26 de janeiro de 2017

Capítulo 41

Os homens selecionados para o ataque com o hyaku foram colocados no exercício de solo em dois grupos de cinquenta. Organizados em três grandes fileiras, os Kikori pareciam impressionantes. A fraca luz do sol fez as pontas de suas lanças brilharem, abrangendo também o ferro que reforçava as tiras em seus escudos e seus elmos de couro. As linhas da sua formação foram em uma linha estreita tal como se encontravam antes de Will, Horace, Halt e Selethen.
Horace e Selethen comandariam um grupo de cinquenta cada um - ou um goju, como eles chamavam a formação. Will e Halt ficariam atrás e permaneceriam no comando geral – embora Halt tivesse cedido essa responsabilidade ao arqueiro mais jovem.
 Eles são seus homens  disse ele  você os treinou e os homens merecem ser liderados por quem eles conhecem e confiam.
Will assentiu com a cabeça nervosamente. Ele sabia que Halt estava certo. Mesmo assim, como sempre, estava contente por ter o experiente arqueiro de barba grisalha por perto, se necessário.
Ele olhou para onde Horace estava sentado observando e acenou. O jovem guerreiro respirou fundo e, em seguida gritou uma ordem com um toque de emoção.
 Hyaku!
Os homens estavam de pé em posição de repouso, com os pés afastados e as suas lanças soltas, os eixos repousavam sobre a terra, estendidos para frente com o braço esticado. Ao comando, juntaram os pés e as lanças foram postas a posição vertical.
 Ordem de abertura!  Horace gritou.
A linha de frente deu dois longos passos para frente. A de trás deu dois para trás. As três fileiras agora estavam separadas por um espaço de dois metros, deixando espaço para os seus comandantes poderem passar e inspecioná-los.
Este foi o trabalho de Horace e Selethen. Eles selecionaram um goju cada e moveram-se rapidamente ao longo das fileiras, verificando os equipamentos, certificando-se de cada homem ter três espadas curtas num arranjo em seu quadril direito, verificando escudos para qualquer sinal de afrouxamento ou desgaste das tiras, olhando as pontas das lanças para ver se elas estavam firmemente ligadas e brilhando por causa de um recente polimento.
 Parece bom  Halt disse calmamente.
Horace e Selethen já tinham feito mais da metade de sua inspeção e até o momento nenhum tinha parado para repreender qualquer homem das tropas pela falta ou equipamento defeituoso. Obviamente, a inspeção foi quase perfeita. Horace parou uma vez para corrigir o capacete de couro de um soldado, puxando a pulseira de queixo um pouco mais para fixá-la com mais firmeza, porém isso foi tudo.
Os Kikori tinham sido um desafio esplendido e Will sentiu um verdadeiro senso de orgulho deles. Não muito tempo atrás, eles tinham sido simples lenhadores. Agora eram soldados, com um orgulho de soldado, orgulho na sua própria capacidade e na sua própria unidade.
 Tropas inspecionadas e prontas  Horace reportou.
Will acenou.
 Junte-os e coloque-os em repouso, Horace.
O guerreiro alto deu as ordens e as fileiras da frente e de trás voltaram às suas posições originais. Cem pares de pés bateram no chão e cem pontas de lanças foram postas a frente como se fossem uma só.
Will deu um passo à frente, aproximando-se das fileiras de forma que elas pudessem ouvi-lo mais claramente. Ele estudou os rostos sob os capacetes de couro e ferro. Os homens eram sombrios e determinados. Mas havia um olhar de excitação moderada em muitos dos olhos que olhavam para o jovem arqueiro. Não era apreensão ou medo, e ele estava gostando do que via.
 Goju Kuma! Goju Taka!  Will disse, e agora todos os olhos estavam voltados para ele.
Eles nomearam os dois goju para cada um dos lideres. Goju Kuma significava cinquenta do Urso, liderado por Horace, que agora todos conheciam por Kurokuma. Goju Taka refletia o apelido que tinha sido dado a Selethen. Taka significa "falcão", e Will assumiu que o nariz proeminente de Selethen tinha alguma semelhança com o bico curvo de uma ave de rapina.
