16 de abril de 2018

Capítulo 4

MINHA AMIGA MAIS antiga, Chris, fuma, fica com garotos que não conhece e já foi suspensa duas vezes. Em uma delas, teve que comparecer ao tribunal por evasão escolar. Eu nem sabia o que era evasão escolar antes de conhecê-la. Se quiser saber, é quando você falta tanta aula que fica muito encrencado.
Tenho certeza de que, se Chris e eu nos conhecêssemos hoje, não seríamos amigas. Somos tão diferentes quanto duas pessoas podem ser. Mas nem sempre foi assim. No sexto ano, Chris gostava de papéis de carta, festas do pijama e de passar a noite acordada vendo filmes do John Hughes, como eu. Mas, no oitavo ano, ela começou a fugir depois que meu pai dormia para se encontrar com garotos que tinha conhecido no shopping. Eles a traziam de volta antes do amanhecer. Eu ficava acordada a noite toda, morrendo de medo de ela não conseguir chegar antes de o meu pai acordar. Mas ela sempre voltava a tempo.
Chris não é o tipo de amiga com quem se conversa todas as noites ou almoça todos os dias. Ela é como um gato de rua, vem e vai quando quer. Não fica presa a um lugar ou uma pessoa. Às vezes, fico dias sem ver Chris, e de repente, no meio da noite, ouço uma batida na janela do quarto e é ela, empoleirada na magnólia. Eu já deixo a janela destrancada só por precaução.
Chris e Margot não se suportam. Chris acha Margot muito estressada, e Margot acha que Chris é meio bipolar. Ela acha que Chris me usa; Chris acha que Margot me controla. Acredito que as duas estão um pouco certas. Mas o mais importante é que Chris e eu nos entendemos bastante, e isso conta bem mais do que as pessoas pensam.

