26 de janeiro de 2017

Capítulo 17

Evanlyn e Alyss praticavam esgrima sob o olhar atento de Selethen.
A exploração de Evanlyn à Escandinávia e Arrida nos últimos anos foi amplamente divulgada em toda Araluen. Ela era, afinal, a princesa da coroa e desfrutou de certa quantidade de prestigio. Como resultado, muitas mulheres e crianças em Araluen foram influenciadas a ter interesse nas habilidades de luta.
Alyss foi uma delas, mas sua motivação foi além do que seguir o que estava atualmente na moda. Ela estava mais do que um pouco frustrada por sua incapacidade em defender-se efetivamente quando foi capturada pelo cavaleiro traidor Keren no castelo Macindaw. Estava determinada que nunca deixaria isso acontecer novamente.
Esta nova ênfase em artes marciais foi evidenciada pelo fato de que seu punhal, parte do equipamento de mensageira, havia mudado para um com um estilo de agulha, mais prático e mais letal.
Além disso, ela praticava dardos e usava um sabre leve. Um estilo de espada que estava ganhando popularidade com as meninas de sua idade. Evanlyn tinha uma arma semelhante e, quando descobriram o fato, era lógico que elas praticassem juntas.
Lógico, talvez. Mas não sábio.
Um dos tripulantes do navio esculpiu armas de treinamento em madeira para que as duas começassem uma rotina de treinamento diário. Selethen ofereceu os seus serviços como instrutor e árbitro, e as duas aceitaram após as primeiras seções.
— Muito bem. Posições de combate, por favor.
— Isto é discutível  Halt cochichou para Will quando assistiam.
Parte da tripulação se reuniu para assistir também. Havia uma certa alegria em ver duas meninas extremamente atraentes tentando rachar a cabeça da adversária com espadas de madeira.
— A parte do combate ou a das moças?  respondeu Will com um sorriso.
Halt olhou para ele e sacudiu a cabeça.
— Com certeza as moças. Não há debate sobre a luta.
Will deu de ombros. Ele sabia que havia um nervosismo em relação às meninas que tinha algo a ver com ele. Por que deveria estar atrás dele.
— Um pouco mais alto, Evanlyn! Você tende a deixar a sua guarda muito baixa.
Ela esperou enquanto Evanlyn ajustava a posição de sua espada, lançando um olhar sobre Alyss para ver se estava pronta. A loira teve uma vantagem sobre a princesa em habilidade, o que foi notado. Provavelmente porque ela teve uma abordagem mais focalizada com a espada. Quando praticava havia um pequeno sulco formado entre as suas sobrancelhas, provando a concentração e o propósito que colocava em seus movimentos.
Evanlyn, por outro lado, foi um pouco impetuosa em sua aproximação. Ela teve aulas de sabre por um tempo, mas nunca com qualquer dedicação especial com a arma, tinha movimentos mais rápidos que Alyss, mas essa, sendo mais alta e atlética, tinha um passo maior e um alcance mais longo e, assim, as duas tenderam a se equilibrar com muita frequência.
— Anda  disse Selethen, com um sentimento de resignação em sua voz.
Ele tinha uma boa idéia do que iria acontecer.
Evanlyn saltou para a frente de ataque, como ele sabia que ia.
“Muito impulsiva”, pensou. Muito inclinada a querer que as coisas começassem, sem nenhuma disputa preliminar.
Alyss também sabia. Ela esperou calmamente pelo ataque rápido de Evanlyn e balançou para um lado. Evanlyn pulou, desviando da lâmina de madeira, que passou empurrando o corpo dela, cambaleando ligeiramente e perdendo o equilíbrio. Então Alyss fez um movimento rápido com o pulso, fazendo uma rachadura na lâmina de Evanlyn e fazendo os espectadores tremerem. O dinheiro mudou de mãos entre os escandinavos que assistiam.
— Ei, cuidado!  Gritou Evanlyn.
Sua espada caiu no convés e ela cuidou do machucado em sua mão, olhando para Alyss. Então ela virou furiosamente para Selethen.
— Ela me machucou.
Mas antes que pudesse responder, Alyss respondeu em um mesmo tom.
— Bem, é claro que machuquei. Não é por isso que estamos praticando? Para ferir os outros e evitar nos machucar?
— Por favor, moças  Selethen começou.
Ele era solteiro e tinha pouca experiência com mulheres. Estava começando a se perguntar se já quis alguma.
— Mas é verdade, Selethen  Alyss protestou — ela sempre responde isso.
— Porque que você sempre faz isso! — Evanlyn disse com raiva, tendo a espada em punho.
