8 de outubro de 2017

Trinta e sete - Alex morde a minha cara

JÁ TIVE MUITAS mortes sofridas. Já fui empalado, decapitado, queimado, afogado, esmagado e jogado do terraço do centésimo terceiro andar.
Prefiro tudo isso a hipotermia.
Depois de apenas alguns minutos, meus pulmões pareciam respirar pó de gelo. A tripulação inteira teve que subir ao convés para resolver o problema do gelo, mas não tivemos muito sucesso. Mandei Jacques quebrar a camada que se formou à nossa frente enquanto Mestiço e T.J. usavam alabardas para cortar o gelo de bombordo e estibordo. Sam voou à frente com uma corda e tentou rebocar o Bananão. Alex se transformou em morsa e empurrou por trás. Eu estava com muito frio para fazer piadas sobre como ela ficava bonita com presas, bigodes e barbatanas.
Hearthstone invocou uma nova runa:


Ele explicou que aquela era kenaz: a tocha, o fogo da vida. Em vez de desaparecer logo depois, como a maioria das runas, kenaz continuou ardendo acima da proa, um arco flutuante de fogo a um metro e meio de altura, derretendo o gelo no convés e nos cordames. Kenaz nos manteve aquecidos para evitar a morte instantânea, mas Blitz ficou reclamando que sustentar a runa por muito tempo deixaria Hearth esgotado. Alguns meses antes, um esforço como esse o teria matado. Agora, ele estava mais poderoso, mas ainda assim fiquei preocupado.
Encontrei um binóculo no meio das nossas coisas e olhei ao redor em busca de alguma promessa de abrigo nas montanhas. Porém não vi nada além de pedras.
Só percebi que meus dedos estavam ficando azuis quando Blitz chamou minha atenção. Conjurei um pouco de calor de Frey para as mãos, mas o esforço me deixou tonto. Usar o poder do verão ali era como tentar lembrar tudo que aconteceu no meu primeiro dia de aula quando ainda era um bebê. Eu sabia que o verão existia em algum lugar, mas era algo tão distante, tão vago, que eu mal conseguia conjurar uma lembrança.
— B-blitz, v-você não parece sentir tanto frio — comentei.
Ele coçou a barba cheia de gelo.
— Anões lidam bem com o frio. Você e eu seremos os últimos a morrer congelados. Mas isso não é consolo.
Mallory, Blitz e eu usamos os remos para empurrar o gelo enquanto Mestiço e T.J. tentavam quebrá-lo. Nós alternávamos tarefas, indo para o convés inferior em duplas e trios para nos aquecer, apesar de lá embaixo não estar muito mais quente. Teríamos ido mais rápido se descêssemos do navio e andássemos, mas a morsa Alex relatou que havia uns pontos traiçoeiros e bem finos no gelo. Além do mais, não tínhamos onde nos abrigar. O navio ao menos fornecia suprimentos e proteção contra o vento.
Meus braços começaram a ficar dormentes. O tremor se tornou tão constante que eu não conseguia saber se tinha começado a nevar ou se minha visão estava embaçada. A runa ardente era a única coisa que nos mantinha vivos, mas sua luz e seu calor diminuíam aos poucos. Hearthstone estava sentado de pernas cruzadas embaixo de kenaz, os olhos fechados em plena concentração. Gotículas de suor pingavam da testa e congelavam assim que batiam no convés.
Depois de um tempo, até Jacques começou a agir com desânimo. Não parecia mais interessado em fazer serenata e nem em contar piadas sobre atividades para quebrar o gelo.
— E essa é a melhor parte de Niflheim — resmungou Jacques. — Vocês deviam ver as partes mais frias!
Não sei bem quanto tempo ficamos ali. Parecia impossível ter havido outro modo de viver antes daquele: quebrar gelo, empurrar gelo, tremer, morrer.
De repente, na proa, Mallory grunhiu:
— Ei! Olhem!
A neve começou a se dissipar à nossa frente. A poucos metros, se projetando em meio aos penhascos, havia uma península irregular como a lâmina de um machado corroído. Uma faixa estreita de praia de cascalho preto envolvia a base. E, perto do alto do penhasco… seriam chamas tremeluzindo?
