17 de dezembro de 2017

Capítulo 14

Trim trim.
Trim trim.
Trim trim.
— Alô, pois não? Sim, isso mesmo. Dá pra falar mais alto, tá a maior barulheira aqui. O quê? [...] Não, eu só trabalho aqui no bar à noite. Quem fica aqui na hora do almoço é a Yvonne e o Jim, que é o dono. Não, eu não estava. O quê? [...] Fala mais alto, meu filho. [...] O quê? [...] Não, não tô sabendo nada de rifa, não. [...] Não, realmente não sei nada sobre isso. Guenta aí, eu vou chamar o Jim.
A garçonete tapou o fone com a mão e chamou o Jim.
— Jim, tem um cara no telefone dizendo que ganhou uma rifa. Fica repetindo que tinha o bilhete 37 e que ganhou.
— Não, o cara que ganhou estava aqui no bar — gritou o barman.
— Ele tá querendo saber se o bilhete ficou aqui.
— Ué, como é que ele acha que ganhou se nem tem um bilhete?
— O Jim está perguntando como é que você sabe que ganhou se nem tem um bilhete. O quê?
Ela tapou novamente o fone.
— Jim, ele fica me xingando, me enchendo a paciência, dizendo que tem um número no bilhete.
— Claro que tem um número no bilhete, era um maldito bilhete de rifa, né?
— Ele tá dizendo que tem um número de telefone no bilhete.
— Desliga esse telefone e vai servir os malditos clientes, tá?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não tem conta no Google e quiser comentar, utilize a opção Nome/URL e preencha seu nome/apelido/nick; o URL pode deixar em branco.

Boa leitura, E SEM SPOILER!