6 de janeiro de 2017

43

Alia desenvolveu um novo traje para mim.
Estamos sentados nos colchões como sempre fazemos à noite e, neste momento, Alia está nos mostrando seus desenhos.
Eu nunca a vi tão animada antes.
Ele fica mais confiante quando fala do conteúdo de seu caderno de rascunhos do que conversando sobre o tempo. Está falando rápido e com fluidez, descrevendo os detalhes e as dimensões, até mesmo dando uma ideia dos materiais que teremos de ter para fazê-lo.
Ele é feito de carbono.
Fibras de carbono, para ser exata. Ela explicou que fibras de carbono são tão duras e abrasivas que precisarão ser unidas a algo mais flexível para que se tornem utilizáveis em roupas e, assim, ela está planejando experimentar vários materiais diferentes. Alguma coisa a respeito de polímeros. E algo sintético. E várias outras palavras que eu não entendi, na verdade. Os desenhos dela mostram como as fibras de carbono são literalmente entrelaçadas no tecido, criando um material durável e leve que servirá como uma base mais forte para o que eu preciso.
Sua ideia foi inspirada nos socos ingleses que ela fez para mim.
Ele disse que, originalmente, queria que o traje fosse feito por milhares de pedaços de bronze, mas, então, percebeu que nunca teria as ferramentas para fazer pedaços tão finos quanto gostaria e, assim, o traje ficaria muito pesado. Mas esta ideia está parecendo tão incrível quanto.
— Ele vai complementar e aumentar sua força — ela está dizendo para mim. — As fibras de carbono vão lhe dar um nível de proteção a mais; não vão se danificar com facilidade, então você vai poder se mexer com mais liberdade por diferentes terrenos. E, quando você estiver em um ambiente perigoso, tem que se lembrar de manter um estado de electricum o tempo todo; assim, o seu corpo vai se tornar praticamente indestrutível.
— O que você quer dizer...?
Eu olho dela para Castle à procura de esclarecimento.
— Como isso pode ser possível?
— Porque sim — Alia explica. — Da mesma maneira como você consegue atravessar o concreto sem se machucar, você deveria ser capaz de suportar o ataque de uma bala, por exemplo, sem ferimentos.
Ela sorri.
— Seus poderes a tornam praticamente invencível.
Uau.
— Este traje é uma precaução mais do que qualquer coisa — ela continua. — Já vimos que você pode, de fato, machucar sua pele se não tiver controle completo sobre seu poder. Quando você quebrou o chão nas salas de pesquisa — ela fala —, pensamos que tinha sido a enormidade do ato que a feriu. Mas, depois de examinar a situação e as suas habilidades de maneira mais completa, Castle e eu descobrimos que essa dedução não era precisa.
— Nossas energias nunca são inconsistentes — Castle entra na conversa, fazendo que sim com a cabeça para Alia. — Elas seguem um padrão... Uma precisão quase matemática. Se você não consegue se machucar ao atravessar uma parede de concreto, então foge ao padrão o fato de você poder se machucar ao quebrar o chão e, depois, continuar sem ferimentos depois de quebrar o chão pela segunda vez.
Ele olha para mim.
— Seus ferimentos têm a ver com o seu controle sobre sua habilidade. Se você em algum momento abandonar o electricum, se você diminuí-lo até mesmo por um instante, vai ficar vulnerável. Lembre-se de estar ligada, o tempo todo. Se fizer isso, não poderá ser derrotada.
— Eu te odeio com muita força agora — Kenji murmura baixinho. — Praticamente invencível uma ova.
— Está com ciúmes?
Eu sorrio para ele.
— Nem consigo olhar para você.
— Você não deveria ficar tão surpresa.
Warner acabou de entrar. Eu me viro e vejo que ele está andando na direção do grupo, abrindo um sorriso frio para ninguém em especial. Ele se senta em frente a mim. Olha nos meus olhos enquanto diz:
— Eu sempre soube que seus poderes, depois de controlados, seriam inigualáveis.
Tento respirar.
Warner enfim quebra o contato visual comigo para olhar pela sala.
— Boa noite a todos — ele diz.
Faz um aceno com a cabeça para Castle. Um tipo especial de reconhecimento.
Adam tem seu próprio tipo especial de reconhecimento.
Ele está olhando para Warner com um ódio intenso e explícito, parecendo que realmente quer assassiná-lo, e, de repente, fico mais ansiosa do que estive durante todo o dia. Estou olhando de Adam para Warner e de volta e não sei o que fazer. Não sei se algo está prestes a acontecer e estou tão desesperada para que a situação seja civilizada que eu...
— Oi — James diz, tão alto que assusta todos.
Ele está olhando para Warner.
— O que você está fazendo aqui?
Warner levanta uma sobrancelha.
— Eu moro aqui.
— Esta é a sua casa? — James pergunta.
Estranho. Eu me pergunto o que Adam e Kenji falaram para ele sobre o lugar para onde iam.
Warner faz que sim com a cabeça.
— De certa forma, sim — responde. — Serve como casa para mim. Eu moro lá em cima.
— Isso é muito legal — James diz, sorrindo. — Este lugar todo é muito legal. — Ele franze as sobrancelhas. — Ei, mas eu achei que a gente deveria odiá-lo.
— James — Adam diz, lançando para o irmão um olhar de aviso.
