16 de abril de 2018

Capítulo 48

DEPOIS DA ÚLTIMA aula, recebo uma mensagem de Josh.
Eu, você e a lanchonete, como nos velhos tempos.
Só que os velhos tempos incluiriam Margot. Agora são os novos tempos, acho. Talvez isso não seja totalmente ruim. Novidades podem ser coisas boas.
Ok, mas vou pedir um queijo quente só para mim, porque você sempre come mais do que sua metade.
Beleza.
Estamos sentados em nossa mesa perto do jukebox.
Eu me pergunto o que Margot está fazendo agora. Já é noite na Escócia. Talvez esteja se preparando para ir ao pub com os amigos. Margot diz que os pubs são bem animados por lá; eles fazem eventos chamados pub crawls, em que vão de pub em pub e bebem em cada um deles. Margot não bebe muito, nunca a vi bêbada. Espero que ela esteja se divertindo.
Estico a mão para pegar moedas. Outra tradição de Lara Jean e Josh. Ele sempre me dá moedas para o jukebox. É porque guarda um monte de moedas no carro para pagar o pedágio, e eu nunca tenho moedas porque odeio carregá-las por aí.
Não consigo decidir se quero doo-wop ou rock alternativo, mas no último segundo escolho “Video Killed the Radio Star”, a preferida de Margot. Para que, de certa forma, ela esteja aqui.
Josh sorri quando começa a tocar.
— Sabia que você ia escolher essa.
— Não, não sabia, porque eu não sabia que ia escolher até o momento em que apertei o botão.
Pego o cardápio e o examino como se já não o tivesse visto um milhão de vezes. Josh ainda está sorrindo.
— Para que olhar o cardápio se já sabemos o que vamos pedir?
— Eu poderia mudar de ideia no último segundo — digo. — Talvez peça um sanduíche de atum, ou hambúrguer de peru, ou salada. Também posso me arriscar, sabe.
— Claro — concorda Josh, e sei que ele só está querendo me agradar.
A garçonete chega para anotar nosso pedido.
— Quero um queijo quente, uma sopa de tomate e um milk-shake de chocolate.
Josh olha para mim em expectativa. Há um sorriso surgindo nos cantos dos lábios dele.
— Ah... hã...
Eu olho o cardápio todo o mais rápido que consigo, mas não quero sanduíche de atum, nem hambúrguer de peru, nem salada.
Desisto. Gosto do que gosto.
— Um queijo quente, por favor. E refrigerante de cereja preta. — Assim que a garçonete se afasta, digo para ele: — Não quero ouvir uma palavra.
— Eu não ia falar nada.
E então, como estamos em silêncio, nós dois decidimos falar na mesma hora.
— Você tem falado com a Margot? — pergunto.
— Como estão as coisas com o Kavinsky? — questiona ele.
O sorriso fácil de Josh some, e ele desvia o olhar.
— É, a gente conversa pelo computador, às vezes. Acho... acho que ela está com saudades de casa.
Olho para ele de um jeito estranho.
— Falei com ela ontem à noite, e ela não pareceu com saudades de casa. Parecia a mesma Margot de sempre. Contou para nós sobre o “Fim de Semana das Passas”. Fiquei com vontade de ir para Saint Andrews também.
— O que é o “Fim de Semana das Passas”?
— Não entendi direito... Parece uma mistura entre beber muito e latim. Acho que é uma tradição escocesa.
— Você faria isso? — pergunta Josh. — Iria para algum lugar distante?
Eu suspiro.
— Não, provavelmente não. Isso é coisa da Margot, não minha. Mas seria legal ir visitá-la. Talvez meu pai me deixe ir nas férias.
— Acho que ela gostaria muito. Parece que nossa viagem a Paris não vai mais acontecer, né? — Ele dá uma risada constrangida e pigarreia. — Então, como estão as coisas com o Kavinsky?
Antes que eu possa responder, a garçonete chega com nossa comida. Josh empurra a tigela de sopa para o meio da mesa.
— Primeiro gole? — pergunta ele, levantando o milk-shake.
Com vontade, assinto e me inclino sobre a mesa. Josh segura o copo, e tomo um grande gole.
