5 de janeiro de 2017

7

Merda.
Isto é ainda pior do que eu estava esperando. Há corpos caídos por toda parte, jogados e empilhados uns nos outros e sangrando uns nos outros. É quase impossível distinguir braços de pernas, inimigos de aliados. Sangue e chuva estão se misturando e inundando o chão e, de repente, minhas botas estão escorregadias com a lama e o sangue de outra pessoa; viva ou morta, não sei.
Demora apenas um milésimo de segundo até combatentes inimigos perceberem que somos novos no campo de batalha; quando percebem, não hesitam. Já estamos sob o cerco, e eu olho para trás bem a tempo de ter um vislumbre de Juliette e Kenji ainda abrindo caminho antes de sentir algo pontiagudo bater contra as minhas costas. Dou um giro e, um barulho agudo depois, meu soldado está com o maxilar quebrado. Ele dobra o corpo ao meio e leva a mão para a arma, mas eu sou mais rápido. Agora ele está derrubado e abatido e já estou indo para o próximo.
Estamos todos tão apertados que o combate físico parece inevitável; eu me abaixo para evitar um gancho de direita e dou um soco no estômago do soldado inimigo ao me erguer, tirando uma faca do cinto para continuar. Para dentro, para cima, virando e ele está acabado.
Puxo minha faca do peito dele conforme ele cai. Um homem avança para mim por trás e eu me viro para vê-lo quando, de repente, ele está tossindo sangue e caindo de joelhos.
Kenji salvou minha pele.
Ele está em movimento e se mexendo bem, ainda sem deixar seu ferimento debilitá-lo. Estamos lutando juntos, ele e eu, e posso sentir seus movimentos ao meu lado. Gritamos alertas um para o outro, um ajudando o outro quando pode, e, na verdade, estamos nos saindo bem, atravessando a loucura, quando ouço Kenji gritar meu nome, sua voz assustada e urgente.
De repente estou invisível e Kenji está gritando para mim sobre Juliette e não sei o que está acontecendo, mas estou apavorado e sei que agora não é hora de fazer perguntas. Abrimos caminho de volta para a frente, lutando, e disparamos na direção da estrada, a voz em pânico de Kenji dizendo para mim que viu Juliette ser derrubada e arrastada para longe, e é tudo o que preciso ouvir. Uma parte de mim está furiosa e uma parte está aterrorizada e as duas estão tendo sua própria batalha na minha mente.
Eu sabia que isso iria acontecer.
Eu sabia que ela nunca devia ter vindo conosco. Eu sabia que ela devia ter ficado para trás. Ela não foi feita para isso; ela não é forte o bastante para estar no campo de batalha. Ela teria ficado muito mais segura se não tivesse vindo. Por que nunca me escutam?
Maldição.
Quero gritar.
Quando chegamos à estrada, Kenji me puxa para trás e, embora estejamos sem fôlego e mal conseguindo falar, temos um vislumbre de Juliette conforme ela é levada para a parte de trás de um tanque, seu corpo mole e pesado conforme a arrastam para dentro.
Acaba em questão de segundos. Eles já estão se afastando.
Juliette se foi.
Meu peito racha.
Kenji está com a mão firme no meu ombro e eu percebo que estou dizendo “ah, meu Deus, ah, meu Deus” de novo e de novo quando Kenji tem a decência de me devolver a razão.
— Segura a onda — ele fala. — Precisamos ir atrás dela!
Minhas pernas estão instáveis, mas sei que ele está certo.
— Para onde você acha que eles foram?
— Provavelmente a estão transportando de volta para a base...
— Maldição. É claro! O Warner…
— Quer Juliette de volta.
Kenji faz que sim com a cabeça.
— Aquela provavelmente era a equipe que ele mandou para pegá-la.
Ele fala um palavrão baixinho.
— A única coisa boa nisso é que sabemos que ele não a quer morta.
Eu aperto os dentes para não perder a cabeça.
— Está certo então; vamos.
Meu Deus, mal posso esperar para pôr as mãos naquele psicopata. Vou gostar de matá-lo. Devagar. Com cuidado. Cortando-o em pedaços um dedo por vez.
No entanto, Kenji hesita e eu o encaro.
— O que foi? — pergunto.
— Não consigo projetar, irmão. Minha energia se foi.
Ele suspira.
— Desculpe. Meu corpo está se comportando muito mal agora.
Merda.
— Plano de contenção?
— Podemos evitar as estradas principais — ele fala. — Pegar a rota secundária e seguir para a base sozinhos. Seria mais fácil rastrear o tanque, mas, se fizermos isso, você estará totalmente visível. A escolha é sua.
Eu franzo as sobrancelhas.
— É, eu voto pelo plano que não vai me matar instantaneamente.
Kenji sorri.
— Certo, então. Vamos pegar nossa garota de volta.
— Minha garota — eu o corrijo. — Ela é minha garota.
Kenji bufa conforme seguimos na direção dos aglomerados.
— Certo. Exceto pelo fato de ela não ser sua garota de verdade. Não mais.
— Cale a boca.
— A-hã.
— Que seja.

7 comentários:

  1. Kenji maravilhoso! Addie vc tá guardando muita magoa nesse lindo ♥

    ResponderExcluir
  2. " — Certo, então. Vamos pegar nossa garota de volta.
    — Minha garota — eu o corrijo. — Ela é minha garota.
    Kenji bufa conforme seguimos na direção dos aglomerados.
    — Certo. Exceto pelo fato de ela não ser sua garota de verdade. Não mais.
    — Cale a boca.
    — A-hã.
    — Que seja."
    Esse Kenji é um palhaço kkk Se quiser posso ser sua garota também Kenji.
    #TeamWarner

    ~polly~

    ResponderExcluir
  3. Kenji mozao ❤
    Gente,a cambada toda tá deixando a batalha? 😂😂😂

    ResponderExcluir
  4. Keji sempre divando!!
    Avho que ele é um dos poucos personagens que não me decepcionam.
    Mds como eu amo o Kenji♥

    ResponderExcluir
  5. Addie,meu querido Addie...Nao faz merda Adam <3

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)