* * *

Chris me liga quando estamos a caminho de casa; ela diz que a mãe está insuportável e que vai passar umas horinhas lá em casa e será que temos algo para beliscar?
Chris e eu estamos na sala dividindo um pote com restos de nhoque quando Margot chega, depois de deixar Kitty no churrasco de fim de temporada da equipe de natação.
— Ah, oi. — Em seguida, ela vê o copo de Coca Diet de Chris na mesa de centro sem o descanso de copo. — Será que você pode usar o porta-copos, por favor?
Assim que Margot sobe a escada, Chris exclama:
— Meu Deus! Por que sua irmã é tão babaca?
Coloco um descanso de copo debaixo do copo dela.
— Você está achando todo mundo babaca hoje.
— É porque todo mundo é. — Chris revira os olhos para o teto e exclama: — Ela precisa relaxar mais!
Do quarto, Margot grita:
— Eu ouvi isso!
— Era o objetivo! — responde Chris, raspando o último nhoque do pote.
Eu suspiro.
— Ela vai embora logo, logo. Passou tão rápido...
Chris dá uma risadinha debochada.
— E Josh vai, tipo, acender uma vela para ela todas as noites até ela voltar para casa?
Eu hesito. Apesar de não ter certeza se ainda é um segredo, tenho certeza de que Margot não iria querer que Chris soubesse de sua vida pessoal. Então apenas respondo:
— Não sei.
— Espere aí. Ela deu um pé na bunda dele?
Com relutância, assinto.
— Mas não fale nada para ela. Ela ainda está muito triste.
— Margot? Triste? — Chris cutuca as unhas. — Margot não possui emoções como o resto de nós, humanos.
— Você só não a conhece direito. Além do mais, nem todo mundo pode ser como você.
Ela abre um sorriso largo. Chris tem incisivos afiados, o que faz com que sempre pareça meio faminta.
— É verdade.
Chris é emoção pura. Grita por qualquer coisa. Ela diz que às vezes é preciso extravasar as emoções no grito; se você não fizer isso, elas gangrenam. Outro dia, ela gritou com uma senhora no mercado por pisar sem querer no pé dela. Acho que ela não corre perigo nenhum de suas emoções gangrenarem.
— Só não consigo acreditar que ela vai embora.
De repente, sinto vontade de chorar.
— Ela não está morrendo, Lara Jean. Não precisa ficar toda sentimental. — Chris puxa um fio solto no short vermelho. Ele é tão curto que, quando ela está sentada, dá para ver a calcinha, que é vermelha para combinar com o short. — Na verdade, acho que vai ser bom para você. Já estava na hora de você começar a cuidar da própria vida e parar de ouvir tudo que a rainha Margot diz. Você vai começar o segundo ano, garota. É agora que a coisa fica boa. Beije uns garotos, viva um pouco!
— Eu já vivo bastante — digo.
— É, no asilo.
Chris dá uma risadinha, e eu olho com raiva para ela.
Margot começou a trabalhar como voluntária na Comunidade de Aposentados Belleview quando tirou a carteira de motorista; o trabalho dela era organizar o happy hour dos residentes. Eu ajudava às vezes. Nós servíamos amendoins em tigelas e bebidas, e às vezes Margot tocava piano, mas normalmente era Stormy quem cuidava disso. Stormy é a diva de Belleview. Ela bota ordem no galinheiro. Gosto de ouvir as histórias dela. E da sra. Mary; ela pode não ser tão boa de papo por causa da demência, mas me ensinou a tricotar.
Tem um novo voluntário lá agora, mas sei que, para os residentes de Belleview, quanto mais gente melhor, porque a maioria recebe poucas visitas. Eu devo voltar logo; sinto falta de ir lá. E não gosto nem um pouco de ver Chris debochando disso.
— Aquelas pessoas viveram mais do que todos que conhecemos juntos — digo a ela. — Tem uma senhora, Stormy, que trabalhou na USO! Ela recebia cem cartas por dia de soldados apaixonados por ela. E um veterano que perdeu a perna uma vez mandou uma aliança de diamante!
Chris parece interessada de repente.
— Ela ficou com a aliança?
— Ficou — admito.
Eu acho errado ela ter ficado com a aliança, já que não tinha intenção de se casar com ele, mas ela a mostrou para mim, e era linda. Tinha um diamante cor-de-rosa, muito raro. Aposto que vale muito dinheiro agora.
— Essa Stormy parece ser foda — diz Chris, a contragosto.
— Que tal você visitar Belleview comigo? — sugiro. — Podemos ir para o happy hour. O sr. Perelli adora dançar com as garotas novas. Ele vai ensinar você a dançar o foxtrote.
Chris faz uma cara horrível, como se eu tivesse sugerido um passeio pelo lixão da cidade.
— Não, obrigada. Que tal eu levar você para dançar? — Ela indica o teto com o queixo. — Agora que sua irmã está indo embora, podemos nos divertir de verdade. Você sabe que eu sempre me divirto.
É verdade, Chris sempre se diverte. Às vezes até um pouco demais, mas é diversão de qualquer jeito.

22 comentários:

  1. Chris é VIDA LOKA 👄
    Como a Margot é certinha.. Ela é voluntária até num asilo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curti o jeito da M. Ela não é "certinha", só fica na dela

      Excluir
  2. Lara, POR FAVOR, NÃO faça besteira

    ResponderExcluir
  3. "Eu nem sabia o que era evasão escolar antes de conhecê-la. Se quiser saber, é quando você falta tanta aula que fica muito encrencado."

    🤔😂😂Sim,repeti por falta,notas 9,10 ... Faltas? Muitas,a ponto de repetir 😞☹

    Ps:Ficava na Biblioteca, ou na Igreja,lendo!🤗

    ResponderExcluir
  4. Só acho que a Chris está sendo uma péssima companhia! Tomara que ela não vire a cabeça da menina!

    ResponderExcluir
  5. CimcConc detesto esses elementos ruins q são atraso de vida. A vida da Lara é otióa sem essa Cris

    ResponderExcluir
  6. Está chris é problema

    ResponderExcluir
  7. Já amei a Chris.... 🖤

    ResponderExcluir
  8. Só comecei a ler pq a netflix fez um filme e ele vai ser lançado esse mês.
    Mas estou amando esse livro!!!!

    ResponderExcluir
  9. Ja li essa triologia 1 vez, estou lendo de novo. Amooo esse livro, e a Lara😍

    ResponderExcluir
  10. Gente, reparando bem, eu sou uma mistura tripla de Margot, Lara Jean e Chris. Claro, não faço as mil besteiras que ela faz, digo no aspecto de ser bem extrovertida e impulsiva, a lara pelo lado sonhador e a margot pelo lado de saber o que quer e gostar de organização

    ResponderExcluir
  11. N gosto nem da Chris e nem da Margo

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!