20 de fevereiro de 2018

Capítulo 5

KADEN

Encontrem-na. Não voltem sem ela. Viva ou morta, não me importo. Matem todos eles. Mas a tragam de volta.
Não havia muito mais com o que ocupar minha cabeça senão com aquelas que poderiam ter sido as últimas palavras do Komizar. Ele precisava da cabeça dela como prova. Uma forma de suprimir a inquietação de uma vez por todas. O massacre aleatório dos clãs que torciam por ela na praça não tinha sido o suficiente para ele.
Olhei para trás, para o perigoso pontilhão pelo qual havíamos acabado de conduzir nossos cavalos.
— Eu vou fazer isso — falei a Griz, tirando dele o machado, e Griz começou a protestar, mas ele sabia que não adiantava. Ele não conseguia erguer o braço esquerdo sem ficar pálido. O que teria lhe tomado uma dezena de golpes quando não estava machucado me tomou mais do que duas vezes isso, mas finalmente as estacas soltaram-se e caíram, e as correntes faziam um som metálico enquanto caíam água abaixo. Coloquei o machado de lado para um eventual uso futuro e ajudei Griz a voltar a subir no seu cavalo. O caminho à nossa frente estava denso como a neve, e não havia qualquer trilha a seguir. Tudo que tínhamos era um palpite de Griz e uma memória amortecida.
Puxei meu manto apertado para me proteger do frio. Em conluio, todos eles. Eu deveria ter sabido que o governador Obraun fazia parte do estratagema dela. Ele cedeu com facilidade demais durante as nossas negociações do conselho porque ele sabia que nunca teria que seguir em frente e dar dízimo algum. E o príncipe. Mentirosos malditos, ele era o príncipe! Meus dedos estavam rígidos nas minhas luvas enquanto eu segurava as rédeas. Agora tudo fazia sentido. Todos os detalhes, tudo, desde o começo lá em Terravin. Ele era um soldado treinado, exatamente como eu havia suspeitado... Provavelmente com o melhor dos tratamentos que Dalbreck poderia oferecer. Quando Griz confessou que conhecia a identidade dele o tempo todo, quis matá-lo por traição. Entretanto, ele me fez lembrar dos meus próprios modos traidores. Eu não tinha como discutir isso. Eu havia traído um juramento meses atrás quando não cortei a garganta de Lia enquanto ela dormia na sua cabana.
Mas a tragam de volta.
O Komizar faria com que ela morresse de uma forma ou de outra pelo que havia feito. Pelo que todos eles tinham feito. Contudo, sua preferência era que ela fosse trazida de volta viva... e então ele faria com que ela sofresse em público da pior forma possível pela sua traição.
Encontrem-na.
E com o meu último suspiro vendano, era exatamente isso o que eu haveria de fazer.

16 comentários:

  1. Ah, Kaden, Kaden <3

    O que você fez Lia? Tsc tsc.

    ResponderExcluir
  2. Omg :0 essa praga de Komizar deve ser imortal ou pior kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem falou que é o mesmo Komizar que a Lia esfaqueou?? Todos os governantes de Venda se chamam Komizar. É só assumir o cargo que a pessoa muda de nome. Já foi falado isso anteriormente nos livros.

      Excluir
    2. Pode ser o Malick

      Excluir
  3. Eu sei que o Kaden vai procurar ela, não pro Komizar, porém para salvar ela, tem que ser para salvar ela. Não acredito que a praga tá viva, bem que diz: "vaso ruim não quebra."

    ResponderExcluir
  4. ahhhhhh nãaaaooo, Kaden tinha que ficar com ela :(

    ResponderExcluir
  5. O diabo sobreviveu e o babaca do Kaden ainda está do lado dele 😡

    ResponderExcluir
  6. o desgraçado sobreviveu

    ResponderExcluir
  7. Mintira q ele ta vivo pelamor....

    ResponderExcluir
  8. O comizar morreu .nao viu quando kaden falou que foi no ultimi suspiro vedano

    ResponderExcluir
  9. O komizar não morreu. E Kaden continua seguindo suas ordens. Ele é um idiota.

    ResponderExcluir
  10. Olha a Mérda q á lia fez.

    ResponderExcluir
  11. o komizar morreu e em seu ultimo suspiro ele decretou que a Lia fosse encontrada pois ela é a rainha de Venda.

    ResponderExcluir

Comentários de volta!
Passamos algumas horas sem essa opção, mas estamos à ativa novamente :)

Boa leitura! E SEM SPOILER!