24 de fevereiro de 2018

Capítulo 33

Vi Agnes mais uma vez antes de enfim deixar o Lavery. Eu cambaleava com os braços cheios de roupas que tinha levado para consertar em casa, com os plásticos de proteção grudando incomodamente na minha pele por causa do calor. Quando passei pela mesa da recepção do prédio, dois vestidos caíram no chão. Ashok se levantou com um pulo para pegá-los para mim e tentei não deixar o restante cair.
— Trabalho não vai lhe faltar hoje à noite.
— Ah, com certeza. Trazer tudo isso no metrô foi um verdadeiro pesadelo.
— Imagino. Ah, perdão, Sra. Gopnik. Vou só tirar isso do caminho.
Observei Ashok tirar meus vestidos do tapete em um movimento fluido para liberar o caminho para Agnes. Quando ela passou, aprumei o corpo o máximo que pude, apesar dos braços cheios de roupas. Agnes estava usando um vestido reto simples, com um decote largo, e sapato baixo, e parecia, como sempre, que de algum modo as condições do clima no momento — fosse calor ou frio extremo — não valiam para ela. Estava segurando a mão de uma garotinha, de quatro ou cinco anos, em um vestido salopete, que diminuiu o passo para ficar olhando aquele monte de roupas coloridas que eu segurava à frente do corpo.
Seu cabelo era cor de mel, tinha cachos delicados nas pontas e estava bem penteado para trás e preso por dois laços de veludo. Ela também tinha os olhos oblíquos da mãe. Enquanto me observava, ela deu um sorrisinho travesso diante da minha enrascada.
Não pude deixar de sorrir de volta e, quando fiz isso, Agnes se virou para ver para onde a filha estava olhando. Então fizemos contato visual. Fiquei paralisada por um instante e quase consegui ficar séria de novo, mas, antes que pudesse fazer isso, os cantos da boca de Agnes formaram um sorriso igual ao da filha, quase como se ela não pudesse contê-lo. Ela assentiu para mim — foi um movimento tão discreto que provavelmente só eu percebi. Então, passou pela porta, que Ashok segurava, com a criança já pulando, e as duas se foram, engolidas pela luz do sol e pelo tráfego humano sempre em movimento da Quinta Avenida.

3 comentários:

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!