16 de abril de 2018

Capítulo 22

ACORDO COM O barulho do cortador de grama.
É sábado de manhã, e não consigo voltar a dormir, então estou deitada na cama olhando para as paredes, com todas as fotos e coisas que guardei ao longo dos anos. Quero mudar um pouco o visual das coisas. Estou pensando em pintar o quarto. A única questão é: de que cor? Lilás? Rosa algodão-doce? Alguma coisa mais ousada, como turquesa? Talvez só uma parede? Talvez uma amarelo-calêndula, outra rosa-salmão. É muita coisa para pensar.
Talvez seja melhor esperar Margot voltar para casa para tomar uma decisão tão importante. Além do mais, nunca pintei um quarto, e Margot já pintou, com o Habitat for Humanity. Ela vai saber o que fazer.
Aos sábados, costumamos ter alguma coisa gostosa no café da manhã, como panquecas ou frittata com batatas raladas congeladas e brócolis. Mas, como nem Kitty nem Margot estão em casa, como apenas cereal. Quem já ouviu falar de fazer panqueca ou frittata para uma pessoa só? Meu pai está acordado há horas; está lá fora, cortando a grama. Não quero ter que ir ajudar com as coisas do jardim, então me ocupo com a casa e limpo o primeiro andar. Passo pano, tiro o pó e limpo as mesas, e o tempo todo estou pensando em como vou sair dessa situação com Peter K. com pelo menos um resquício de dignidade. As engrenagens giram e giram, mas nenhuma boa solução me vem à cabeça.

* * *

Quando deixam Kitty em casa, estou dobrando as roupas limpas. Ela se deita no sofá de barriga para baixo.
— O que você fez ontem à noite? — pergunta ela.
— Nada. Só fiquei em casa.
— E?
— Arrumei meu armário. — É humilhante dizer isso em voz alta, então mudo logo de assunto. — A mãe da Alicia fez crepes salgados ou doces?
— Os dois. Primeiro comemos de presunto e queijo, depois de Nutella. Por que nunca compramos Nutella?
— Acho que é porque avelãs fazem a garganta da Margot coçar.
— Podemos comprar na próxima vez?
— Claro — respondo. — Só vamos ter que comer o pote inteiro antes da Margot voltar para casa.
— Sem problema — diz Kitty.
— Em uma escala de um a dez, quanto você sente falta dela?
Kitty reflete.
— Seis e meio — responde ela, enfim.
— Só seis e meio?
— É, ando muito ocupada — explica, rolando e balançando as pernas no ar. — Não tive tempo de sentir falta da Margot. Sabe, se você saísse mais, talvez não sentisse tanta falta dela.
Jogo uma meia na cabeça de Kitty, que explode em uma crise de riso. Estou fazendo cócegas nas axilas dela quando nosso pai entra com uma pilha de cartas.
— Uma carta com devolução ao remetente chegou para você, Lara Jean — diz ele, me entregando o envelope.
É a minha letra! Eu me levanto e pego das mãos dele. É minha carta para Kenny, do acampamento. Ela voltou para mim!
— Quem é Kenny? — papai quer saber.
— Só um garoto que conheci no acampamento da igreja muito tempo atrás — digo, enquanto rasgo o envelope.

Querido Kenny,
Estamos no último dia de acampamento, e provavelmente é a última vez que vou ver você porque moramos muito longe um do outro. Lembra no segundo dia, quando eu estava com medo de usar o arco e você fez uma piada tão engraçada sobre sardinhas que eu quase fiz xixi na calça?

Paro de ler. Uma piada com sardinhas? Quão engraçado isso pode ter sido?

Eu estava com muita saudade de casa, mas você fez com que eu me sentisse melhor. Talvez até tivesse ido embora do acampamento mais cedo se não fosse por você, Kenny.
Então, obrigada. Além do mais, você nada muito bem, e gosto da sua gargalhada. Queria que tivesse sido eu quem você beijou na fogueira ontem à noite, não Blaire H.
Se cuida, Kenny. Espero que tenha um bom fim de verão e uma ótima vida.
Com amor,
Lara Jean

Eu aperto a carta contra o peito.
Foi a primeira carta de amor que escrevi. Fico feliz de ela ter voltado para mim. Mas imagino que não seria tão ruim se Kenny Donati soubesse que ajudou duas pessoas naquele verão: o garoto que quase se afogou no lago e Lara Jean Song Covey, de doze anos.

7 comentários:

  1. N tendi muito bem, ele leu a carta né??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A carta foi devolvida, sem ler. Provavelmente, o garoto se mudou ou o endereço estava errado.

      Excluir
    2. Não, a carta só voltou para o remetente. O endereço era muito antigo, devia estar errado, aí o correio só devolveu. Que alívio pra ela!

      Excluir
  2. Menos uma carta para se preocupar!😛

    ResponderExcluir
  3. A carta estava com o endereço do acampamento , por isso voltou , pq o garoto não morava lá .

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!