2 de janeiro de 2017

53

Adam, Kenji, Castle e eu estamos acampados no escritório de Castle, tentando discutir uma estratégia.
Na noite anterior, corri direto para Kenji — que, depois, levou-me até Castle — para contar o que Warner me disse. Castle ficou ao mesmo tempo aliviado e horrorizado, e acho que ele ainda não digeriu a informação.
Ele me disse que iria encontrar Warner nesta manhã, apenas para dar continuidade, apenas para ver se Warner estaria disposto a dar mais detalhes (ele não estava), e que Kenji, Adam e eu deveríamos encontrá-lo em seu escritório na hora do almoço.
Assim, agora estamos aglomerados neste pequeno espaço com mais sete pessoas. Os rostos nesta sala são muitos dos que eu vi quando fiz minha viagem ao aglomerado de armazenamento do Restabelecimento; o que significa que são pessoas importantes, fundamentais para este movimento. E isso me fazer pensar quando foi que me tornei parte do grupo principal de Castle no Ponto Ômega.
Não posso deixar de sentir um pouco de orgulho. Um pouco de emoção por ser alguém em quem ele confia. Por estar contribuindo.
E isso me faz pensar em quanto mudei em um período tão curto. Como minha vida ficou diferente, quão mais forte e quão mais fraca me sinto agora. Isso me faz pensar se as coisas teriam sido diferentes se Adam e eu tivéssemos encontrado uma maneira de ficarmos juntos. Se eu teria me arriscado fora da segurança que ele introduziu em minha vida.
Penso sobre muitas coisas.
Porém, quando levanto o olhar e o flagro me encarando, meus pensamentos desaparecem; fico sem nada além das dores que a falta dele me causa. Fico desejando que ele não desvie o olhar quando ergo o meu.
Foi minha triste escolha. Eu fiz isso a mim mesma.
Castle está sentado à escrivaninha, com os cotovelos apoiados nela, o queixo sobre as mãos unidas. Suas sobrancelhas estão franzidas; os lábios, enrugados; os olhos, focados nos papéis à sua frente.
Ele não diz uma palavra há cinco minutos.
Enfim, levanta o olhar. Olha para Kenji, que está sentado bem em frente a ele, entre Adam e eu.
— O que acha? — ele pergunta. — Ofensiva ou defensiva?
— Ataque de guerrilha — Kenji responde sem hesitar. — Nada além.
Um suspiro profundo.
— Sim — Castle diz. — Eu também pensei nisso.
— Precisamos nos dividir — Kenji fala. — Quer escolher grupos, ou eu faço isso?
— Escolherei os grupos preliminares. Gostaria que os visse e sugerisse mudanças, se quiser.
Kenji concorda, balançando a cabeça.
— Perfeito. E armas...
— Eu cuido disso — Adam oferece. — Posso garantir que todas estejam limpas, carregadas, prontas para a luta. Já conheço bem o arsenal.
Eu não fazia ideia.
— Bom. Excelente. Escolheremos um grupo para tentar chegar à base e encontrar Winston e Brendan; todas as outras pessoas vão se espalhar entre os aglomerados. Nossa missão é simples: salvar o máximo de civis possível. Abater apenas os soldados que forem totalmente necessários. Nossa luta não é contra os homens, mas contra seus líderes... Nunca devemos nos esquecer disso. Kenji — Castle diz —, eu gostaria que você supervisionasse os grupos que vão entrar nos aglomerados. Sente-se confortável para fazer isso?
Kenji concorda, balançando a cabeça.
— Eu liderarei o grupo até a base — Castle explica. — Enquanto você e o senhor Kent serão perfeitos para se infiltrarem no Setor 45. Gostaria que ficassem com a senhorita Ferrars; vocês três trabalham bem juntos e vou precisar das suas forças em campo. Agora — ele acrescenta, espalhando os papéis à sua frente — estive estudando estas plantas a noite to...
Alguém está batendo na janela de vidro da porta de Castle.
É um homem meio jovem que nunca vi antes, com olhos brilhantes e castanho-claros e cabelos cortados tão curtos que não consigo saber a cor. Seus olhos estão unidos, a testa, tensa.
— Senhor! — ele está gritando, ele já estava gritando, eu percebo, mas sua voz está abafada e, apenas neste momento, chego à conclusão de que esta sala deve ser à prova de som, mesmo que apenas um pouco.
Kenji pula do assento, e abre a porta com um puxão.
— Senhor!
O homem está sem fôlego. Fica claro que ele correu até aqui.
— Senhor, por favor...
— Samuel?
Castle está em pé, contornou a mesa e está avançando para agarrar os ombros do rapaz, tentando focar em seus olhos.
— O que foi... O que há de errado?
— Senhor — Samuel repete, desta vez com mais normalidade, a respiração quase sob controle. — Temos uma... uma situação.
— Conte tudo. Agora não é o momento de esconder nada, se aconteceu alguma coisa...
— Não tem nada a ver com o mundo de cima, senhor, é apenas...
Seus olhos lançam-se na minha direção por um milésimo de segundo.
— Nosso... visitante... Ele... Ele não está colaborando, senhor, ele está... está causando muito problema para os guardas...
— Que tipo de problema?
Os olhos de Castle são duas fendas.
Samuel baixa a voz.
— Ele conseguiu amassar um pouco da porta, senhor. Ele conseguiu amassar a porta de aço, senhor, e está ameaçando os guardas e eles estão começando a ficar preocupados...
— Juliette.
Não.
— Preciso da sua ajuda — Castle diz sem olhar para mim. — Sei que você não quer isso, mas é a única que ele ouve e não podemos nos dar ao luxo dessa distração, não agora.
Sua voz está tão fina, tão no limite, que parece que vai mesmo quebrar.
— Por favor, faça o que puder para contê-lo e, quando achar que é seguro para uma das garotas entrar, talvez possamos encontrar uma maneira de sedá-lo sem colocá-las em perigo no processo.
Meus olhos pulam para Adam quase por acidente. Ele não parece feliz.
— Juliette — o maxilar de Castle fica mais tenso. — Por favor. Vá agora.
Eu balanço a cabeça, concordando. Viro-me para sair.
— Preparem-se — Castle acrescenta enquanto eu passo pela porta, a voz suave demais para as palavras que diz em seguida. — A menos que tenhamos sido enganados, o supremo vai massacrar civis desarmados amanhã, e não podemos nos dar ao luxo de supor que Warner nos deu informações falsas. Partimos ao amanhecer.

5 comentários:

  1. ai meu deu!!! o Warner amassou a porta de aço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Psé ! Como que ele fez isso ? Será que ele é mais poderoso que o Adam ?

      Excluir
    2. Talvez ele tenha os mesmos poderes de juliette.😱

      Excluir
  2. Hum tenho uma teoria pra isso, acho q o poder do Warner é meio q o oposto do poder do Adam, tipo, enquanto o Adam neutraluza os poderes dos outros, acho q o Warner dcalguma forma consegue meio q absorver os poderes das pessoas, tipo a vampira d X-Men, é só uma teoria, possa estar errada ;-;

    ResponderExcluir
  3. Tu amassou uma porta de aço Habibi? Qnt mais eu leio, mais curiosa eu fico

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)