Um escandinavo respondeu por ela dizendo apenas um breve “Obrigado.”
O lobo do mar se inclinou um pouco mais perto dela.
— Chute nas canelas dela na próxima vez, princesa  disse ele em um sussurro — eu ganhei muito dinheiro com você.
Alyss falhou em avisar sobre a troca. Ela ainda estava apelando para Selethen como o árbitro da luta
— Quero dizer, ela tem que aprender, não tem? Se esta era uma luta real, ela não conseguiria fazer tudo de novo. Ela não consegue usar uma mão.
— Por outro lado  Selethen disse de imediato, lamentando as palavras que ouviu dos escandinavos rindo do trocadilho não intencional. — Se você fizer isso o tempo todo, não passaremos deste ponto, não é?
Alyss parecia considerar o ponto. Então, relutantemente, concordou.
— Muito bem, Selethen. Se você diz.
Ela se virou para Evanlyn.
— Tudo bem, princesa, sua mão está fora dos meus limites a partir de agora.
Will balançou a cabeça, desesperado.
— Oh, Alyss, Alyss, Alyss — disse em voz baixa, o suficiente para somente Halt ouvi-lo.
Sabiamente, o arqueiro barbudo não disse nada.
— Não me faça nenhum favor  Evanlyn disse entre dentes.
Ela flexionou sua mão sobre o punho da espada, tentando aliviar a dor em seus dedos machucados. Selethen olhou desconfiado para as duas garotas. Ambas tinham as bochechas em chamas.
— Talvez devêssemos deixar para um outro dia? — sugeriu.
— Talvez — disse Evanlyn, com os olhos fixos em Alyss. — Eu não vejo necessidade.
Alyss sorriu um sorriso completamente desprovido de bom humor.
— Bem, nem eu — respondeu ela docemente.
Houve uma longa pausa, em seguida, Selethen aceitou o inevitável com um encolher de ombros
— Tudo bem então. Senhoras  Ele olhou para Halt e revirou os olhos com a palavra.
Halt concordou fortemente.
— Posições...
Selethen observou que a posição da guarda de Evanlyn estava certa.
“Talvez ela aprenda com tudo isso e não vá correndo para a luta”, ele pensou. “E talvez a grande baleia azul que os escandinavos acreditam que fazem a maré subir e descer vá saltar do mar, abrir asas e voar em círculo em torno do navio.”
— Vai — disse ele em tom resignado.
E lá se foi Evanlyn, como uma flecha saindo de um arco, indo para todos os lados do convés e lançando uma série de cortes rápidos. Para frente, para trás e para frente de novo. Os ataques foram meio desajeitados, mas ela compensou o fato. Alyss, esperando um outro encontro foi surpreendia e forçada a ceder terreno, recuando e aparando os golpes desesperadamente com sua própria lâmina, de modo que uma série de lascas e rachaduras voaram por todo o convés.
Houve um murmúrio de incentivo dos escandinavos que tinham apoiado a vitória de Evanlyn.
Deve-se notar que eles só o tinham feito porque os seus companheiros tinham oferecido generosas probabilidades de 3-1 – algo difícil de resistir em um torneiro para duas pessoas.
Mas, então, a impulsividade Evanlyn deu o melhor dela. No ponto onde ela deveria ter visto Alyss, que tinha recuperado seu ritmo próprio e tempestivo, persistiu no ataque com muitos golpes e com sucesso. Não sendo possível sustentar a velocidade de um raio de seus primeiros golpes, ela desacelerou sensivelmente e Alyss, agora de volta ao controle, desviou seu golpe final para o lado, em seguida, mirou do outro lado.
Desta vez, porém, sua lâmina rachada atingiu o cotovelo dolorido de Evanlyn.
— Ai!  Evanlyn gritou. — Sua vaca desengonçada!
A espada caiu no deque mais uma vez. Seu braço e mão estavam dormentes e formigando. Alyss, intencionalmente ou não, pegou no nervo, no ponto do cotovelo.
— Alyss! — Selethen disse com raiva. — Nós concordamos...
— Nós concordamos que a mão dela estava fora dos limites  disse Alyss, com inocência. — Eu bati no cotovelo, não na mão. Se vamos para... Ai!
Ela sentiu uma dor lancinante na perna direita.
Evanlyn, segurando seu braço direito paralisado com a mão esquerda, virou e atingiu a perna de Alyss, rasgando sua calça e criando uma pequena ferida perto do osso.
Alyss, com o rosto enrugado de dor, mancando de lado para o baluarte e se apoiou contra ele. Ela olhou Evanlyn, em seguida, olhou para baixo e percebeu que tinha a espada na mão, enquanto Evanlyn estava desarmada. Ela avançou.
— Basta!  Halt berrou.
