6 de janeiro de 2017

22

Todos se amontoam em volta de Castle imediatamente; James praticamente o derruba. Ian empurra todos os outros do caminho em sua tentativa de se aproximar. Castle está sorrindo, rindo um pouco.
Ele enfim se parece mais com o homem de que me lembro.
— Estou bem — ele está dizendo.
Ele parece exausto, como se as palavras estivessem lhe custando muito para sair.
— Muito obrigada pela preocupação. Vou ficar bem. Só preciso de mais um pouco de tempo, só isso.
Eu olho nos olhos dele. Estou com medo de me aproximar.
— Por favor — Castle diz para Alia e Winston, os dois que estão mais perto de cada lado dele — me ajudem a levantar. Quero cumprimentar nosso mais recente visitante.
Ele não está falando de mim.
Castle fica de pé com alguma dificuldade, mesmo com todos se apressando para ajudá-lo. A sala toda de repente parece diferente: mais leve, mais feliz, de alguma forma. Eu não tinha percebido o quanto do sofrimento de todos estava ligado ao bem-estar de Castle.
— Senhor Warner — Castle diz, cruzando seu olhar com o dele do outro lado da sala. — Que gentileza a sua de se juntar a nós.
— Não estou me juntando a nad...
— Eu sempre soube que faria isso — Castle diz.
Ele sorri um pouco.
— E estou contente.
Warner parece estar tentando não revirar os olhos.
— Você pode baixar as armas agora — Castle diz para ele. — Prometo cuidar bem delas na sua ausência.
Todos nós olhamos para o teto. Ouço Warner suspirar. De uma vez, todas as armas flutuam até o chão, apoiando-se gentilmente no tapete.
— Muito bom — Castle fala. — Agora, se me dão licença, estou com uma necessidade desesperadora de um longo banho. Espero que você não confunda minha saída tão rápida com grosseria — ele acrescenta. — É que eu tenho certeza de que nos veremos muitas vezes nestas próximas semanas.
O maxilar de Warner fica tenso como forma de resposta.
Castle sorri.
Winston e Brendan ajudam Castle a ir ao banheiro, enquanto Ian grita ansioso para que peguem uma troca de roupa para ele. Eu, Warner, James, Alia e Lily somos os únicos que ficam na sala.
— Juliette? — Warner diz.
Olho na direção dele.
— Posso tomar um minuto do seu tempo, por favor? Em particular?
Eu hesito.
— Vocês podem usar meu quarto — James entra na conversa. — Não me importo.
Olho para ele, chocada por ter oferecido seu espaço pessoal de tão boa vontade para pessoas como eu e Warner; em especial depois de ver a explosão do irmão há pouco.
— Adam vai ficar bem — James diz para mim, como se lesse meus pensamentos. — Ele só está estressado. Ele está preocupado com muitas coisas. Ele acha que vamos ficar sem comida e tal.
— James...
— Está tudo bem mesmo — James afirma. — Vou ficar aqui com a Alia e a Lily.
Eu olho para as duas meninas, mas seus rostos não revelam nada. Alia me oferece apenas o mais leve dos sorrisos de compreensão. Lily está encarando Warner, olhando-o de cima a baixo.
Enfim, eu suspiro, me rendendo.
Sigo Warner para dentro do pequeno armário, fechando a porta atrás de mim.
Ele não perde tempo.
— Por que está convidando seus amigos a se unirem a nós? Eu disse que não queria trabalhar com eles.
— Como você me encontrou? — eu rebato. — Eu nunca apertei o botão daquele pager que você me deu.
Warner estuda meus olhos, seu olhar verde afiado preso no meu como se tentasse me ler à procura de pistas. Porém, a intensidade de seu olhar sempre é demais para mim; quebro a conexão cedo demais, sentindo-me de alguma forma livre.
— Foi um simples raciocínio de dedução — ele diz enfim. — Kent era o único membro do seu grupo com uma vida fora do Ponto Ômega; sua antiga casa era o único lugar para onde ele conseguia se retirar sem causar perturbações. Assim — Warner diz — foi o primeiro lugar que verifiquei.
Um leve balançar da cabeça de um lado para o outro.
— Ao contrário do que você pode pensar, amor, eu não sou idiota.
— Nunca pensei que você fosse idiota — digo, surpresa. — Pensei que você fosse louco — conto a ele — mas não idiota.
Eu hesito.
— Na verdade, acho que você é brilhante — confesso. — Queria poder pensar como você.
Desvio o olhar e volto a encará-lo rápido demais, sentindo com força que preciso aprender a ficar de boca fechada.
A expressão de Warner se alivia. Seus olhos ganham rugas de diversão conforme ele sorri.
— Não quero seus amigos no meu time — ele diz. — Não gosto deles.
— Não me importo.
— Eles só vão nos atrasar.
— Eles vão nos dar uma vantagem — insisto. — Sei que acha que eles não fizeram as coisas direito no Ponto Ômega, mas eles sabiam como sobreviver. Todos eles têm forças importantes.
— Estão completamente arrasados.
— Estão sofrendo — digo a ele, incomodada. — Não os subestime. Castle é um líder nato — afirmo. — Kenji é um gênio e um excelente guerreiro. Ele age como um imbecil às vezes, mas você sabe melhor do que ninguém que isso é apenas teatro. Ele é mais esperto que todos nós. Além disso, Winston e Alia podem criar qualquer coisa de que precisemos desde que tenham os materiais; Lily tem uma memória fotográfica incrível; Brendan pode aguentar a eletricidade e Winston pode esticar os membros para formar quase qualquer coisa. E Ian...
Eu vacilo.
— Bem, Ian é... bom para alguma coisa, tenho certeza.
Warner ri um pouco, seu sorriso suavizando-se até desaparecer totalmente. Seu rosto estabiliza-se em uma expressão incerta.
— E o Kent? — Warner pergunta enfim.
Sinto meu rosto ficar pálido.
— O que tem ele?
— Ele é bom em quê?
Eu hesito antes de responder.
— Adam é um ótimo soldado.
— Isso é tudo?
Meu coração está batendo muito forte. Forte demais.
Warner desvia o olhar, neutralizando cuidadosamente sua expressão, seu tom.
— Você se importa com ele.
Não é uma pergunta.
— Sim — consigo dizer. — É claro que sim.
— E o que isso inclui exatamente?
— Não sei o que você quer dizer — minto.
Warner está encarando a parede, mantendo-se muito imóvel, os olhos sem revelar nada do que ele está pensando de verdade, do que ele está sentindo.
— Você o ama?
Estou pasma.
Nem consigo imaginar quanto deve custar a ele fazer essa pergunta tão diretamente. Eu quase o admiro por ser corajoso o suficiente para fazer isso.
Porém, pela primeira vez, não estou bem certa do que dizer. Se fosse apenas uma semana antes, duas semanas antes, eu teria respondido sem hesitação. Eu teria sabido, definitivamente, que amava Adam, e não teria tido medo de dizer. Porém, agora, eu não posso deixar de me perguntar se ao menos sei o que é o amor; se o que senti por Adam foi amor ou apenas uma mistura de afeição profunda e atração física. Porque, se eu o amasse — se eu o amasse mesmo, de verdade —, eu hesitaria agora? Eu conseguiria com tanta facilidade me desligar da vida dele? Da dor dele?
Eu me preocupei tanto com Adam nas últimas semanas — os efeitos de seu treinamento, a notícia sobre seu pai —, mas não sei se foi por causa de amor, ou se tinha sido por culpa. Ele abandonara tudo por mim; porque queria ficar comigo. Porém, por mais que me doa admitir, eu sei que não fugi para ficar com ele. Adam não era meu principal motivo; ele não era a força motriz.
Eu fugi por mim. Porque eu queria ser livre.
— Juliette?
O sussurro suave de Warner me traz de volta ao presente, puxa-me e leva-me para dentro de mim mesma, chacoalhando minha consciência de volta à realidade. Estou com medo de ficar pensando nas verdades que acabei de descobrir.
Eu olho nos olhos de Warner.
— Sim?
— Você o ama? — ele pergunta de novo, com a voz mais baixa dessa vez.
E, de repente, tenho de me forçar a dizer duas palavras que eu nunca, nunca pensei que diria:
— Não sei.
Warner fecha os olhos.
Ele solta a respiração, a tensão clara em seus ombros e no contorno de seu maxilar e, quando ele enfim olha para mim de novo, há histórias em seus olhos, pensamentos e sentimentos e sussurros de coisas que eu nunca nem vira antes. Verdades que ele talvez nunca se force a dizer; coisas impossíveis e coisas inacreditáveis e uma abundância de sentimentos dos quais eu nunca pensei que ele fosse capaz. Todo o seu corpo parece relaxar de alívio.
Eu não conheço esse rapaz parado em frente a mim. Ele é um perfeito estranho, um ser inteiramente diferente; o tipo de pessoa que eu poderia nunca ter conhecido se meus pais não tivessem me jogado fora.
— Juliette. — Ele suspira.
Só agora estou percebendo exatamente quão perto ele está. Eu poderia apertar o rosto contra o pescoço dele se quisesse. Poderia colocar minhas mãos no peito dele se quisesse.
Se quisesse.
— Eu adoraria que você voltasse comigo — ele diz.
— Não posso — respondo para ele, o coração de repente disparado. — Preciso ficar aqui.
— Mas não é prático — ele fala. — Precisamos planejar. Precisamos conversar sobre estratégia... Poderia levar dias...
— Já tenho um plano.
Suas sobrancelhas se levantam depressa e eu tombo a cabeça, encarando-o com um olhar duro antes de estender minha mão para a porta.