Viramos o navio naquela direção, mas não fomos longe. O gelo ficou mais espesso e interrompeu nosso avanço. Acima da cabeça de Hearth, kenaz gotejava fracamente. Nós nos reunimos no convés, solenes e silenciosos.
Havíamos nos enrolado com todos os cobertores do barco.
— V-vamos andando — sugeriu Blitz. Até ele estava começando a gaguejar. — Vamos em duplas para ajudar a manter o calor. A-atravessamos o gelo até a margem. Talvez a gente encontre abrigo.
Não era exatamente um “plano de sobrevivência” – estava mais para um plano para morrer em um lugar diferente – mas começamos a nos mover com ar sombrio. Pegamos os suprimentos vitais, como comida, água, o cantil com o hidromel de Kvásir, nossas armas. Em seguida, descemos para o gelo e eu fiz o Bananão voltar ao seu formato de lenço, porque arrastá-lo seria um saco.
Jacques se ofereceu para ir flutuando na frente e testar o gelo com a lâmina. Eu não sabia se isso tornaria as coisas mais ou menos perigosas para nós, mas ele se recusou a voltar à forma de pingente porque os efeitos desse esforço teriam me matado. (Ele é mesmo muito atencioso.)
Quando nos juntamos em pares, o braço de uma pessoa envolveu minha cintura. Alex Fierro se acomodou ao meu lado, envolvendo nossas cabeças e ombros com um cobertor. Olhei para ela, impressionado. Um lenço rosa de lã cobria sua cabeça e sua boca, e eu só conseguia ver os olhos de tons diferentes e alguns fios de cabelo verde.
— C-cala a boca — gaguejou ela. — Você é q-quente e cheio de v-verão.
Jacques conduziu o grupo pelo gelo. Atrás dele, Blitzen fez o melhor para apoiar Hearthstone, que cambaleava com kenaz acima da cabeça, embora seu calor agora fosse mais o de uma vela do que o de uma fogueira.
Sam e Mallory vinham atrás, depois T.J. e Mestiço, e finalmente Alex e eu.
Andamos pelo mar congelado, seguindo para as rochas, mas nosso destino parecia ficar mais distante a cada passo. Será que o penhasco era uma miragem? Talvez a distância fosse fluida na fronteira entre Niflheim e Jötunheim. Uma vez, no salão de Utgard-Loki, Alex e eu rolamos uma bola de boliche até as Montanhas Brancas em New Hampshire, então eu achava que tudo era possível.
Não sentia mais meu rosto. Meus pés tinham virado potes de sorvete molenga. Pensei em como seria triste chegar até aquele ponto, depois de enfrentar tantos deuses, gigantes e monstros, só para congelar até morrer no meio do nada.
Eu me agarrei a Alex. Ela fez o mesmo comigo. Sua respiração falhava e desejei que ela ainda tivesse a gordura da morsa, porque sua versão original era só pele e osso, fina como o garrote. Eu queria brigar com ela: Você precisa comer! Está definhando.
Mas gostei da sensação do calor que vinha dela. Em qualquer outra circunstância, ela teria me matado por chegar tão perto. Além disso, eu teria surtado com tanto contato físico. Eu considerava um triunfo pessoal ter aprendido a abraçar meus amigos de vez em quando, mas não costumava lidar bem com tanta proximidade. A necessidade de me manter aquecido e talvez o fato de ser Alex tornaram tudo mais fácil. Eu me concentrei no cheiro dela, uma espécie de fragrância cítrica que me fez pensar em laranjais em um vale ensolarado no México. Não que eu já tivesse ido a um lugar assim, mas era um cheiro bom.
— Suco de goiaba — balbuciou Alex.
— O q-quê? — perguntei.
— T-terraço. B-back B-bay. Foi legal.
Ela está se agarrando a boas lembranças, percebi. Para tentar ficar viva.
— F-foi — concordei.
— York — disse ela. — Mr. Chippy. Você n-não sabia o q-que era levar pra viagem.
— Eu te odeio. Continue f-falando.
A gargalhada dela soou mais como uma tosse de fumante.
— Q-quando você voltou de Álfaheim. A sua… a sua c-cara quando eu p-peguei m-meus óculos r-rosa de volta.
— M-mas você ficou feliz de me ver?
— Ah. V-você até que é d-divertido.
Ali, lutando para andar no gelo, com nossas cabeças muito próximas, eu quase conseguia imaginar que Alex e eu éramos um guerreiro de argila com duas faces, um ser gêmeo. O pensamento foi reconfortante.
