16 de abril de 2018

Capítulo 53

— PODEMOS MONTAR A árvore neste fim de semana? — pergunta Kitty, no café da manhã.
Meu pai ergue o rosto da tigela de mingau de aveia. Mingau de aveia, eca.
— Não vejo por que não.
— Margot pode ficar chateada se fizermos sem ela — digo.
Para falar a verdade, também quero montar a árvore. É tão aconchegante fazer o Festival de biscoitos de Natal com as luzes piscando na árvore, canções natalinas e a casa toda cheirando a açúcar e manteiga.
— A família da Brielle montou a árvore no dia seguinte ao de Ação de Graças — comenta Kitty.
— Então vamos montar — digo. — Podemos, pai?
— Ah, se a família da Brielle montou...

* * *

Vamos até a fazenda de árvores de Natal, que fica a uma hora de distância, porque é lá que estão as melhores. Kitty insiste em olhar todas as árvores para garantir que a nossa seja a melhor. Voto em um abeto balsâmico, porque é o mais cheiroso, mas Kitty não o acha alto o bastante. Escolhemos um abeto de Douglas, e durante todo o caminho para casa o ar fica com cheiro de manhã de Natal.
Josh sai correndo de casa quando nos vê lutando para levar a árvore para dentro. Ele e meu pai a carregam para a sala. Josh segura a árvore enquanto meu pai a prende à base. Tenho a sensação de que ele vai querer ficar para ajudar na decoração. Não consigo parar de pensar no que Peter disse. Que Josh talvez goste de mim.
— Um pouco para a esquerda — orienta Kitty. — Ainda não está reta.
Pego a caixa com pisca-piscas e enfeites e começo a separá-los. Minha favorita é a estrela azul que fiz no jardim de infância, com massa de modelar. É minha favorita porque tem um pedaço faltando; falei para Kitty que era um biscoito, e ela deu uma mordida como se fosse o Pac-man. Depois chorou, e fiquei encrencada, mas valeu a pena.
— Vamos usar as luzes coloridas ou as brancas, este ano? — pergunto.
— Brancas — afirma Kitty. — São mais elegantes.
— Mas as coloridas são divertidas — argumenta Josh. — E tradicionais.
Eu reviro os olhos.
— Divertidas, Josh?
Josh começa a fazer um discurso a favor das luzes coloridas, e nós dois discutimos até papai interceder e dizer que devemos fazer meio a meio. É quando as coisas finalmente parecem normais de verdade entre nós, agora que estamos discutindo como antigamente. Peter estava errado sobre Josh.
A árvore é tão alta que quase encosta no teto. Os pisca-piscas acabam, e meu pai sai para comprar mais. Josh coloca Kitty nos ombros para que ela possa botar a estrela no topo da árvore.
— Fico feliz de termos comprado uma das grandes este ano — digo, com um suspiro animado, então me jogo no sofá e olho para o fruto de nosso trabalho. Não tem nada mais aconchegante do que uma árvore de Natal iluminada.
Um pouco mais tarde, meu pai tem que ir ao hospital, e Kitty vai até a casa dos vizinhos, porque estão assando biscoitos com chocolate e marshmallow na lareira, então Josh e eu ficamos na sala arrumando tudo. Estou colocando ganchos de enfeite em saquinhos, e Josh está guardando os enfeites que sobraram em uma caixa de papelão. Ele levanta a caixa e esbarra em um dos galhos da árvore, e um enfeite de vidro escorrega e quebra.
Josh geme.
— Jo-osh — digo. — Fiz isso na aula de economia doméstica.
— Desculpa.
— Tudo bem. Não foi mesmo meu melhor trabalho. Coloquei penas demais.
Era uma bola de vidro transparente com penas e lantejoulas brancas dentro.
Vou buscar uma vassoura e, quando volto, Josh fala:
— Você age diferente perto do Kavinsky, sabia?
Levanto o rosto e paro de varrer.
— Não, não sabia.
— Você não age como você. Age como... como todas as garotas fazem perto dele. Você não é assim, Lara Jean.
— Eu ajo do mesmo jeito de sempre — respondo, irritada. — Como você poderia saber, Josh? Quase não anda mais com a gente.
Eu me abaixo e pego um caco de vidro.
— Cuidado — diz Josh. — Pode deixar, eu pego.
Ele se abaixa ao meu lado e estica a mão para pegar outro caco.
— Ai!
— Cuidado você! — Eu me aproximo e tento ver o dedo dele melhor. — Está sangrando?
Ele balança a cabeça.
— Estou bem. — Ele faz uma pausa, então diz: — Sabe o que não entendo?
— O quê?
Josh me olha com as bochechas vermelhas.
— Por que você nunca disse nada. Se gostou de mim durante todo aquele tempo, por que não disse nada?
Meu corpo todo fica tenso. Eu não estava esperando por isso. Não estou preparada. Engulo em seco.
— Você estava com a Margot.
— Eu não estive sempre com a Margot. As coisas que você escreveu... Você gostava de mim bem antes de eu gostar dela. Por que não me contou?
Eu suspiro.
— Que importância isso tem agora?
— Tem importância. Você devia ter me contado. Devia ao menos ter me dado uma chance.
— Não teria feito diferença, Josh!
— Estou dizendo que teria!
Ele dá um passo na minha direção.
Desajeitada, eu me levanto. Por que ele está falando nisso logo agora, que as coisas estão voltando ao normal?
— Você é tão mentiroso. Nunca pensou em mim desse jeito, nem uma vez, então não me venha com essa história agora que estou com alguém.
— Você não sabe o que estou pensando — responde ele. — Você não consegue ler meus pensamentos, Lara Jean.
— Consigo, sim. Conheço você melhor do que qualquer pessoa. Sabe por quê? Você é previsível. Tudo que você faz. É tão previsível. O único motivo de você estar dizendo isso agora é porque está com ciúmes. E não é nem por minha causa. Você não liga para quem está comigo. Você só está com ciúme porque o Peter roubou seu lugar. A Kitty gosta mais dele do que de você, agora.
O rosto dele se fecha. Ele me olha com raiva, e eu olho para ele com raiva.
— Tudo bem! — grita ele. — Estou com ciúme! Está feliz agora?
De repente, ele dá um passo na minha direção e me beija. Na boca. Os olhos dele estão fechados, os meus estão bem abertos. Mas os fecho também e, por um segundo, só por um segundo, eu retribuo. Em seguida, interrompo o beijo e o empurro.
— Você previu isso, Lara Jean? — pergunta ele, com a voz triunfante.
Minha boca se abre e se fecha, mas nenhuma palavra sai. Largo a vassoura e corro escada acima, o mais rápido que consigo.
Entro no quarto e tranco a porta. Josh acabou de me beijar. Na sala da minha casa. Margot vai voltar em poucas semanas. E tenho um namorado de mentira que acabei de trair.

