16 de fevereiro de 2018

Capítulo 54

Eu estava sentada em um banco de madeira perto dos estábulos dos criados, fitando uma pena que se agitava no chão, com os pés e os dedos das mãos entorpecidos, meus pensamentos pulando da fúria para a descrença. Segredos em casa, segredos nas cavernas. O engodo não conhecia qualquer fronteira.
Segredos. Foi isso o que vi nos olhos alarmados de Argyris e que senti pressionando o meu peito quando passei pela caverna. Um perigoso segredo.
Movimentos ao longe chamaram a minha atenção. Ele vinha em direção a mim.
O maior dos traidores.
Ele parou a vários metros de distância, notando que havia algo errado.
— Onde estão suas escoltas?
Eu não respondi.
— Procurei você em toda parte — disse ele. — O que está fazendo aqui? Está congelando.
Estava mesmo.
— Podemos conversar? — ele me perguntou. Analisei Kaden, cujos olhos estavam cálidos e em busca de alguma coisa. Kaden queria uma trégua. Tornar tudo melhor, como se estivéssemos caminhando em uma campina depois de uma das confusões de bêbado dele. Kaden me trazendo um cesto de bolinhos de maçã silvestres ácidas. Kaden me abraçando enquanto eu via meu irmão morrer, dizendo o quanto sentia muito. Kaden com seus olhos firmes. Com sua calma enganosa. Com sua devastadora traição.
Ele fitou meus joelhos, que tremiam.
Não tinha sido eu que o havia traído.
— Lia? — disse ele, como se estivesse testando as águas. Lia, é seguro chegar perto de você?
— Você sabia — falei. Meu joelho ia para cima e para baixo. Minhas mãos tremiam. — O tempo todo, você sabia.
Ele deu um passo cauteloso para a frente.
— Do que você está...?
Fui voando para cima dele, estapeando-o, batendo nele enquanto ele recuava, um passo após o outro, tentando esquivar-se dos meus golpes.
— Não finja que não sabia! O tempo todo você ficou com seus joguinhos, me dizendo que estava tentando salvar a minha vida enquanto planejava exterminar até a última pessoa que eu amo! Walther e Greta não foram o bastante? Agora são meus outros irmãos? Berdi? Pauline? Gwyneth? — Parei de avançar nele e olhei para Kaden com ódio. — Você quer matar todas as pessoas em Morrighan, até a última delas!
Ele puxou os ombros para trás.
— Você viu o exército.
Olhei para ele com o mesmo olhar fixo e desprovido de paixão.
— Eu vi o exército.
Ele ficou quieto por apenas um instante e depois me atacou verbalmente, varrendo o ar com a mão, como se isso fosse capaz de dispensar a minha acusação.
— E daí? Morrighan e Dalbreck também têm seus exércitos. O nosso não vai matar todo mundo. Apenas aqueles que nos subjugam.
Olhei para ele com descrença. Será que ele realmente acreditava nisso?
— E eu tenho certeza de que isso inclui seu pai, um lorde de nascimento nobre. Provavelmente ele é o primeiro da lista.
Kaden não me respondeu, mas cerrou o maxilar.
— Então era isso o tempo todo. Vingança. Você está tão consumido pelo ódio pelo seu pai a ponto de querer matar todas, até a última das pessoas que respiram em Morrighan.
— Nós vamos marchar para cima de Morrighan, Lia. Estamos removendo aqueles que estão no poder, e isso inclui o meu pai, e, sim, ele pode vir a morrer.
— Pode?
— Eu não sei o que vai acontecer. Eu não sei com que tipo de me luta nos depararemos. Com nossos números, eles seriam sábios se largassem as armas, mas, se não fizerem isso, ele e muitos outros vão morrer.
— Pela sua mão.
— Você é ótima para falar de vingança. Desde as mortes de Walther e de Greta, você vem buscando vingança, dizendo a mim que não importa o que você fizesse, que nunca seria o bastante. Seus olhos brilham com vingança toda vez que recaem sobre Malich.
  —Mas não está nos meus planos matar um reino inteiro para conseguir minha vingança.
— As coisas não vão acontecer desse jeito. Eu e o Komizar concordamos que...
— Você tem um acordo com o Komizar? — Eu ri. — Que maravilhoso para você. Sim, todos nós temos nossos acordos com ele. O Chanceler, o Emissário, eu. Ele parece ser muito bom em fechar acordos. Você certa vez me ridicularizou por não conhecer minhas próprias fronteiras. Fiquei envergonhada com essa verdade, mas minha ignorância empalidece em comparação com a sua. Eu tenho certeza de que Berdi, Gwyneth e Pauline ficariam tão aliviadas ao saberem que você tem um acordo.
Girei e segui andando para longe dele.
— Lia — ele me chamou — eu juro a você que não vou permitir que qualquer mal aconteça com Berdi, Pauline ou com Gwyneth.
Parei de andar por um instante. Sem me virar, aceitei a promessa dele com um único assentir de cabeça e então continuei seguindo meu caminho e, embora não soubesse ao certo que ele pudesse fazer tal declaração, eu me prendi àquele pedacinho pequeno de esperança. Até mesmo se eu e Rafe não conseguíssemos sair dessa, talvez Kaden fosse se lembrar da promessa que fizera a mim.
No meu caminho de volta ao quarto, fiz uma viagem secundária até as cavernas. Ali. Talvez demore um tempinho para entendermos a verdade que sussurra nas nossas costas. Parecia como nos velhos tempos, em que eu entrava sorrateiramente no escritório do Erudito Real. Só que desta vez, quando peguei uma coisa, não deixei um bilhete.

9 comentários:

  1. Hmm. Cada vez me preocupo mais com o Kaden. Aliás, o que ela esperava? É uma guerra.

    ResponderExcluir
  2. Ela despeja toda a raiva dela na pessoa errada, deveria manter Kaden por perto e não afastá-lo

    ResponderExcluir
  3. Gente!! Eu tô no chão o.o
    Será que vai ter um capítulo desta indo à guerra?? Seria um negócio bemmmm sinistro!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Quem é ela pra falar de mentira .Ela mente pra ele o tempo todo .

    ResponderExcluir
  5. KADEN MEDROSO E TRAIDORRRR
    Não sei como ainda conseguem shippar ele com a Lia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa.. o povo de venda e o Komisar é tudo o que ele conhece e é leal, tudo o que ele teve depois de ser traído pelo seu pai. Ele pode até ser medroso e meio tonto por não encarar o Komisar e ser sempre manipulado. Mas n é traidor.. em um guerra todos os lados acreditam estarem certos, mas todos estão buscando por coisas que lhes são importantes.. e ele seria meio fraco e desonrado se mudasse tudo o que ele era pela Lia. Então vou torcer apenas para ele fazer o que ele achar correto quando a tempestade chegar

      Excluir
    2. Guerra é sempre difícil.. porque sempre causa danos colaterais em civis que são boas pessoas e n tem nada haver. A Lia não quer que destruam seu reino mas também não vai gostar do povo de venda sendo morto. Ela tá frita, devia virar a Komisar

      Excluir
  6. Sinceramente eu concordo com a Lia, só pq sua vida não é uma maravilha vc não tem q ir e acabar com um reino inteiro😒😒

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!