— O que foi? — James pergunta.
— Fique à vontade para me odiar — Warner diz. — Se quiser. Eu não me importo.
— Bem você deveria se importar — James diz, surpreso. — Eu ficaria muito chateado se alguém me odiasse.
— Você é novinho.
— Tenho quase 12 anos — James diz para ele.
— Disseram para mim que você tinha dez.
— Eu disse quase 12. — James revira os olhos. — Quantos anos você tem?
Todos estão observando. Escutando. Fascinados demais para desviar o olhar.
Warner examina James. Não se apressa para responder.
— Eu tenho 19 anos.
Os olhos de James se arregalam.
— Você só é um ano mais velho que o Adam — diz. — Como você tem tantas coisas legais se tem apenas um ano a mais que o Adam? Não conheço ninguém da sua idade que tenha coisas legais.
Warner olha para mim. Olha de volta para James. Olha para mim de novo.
— Não tem nada que você queira acrescentar a esta conversa, amor?
Eu faço que não com a cabeça. Sorrindo.
— Por que você chama a Juliette de “amor”? — James pergunta. — Eu já o ouvi dizer isso antes também. Muitas vezes. Você está apaixonado por ela? Eu acho que o Adam está apaixonado por ela. Mas o Kenji não está apaixonado por ela. Eu já perguntei para ele.
Warner pisca os dois olhos para ele.
— E então? — James pergunta.
— Então o quê?
— Você está apaixonado por ela?
— Você está apaixonado por ela?
— O quê? — James cora. — Não. Ela é tipo um milhão de anos mais velha que eu.
— Alguém gostaria de assumir esta conversa? — Warner pergunta, olhando para o grupo.
— Você não respondeu a minha pergunta — James diz. — Sobre por que você tem tantas coisas. Eu não estou tentando ser grosseiro — fala. — De verdade. Só estou me perguntando. Eu nunca tomei um banho de água quente antes. E você tem tanta comida. Deve ser muito bom ter tanta comida o tempo todo.
Warner se retrai, inesperadamente. Ele olha com mais cuidado para James.
— Não — ele diz, devagar. — Não é algo terrível ter comida e água quente o tempo todo.
— Então, você vai responder a minha pergunta? Sobre onde conseguiu todas essas coisas?
Warner suspira.
— Eu sou o comandante e regente do Setor 45 — diz. — Estamos agora em uma base do exército, onde meu trabalho é supervisionar nossos soldados e todos os civis que vivem nos aglomerados anexos. Sou pago para morar aqui.
— Ah.
James fica pálido no mesmo instante; de repente, ele parece desumanamente aterrorizado.
— Você trabalha para O Restabelecimento?
— Ei, está tudo bem, amigo — Kenji diz para James. — Você está seguro aqui. Certo? Ninguém vai machucá-lo.
— Esse é o tipo de cara pelo qual você está interessada, hã? — Adam dispara para mim. — O tipo de cara que deixa crianças petrificadas?
— É bom vê-lo de novo, Kent.
Warner está observando Adam agora.
— Está gostando da sua estada?
Adam parece estar contendo o impulso de dizer várias coisas grosseiras.
— Então, você trabalha mesmo para eles? — James está perguntando para Warner de novo, suas palavras apenas um sussurro, seus olhos ainda congelados no rosto de Warner.
Ele está tremendo tanto que meu coração se parte.
— Você trabalha para O Restabelecimento?
Warner hesita. Desvia o olhar e depois o traz de volta.
— Teoricamente — diz. — Sim.
— O que você quer dizer? — James questiona.
Warner está olhando para as mãos.
— O que você quer dizer com teoricamente? — James quer saber.
— Você está perguntando — Warner diz com um suspiro — porque está mesmo procurando um esclarecimento? Ou é porque você não sabe o que a palavra teoricamente quer dizer?
James hesita, seu pânico se dissolvendo em frustração por um momento. Ele retorce o rosto, irritado.
— Certo. O que teoricamente significa?
— Teoricamente — Warner fala — eu deveria trabalhar para O Restabelecimento. Mas, obviamente, já que estou hospedando um grupo de rebeldes nesta base militar de propriedade do governo... Nos meus aposentos privados, que surpresa... E sustentando tais rebeldes para que eles possam derrubar nosso regime atual, eu diria que não. Não estou trabalhando para O Restabelecimento exatamente. Eu cometi uma traição — ele diz para James. — Um crime que é punível com morte.
James o encara por um longo tempo.
— É isso o que teoricamente significa?
Warner levanta o olhar para a parede. Suspira de novo.
Eu seguro uma risada.
— Então, espere... Então você não é o vilão — James declara de repente. — Você está do nosso lado, certo?
Warner vira-se devagar para olhar nos olhos de James. Não diz nada.
— E então? — James pergunta, impaciente. — Você não está do nosso lado?
Warner pisca. Duas vezes.
— Assim parece — diz, como se mal pudesse acreditar que está falando isso.
— Talvez devêssemos voltar a falar do traje — Castle interrompe. Ele está olhando para Warner, sorrindo triunfantemente. — Alia passou muito tempo desenvolvendo-o, e sei que ela tem mais detalhes a compartilhar.
— É — Kenji diz, animado. — Isso parece incrível, Alia. Eu quero um. Posso ter um?
Eu me pergunto se sou a única pessoa a notar que as mãos de Warner estão tremendo.