10 comentários:

  1. Nossa q garota preparada, como assim producao???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo, as novas atitudes da Juliette causam estranheza.Mas, se acostume.A menina insegura e medrosa se foi para dar lugar à uma mulher forte, determinada e com sede de justiça.

      Excluir
  2. Estou simplesmente amando esse livro <3 Amoo o Warner desde o primeiro livro <3 haha


    -Rapha~

    ResponderExcluir
  3. Poha Juju, come logo o Warner, shippo loucamente esses dois, eles são perfeitos juntos e a Juju ta foda demais :)

    ResponderExcluir
  4. Só eu que imagino o Castle como um professor quando está com o Warner? Tipo, depois da Juliette acho que ele é o único que o Aaron ouve. Acho que uma relação muito fofa vai crescer entre eles. Como a de um mestre e seu aluno.

    ResponderExcluir
  5. Ai que lindo *-* A maior preocupação dele era se ela amava o Adam ainda *____* Geeeeenti esse Warner é um lindo *-*"

    ResponderExcluir
  6. Essa julliete é patética...uma hora gosta do Adam outra hora gosta do Warner. Livro insuportável e ruim demais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não gosta é só não ler. Apenas isso.

      Excluir
    2. Concordo o povo fica falando merda da ju mais ja viram o que ela passou nos dois livros anterioes foi morta e resitou e Agora ta bem mais preparada sem medo e pronta pra lutar parem de falar merda dela else nao gostam do livro parem de ler poha nao e obrigado ler livros affffffffff
      ass mabelly

      Excluir
    3. Comentário sem noção Anônimo... Ela achava que amava o Adam e se sentia atraida pelo Warner u.u E achava isso mt errado, agora ela se deu conta que não é isso.

      Excluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)