20 de fevereiro de 2018

Capítulo 16

Solto um grito e me prostro de joelhos,
incapaz de seguir em frente,
chorando pelos mortos,
chorando pelas crueldades,
e um sussurro me chama de muito longe:
Você é forte.
Mais forte do que sua dor,
Mais forte do que seu pesar,
Mais forte do que eles.
E eu me forço a ficar em pé de novo.
— As palavras perdidas de Morrighan —



RAFE

Eu não conseguiria banir a visão do bárbaro puxando a cabeça de Lia para trás pelos cabelos, erguendo a espada, e no lampejo do momento, vi o caçador de recompensas em Terravin mais uma vez, com a faca junto ao pescoço dela, mas dessa vez eu sabia que ela morreria. Eu estava longe demais. O terror havia tomado conta de mim. Nunca chegaria até ela a tempo.
No entanto, de alguma forma, consegui. De alguma maneira, eu estava lá. Meu alcance, mais longo; meu avanço, mais rápido do que jamais fora antes. Ela cavalgava comigo agora, assentada na minha sela, junto a mim. Quando eu disse aos outros que ela deveria cavalgar comigo, não expliquei o motivo. Ninguém perguntou. Os cavalos extras estavam amarrados atrás do nosso grupo.
Nós só estávamos de volta à trilha por uma hora quando vimos o crepúsculo ao longe, e então, um esquadrão. Eles se espalharam. Eles tinham nos avistado também. Que inferno! Quanto mais conseguiríamos aguentar? Havia pelo menos trinta deles, e nós estávamos presos em uma planície extremamente aberta, com as ruínas bem ao longe atrás de nós.
Ergui a mão, e nossa escolta parou. Ouvi o rumor dos murmúrios atrás de mim.
Benditos sejam os deuses!
Jabavé.
Mãe dos demônios!
O que fazemos agora?
A ordem para dar a volta e tentar chegar de novo nas ruínas estava nos meus lábios quando avistei alguma coisa na nuvem cheia de poeira.
— Vossa Alteza — disse Sven, impaciente, esperando uma ordem.
Alguma coisa azul. E preta.
— Um estandarte — falei. — São nossos!
Gritos de alívio irromperam, mas então todos nós vimos a mesma coisa enquanto galopávamos para mais perto deles. Com as lanças apontadas, as aramas sacadas. Não havia como se enganar em relação à intenção deles enquanto vinham na nossa direção, prontos para o ataque: eles não sabiam quem éramos. Acenamos com os braços, mas eles não diminuíram a marcha.
— Alguma coisa branca! — gritei. Na hora em que eles se dessem conta de quem éramos, pelo menos um de nós teria sido empalado. Mas não havia um trapo que fosse de tecido branco entre nós para acenarmos.
— Nossos mantos — disse Lia, e então mais alto: — Nossos mantos são vendamos!
As cobertas de selas que estávamos usando eram tecidas em cores e padrões vendanos. Até onde eles sabiam, nós éramos um esquadrão de bárbaros. Quem mais estaria por ali?
— Soltem as cobertas! — gritei.
A patrulha diminuiu a marcha, como se estivessem conversando, mas suas armas ainda estavam apontadas para nós. Quando eles estavam dentro de um alcance em que poderiam ouvir nossos gritos, nós nos identificamos, com as mãos no ar, como soldados de Dalbreck. Eles se aproximaram de nós com cautela, e depois pararam a uns seis metros de distância de onde estávamos, ainda prontos para passarem correndo por nós. Ordenei que todos descessem das montarias e que mantivessem as mãos à vista e longe das suas armas. Ajudei Lia a descer, e então eu e Sven demos um passo à frente.
— Seus malditos tolos! — berrou Sven. — Não reconhecem seu príncipe quando o veem?
Entre a nossa camada de terra e o sangue que manchava as nossas roupas, eu não teria esperado que alguém nos reconhecesse.
O capitão apertou os olhos para nos ver melhor.
— Coronel Haverstrom? Sven?
Ouvi um suspiro coletivo vindo dos outros. Meus músculos relaxaram pela primeira vez em semanas. Nós estávamos quase em casa.
— Isso mesmo, seu cabeça-oca — disse Sven, em um tom cheio de alívio.
— E, por mais que eu pareça um cachorro vira-lata, sou o príncipe Jaxon — acrescentei.
O capitão olhou com estranheza para mim, depois olhou de relance para os soldados que estavam um a cada lado dele. Ele desceu da montaria e deu um passo à frente para se encontrar comigo. Sua expressão estava sinistra.
— Capitão Azia — disse ele, apresentando-se. — O exército inteiro de Dalbreck esteve procurando por você...
Alguma coisa na expressão dele estava errada.
E então, prostrando-se no chão com um joelho só.
— Majestade.

13 comentários:

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!