30 de janeiro de 2017

Capítulo 23

Deuses santos.
Rowan congelou.
— Isso explica a presença de dois de vocês, então.
Fenrys tirou o cabelo de seus olhos escuros.
— Três, na verdade. Vaughan nos deixou na tarde de ontem para voar para o norte enquanto viemos para o sul. — Vaughan, com sua forma de águia-pescadora, poderia cobrir o terreno duro muito mais mais facilmente. — Nós desembarcamos nesta cidade de merda para ver se Rolfe teve negócios com Lorcan – para suborná-lo para nos avisar caso Lorcan passasse por aqui novamente, querendo contratar um barco — a Baía da Caveira seria um dos poucos portos onde Lorcan poderia fazer tal coisa, sem perguntas. — Alertar Rolfe sobre o exército de Maeve era parte de convencer o bastardo a nos ajudar. Planejamos fazer o nosso caminho para o continente a partir daqui, iniciar a nossa caça do sul. E uma vez que estas terras são bastante grandes... — um reluzir de dentes brancos num sorriso selvagem. — Qualquer ideia geral sobre o paradeiro dele seria muito apreciado, príncipe.
Rowan debateu sobre isso. Mas se eles pegassem Lorcan e o comandante tivesse a posse de até mesmo uma dos chaves de Wyrd... Se eles levassem tanto o comandante quanto as chaves de volta para Maeve, especialmente se ela já estava navegando para Eyllwe por quaisquer razões próprias...
Rowan deu de ombros.
— Lavei as mãos de todos vocês nesta primavera. Os assuntos de Lorcan são problemas de vocês.
— Seu bastardo... — Fenrys rosnou.
— E se pudéssemos negociar? — Gavriel o cortou.
Havia algo como dor e pesar nos olhos de Gavriel. De todos eles, Gavriel provavelmente fora seu único amigo.
Rowan debatido se deveria dizer sobre o filho que estava agora fazendo o seu caminho para cá. Debateu se Aedion gostaria da chance de conhecer seu pai... talvez antes guerra que transformaria todos eles em cadáveres.
Rowan falou:
— Maeve lhes deu permissão para negociar em seu nome?
— Nós só recebemos nossas ordens — Fenrys observou — e a permissão de usar todos os meios necessários para matar Lorcan. Ela não mencionou sua rainha em tudo. Assim, equivale a um sim.
Rowan cruzou os braços.
— Vocês me enviam um exército de guerreiros de Doranelle, e eu lhes direi onde Lorcan está, e onde pretende ir.
Fenrys soltou uma risada dura.
— Pelas tetas da mãe, Rowan. Mesmo se pudéssemos, o exército já está ocupado.
— Acho que terei de me contentar com vocês dois, então.
Dorian teve o bom senso de não parecer tão surpreso quanto os antigos irmãos de armas de Rowan.
Fenrys começou a rir.
— O quê – trabalhar para a sua rainha? Lutar em suas batalhas?
— Não é isso o que você quer, Fenrys? — Rowan fixou-o com um olhar. — Servir a minha rainha? Você esteve puxando a coleira durante meses. Bem, aqui está a sua chance.
Toda a diversão desapareceu do rosto bonito de Fenrys.
— Você é um bastardo, Rowan.
Rowan se virou para Gavriel.
— Suponho que Maeve não especificou quando vocês tinham que fazer isso — um aceno superficial foi sua única confirmação. — E vocês estarão tecnicamente cumprindo o comando dela.
O juramento de sangue operava sob ordens específicas e claras. E contava com contato físico para tornar possível o puxão para submeter o corpo. Desta distância... eles teriam que obedecer as ordens de Maeve, mas poderiam usar quaisquer brechas na linguagem para sua própria vantagem.
— Lorcan poderia muito bem ir embora no momento em que você considerar nosso trato cumprido — Fenrys respondeu.
Rowan sorriu um pouco.
— Ah, mas a coisa é... o caminho de Lorcan acabará por trazê-lo de volta para mim. Para a minha rainha. Quem sabe quanto tempo vai demorar, mas ele nos encontrará novamente. Nessa hora, ele será seu — ele bateu um dedo contra o seu bíceps. — As pessoas falarão sobre esta guerra por mil anos. Mais tempo — Rowan empurrou o queixo para Fenrys. — Você nunca recuou de uma luta.
— Isto é, se sobrevivermos — devolveu Fenrys. — E quanto aos dons de Brannon? Quanto tempo vai durar uma única chama contra a escuridão que se reúne? Maeve escondeu seus motivos sobre o exército e Eyllwe, mas ela, pelo menos, nos contou o que realmente reina em Morath.
Quando Rowan atravessava a porta do Dragão Marinho, ele se perguntou que deus enviara a tempestade que os empurrara para chegar na Baía da Caveira naquele dia, naquele momento.
Juntos, ele e a equipe lutaram contra uma legião de forças de Adarlan nesta primavera e ganharam – facilmente. E mesmo que Lorcan, Vaughan e Connall não estivessem com eles... um guerreiro feérico era tão bom quanto cem soldados mortais. Talvez mais.
Terrasen precisava de mais tropas. Bem, aqui estava um exército de três machos.
E contra as legiões Dentes de Ferro voadoras, eles precisariam da velocidade, força e séculos de experiência feéricas.
