2 de janeiro de 2017

16

A solidão é uma coisa estranha.
Ela chega se arrastando em você, silenciosa e tranquila, senta-se ao seu lado no escuro, acaricia seu cabelo quando você dorme. Ela se enlaça ao redor de seus ossos, apertando tanto que você quase não consegue respirar, quase não consegue ouvir o pulso acelerado em seu sangue conforme ela sobe pela sua pele e toca os cabelos macios de sua nuca com seus lábios suaves. Ela deixa mentiras em seu coração, deita-se ao seu lado à noite, suga a luz de cada canto. É uma companhia constante, enganchando a mão para puxá-lo para baixo enquanto você luta para ficar em pé.
Você acorda pela manhã e pergunta-se quem você é. Não consegue dormir à noite e seu corpo treme. Você duvida você duvida você duvida
será que eu
será que eu não
eu devo
por que eu não
E mesmo quando você está pronto para abrir mão. Quando você está pronto para se libertar. Quando você está pronto para ser novo em folha. A solidão é uma velha amiga que fica ao seu lado no espelho, olhando-o nos olhos, desafiando-o a viver sem ela. Você não consegue encontrar as palavras para lutar contra si mesmo, para lutar contra as palavras que gritam que você não é suficiente nunca suficiente nunca suficiente mesmo.
A solidão é uma companheira amarga, vil.

Às vezes, ela simplesmente não larga.
— Olááááá?
Eu pisco e ofego e me encolho para longe dos dedos que estalam diante de meu rosto conforme as familiares paredes de pedra do Ponto Ômega voltam a ficar em foco, forçando-me a sair de meu devaneio. Consigo me virar.
Kenji está me encarando.
— O que foi?
Lanço um olhar nervoso e em pânico para ele enquanto junto e separo minhas mãos sem luvas, desejando ter algo quente em que enrolar meus dedos. Este traje não tem bolsos e não consegui recuperar as luvas que destruí nos laboratórios de pesquisa. Não recebi substitutas também.
— Você chegou cedo — Kenji me diz, levantando a cabeça, observando-me com olhos surpresos e curiosos.
Eu encolho os ombros e tento esconder o rosto, sem querer admitir que mal dormi durante a noite. Estou acordada desde as três da manhã, completamente vestida e pronta para sair do quarto às quatro. Estava doida por uma desculpa para encher a cabeça com coisas que não têm nada a ver com meus próprios pensamentos.
— Estou animada — eu minto. — O que vamos fazer hoje?
Ele balança um pouco a cabeça. Aperta os olhos para ver algo por cima de meu ombro enquanto fala comigo.
— Você, ahn... — ele limpa a garganta — está bem?
— Sim, é claro.
— Ahn.
— O que foi?
— Nada — ele responde logo. — Apenas, você sabe.
Faz um gesto casual em direção ao meu rosto.
— Você não parece tão bem, princesa. Você está mais ou menos como naquele primeiro dia em que apareceu com Warner na base. Toda assustada e com cara de morta e, sem querer ofender, mas parece que você precisa de um banho.
Eu sorrio e finjo que não consigo sentir meu rosto tremer com o esforço. Tento relaxar os ombros, tento parecer normal, calma, serena quando digo:
— Estou bem. De verdade.
Eu baixo os olhos.
— Apenas... Está um pouco frio aqui, é só isso. Não estou acostumada a ficar sem as luvas.
Kenji está concordando com a cabeça, ainda sem olhar para mim.
— Certo. Bem, ele vai ficar bom, você sabe.
— O quê?
Respirar. Sou tão ruim em respirar.
— Kent.
Ele se vira para mim.
— Seu namorado. Adam. Ele vai ficar bem.
Uma palavra, uma lembrança simples e idiota dele assusta as borboletas que dormiam em meu estômago antes de eu lembrar que Adam não é mais meu namorado. Não é mais nada meu. Não pode ser.
E as borboletas caem mortas.
Isto.
Não posso fazer isto.
— Então — eu digo, alto demais, animada demais. — Não devíamos ir? Devíamos ir, certo?
Kenji lança um olhar estranho para mim, mas não comenta.
— Sim — ele diz. — Sim, claro. Siga-me.

4 comentários:

  1. To com pena dela *^* isso mesmo garota, afasta-se dele, e foque no treinamento, treine muito com o lindão do Kenji *-*

    ResponderExcluir
  2. Yesubai, a filha do vilão11 de abril de 2017 22:42

    coitada da Jullie, quando ela tá se libertando da escuridão, encontrando uma brechinha de luz, sendo amada,tocada, se sentindo uma garota normal...ela acaba retornando pro poço escuro de drama em que se encontrava, sinto tanto por ela e pelo Adam...
    P.S: TÔ COM SAUDADES DO JAMES <3 #TeamJames

    ResponderExcluir
  3. Continuo triste por eles....😣😣😣

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)