16 de fevereiro de 2018

Capítulo 64

RAFE

Eu havia caminhado pela margem do rio por quilômetros, procurando por toda parte. Eu não aceitaria que ela tivesse morrido. Estava entorpecido com o frio e incerto em relação a quanto tempo havia se passado. Em momento algum eu avistei a jangada de novo e me perguntava se os outros haviam conseguido. A cada passo que eu dava, retraçava os eventos, tentando entender como tudo tinha saído errado. Eu vi a criança, Aster, novamente, cujo corpo jazia na neve, e a faca na mão de Lia. Vi o Komizar também, caído junto à parede e sangrando. Não havia dado tempo de juntar as peças na ocasião, e eu ainda não conseguia fazer isso.
Meus pensamentos estavam voltados apenas para Lia. Eu estivera com ela. Estivera com ela nos meus braços e então nós estávamos caindo nas quedas d’água e ela deslizou dos meus braços. Eu estava com ela, e o rio havia arrancado Lia de mim.
A correnteza era rápida e implacável. Eu não sabia ao certo como foi que eu mesmo tinha conseguido chegar até a margem. Quando consegui, estava a muitos quilômetros rio abaixo, e tanto meus braços quanto minhas pernas estavam congelados. De alguma forma, eu havia me arrastado para cima da margem do rio e forçara minhas pernas a se mexerem, rezando para que Lia tivesse feito o mesmo. Eu nada conseguia aceitar além disso.
Escorreguei em uma rocha coberta de gelo e caí de joelhos, sentindo minha força esvanecendo. Foi então que avistei à frente, com o rosto voltado para baixo na margem do rio, na terra, como se já fizesse parte dela, com os dedos se vida na lama e na neve.
O sangue manchava suas costas onde a flecha havia entrado. Apenas um toco da flecha estava ali. Corri até ela e caí ao seu lado, virando-a com gentileza e puxando-a para os meus braços. Os lábios dela estavam azuis, mas um gemido baixinho escapou deles.
— Lia — sussurrei. Rocei a neve para longe dos cílios dela.
Suas pálpebras abriram-se, trêmulas. Ela demorou um instante para ver quem eu era.
— De que lado do rio estamos? — ela me perguntou, com a voz tão fraca que eu mal conseguia ouvi-la.
— Do nosso lado.
Um fraco sorriso enrugava os olhos dela.
— Então nós conseguimos.
Ergui o olhar, inspecionando nossos arredores. Nós estávamos a quilômetros de qualquer lugar que fosse, sem cavalos, comida ou fogo, e ela estava ali deitada, bem machucada e sangrando nos meus braços, com a face da cor da morte.
— Sim, Lia, conseguimos. — Meu peito tremia, e eu me inclinei para baixo e dei um beijo em sua testa.
— Então, por que você está chorando?
— Não estou chorando. É só que... — abracei-a mais junto de mim, tentando dividir a pouca quentura que eu tinha. — Nós deveríamos ter ficado lá. Deveríamos...
— Ele teria me matado em algum momento. Você sabe disso. Ele já estava cansado do pouco poder que partilhava comigo. E, se não fosse o Komizar, seu Conselho teria feito o trabalho.
A cada palavra que ela dizia, sua voz ficava mais fraca.
— Não me deixe, Lia. Prometa que não vai me deixar.
Ela levou a mão para cima e limpou as lágrimas do meu rosto.
— Rafe — disse ela em um sussurro — nós chegamos até aqui. O que são mais uns mil ou dois mil quilômetros?
Os olhos dela se fecharam, e sua cabeça pendeu para o lado. Coloquei os meus lábios nos dela, buscando desesperadamente por suas respirações, que estavam rasas e fracas, mas ainda estavam lá.
Chegamos até aqui. Eu nem mesmo sabia onde estávamos. Nós estávamos perdidos na margem de um rio, cercados por quilômetros de floresta escura, mas coloquei um braço embaixo dos joelhos dela e o outro, cuidadosamente, atrás das suas costas e me levantei. Beijei-a mais uma vez, com meus lábios gentilmente repousando nos dela, tentando trazer sua cor de volta. E comecei a caminhar. Mil ou dois mil quilômetros, eu a carregaria por todo o caminho até Dalbreck se tivesse que fazê-lo. Ninguém iria arrancá-la dos meus braços novamente.
Nós já tínhamos três passos atrás de nós.
— Aguente firme, Lia — sussurrei.
Aguente firme por mim.

21 comentários:

  1. Agora que eu fui ver que ja podia comentar! Droga!
    Passei o livro todo sem comentar!

    ResponderExcluir
  2. Escorreu varias lágrimas aqui sabe kkkk tadinha da lia😔 da Áster tbm slk já tava pensando que ela que ia morrer e no final morreu msm 😢

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né, deu dó da Aster, eu não imaginava, não queria </3

      Excluir
  3. Lágrimas rolando aqui ..Ahhh não aguento

    ResponderExcluir
  4. O que aconteceu com o Kaden??
    A meus deuses como assim???
    Ainda estou assimilando esse final!!

    ResponderExcluir
  5. Entrou o deserto do Saara no meu olho nos últimos 2 capitulca naaaaaaaoooooo nporque a pequena tinha que more meu core não guenta

    Mirtiz 😧😭😧😭

    ResponderExcluir
  6. Não acrediacredito que terminou assim,li tão rápido que esqueci de comentar mais esse livro é muito bom e eu estou firme no meu casal lia e kaden

    ResponderExcluir
  7. Que final épico, Rafe mostra demais amor por ela, nasceram pra ficarem juntos 👏😍❣️

    ResponderExcluir
  8. COMO QUE ACABOU ASSIM? ISSO É UM JOGO COMIGO? GENTE EU NÃO TO BEM EU NÃO TO NADA BEM EU NEM SEI OQ TÁ ACONTECENDO EU VOU CHORAR NO MEU QUARTO UM BEIJO

    ResponderExcluir
  9. Alguem me helpa, alguém helpa a Lia pelo amor

    ResponderExcluir
  10. Fico mega tranquila sabendo que já tem o terceirão aí!! Karina vc é uma linda!!! E gente e o sven?? E eu tô achando que Kaden vai ser o komizar :P

    ResponderExcluir
  11. AÍ MANO, COMO LIDAR COM ESSE FINAL?!?!?
    Cadê meu amorzinho Kaden?! Indo desesperadamente pro próximo livro, aguenta coração♡

    ResponderExcluir
  12. Malich mirou em Lia n por sede de vingança, mas sim por poder. Onde está Kaden?


    ~ Evy

    ResponderExcluir
  13. 😱😱😱😱😱😱😱Partiu próximo livro urgentemente😱😱😱😱😱😱😱😭😭😭😭😭😭

    ResponderExcluir
  14. Meu coração acabou de parar de bater por causa desse capítulo 😧😑😢

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!