Juntos, eles saquearam cidades e reinos para Maeve; juntos, travaram e terminaram guerras.
— Dez anos atrás, nós não fizemos nada para impedir isso — Rowan falou. — Se Maeve tivesse enviado uma força, poderíamos ter impedido de crescer tão fora de controle. Nossos irmãos foram caçados e mortos e torturados. Maeve deixou que acontecesse por despeito, porque a mãe de Aelin não cedeu a seus desejos. Então, sim, a minha Coração de Fogo é uma chama no mar de escuridão. Mas ela está disposta a lutar, Fenrys. Ela está disposta a enfrentar Erawan, enfrentar Maeve e os próprios deuses, se significar que a paz pode ser forjada.
Do outro lado da sala, os olhos de Dorian tinham se fechado. Rowan sabia que o rei lutaria – e cairia lutando – e que seu dom poderia fazer a diferença entre a vitória e a derrota. No entanto... ele era inexperiente. Ainda inexperiente, apesar de tudo o que suportou.
— Mas Aelin é só uma pessoa — Rowan continuou. — E até mesmo seus dons podem não ser suficientes para vencer. Sozinha — ele respirou, encontrando o olhar de Fenrys, em seguida, o de Gavriel — ela morrerá. E uma vez que a chama se apague, estará feito. Não haverá segunda chance. Uma vez que o fogo se extinguir, estaremos todos condenados, em todas as terras e cada mundo.
As palavras eram veneno em sua língua, seus ossos doendo ao pensar em tal morte – o que ele faria se isso acontecesse.
Gavriel e Fenrys entreolharam, conversando daquela forma silenciosa que ele costumava falar com eles. Havia uma carta que Rowan teria que jogar para convencê-los – para convencer Gavriel.
Mesmo que a especificidade da ordem de Maeve permitisse tal desvio, ela poderia muito bem puni-los por contornar suas ordens. Ela fizera isso antes; todos carregavam cicatrizes disso. Eles conheciam o risco, assim como Rowan. Gavriel balançou a cabeça ligeiramente para Fenrys.
Antes que eles pudessem se virar para dizer não, Rowan falou para Gavriel:
— Se você não lutar nesta guerra, Gavriel, então condenará seu filho à morte.
Gavriel congelou.
— Merda — Fenrys cuspiu.
Mesmo Dorian estava um pouco boquiaberto.
Rowan se perguntou quão bravo Aedion ficaria enquanto falava:
— Pense na minha proposta. Mas saiba que o seu filho virá para a Baía da Caveira. Você pode querer esperar para decidir até encontrá-lo.
— Quem... — Rowan não tinha certeza se Gavriel respirava direito. As mãos do guerreiro estavam cerradas com tanta força que as cicatrizes em seus nós dos dedos eram luas brancas. — Eu tenho um filho?
Uma parte de Rowan sentiu que era o bastardo que Fenrys o acusou de ser e não o macho que Aelin acreditava que ele era e ele concordava.
A informação teria chegado mais cedo ou mais tarde.
Se Maeve soubesse antes, ela poderia ter maquinado um plano para enredar Aedion – enviar a equipe para matar ou sequestrá-lo. Mas agora, Rowan supôs, ele próprio enredara o grupo. Era apenas uma questão de quão desesperadamente Gavriel queria conhecer seu filho... e quanto ele temia falhar com Maeve caso não encontrassem Lorcan.
Então Rowan falou friamente:
— Fiquem fora do nosso caminho até que eles cheguem e nós ficaremos fora do seu.
Dar as costas para eles ia contra todos os seus instintos, mas Rowan manteve sua coluna ereta, a sua mágica propagando-se para alertar-lhe se houvesse uma respiração errada, enquanto ele se virava para abrir a porta do quarto em despedida em silenciosa. Ele tinha muito a fazer. Começando por escrever um aviso para a realeza de Eyllwe e as forças de Terrasen. Terminando ao tentar descobrir como diabos eles poderiam lutar duas guerras ao mesmo tempo.
O rosto de Gavriel parecia sem energia, pálido, algo como devastação escrito lá.
Rowan captou a centelha da constatação que atravessou os olhos de Dorian um segundo antes de o rei escondê-la. Sim, à primeira vista, Aedion e Aelin pareciam irmãos, mas era no sorriso de Aedion que estava a sua herança. Gavriel saberia num piscar de olhos... se o cheiro de Aedion não o entregasse primeiro.
Fenrys aproximou-se do macho, uma mão em seu ombro quando foram para o corredor. Para Rowan e Fenrys, Gavriel sempre fora sua caixa de ressonância. Nunca conversavam, não, ele e Fenrys... era mais fácil um pular na garganta do outro em vez disso.
Rowan disse a seus antigos companheiros:
— Se vocês derem até mesmo uma dica sobre o filho de Gavriel para Maeve, nossa barganha está terminada. Vocês nunca encontrarão Lorcan. E se Lorcan não aparecer... eu ajudarei com prazer a matá-lo. — Rowan orou para que isso não acontecesse – seria uma luta brutal e devastadora.
Esta era a guerra, apesar de tudo. E ele não tinha nenhuma intenção de perdê-la.