 Amanhã será hora de colocar todo o seu trabalho em prática  ele continuou. — Amanhã será o dia que vocês darão o primeiro ataque do imperador naquele traidor do Arisaka!
Houve um grunhido de raiva através das fileiras quando ele disse o nome do odiado líder rebelde.
 Lembrem-se de seu treinamento. Lembrem-se do que temos praticado. Se vocês fizerem isso, vão conseguir uma grande vitória para o seu imperador. Mas vocês devem se lembrar de sua formação. Olhem ao seu redor. Olhem para os homens ao lado e atrás de vocês! Estudem seus rostos.
Ele fez uma pausa enquanto cem cabeças viravam, enquanto os olhos faziam contato e acenavam com a cabeça para reconhecimentos. Quando eles se estabeleceram novamente, ele continuou.
 Estes homens são os seus camaradas. Estes são os seus irmãos. Estes são os homens que lutarão com vocês. Estes são os homens de sua confiança que ficarão ao seu lado. São os homens que confiam em você! Sejam dignos de sua confiança!
Novamente, um grito de acordo do fundo da garganta percorreu as fileiras de homens armados. Will sentiu que disse o suficiente. Ele não teria tempo para um longo e detalhado discurso de comando na véspera da batalha. Eles geralmente eram feitos para aumentar o senso de importância do comandante. Will tinha mais uma coisa que queria lembrá-los.
 Soldados Kikori! — ele gritou  de qual maneira nós lutamos?
A resposta veio com um rugido das fileiras.
— Issho ni!  disseram-lhe  juntos!
 De qual maneira nós lutamos?  Ele perguntou ainda mais alto, e a resposta voltou mais alto também.
 Issho ni!
 De qual? — perguntou-lhes mais uma vez, e desta vez o vale sentiu a resposta.
 ISSHO NI!
Num impulso, o jovem arqueiro sacou sua faca de caça e a brandiu acima de sua cabeça. Os dois Gojus responderam, segurando suas lanças para cima, para logo em seguida bate-las no chão congelado com um barulho resultante de madeira e metal.
Atrás dele, uma voz profunda e penetrante, gritou apenas uma palavra.
 Chocho!
Os cem soldados na frente dele responderam instantaneamente, transformando o grito em um canto.
 Chocho! Chocho! Chocho!
Intrigado, e um pouco surpreso, Will se virou para ver que Shigeru se aproximou enquanto ele falava. O imperador estava vestido com a armadura completa, mas sem capacete. Suas duas katanas estavam guardadas em seu cinto, com suas longas empunhaduras saliente antes dele, como os chifres cruzados de um animal perigoso. Shigeru continuou a liderar o canto, colocando a mão no ombro de Will.
 Chocho! Chocho! Chocho!
Os homens gritavam e, vagamente, Will percebeu que isso de alguma forma aplicava-se a ele. Então, Shigeru ergueu a mão para que houvesse silêncio e as vozes que rugiam instantaneamente cessaram. Will se desvencilhou e recuou se diferenciando, pois percebeu que Shigeru queria dirigir-se às suas tropas.
Horace com um grande sorriso quando Will se juntou a ele.
 Que diabo é Chocho?  Will sussurrou.
 É você. É do que os homens chamam você  disse ele. E acrescentou:  É um termo de grande respeito.
Atrás deles, Halt assentiu como confirmação.
 Grande respeito  concordou.
Houve uma pequena sugestão de um sorriso no canto da boca dele e Will soube que iria levar muito tempo para descobrir o significado da palavra. Mas ele não teve mais tempo para pensar sobre isso quando Shigeru começou a falar.
 Kikoris, estou honrado de tê-los como meus soldados. Estou orgulhoso de seu compromisso, de sua coragem e de sua lealdade. Vocês têm a gratidão de seu imperador.
Houve um silêncio em torno do local na hora. Eles eram simples lenhadores, camponeses para quem, até há pouco tempo, o imperador havia sido um conceito distante e muito reverenciado, acima do seu alcance e de sua estação. Agora, ele vivia entre eles e falava diretamente com eles em termos de grande respeito. Suas palavras eram simples, mas a sinceridade por trás delas era muito óbvia e os Kikori sentiram seu coração inchar por causa do orgulho. Tal foi o carisma deste homem que eles morreriam por ele. Shigeru pareceu sentir isso e continuou.