— Ahhh — digo, e volto a me sentar.
— Foi um gole bem grande — diz ele. — Por que você nunca pede um?
— Por que eu pediria se sei que você vai me oferecer o seu?
Eu arranco um pedaço de queijo quente e mergulho na sopa.
— O que você ia dizer? — insiste Josh. Como olho para ele sem entender, ele completa: — Você ia falar sobre o Kavinsky...
Eu estava torcendo para esse assunto não surgir. Não estou com vontade de contar mais mentiras para Josh.
— As coisas estão bem. — Josh está me olhando como se esperasse mais, então acrescento: — Ele é um doce.
Josh ri com deboche.
— Ele não é como você pensa. As pessoas gostam de julgá-lo, mas ele é diferente. — Fico surpresa ao perceber que estou falando a verdade. Peter não é como as pessoas pensam. É metido e sabe ser irritante e sempre se atrasa, mas tem coisas boas e surpreendentes nele. — Ele... não é como você pensa.
Josh me olha com descrença. Em seguida, mergulha metade do sanduíche na sopa.
— Você já disse isso.
— Porque é verdade.
Ele dá de ombros como se não acreditasse em mim.
— Você devia ver como a Kitty fica perto do Peter. Ela é doida por ele.
Só percebo depois que as palavras saem da minha boca. Falo isso para magoá-lo.
Josh arranca mais um pedaço do queijo quente.
— Espero que ela não fique ligada demais a ele.
Apesar de eu ter pensado exatamente a mesma coisa por motivos diferentes, ainda dói ouvir isso.
De repente, aquele ar de naturalidade entre nós se perde. Josh se recolhe e fica distante, e me sinto magoada pelo que ele disse sobre Peter. Parece falsidade ficarmos sentados um na frente do outro fingindo que as coisas continuam como nos velhos tempos. Como poderiam, sem Margot aqui? Ela é o sentido de nosso pequeno triângulo.
— Ei — diz Josh de repente. Eu levanto o rosto. — Eu não quis dizer aquilo. Foi uma coisa horrível de se dizer. — Ele baixa a cabeça. — Acho... sei lá, talvez eu só esteja com ciúmes. Não estou acostumado a compartilhar as irmãs Song.
Fico derretida por dentro. Agora que ele disse uma coisa legal, estou me sentindo calorosa e generosa de novo. Não falo o que estou pensando, que é: Você pode não estar acostumado a nos compartilhar, mas estamos muito acostumadas a compartilhar você.
— Você sabe que a Kitty ainda gosta mais de você — comento, e isso o faz sorrir.
— Afinal, eu a ensinei a escarrar — diz Josh. — É impossível esquecer a pessoa que ensina você a fazer algo assim. — Ele toma um grande gole de milk-shake. — Ei, vai ter uma maratona de Senhor dos Anéis no Bess, este fim de semana. Quer ir?
— São umas... nove horas!
— É, nove horas de coisas incríveis.
— Verdade — concordo. — Quero ir, mas primeiro preciso ver com o Peter. Ele falou alguma coisa sobre irmos ao cinema este fim de semana e...
Josh me interrompe antes que eu possa terminar.
— Tudo bem. Posso ir com o Mike. Ou posso levar a Kitty. Está na hora de eu apresentá-la ao gênio que é o Tolkien.
Fico em silêncio. Kitty e eu somos intercambiáveis na mente dele? E Margot e eu?
Estamos dividindo um waffle quando Genevieve entra na lanchonete com um garotinho que imagino ser o irmão mais novo dela. Não irmão de verdade; Gen é filha única. Ela é presidente de um programa em que alunos do ensino médio são colocados em dupla com crianças do fundamental, para ajudá-las nos estudos e levá-las para se divertir.
Eu afundo na cadeira, mas é claro que Gen me vê. Ela olha para mim e para Josh, depois acena. Não sei o que fazer, então retribuo o aceno. Tem alguma coisa perturbadora na forma como ela sorri para mim. O quanto realmente parece feliz.
Se Genevieve está feliz, isso não é bom para mim.