A uns cinquenta metros do penhasco, talvez, a runa se apagou. Hearth cambaleou para cima de Blitz. A temperatura despencou ainda mais, o que eu não achava possível. Meus pulmões expeliram o restinho de calor que continham. E reclamaram quando tentei inspirar.
— Continuem! — gritou Blitz com a voz rouca. — Eu não vou morrer vestido assim!
Nós obedecemos e seguimos passo a passo para a praia estreita de cascalho, onde pelo menos poderíamos morrer em terra firme.
Blitz e Hearth estavam quase na margem quando Alex parou abruptamente. Eu também não tinha mais nenhuma energia, mas achei que devia tentar parecer encorajador.
— Nós… nós temos que s-seguir em frente.
Eu olhei para ela. Nossos narizes se encostavam debaixo dos cobertores. Os olhos dela cintilavam, mel e castanho. O lenço tinha escorregado para baixo do queixo. Seu hálito parecia de limão.
De repente, antes que eu entendesse o que estava acontecendo, ela me beijou. Se tivesse me mordido eu teria ficado menos surpreso. Os lábios de Alex estavam rachados e ásperos por causa do frio. O nariz se encaixou perfeitamente ao lado do meu. Nossos rostos se alinharam, nosso hálito se misturou. E então ela se afastou.
— Eu não ia morrer sem fazer isso — disse ela.
O mundo de gelo primordial não devia ter me congelado completamente, porque meu peito ardia como uma fornalha.
— E aí? — Ela franziu a testa. — Fecha a boca e vamos logo.
Andamos até a margem. Minha mente não estava funcionando direito. Eu me perguntei se Alex tinha me beijado só para me inspirar a seguir em frente ou para me distrair de nossas mortes iminentes. Não parecia possível que ela realmente quisesse me beijar. Fosse qual fosse o caso, aquele beijo foi o único motivo de eu ter conseguido chegar à margem.
Nossos amigos já estavam lá, encolhidos perto das pedras. Não pareciam ter reparado no que se passou entre mim e Alex. Por que reparariam? Todo mundo estava ocupado demais tentando não morrer congelado.
— Eu… eu tenho p-pólvora — gaguejou T.J. — P-posso fazer uma f-fogueira?
Infelizmente, não tínhamos nada para queimar além das nossas roupas, e precisávamos delas.
Blitz olhou com infelicidade para o penhasco, íngreme e implacável.
— V-vou tentar dar forma à pedra — disse ele. — Talvez eu consiga cavar um túnel.
Eu já tinha visto Blitz modelar pedra sólida, mas era uma tarefa que exigia muita energia e concentração. E mesmo assim, na outra ocasião, ele fez simples apoios para as mãos. Achava difícil que ele tivesse forças para cavar uma caverna inteira. E duvidava de que isso pudesse nos salvar. Mas apreciei o otimismo teimoso dele.
Blitz acabara de enfiar os dedos na pedra quando o penhasco todo ribombou. Uma linha de luz intensa formou o contorno de uma porta enorme que se abriu para dentro com um ruído alto.
Na abertura, surgiu uma giganta tão terrível e linda quanto a paisagem de Niflheim. Tinha três metros de altura, usava roupas de peles brancas e cinzentas, os olhos castanhos eram frios e furiosos e o cabelo escuro tinha várias tranças, como um chicote.
— Quem ousa mexer na minha porta da frente? — perguntou ela.
Blitz engoliu em seco.
— Hã, eu…
— Por que não deveria matar todos vocês? — perguntou a giganta. — Ou, como já parecem meio mortos, talvez seja melhor eu só fechar a porta e deixar vocês congelarem!
— E-espera! — falei, grunhindo. — Sk-Skadi… Você é Skadi, não é?
Deuses de Asgard, pensei, que essa seja mesmo Skadi e não uma giganta qualquer chamada Gertrude, a Antipática.
— E-eu sou M-Magnus Chase. Neto de Njord. E-ele me mandou f-falar com você.
Uma variedade de emoções passou pelo rosto de Skadi: irritação, ressentimento e talvez só um toque de curiosidade.
— Tudo bem, garoto congelado — resmungou ela. — Isso fez vocês ganharem direito a passar pela porta. Quando todos estiverem descongelados e se explicarem, vou decidir se uso vocês ou não como alvos de arco e flecha.


