2 de março de 2018

Capítulo 25

O grupo estava animado ao deixar a aula, todos risonhos e sorridentes enquanto subiam as escadas.
Fletcher, Otelo e Serafim haviam sido os únicos a conseguir criar fogos-fátuos; pequenos mas funcionais, que flutuavam junto aos seus ombros. Os outros tinham conseguido projetar um filamento de luz azul, mas foram incapazes de encontrar o foco para formar a bola. Apesar disso, o primeiro gostinho de feitiçaria tinha lhes deixado eufóricos, e Rory e Genevieve não eram do tipo que sentia inveja dos amigos. Até mesmo Atlas esfregava a cabeça de Bárbaro com um imenso sorriso estampado no rosto.
— Vou praticar controle de fogo-fátuo no meu quarto — anunciou Serafim, quando eles chegaram ao alojamento. — Consegui empurrar a luz de um lado para o outro, mas jamais vou conseguir fazer ela ficar parada como Arcturo fez!
Ele desapareceu no corredor dos meninos, com Farpa logo atrás. Não havia sinal de Sylva, desaparecida mais uma vez. Fletcher não sabia bem por que ela tinha recebido permissão para faltar à primeira aula, mas estava ansioso para fazer as pazes.
— Será que a gente devia ter esperado? — indagou Rory num tom melancólico, contemplando Malaqui sob um novo ponto de vista.
— Eu amo Azura do fundo do meu coração, mas não posso deixar de pensar que vamos ficar em desvantagem daqui para a frente. Se Arcturo acha difícil capturar um novo demônio, que esperanças podemos ter? — resmungou Genevieve em concordância.
Fletcher não conseguiu pensar em nada que pudesse animar os amigos, porém foi o geralmente sombrio Otelo quem falou em seguida:
— Vocês podem não conseguir capturar um demônio tão poderoso quanto um Cascanho ainda, mas talvez possam capturar outro Caruncho. Vivendo tão perto das linhas de frente, a gente escuta algumas coisas sobre os diferentes tipos de magos de batalha. Alguns têm um só demônio poderoso que é difícil de controlar, enquanto outros têm muitos diabretes menores, como os xamãs orcs fazem. Vocês não prefeririam mandar um enxame de Carunchos contra seus inimigos? Talvez até consiga enviar vários deles ao éter e aproveitar sua força combinada para trazer um demônio mais poderoso de volta — sugeriu Otelo, coçando o queixo.
— Ei, é mesmo — concordou Rory, com um enorme sorriso no rosto. — Imaginem só mil Malaquinhos. Isso seria o máximo!
Serafim voltou ao salão, brandindo uma folha de papel numa das mãos e um pequeno saco de pano na outra.
— Olhem só isso! — disse ele, colocando o que descobriram ser uma tabela de horários na frente deles. — Só três dias por semana com horário integral de aulas, com um treino opcional de combate no porão no quarto dia. O resto é estudo livre! Podemos fazer o que quisermos nesse tempo.
Rory riu e deu um tapa na mesa, fazendo Malaqui e Azura saírem voando com zumbidos repreensivos.
— Ooops! — exclamou Rory, estendendo a palma para que o inseto aborrecido pousasse, e lhe dando um beijo de leve na carapaça verde.
— E isso não é tudo! Eles nos pagaram o que resta do nosso primeiro mês de salário. Quem precisa de universidade quando você pode se alistar no exército e ser pago para estudar? — continuou Serafim, balançando a bolsa, que tilintou. — Tem sessenta xelins aqui.
— Acho que merecemos uma visita a Corcillum! — exclamou Genevieve, cujo rosto se iluminou com um sorriso brilhante. — Isso é mais do que a minha mãe ganhava num mês, e ela trabalhava o dia inteiro. Vamos depois do almoço.
— Eu certamente preciso de uma visita a um alfaiate — concordou Fletcher, mexendo na gola esfarrapada da camisa.
— Minha família deve estar preocupada comigo. Eu adoraria ter uma chance de contar para eles que tenho... alguns amigos aqui. — Otelo puxou a barba timidamente.
— Está combinado, então. Quem foi que disse que não teríamos dinheiro para ir a Corcillum? Provavelmente vai nos custar os olhos da cara chegar lá, mas valerá a pena — comentou Serafim, correndo de volta para seu quarto.
Passos ecoaram nas escadas atrás deles, seguidos do som de vozes.
— Quem poderia ser? — perguntou-se Fletcher em voz alta.
— Então, veja só... eles me largaram aqui com os plebeus, quando o meu sangue é tão puro quanto o seu. É uma completa desgraça! Tenho certeza de que, se você falar com o reitor em meu nome, eu poderei me mudar para a mesma ala que você. — Era Sylva, seguida por Isadora e a outra garota nobre.