Todos os olhos se voltaram para ele, surpresos. Mesmo os escandinavos pareciam impressionados com o volume de sua ordem. Halt olhou furiosamente para as duas meninas, ambas com muitos ferimentos, uma furiosa com a outra.
— Vocês vão parar de gritar e berrar como garotas mimadas e egocêntricas?  Halt continuou. — Estou doente e cansado. Ambas devem saber melhor sobre isto.
Os olhos de Alyss abaixaram e ela se levantou, envergonhada, diante dele. Evanlyn, no entanto, continuou irritada – e pronta para afirmar sua própria dignidade.
— É isso mesmo, Halt? Gostaria de lembrar que esta “mimada e egocêntrica” é a sua princesa real.
Halt girou sobre ela. Seus olhos brilhavam com fúria e Evanlyn recuou um pouco. Ela nunca tinha visto tanta raiva em Halt.
— Princesa real? — disse ele com desprezo. — Princesa real? Posso sugerir, princesa real, que vá dizer isso a alguém que dê importância para isso? Se você não estivesse tão crescida, eu a colocaria sobre o meu colo!
Evanlyn ficou escandalizada com a ideia.
— Se você colocar as mãos em mim, meu pai açoitaria você!
Halt bufou escárnio.
— Se seu pai estivesse aqui, ele iria segurar a minha capa enquanto eu fazia isso!
Evanlyn abriu a boca para responder, em seguida, fez uma pausa. Era verdade, conhecendo seu pai, ela pensou que Halt poderia estar certo.
— Agora, pelo amor de Deus, vocês duas comecem a se comportar como a princesa e diplomata que são! Se não fizerem isso, vou ter que pensar em enviar Will para casa.
— Eu?  Will disse, com a sua voz embargada em um grito estridente da indignação. — O que isso tem a ver comigo?
— É tudo culpa sua!  Halt gritou irracionalmente.
E quando ele disse, as duas meninas perceberam que ele estava certo. O ciúme sobre Will estava fazendo-as se comportarem como crianças. Alyss foi a primeira a responder.
Ela pensou que era justo, já que tinha sido mais culpada. Ela deixou cair à espada, deu um passo para Evanlyn e manteve a mão em um sinal de paz.
— Sinto muito, Evanlyn. Eu me comportei mal  falou miseravelmente.
Sua sinceridade era evidente, Evanlyn perdeu rapidamente a raiva e foi igualmente rápida para perdoar e para ver as suas próprias falhas. Ela segurou a sua mão.
— As minhas desculpas também, Alyss. Eu não deveria ter chutado você. A sua canela está bem?
Alyss olhou para baixo, onde um fio de sangue escorria pela sua canela.
— Não realmente  ela disse, com um sorriso enviesado. — Mas acho que eu merecia.
— Não há dúvidas sobre isso  Halt disse. — Você definitivamente merecia.
Mas ele considerava sutilmente as meninas e balançou a cabeça com satisfação. Ele era consciente da tensão que existia entre elas e sabia que esse dia chegaria, cedo ou tarde. Melhor tê-lo mais cedo e terminar logo com ele, ele pensou. Quando falou, sua voz tinha perdido a borda áspera de suas declarações anteriores.
— Talvez devêssemos esquecer as aulas de esgrima por algum tempo  anunciou, e as meninas concordaram com a cabeça.
Selethen deu um suspiro profundo.
— Estou aqui para isso.
Houve uma pausa estranha. Finalmente, foi Gundar que a quebrou.
— Eu não sei se alguém está interessado — começou hesitante — mas não parece ser um navio pirata vindo em nossa direção?

13 comentários:

  1. Torcendo para Alyss , não gosto de Evanlyn !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duvida cruel, eu gosto das duas :v hahahhah

      Excluir
    2. Por que os Capítulos do Will e Halt estão bem mais legais que o do Horace?

      Excluir
    3. Pq eles são arqueiros, e Horace não! Arqueiros são mais legais hauehahaue

      Excluir
  2. kkkkkkkkkkk E acho que pela clima entre Alyss e Evanlyn tbm hahahhaha

    ResponderExcluir
  3. Eu não posso torcer pra nenhuma. Acidentalmente li a sinopse do último livro da serie. Ops. Então tenho uma ideia do que vai rolar. Não temam. Kkk

    ResponderExcluir
  4. Kkkkkkkkkk. Alyss e Cassandra 0 Halt 01 ponto!
    Ass: Bina.

    ResponderExcluir
  5. Kkkkkkk. Essas duas e i Halt me matam de rir. Estou amando o livro ♡
    Ass: Lua

    ResponderExcluir
  6. Allyss e Wil o casal que ninguém deve se meter no meio...kkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. E é tudo culpa do Will kkkkkk

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)