* * *

Durante o jantar, recebo uma mensagem de Peter.
Se você vai andar com o Sanderson, pode pelo menos não fazer isso em público?
Por baixo da mesa, leio várias vezes. É possível que Peter esteja um pouquinho enciumado? Ou está mesmo preocupado com o que Genevieve vai pensar?
— O que você fica olhando toda hora? — pergunta Kitty.
Coloco o celular na mesa virado para baixo.
— Nada.
Kitty se vira para nosso pai.
— Aposto que era uma mensagem do Peter.
Enquanto passa manteiga no pão, meu pai diz:
— Gosto do Peter.
— Gosta? — pergunto.
Papai assente.
— Ele é um bom menino. Está muito envolvido com você.
— Envolvido comigo? — repito.
Para mim, Kitty diz:
— Você parece um papagaio.
Para papai, ela pergunta:
— O que isso quer dizer? Envolvido com ela?
— Quer dizer que ele está encantado por ela — explica papai. — Está enamorado.
— E o que é enamorado?
Ele ri e coloca o pãozinho na boca aberta e perplexa de Kitty.
— Quer dizer que ele gosta dela.
— Claro que ele gosta dela — concorda Kitty com a boca cheia. — Ele... ele olha muito para você, Lara Jean. Quando você não está prestando atenção. Ele olha para ver se você está se divertindo.
— Olha?
Meu peito fica quente, e posso me sentir começando a sorrir.
— Fico feliz de ver você feliz. Eu me preocupava de Margot assumir tanta responsabilidade em casa e ajudar como ela ajudou. Não queria que ela perdesse a experiência do ensino médio. Mas você conhece Margot. Ela é tão focada. — Papai estica a mão e aperta meu ombro. — Ver você saindo, fazendo coisas e amizades novas... deixa seu pai muito feliz. Muito, muito feliz.
Sinto um bolo crescer na garganta. Se ao menos não fosse tudo mentira.
— Não chore, papai — ordena Kitty, e papai assente e a puxa para um abraço.
— Você pode me fazer um favor, Kitty? — diz ele.
— O quê?
— Pode ficar com essa idade para sempre?
— Só se você me der um cachorrinho.
Meu pai cai na gargalhada, e Kitty ri também.
Admiro muito minha irmãzinha às vezes. Ela sabe exatamente o que quer e faz o que for preciso para conseguir. Não tem a menor vergonha.
Vou falar com papai para ajudá-la. Nós duas vamos vencê-lo pelo cansaço. Vai haver um cachorrinho debaixo da árvore na manhã de Natal. Aposto que vai.

5 comentários:

  1. Até o pai dela gosta dele 💚💚💚💚


    — Claro que ele gosta dela — concorda Kitty com a boca cheia. — Ele... ele olha muito para você, Lara Jean. Quando você não está prestando atenção. Ele olha para ver se você está se divertindo.
    — Olha?

    Olha?!!! Aaaaaaaaaaaaaaa 😍🌚🌚♥💚

    ResponderExcluir
  2. Tô com fome, não fica falando de comida não... Esse final tão fofo <3 <3 O Peter olhando pra Lara <3

    ResponderExcluir
  3. "Claro que ele gosta dela — concorda Kitty com a boca cheia. — Ele... ele olha muito para você, Lara Jean. Quando você não está prestando atenção. Ele olha para ver se você está se divertindo". A velhooo eu estou shipando muitooo

    ResponderExcluir
  4. Num tem como não chippar, cara. Alguém, por favor, coloca nos próximos comentários o chippo deles...

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!