11 comentários:

  1. — Por que você chama a Juliette de “amor”? — James pergunta. — Eu já o ouvi dizer isso antes também. Muitas vezes. Você está apaixonado por ela? Eu acho que o Adam está apaixonado por ela. Mas o Kenji não está apaixonado por ela. Eu já perguntei para ele.
    Warner pisca os dois olhos para ele.

    James é uma pessoinha M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.A

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Um fofo! Acho que ele e o irmão vão se dar muito bem

      Excluir
  2. Amo tanto o james ♥

    ResponderExcluir
  3. MDS SUPER FOFINHO O MOMENTO JAMES E WARNER

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que para dez anos o personagem foi mal trabalhado, uma das únicas falhas desse livro. Crianças de dez anos, especialmente as que foram criadas em meio ao caos e fome, sabem quando ficar quietas.

    ~ Ophelia

    ResponderExcluir
  5. EU TÔ PIRANDO COM ESSE GAROTO, EU TÔ RINDO PRA KRL, MANO O JAMES É DEMAIS <333333

    ResponderExcluir
  6. Kkkkkkkk... James♥ Criança é fogo!

    ResponderExcluir
  7. O James é que vai acabar unindo todos os irmãos desse jeito kkkkk
    TE AMO JAMES!
    Que pena que você não tem três anos a mais...

    #AMOTODOS ~POLLY~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você tá certa(o) anônimo

      Ps:Não tem como não amar o James ele muito fofo

      Excluir
  8. Essa merda toda é incrivel!
    Eu amo o James!

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)