28 de janeiro de 2017

Fanfic: Doze meses para conquistar você


Sinopse:
Após passar alguns anos fora, Victor volta para casa para participar da festa de noivado do seu irmão. Eles nunca foram próximos, não estudaram na mesma escola, sequer viveram na mesma casa.
Suas mães se odeiam, mas seu pai impôs uma aproximação entre Victor e seu irmão, Arthur.
Faltando menos de 72 horas para o noivado, Victor descobre que a noiva de seu irmão é ninguém menos que você, a garota com quem ele viveu uma grande paixão na adolescência.
Ao descobrir que ainda sente algo por ela vive um dilema entre esquecer a noiva de seu irmão ou reconquistar sua grande paixão.
Mas ele tem apenas doze meses para decidir e reconquistar você antes que se case com Arthur.
Será que é tempo suficiente para ele? Será que você se deixaria levar por um sentimento antigo de quem a magoou no passado?


Categorias: romance, ficção, história original
Autora: Kel Begnália

____________________________________

Prólogo

A coisa mais difícil que eu já tinha feito até hoje foi ter acatado as ordens da minha mãe e pegado o voo para Londres, deixando meu sonho de ser nadador profissional e meu grande amor para trás.
Mas o que eu poderia fazer? Tinha apenas dezesseis anos.
Minha mãe tinha minha guarda e havia prometido infernizar (ela sabia muito bem fazer isso quando queria) a vida do meu pai caso ele não concordasse com minha ida para estudar em um colégio interno. De qualquer forma, a esposa do meu pai não iria me querer em sua casa. Aliás, quem iria querer o filho de uma ex-amante do marido em sua casa?
Oitos anos depois descobri que a garota que eu deixei esperando na frente do cinema quando fui mandando para a Inglaterra, me odiava por isso e havia me esquecido completamente. Tanto que ficou noiva do meu irmão. Ao revê-la tive certeza que ainda gostava muito dela, e sabia que ainda que negasse, ainda sentia algo por mim também.
Há um ano atrás eu só tinha apenas duas opções a tomar, tentar esquecer Camilla de uma vez por todas e deixar meu irmãos ser feliz, ou escolher minha própria felicidade e tentar reconquista-la.
Agora estou em uma igreja lotada perguntando-me se fiz a escolha certa.