19 comentários:

  1. Finalmente o beijo uhshuashusa

    ResponderExcluir
  2. Finalmente!!! Demoro mas aconteceu um beijo entre o Magnus e a(o) Alex

    ResponderExcluir
  3. OMG!!! ALELUIA ELES SE BEIJARAM POHA!!!! MALEXXXX<3<3<3<3<3<3!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. ALELUIAAAAAA! Magnus e Alex finalmente aconteceu! Amém, Tio Rick! Tô gritando até agora.
    -sinead

    ResponderExcluir
  5. Aaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhh
    Malex! Malex! Malex!♡♡♡

    ResponderExcluir
  6. confesso q quando li o titulo eu fiquei meio "o q?!?" mas na hora do beijo..... so nao dei ateque fangirl pq tava na casa de parente kkkk

    ResponderExcluir
  7. Ownnn que fofinhos Alex e Magnus,amei <3

    ResponderExcluir
  8. Ooooooohhhhh<3<3<3<3<3<3Magnus e Alex<3<3<3<3<3<3, viva tio rock!!! Eu quaser fiquei louco quando e lir Malexxxx<3<3<3<3<3<3😍😘😗😗😗

    ResponderExcluir
  9. Oooooohhhh 😍😘😙😙😚😚😗Magnus e Alex 😙😙😚😍😘😗 VIVA TIO ROCK!! !!!eu quaser fiquei louco quando eu lir aaaaaaahhh

    ResponderExcluir
  10. O beijo de Malex finalmente, poha!!!
    Ah meu Hades! Já posso morrer em paz.

    ResponderExcluir
  11. Admito que sai pela minha casa gritando: Que fofo !! E também: Malex 4ever !!! 💞💞💞

    ResponderExcluir
  12. Finalmente. Malex is real!

    ResponderExcluir
  13. De repente, antes que eu entendesse o que estava acontecendo, ela me beijou. Se tivesse me mordido eu teria ficado menos surpreso. Os lábios de Alex estavam rachados e ásperos por causa do frio. O nariz se encaixou perfeitamente ao lado do meu. Nossos rostos se alinharam, nosso hálito se misturou. E então ela se afastou.



    socorro!! achei que isso nunca iria acontecer!! Aaaah to no chão
    vomitando arco-iris

    ResponderExcluir
  14. Eu olhei para ela. Nossos narizes se encostavam debaixo dos cobertores. Os olhos dela cintilavam, mel e castanho. O lenço tinha escorregado para baixo do queixo. Seu hálito parecia de limão.
    De repente, antes que eu entendesse o que estava acontecendo, ela me beijou. Se tivesse me mordido eu teria ficado menos surpreso. Os lábios de Alex estavam rachados e ásperos por causa do frio. O nariz se encaixou perfeitamente ao lado do meu. Nossos rostos se alinharam, nosso hálito se misturou. E então ela se afastou.
    — Eu não ia morrer sem fazer isso — disse ela.
    O mundo de gelo primordial não devia ter me congelado completamente, porque meu peito ardia como uma fornalha.

    Acho q li isso umas 70 vezes aaadddoorrreeeiiiiii😍😍

    ~MIRELLE

    ResponderExcluir
  15. Já notaram que agora a Alex está permanecendo mais tempo no gênero feminino?
    Malex finalmente aeeeee 👏 👏 👏

    ResponderExcluir
  16. Rapidao,a Alex tem um órgão feminino ou masculino?

    Ps: Não sou preconceituoso,só percebi que ela parou de avisar e fiquei na dúvida

    ResponderExcluir
  17. MALEX AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
    EU JÁ POSSO IR PRA VALHALA OU PRO EDEM! AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
    MEU SHIPP
    AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
    ELES SÃO TÃO PERFEITOS
    AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)