— Ugh, este lugar é menor que o meu banheiro — fungou a menina loira, franzindo o nariz perfeito como se sentisse algum fedor no aposento.
— Eu sei! Você deveria ver meu quarto. Deixe-me mostrá-lo — disse Sylva, tentando arrastar a outra ao alojamento das meninas. Isadora parou e avaliou o grupo, estreitando os olhos quando passaram por Otelo.
— Espere um instante — disse ela, batendo um pé delicado. — Chegou a hora de dizer a esses plebeus como serão as coisas este ano.
Isadora caminhou ao redor do grupo como se fosse um leão da montanha espreitando a presa. Ela exalava uma confiança natural que colocava Fletcher na defensiva.
— Eis o que vai acontecer. Vocês plebeus vão manter as cabeças baixas e não vão criar nenhum problema para os nobres. Quando o torneio deste ano começar, vão todos desistir na primeira rodada e deixar que seus superiores assumam seus lugares de direito. Afinal de contas, são os nossos impostos que sustentam o exército do rei, e também pagamos pelos nossos próprios batalhões de nobres. É apenas justo que lideremos os soldados pagos por nossas famílias. Vocês não têm direito nem chance de se tornarem oficiais seniores. Simplesmente não receberam a criação correta. Então fiquem fora do nosso caminho e talvez nós permitiremos que um de vocês sirva como nosso tenente. Que tal?
Ela sorriu docemente quando terminou, como se tivesse acabado de elogiá-los. Fletcher foi o primeiro a falar:
— Parece que vocês estão com medo da competição — afirmou, se espreguiçando com indiferença exagerada. Os outros permaneceram calados, imaginando o que a menina faria em seguida. Isadora fez um biquinho, como uma criança mimada; um contraste estranho com a diabinha confiante de meros instantes atrás.
— Ser raro não é equivalente a ser poderoso. Lembre-se disso, Fletcher — sussurrou no ouvido dele.
Quando ela se endireitou, Serafim voltou ao salão e sorriu ao ver as meninas.
— Legal, ninguém me avisou que tínhamos visitas. Bem-vindas ao nosso humilde lar! Ainda não fomos apresentados. Eu sou Serafim.
Isadora lhe lançou um olhar de puro desprezo, então saiu pela escadaria, ignorando Sylva, que estava a meio caminho do quarto. A elfa olhou com raiva para Fletcher, como se fosse culpa dele, e saiu correndo atrás da nobre. A morena ficou indecisa na entrada, mordendo o lábio para Serafim, cujo rosto era uma imagem de incredulidade.
— Lamento por isso — disse ela numa voz quase inaudível.
— Vamos, Penélope! — gritou Isadora, de baixo. A menina se virou e partiu, com a nuca vermelha de vergonha.
— Prazer em conhecê-las! — exclamou Rory enquanto ela desaparecia.
— O que diabos foi isso? — perguntou Serafim, se largando numa cadeira.
— Ela estava nos avaliando, querendo ver se éramos molengas. Acho que se enganou — explicou Otelo, cerrando os punhos de raiva.
— E o que Sylva está fazendo, se insinuando para os nobres? — indagou Genevieve, igualmente aflita.
— Acho que, como filha de um chefe de clã, ela se considera nobre também — sugeriu Fletcher, cujo pedido de desculpas ainda sendo formulado tinha desaparecido completamente dos pensamentos.
Por mais que Isadora e Tarquin parecessem ser a fonte de toda arrogância dos nobres, pelo menos até onde Fletcher podia ver, o fato de Sylva ter amarrado o boi na carroça deles não a colocou na sua lista de amigos.
— Vamos lá, juntem suas coisas; vamos pular o almoço e ir para Corcillum agora — chamou Fletcher.
— Ótima ideia. Acho que perdi o apetite — concordou Otelo, balançando a cabeça e parecendo desapontado.

7 comentários:

  1. Nossa, que raiva dessa Isadora mano. Da Sylvia também, eu achava que ela era legal, só incompreendida. Espero que essa Penélope pare de seguir elas

    ResponderExcluir

  2. 🍿🌚📽
    Bagulho ta ficando doido. Heuheueh

    ResponderExcluir

  3. 🍿🌚📽
    Bagulho ta ficando doido. Heuheueh

    ResponderExcluir
  4. Isso mesmo, mostra que esses nobres não pode mandar em ninguém.😠😲

    ResponderExcluir

Comentários de volta!
Passamos algumas horas sem essa opção, mas estamos à ativa novamente :)

Boa leitura! E SEM SPOILER!