13 comentários:

  1. Alianças espúrias escusas, é véi isso é guerra...

    ResponderExcluir
  2. Nossa já l vários livros falando de guerra, mas pareciam muito distante como conto de fadas, mas esse vc até sente a adrenalina, a força da guerra mesmo,brutal. O coração chega a ficar pequeno e com medo e expectativas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc acaba de descrever exatamente o que eu sinto desde o terceiro capítulo.

      Excluir
    2. Sim, os livros da Sarah tem esse poder. Lutas sendo travadas, alianças ruins, escolhes ruins entre péssimas. Dor e perda.
      E muito muito arrependimento, isso é guerra.

      Excluir
  3. Meu coração falhou por um segundo

    ResponderExcluir
  4. ESCUTA AQUI ROWAN, NAO ME IMPORTO Q VC É AMORZINHO! SE RELA A MÃO NO LORCAN VAI TER!

    ResponderExcluir
  5. "a minha Coração de Fogo"
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sinti o msm ... eu fiquei tipo CADE MEU COLETE ? PQ AGR FOI TIRO ... MORTA ESTOU !RIP VITÓRIA

      Excluir
  6. ... gente do céu


    Anyy

    ResponderExcluir
  7. Minha coração de fogo??? Comassim Rowan??? Assim tu me mata filho... é mta lindeza numa frase só meu Deus...😍😍😍😍😍🤗🤗🤗🤗🤗

    ResponderExcluir
  8. "Então, sim, a minha Coração de Fogo é uma chama no mar de escuridão."

    - Rowan Whitethorn

    ResponderExcluir
  9. Pô** Rowan tinha que fazer isso com o Lorcan? Eu sei que vc quer ganhar a guerra e tal.. mais assim, vc nao ta sendo melhor que Maeve, por favor não destrua o amor é carinho que tenho por vc.. já chega o fato que não sou a fã número um de Aelin, não quero me decepcionar com vc tbm..

    ResponderExcluir
  10. Então, sim, a minha Coração de Fogo é uma chama no mar de escuridão.

    Q lindoooooo 😍😍 estou me afogando em arco iris ❤❤❤❤

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)