30 de janeiro de 2017

Capítulo 70

Lysandra conhecia aquele rugido.
Então lá estava Abraxos, surgindo das nuvens pesadas, com outras doze serpentes aladas com suas cavaleiros atrás dele.
Bruxas de Dente de Ferro.
— Não atirem! — Rowan gritou meia dúzia de navios afastado, para os arqueiros que haviam mirado as poucas flechas restantes na bruxa de cabelos dourados mais próxima de Abraxos, sua serpente alada azul clara gritando um grito de guerra.
As outras bruxas e suas serpentes aladas desencadearam o inferno sobre os feéricos, destruindo as fileiras que convergiam, abocanhando cordas, ganhando algum tempo para eles. Como elas sabiam quem atacar, qual lado lutar...
Abraxos e outras onze se inclinaram para o norte em um movimento suave, então mergulharam para a frota inimiga em pânico. A cavaleira de cabelos dourados, porém, voou para o navio em que Lysandra estava, com sua serpente alada azul celeste aterrissando na proa.
A bruxa era linda, uma tira de couro preto trançado em sua testa, e ela não falou com ninguém em particular:
— Onde está Manon Bico Negro?
— Quem é você? — exigiu Aedion, sua voz ríspida. Mas havia reconhecimento em seus olhos, como se lembrasse daquele dia no templo de Temis...
A bruxa sorriu, revelando os dentes brancos, mas os ferros brilharam em seus dedos.
— Asterin Bico Negro a seu serviço — ela examinou os navios em apuros. — Onde está Manon? Abraxos nos guiou...
— É uma história muito longa, mas ela está aqui — Aedion gritou por sobre o barulho. Lysandra se aproximou, avaliando a bruxa, o grupo de bruxas que agora causava estragos nas linhas inimigas. — Você e suas Treze salvaram nossos traseiros, bruxa. E eu direi qualquer coisa que você quiser.
Um sorriso perverso se abriu na boca da bruxa e sua cabeça se inclinou.
— Então vamos limpar o campo para você.
Então Asterin e sua serpente alada se ergueram e explodiram para as ondas, voando para onde todos estavam lutando.
À aproximação de Asterin, as serpente aladas e as cavaleiras retrocederam, erguendo-se alto no ar, entrando em formação. Um martelo prestes a atacar.
E os feéricos sabiam disso. Eles começaram a lançar escudos fracos, disparando contra as bruxas, o medo atrapalhando seu objetivo. Mas as serpente aladas estavam cobertas de armaduras – eficientes, belas armaduras.
As Treze riram de seu inimigo enquanto destruíam seu flanco sul.
Lysandra desejava ter forças para se transformar – uma última vez. Juntar-se a elas naquela gloriosa destruição.
As Treze reuniram os navios em pânico entre elas, despedaçando-os, empunhando cada arma de seu arsenal – serpente aladas, lâminas, dentes de ferro. Os que passavam por elas recebiam a misericórdia brutal da magia de Rowan e Dorian. E os que passaram por essa magia...
Lysandra encontrou o olhar sangrento de Aedion. O príncipe general sorriu daquela maneira insolente dele, enviando uma emoção mais selvagem do que a sede de sangue.
— Não queremos que as bruxas nos façam parecer ruins, não é?
Lysandra devolveu seu sorriso e voltou para a briga.



