2 de janeiro de 2017

39

— Merda.
Kenji fecha e aperta os olhos, como se não acreditasse no que está acontecendo.
— Merda, merda, merda.
Ele coloca Warner contra seus ombros, oscila entre ser sensível e ser um soldado e diz:
— Adam, cara, sinto muito, mas temos mesmo que sair daqui.
Adam se levanta, piscando para conter o que posso apenas imaginar que sejam mil pensamentos, memórias, preocupações, hipóteses, e eu chamo seu nome, mas é como se ele nem ouvisse. Ele está confuso, desorientado, e eu estou me perguntando como esse homem pode ser seu pai se Adam me disse que seu pai estava morto.
Agora não é o momento para esse tipo de conversa.
Algo explode a distância e o impacto faz tremer o chão, as janelas, as portas desta casa e Adam parece acordar para a realidade. Ele pula para frente, agarra meu braço e estamos fugindo pela porta.
Kenji é o guia, conseguindo, de alguma forma, correr, apesar do peso do corpo de Warner, mole, pendurado em seu ombro; e ele está gritando para nós o seguirmos de perto. Estou girando, analisando o caos ao nosso redor. O som de tiros está perto demais, perto demais, perto demais.
— Onde estão Ian e Emory? — pergunto a Adam. — Você os tirou de lá?
— Alguns dos nossos homens estavam lutando perto daqui e eu consegui recrutar um dos tanques... Consegui que ele levasse os dois de volta ao Ponto Ômega — ele me conta, gritando para eu poder escutá-lo. — Era o transporte mais seguro possível.
Faço que sim com a cabeça, ofegando para conseguir ar conforme corremos pelas ruas e estou tentando me concentrar nos sons à nossa volta, tentando descobrir quem está ganhando, tentando descobrir se nosso grupo foi dizimado.
Viramos a esquina.
Seria de se esperar que fosse um massacre.
Cinquenta dos nossos estão lutando contra 500 dos soldados de Anderson, que estão descarregando bala após bala, atirando em qualquer coisa que possa ser um alvo. Castle e os outros estão resistindo, sangrando e feridos, mas revidando da melhor forma possível. Nossos homens e mulheres estão armados e avançando para revidarem os tiros da oposição na mesma medida; outros estão lutando da única maneira que sabem: um homem está com as mãos no chão, congelando a terra sob os pés dos soldados, fazendo-os perder o equilíbrio; outro homem está correndo entre os soldados com tanta velocidade que ele não passa de um borrão, confundindo-os e derrubando-os e roubando suas armas. Eu levanto o olhar e vejo uma mulher escondida em uma árvore, jogando o que devem ser facas ou flechas em uma sucessão tão rápida que os soldados não têm um instante para reagir antes de serem atingidos de cima.
E lá está Castle no meio de tudo, as mãos esticadas para cima da cabeça, reunindo um redemoinho de partículas, entulhos, tiras de aço espalhadas e galhos quebrados com nada além da coerção das pontas dos seus dedos. Outros formaram uma parede humana ao redor dele, protegendo-o enquanto ele forma um ciclone de tamanha magnitude que até eu posso ver que ele está se esforçando para manter o controle.
E, então,
ele o libera.
Os soldados estão gritando, berrando, fugindo depressa e abaixando-se em busca de abrigo, mas a maioria é lenta demais para escapar do alcance de tanta destruição e eles estão caídos, espetados por pedaços de vidro e pedra e madeira e metal quebrado, mas sei que essa defesa não durará muito.
Alguém tem de dizer a Castle.
Alguém tem de dizer a ele para ir embora, sair dali, que Anderson caiu e que temos dois dos nossos reféns e Warner sob controle. Ele tem de levar nossos homens e mulheres de volta ao Ponto Ômega antes que os soldados fiquem espertos e alguém jogue uma bomba grande o bastante para destruir tudo. Nosso pessoal não vai aguentar muito mais tempo e esta é a oportunidade perfeita para se protegerem.
Digo a Adam e Kenji o que estou pensando.
— Mas como? — Kenji grita por cima do caos. — Como vamos chegar até ele? Se corrermos por ali, vamos morrer. Precisamos de algum tipo de distração...
— O quê? — eu grito de volta.
— Uma distração! — ele berra. — Precisamos de algo para confundir os soldados por tempo suficiente para um de nós pegar Castle e dar a ele o sinal verde... Não temos muito tempo...
Adam já está tentando me agarrar, ele já está tentando me fazer parar, ele já está implorando que eu não faça o que ele acha que vou fazer e digo a ele que está tudo bem. Falo para não se preocupar. Falo para levar os outros a um lugar seguro e prometo que ficarei bem, mas ele me alcança, está suplicando com os olhos e eu fico muito tentada a permanecer aqui, bem ao lado dele, mas me liberto. Enfim sei o que preciso fazer; enfim estou pronta para ajudar; enfim tenho mais ou menos um pouco de certeza de que, talvez, desta vez eu possa controlar o poder e tenho de tentar.
Assim, cambaleio para trás.
Fecho os olhos.
Deixo acontecer.
Caio de joelhos e aperto as palmas das mãos contra o chão e sinto o poder caminhando por mim, sinto-o coagular pelo meu sangue e misturar-se à raiva, à paixão, ao fogo dentro de mim e penso em todas as vezes em que meus pais me chamaram de monstro, um erro horrível, terrível, e penso em todas as noites em que chorei até dormir e vejo todos os rostos que me queriam morta e, depois, é como uma apresentação de slides com imagens desenrolando-se pela minha mente, homens e mulheres e crianças, protestantes inocentes atropelados nas ruas; vejo armas e bombas, fogo e devastação, tanto sofrimento, sofrimento, sofrimento e quero gritar, quero gritar nos braços da atmosfera e eu me preparo.
Flexiono o punho. Puxo meu braço para trás e
eu
estilhaço
o que resta desta terra.

9 comentários:

  1. Olha só essa cena me lembra a Sakura de Naruto, ela fazia exatamente isso (:

    Carla

    ResponderExcluir
  2. AEEEEEEEEE JUJU, ORGULHO DESSA LINDA GAROTA PSICOPATA *-*

    ResponderExcluir
  3. Tá tipo:PROVEM UM POUCO DA MINHA IRA!
    Isso Juliette, se mostre forte, salve o mundo.

    ~polly~

    ResponderExcluir
  4. Flash😍😍😍😍 o Flash estava aí.. ..ai meu Barry..

    ResponderExcluir
  5. Só eu acho que esse livro é parecido com : "A Rainha Vermelha"??
    Amo os dois livros <3 <3

    ResponderExcluir
  6. Que orgulho dessa garota!

    ResponderExcluir
  7. Mano eh serio enquanto eles lutavam a musica de ação dos x-mens não saia da minha cabeça

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)