Capítulo 1











Quinta-feira, 9 de Maio

Morar no exterior nunca esteve em meus planos, porém quando eu tinha dezesseis anos, minha mãe descobriu que eu estava namorando uma garota que vinha de uma família pobre e não gostou nada disso. Vendo que eu não iria obedecê-la e terminar com Camilla, fui mandado para um internato na Inglaterra exatamente no dia em que eu iria encontrar com ela no cinema. Até hoje não tenho ideia de como minha mãe descobriu que eu iria me encontrar escondido com Camilla e acho que agora não faz muita diferença.
Depois de repetir o último ano no colégio e finalmente me formar, decidi morar por aqui e fazer minha faculdade. Tentei entrar em contato com Camilla, mas ela disse que já tinha me esquecido e que não queria saber de alguém que a deixou esperando por horas, nem quis escutar minha versão da história, apenas desligou na minha cara. Então, segui em frente e toquei minha vida a diante, já que não tinha mais certeza que realmente a amava.
Após esse episódio decidi não voltar tão cedo, mesmo depois de me formar na faculdade iria viajar sem rumo por pelo menos um ano e curtir minha vida. Mas para viajar eu precisaria de dinheiro, por isso fiz um acordo com meu pai. Ele pagaria minhas despesas por um ano para qualquer lugar que eu quisesse ir durante um, depois eu teria que voltar e ir trabalhar em sua empresa.
Um ano se passou e aqui estou eu curtindo minhas últimas horas de férias. O combinado era eu ter viajado hoje de manhã, mas eu resolvi que conseguia chegar a tempo para o jantar se saísse amanhã pela manhã. Jantar esse que minha madrasta fez questão de preparar para comemorar meu retorno e conhecer a noiva do meu irmão. Não sei pra que tudo isso. Stella nunca gostou de mim e muito menos minha mãe (não que ela tenha sido convidada para o jantar também), e agora do nada quer fazer um jantar para me receber em sua casa. Não acreditei que meu pai tenha convencido de algo, havia algo por trás daquela história.
Para comemorar meu último dia de férias Robert, um dos meus amigos do colégio interno, deu uma festa na piscina da mansão em que ele mora que durou a tarde inteira e estava se prologando para noite. Era mais de onze horas da noite e ainda ninguém tinha ido embora. Tinha sempre alguém chegando com mais bebida. Infelizmente, eu não poderia ficar mais, então tive que me despedir, agradecer pela festa e voltar para o meu apartamento onde morei por quatro anos enquanto fiz faculdade.
Naquela quarta, foi a primeira noite em um ano que fui dormir "cedo" e sem estar exageradamente bêbado. Tomei um banho morno, vesti uma bermuda, coloquei minhas roupas sujas em uma sacola e guardei em um canto da mala que comecei arrumar pela manhã e aproveitei para terminar de arrumar tudo. Demorei cerca de trinta minutos para arrumar tudo, logo depois me joguei exausto na cama simplesmente apaguei.
...
Na manhã de quinta-feira acordei com o sol batendo na minha cara. Havia esquecido de fechar a porcaria da cortina de novo! Virei de costas para a janela me cobrindo até a cabeça com cobertor desejando mais algumas horas de sono, quando de repente me lembrei que deveria estar a caminho do aeroporto.
Levantei rapidamente da cama, mas ao olhar para o relógio constei que deveria estar no aeroporto há duas horas!
— Droga, perdi o voo! — reclamei me jogando de costas na cama.
Peguei meu celular que havia deixado debaixo do travesseiro e descobri que tinha esquecido de colocar o despertador para tocar. Agora eu teria que pegar o voo das duas da tarde. Ainda daria tempo para chegar em casa na hora do jantar, mas isso se o voo não atrasasse.
Conferi o registro de chamadas perdidas e a maioria era do meu pai e tinha até mensagens na caixa postal dele: "Victor, a onde você está? Você já deveria ter chegado!".
A outra era: "Porque você não atende seu celular?" e mais cinco mensagens me dando bronca e dizendo que era bom que eu não me atrasasse para o jantar nesta noite.
...
— Como assim o voo vai atrasar duas horas? — perguntei impaciente para a moça que vendia passagens.
— Sinto muito, mas o próximo voo atrasou devido a uma manutenção que tiveram que fazer de última hora. — a moça falou com toda calma do mundo.
Eu estava ferrado. Muito ferrado.
Meu pai iria arrancar minha cabeça e pendurar no portão de sua casa. A viagem de Londres a Nova Iorque durava um pouco mais que seis horas, com o atraso eu chegaria bem depois das dez da noite. O que significava que eu não chegaria a tempo nem para a sobremesa e na sexta-feira ouviria um sermão do meu pai.
Minha relação com meu pai é razoável. As poucas vezes que minha mãe me deixou passar as férias com ele e foram durante poucos dias. Ele costumava me levar para assistir jogos de futebol, beisebol ou golf e até mesmo para pescar. Nunca fomos de brigar, mas também não eramos melhores amigos.
Já minha relação com meu meio irmão, Arthur... Bom, não temos relação algum já que não somos nenhum pouco próximos. As poucas vezes que estive com meu pai, Stella sempre arrumou alguma desculpa para viajar e manter seu filho querido longe de mim, então quando eu chega na casa do meu pai, Stella já estava de saída com Arthur. Então, como o vi poucas vezes sei pouco sobre ele e ele sobre mim.
O voo acabou atrasando trinta minutos a mais do que o esperado. Meu pai fez questão de ir me buscar no aeroporto e me dar um sermão no caminho para sua casa. Disse que eu terei que pedir desculpas a Stella, Arthur e para Camilla que ficaram me esperando porque não liguei avisando que não chegaria para o jantar. Óbvio que eu não liguei, ou meu pai passaria um sermão pelo telefone mesmo.
Chegamos em casa quase meia noite. Pelos poucos lugares que passei pela mansão até ir para meu quarto, já deu para notar que os preparativos para a festa no domingo já estavam quase prontos.
Fui dormir imaginando que teria um longo final de semana.
____________________________________

Deixe sua opinião nos comentários!

Saiba mais: http://www.fanficobsession.com.br/independentes/d/dozemesesparaconquistarvoce.html

5 comentários:

  1. oi
    faz um conta no spirit fanfic e publica ela, vai ter muita mais gente lendo e comentando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tenho conta lá e não gosto da plataforma, o pessoal de lá só gosta de fanfic do Justin Bieber.

      Excluir
  2. No começo percebi que ele estava contando a história dele e também se a escolha dele estava certa, Fiquei só querendo ler o final primeiro, hehehe

    ResponderExcluir
  3. quero ler o restante!

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!