Não muito mais.
A magia de Rowan se esticou até o ponto de ruptura, seu pânico era um rugido maçante no fundo de sua mente, mas ele continuou atacando, manteve suas lâminas em movimento sobre qualquer um que passasse por seu vento e gelo, ou pelas próprias explosões de Dorian, poder puro e ilimitado. Fenrys, Lorcan e Gavriel haviam fugido uma ou duas horas antes, sem dúvida para onde Maeve os havia convocado. Mas a armada se manteve firme. Quem quer que fosse os homens de Ansel de Penhasco dos Arbustos, eles não foram intimidados pelos guerreiros feéricos. E não eram novos na arte de derramar sangue. Nem os homens de Rolfe. Nenhum deles correu.
As Treze continuaram a causar estragos na frota em pânico de Maeve. Asterin Bico Negro gritava comandos acima delas, as doze bruxas quebrando as linhas inimigas com uma determinação feroz, inteligente. Se era assim que um clã lutava, então um exército deles...
Rowan rangeu os dentes enquanto os navios restantes decidiram ser mais espertos do que seus companheiros mortos e começaram a abandonar. Se Maeve deu a ordem de retirada...
Que pena. Que maldita pena. Ele mandaria seu navio para o fundo da água.
Ele deu um forte assobio à Asterin quando ela passou por cima de sua cabeça. Ela assobiou de volta em confirmação. As Treze se lançaram sobre a aramada em fuga.
A batalha esfriou, as ondas vermelhas carregadas de detritos fluindo na correnteza da maré.
Rowan deu a ordem ao capitão para manter as linhas e lidar com qualquer estupidez da frota de Maeve, se alguns navios decidissem não virar as costas.
Suas pernas e braços tremiam tanto que ele temia que se soltasse suas armas, não seria capaz de pegá-las novamente. Rowan se transformou e voou alto.
Seus primos se juntaram às Treze em sua busca pelos navios que fugiam. Ele evitou o desejo de contar. Mas... Rowan voou mais alto, esquadrinhando.
Faltava um barco.
Um barco que ele tinha navegado, trabalhado, e lutado em guerras passadas e viagens.
O navio de batalha pessoal de Maeve, o Rouxinol, estava longe de ser visto.
Não estava na frota que fugia das bruxas e da frota real Whitethorn.
Nem entre os destroços de navios afundados.
O sangue de Rowan congelou. Mas ele mergulhou o mais rápido que pôde para o navio de Aedion e Lysandra, onde sangue coagulado cobria o convés densamente, se transformou de volta e pousou no navio.
Aedion estava coberto de sangue, tanto dele quanto de outros. Do estômago de Lysandra escorria mais ainda dele. Rowan conseguiu se deslocar entre os feéricos caídos. Ele não olhou muito perto em seus rostos.
— Ela está de volta? — Aedion instantaneamente exigiu, estremecendo quando colocou peso sobre a coxa. Rowan examinou a ferida do irmão. Ele teria que curá-lo em breve, assim que sua magia se reabastecesse. Em um lugar como este, mesmo o sangue feérico como o de Aedion não poderia manter a infecção longe por muito tempo.
— Não sei — disse Rowan.
— Encontre-a — grunhiu Aedion.
Ele quebrou o olhar de Rowan só para ver Lysandra mudar para sua forma humana e correu um olho sobre as lesões que salpicavam sua pele.
A pele de Rowan apertou-se sobre seus ossos. Tinha a sensação de que o chão estava a ponto de sumir debaixo de seus pés quando Dorian apareceu no trilho do convés principal, suado e abatido, sem dúvida tendo usado a última gota de sua magia contra um navio inimigo, e disse ofegante:
— O litoral. Aelin está na costa, para onde enviamos Elide, todos eles estão.
Ficava há quilômetros de distância, como diabos elas chegariam lá?
— Como você sabe? — Lysandra exigiu, puxando para trás seu cabelo com os dedos sujos de sangue.
— Porque posso sentir algo lá fora — respondeu Dorian — Chama, sombra e morte – como Lorcan, Aelin e mais alguém. Alguém antigo. Poderoso — Rowan preparou-se para isso, mas ainda não estava pronto para o terror puro quando Dorian acrescentou: — E fêmea.
Maeve os havia encontrado.
A batalha não tinha sido para qualquer tipo de vitória ou conquista.
Mas uma distração. Enquanto Maeve foi buscar o prêmio verdadeiro.
Eles nunca chegariam rápido o suficiente. Talvez se ele voasse por conta própria, porém sua magia já tinha sido esvaziada até o ponto de ruptura, seria de pouca ajuda. Eles tinham uma chance melhor, Aelin teria uma chance melhor, se estivessem todos lá.
Rowan virou para o horizonte atrás deles – para as serpente aladas destruindo o restante da frota.
Navegar levaria tempo demais, sua magia estava no fim. Mas uma serpente alada... deveria servir.

11 comentários:

  1. As Treze são foda pra krl e eu amo a Asterin. Eu virava lésbica pela Aelin, Manon ou pela Asterin heuheu -qqqq kkkkk tô achando q não vai demorar muito eu voltar a chorar *^*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha se vc ta falando isso vc nem precisa "virar" pq vc ja é ks
      Gabi

      Excluir
    2. As minhas preferências amorosas são pelo Rowan ou Graviel , mas eu também gosto da Asterin, imagina esse tando de mulheres vivendo juntas kkkk vai ser hilário.

      Excluir
  2. Tenho ate medo de virar a pagina😢

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tbm . Eu tenho certeza que quando eu for pro proximo capitulo eu vou encher uma piscina de lagrimas

      - Larissa

      Excluir
  3. Asterin Bico Negro,eu te venero❤
    Manon é a Rainha da Poha toda❤

    ResponderExcluir
  4. Qual o poder de Maeve?
    Pq pelo q me lembro dá última vez ela não demonstrou nem um poder quando ela encontrou Aelin
    Ass: Milly*-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela ainda n demonstrou, mas é tipo sombra escuridão, esses negócio trevoso
      ~Skye

      Excluir
  5. As 13 <3 eu amo muitooo elas!
    Eu amo de mais elas!!!!! Todo mundo com medo delas kk imagina ainda com mais a Manon lá!? Kk sobrava ninguém
    Nem sei como vou sobreviver dps do fim desse livro!! ~chora~

    ResponderExcluir
  6. N tenho forças no meu coraçãozinho para enfrentar oq estar por vir no prox cap.. 😨

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)