele e balanço a vela, e ele sorri, e tenho a sensação de que está tudo bem entre nós. De uma forma ou de outra, Josh vai fazer parte de nossas vidas. E tenho certeza, uma certeza repentina, de que tudo está exatamente como deveria, que não preciso ter tanto medo de despedidas, porque elas não precisam ser para sempre.
Quando volto para o quarto e visto a camisola de flanela, pego minha caneta especial e meu papel de carta grosso e começo a escrever. Dessa vez, não é uma carta de despedida. Apenas uma simples carta de amor.
Querido Peter...

27 comentários:

  1. Adorei!!! Karina tem continuação? Amo o seu blog!
    Anna!!!

    ResponderExcluir
  2. Ai meu deus to apaixonadaaaaaaaaaaaaa
    muito obrigada por postar esse livro
    o peter é a melhor pessoa sim ou claro
    queria maisssss

    ResponderExcluir
  3. Aahhh.... a historia ja acabou?

    ResponderExcluir
  4. Mds socorro kd a continuação to surtando. ameeeiiiii♥♥♥♥♥

    ResponderExcluir
  5. Quando vai posta o próximo livro? PRECISO MUITO LER ~ MANU

    ResponderExcluir
  6. quando tem continuação??

    ResponderExcluir
  7. AAAAAAAAA MDS!!!! PRECISO DE MAIS PLS!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Genteeee, li em um dia! São 04:45 da madrugada e tenho que trabalhar às 9:00. Quero mais. Dormir pra que? 😏

    ResponderExcluir
  9. Como assim acaboooou????
    Eu AMEI que a Laranjinha finalmente percebeu que o Peter gosta msm dela.
    Eu já suspeitava que tinha sido a Kitty...

    ResponderExcluir
  10. AAAAA AMEI!
    Preciso de uma continuação plmds.

    ResponderExcluir
  11. Ler esse livro me fez fazer uma lista também de todos os garotos que já amei: vulgo Jace Herondale, Will Herondale, Percy Jackson, Maxon Schreave, Dimitri Belikov, Stiver Rogers, Damon Salvatore, Peeta Merllak, Klaus Mikaelson, Stiles StilinskI, a lista é de fato bem extensa😍😅

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amo o Klaus mas não posso esquecer o Elijah eles são meus grandes amores.😍😍😍😍😍

      Excluir
    2. Dimitri Belikov 😍😍😍😍😍

      Excluir
    3. Jace ❤️ Damon ❤️ Klaus ❤️

      Excluir
  12. Eu so quero dizer que eu ameiii esse livrooooo😍❤❤😍😍😍😍

    ResponderExcluir
  13. Meu coração, aí aí, eu acho que nunca vou achar uma pessoa que seja como esse livro,perfeito,feliz,fofo e que me faça sonhar tanto

    ResponderExcluir
  14. aaaaa ameeiiii, quero maaaaiss ❤❤

    ResponderExcluir
  15. AMEI! Parabéns Karina,ótimo blog <3

    ResponderExcluir
  16. AMEI! Parabéns Karina,ótimo blog <3

    ResponderExcluir
  17. Ue como assim... e o livro acaba aqui..
    Ainda bem que tem a Continuação.

    ResponderExcluir
  18. li esse livro em uma noite apenas. e pretendo ler os proximos na tarde hoje e esta noite pq eles simplesmente sao liiiiiindos

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!