 Soldados! Eu sei que vocês irão morrer em serviço.
Houve um rugido instantâneo de assentimento e ele imediatamente levantou as mãos e a voz para sufocá-lo.
 Mas eu não quero isso!
A gritaria se extinguiu e os rostos que o olharam estavam confusos.
 Eu quero que vocês vivam ao meu serviço!  Gritou, e eles rugiram em aclamação, mais uma vez.
Quando o som de suas vozes foi morrendo, Shigeru continuou.
 Chocho lhes ensinou uma nova forma de luta. Ele ensinou-lhes o código de Issho ni! Se vocês forem fieis a este código, terão uma grande vitória.
Shigeru fez uma pausa.
— E eu vou estar lá para vê-la! Porque estou indo com vocês!
Agora, os aplausos foram ensurdecedores. Shigeru avançou para caminhar entre os seus homens, e eles romperam as fileiras para rodeá-lo, aplaudi-lo, inclinando-se para ele, estendendo a mão para tocá-lo.
 O quê?  Will disse  do que ele está falando?
Ele tentou seguir o imperador, para atraí-lo de volta.
Uma mão segurou seu braço e ele virou-se para ver o rosto de Halt. Seu antigo mentor estava balançando a cabeça.
 Ele está bem, Will. Ele tem que estar lá.
 Mas, se formos vencidos! Se nós falharmos... Ele vai ser pego por Arisaka! — Will disse impotente.
Halt assentiu.
— Sim. Mas ele está disposto a apostar nestes homens. Ele acredita neles. Você não?
 Bem, sim, claro. Mas se ele estiver lá...
 Se ele estiver lá, os homens vão lutar para mantê-lo seguro. Você sabe que eles podem vencer os Senshi. Eu e Shigeru sabemos disso. As únicas pessoas que não têm certeza são os próprios homens. Oh, eles estão prontos aqui e agora. Mas quando a crise chegar, vão enfrentar um inimigo que nunca foram dignos de enfrentar antes. O nosso maior perigo amanhã é que, diante de guerreiros que eles sempre acreditaram que eram superiores, eles percam a confiança. E se o fizerem, vão falhar. Eles vão lutar bravamente. Mas vão morrer bravamente, porque acreditam que não têm o direito de ganhar.
 Mas...  Will começou, só que Horace interrompeu.
 Halt está certo, Will. Se eles souberem que Shigeru esta lá e que ele confia neles, eles terão maior confiança em si mesmo.
 Ele pode ser morto ou preso  protestou Will.
 Não  retrucou Horace  seus homens não vão deixar isso acontecer. Ele sabe que tem que estar lá.
 Ele é um grande homem  Selethen disse calmamente  o tipo de homem que estaria orgulhoso de servir.
 Eles pensam que sim  Halt disse, apontando para onde a cabeça careca de Shigeru podia ser vista, movendo-se entre capacetes e pontas de lanças  e eles vão precisar desse tipo de incentivo, se pretendem ganhar.
Fez uma pausa, assistindo a cena no vale através dos olhos entreabertos.
 E eles estão indo ganhar  acrescentou.
Ele viu que Will ainda estava em dúvida sobre a ideia e bateu nas costas dele com alegria.
— Experimente ter alguma fé em seus homens, Will. Pelo menos tanto quanto o imperador tem.
 Não há nenhuma maneira que eu posso parar com isso?  Will perguntou desesperadamente e desta vez foi a vez de Horace dar um tapa no seu ombro.
 Claro que sim. Basta descobrir uma maneira de dizer a um imperador que você o proibiu de fazer algo que ele estava determinado. Isso deve ser fácil para alguém com uma personalidade como a sua.
Seus três amigos sorriram para ele. Então Halt sacudiu a cabeça em direção ao riacho estreito que leva à passagem secreta.
 Vamos indo. Amanhã temos uma batalha para vencer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)