6 de janeiro de 2017

71

Há uma cama enorme aqui com uma grande janela e uma bela vista do oceano. É adorável, na verdade, quão amplo e expansivo tudo é. Ainda mais adoráveis são suas ocupantes.
Sonya e Sara estão me encarando.
Elas estão perfeitas. Vivas.
Tão lindas quanto sempre foram.
Eu corro até elas, tão aliviada que quase explodo em lágrimas.
— Vocês estão bem? — pergunto, incapaz de me controlar. — Vocês estão bem?
Elas se jogam em meus braços, parecendo que desceram até o inferno e voltaram, torturadas por dentro, e tudo o que quero fazer é carregá-las para fora deste navio e levá-las para casa.
Porém, assim que a ansiedade inicial sai do caminho, Sonya diz algo que faz meu coração parar.
— O Kenji estava procurando por você — ela fala. — Ele acabou de vir aqui, não faz muito tempo, e perguntou se nós a tínhamos visto...
— Ele disse que vocês se separaram — Sara acrescenta.
— E que ele não sabia o que tinha acontecido com você — Sonya diz.
— Estávamos com tanto medo de que você estivesse morta — elas declaram juntas.
— Não — digo a elas, sentindo-me enlouquecida agora. — Não, não, eu não morri. Mas tenho que ir. Fiquem aqui — estou falando para elas. — Não saiam daqui. Não vão a lugar nenhum. Eu já volto, prometo — afirmo. — Eu só tenho que ir achar o Kenji... Eu tenho que encontrar o Anderson.
— Ele está a duas portas daqui — Sara conta, os olhos arregalados.
— A sala que fica no final do corredor — Sonya avisa.
— É a que tem a porta azul — elas me informam.
— Espere!
Sonya me para conforme eu me viro para sair.
— Tenha cuidado — Sara fala. — Ouvimos algumas coisas...
— Sobre uma arma que ele trouxe — Sonya diz.
— Que tipo de arma? — pergunto, o coração desacelerando.
— Não sabemos — elas falam juntas.
— Mas ele ficou bem feliz com ela — Sara sussurra.
— Sim, muito feliz — Sonya acrescenta.
Eu fecho os punhos.
— Obrigada — digo a elas. — Obrigada... Até daqui a pouco — estou falando. — Daqui a muito pouco...
E estou recuando, saindo, correndo pelo corredor e as ouço gritar para eu ter cuidado, e boa sorte, logo atrás de mim.
Mas eu não preciso mais de sorte. Eu preciso destes dois punhos e desta coluna de aço. Eu não perco nada de tempo para chegar à sala azul. Não estou mais com medo.
Eu não hesito. Não vou hesitar. Nunca mais.
Chuto a porta.

— JULIETTE... NÃO...

5 comentários:

  1. Fudeu o.O é óbvio q ia dá merda antes do final, é óbvio q o sogrão iria trazer uma arma secreta, mano q merda '^' acabou d ocorrer uma idéia bem louca, e se essa arma for a mãe do mozão? Afinal quando a Juju chegou lá na casa só estava o Warner, ah sei lá, melhor eu ir pro próximo capítulo ;-;

    ResponderExcluir
  2. Ai meu core. ...
    Bianca

    ResponderExcluir
  3. Como assim ela não precisa de sorte? Contra o Anderson ela precisa dos poderes, do traje e de muita, muita sorte

    ResponderExcluir
  4. Eh bem alguém que neutraliza os poderes dela tenho quase certeza

    ResponderExcluir
  5. AAAAH q ódio que eu tenho quando td parece que vai correr bem e alguém aparece gritando e mostra q vai dar td errado na vdd, q sacoooo...
    Pelo menos sabemos que o Kenji tava bem, pelo menos uns minutos atrás...

    Ai, que aperto no nosso coração quando vê os capítulos acabando...

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)