17 comentários:

  1. Tô com vontade de pular pro último capítulo pra saber o logo o desenrolar dessa história...

    ResponderExcluir
  2. Aiii quero ler a carta que ela escreveu pra ele ... a autora "convenientemente" não mostrou ela ainda

    ResponderExcluir
  3. O MDSSSSSS!!!!!! Josh, OQ VC FEZ CARA?!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Uau! Só... UAAU...! Eu imaginava que isso fosse acontecer, mas não enquanto ela tá com o Peter. Não ato perto da volta da Margot! NÃO ENQUANTO ELA TÁ COM O PETER TÃO PERTO DA VOLTA DA MARGOT!!!!

    ResponderExcluir
  5. Oooopaaah por essa não esperava

    ResponderExcluir
  6. EU SHIPPO, PORÉM, MEU PETER COMBINA MAIS COM A LARANJINHA

    ResponderExcluir
  7. Mds num sei quem é mais confuso josh ou peter

    ResponderExcluir
  8. Por que acho que quem mandou todas as cartas foi a Margot? Ela tipo... tinha alguma coisa na mala dela que faltava e estava no quarto da Lara Jean e acabou encontrando a caixa e leu a carta do Josh e com raiva mandou para todos os crushes dela.

    ResponderExcluir
  9. "um namorado de mentira que acabei de trair" ksksksks rindo muitooo kkkkk

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!