5 de janeiro de 2017

12

James se mexe nos meus braços.
Acordo no mesmo instante, piscando depressa e olhando ao redor, quando vejo todos ainda dormindo. O sol está partindo o horizonte para deixar a luz sair, e a manhã está tão imóvel, e tão silenciosa, que parece impossível que algum dia tenha havido algo de errado.
A verdade, no entanto, volta rápido demais.
São tijolos no meu peito, pressão nos meus pulmões, dores nas minhas articulações e metal na minha boca: lembranças do dia longo, da noite mais longa e do menino enrolado em meus braços.
Morte e destruição. Lasquinhas de esperança.
Kenji nos levou até um local remoto e usou o resto de sua força para deixar o tanque invisível pela maior parte da noite; era a única maneira de esperarmos o fim da batalha e conseguirmos dormir algumas horas. Ainda não tenho certeza de como esse cara ainda está funcionando. Ele definitivamente é muito mais forte do que eu imaginei.
O mundo à nossa volta está estranhamente calmo. Eu me mexo um pouco e James fica alerta, acordado e fazendo perguntas assim que sua boca se abre. Sua voz perturba todos os outros, acordando-os com um susto. Uso as costas das mãos para esfregar meus olhos e ajeito James no colo, segurando-o perto de mim. Deixo um beijo no topo da sua cabeça e digo para ele ficar em silêncio.
— Por quê? — ele pergunta.
Cubro a boca dele com a minha mão.
Ele a tira com um tapa.
— Bom dia, raio de sol.
Kenji pisca na nossa direção.
— Bom dia — respondo.
— Eu não estava falando com você — ele diz, tentando sorrir. — Estava falando com o raio de sol.
Eu sorrio como resposta, sem ter certeza de para onde vamos com isso. Há tanto para conversar e tantas coisas sobre as quais não queremos conversar que não sei se vamos acabar conversando ou não. Olho para trás na direção de Castle e percebo que ele está bem acordado e olhando para fora da janela. Dou um aceno para cumprimentá-lo.
— Você dormiu bem? — pergunto a ele.
Castle me encara.
Eu olho para Kenji.
Kenji olha para fora da janela também.
Eu solto um sopro.
Todos voltam para o presente, devagar, mas sem dúvida. Quando estamos em uma condição semifuncional — inclusive Brendan e Winston —, Kenji não perde tempo.
— Temos que pensar no que vamos fazer — ele diz. — Não podemos nos arriscar a ficar na estrada muito tempo, e não tenho certeza de por quanto tempo ou quão bem vou conseguir projetar. Minha energia está voltando, mas lentamente, e vai e vem. Não é algo com que eu possa contar agora.
— Também precisamos pensar em comida — Ian diz, grogue.
— É, estou com bastante fome — James acrescenta.
Eu aperto os ombros dele. Todos nós estamos famintos.
— Certo — Kenji diz. — Então, alguém, tem alguma ideia?
Silêncio de todos nós.
— Vamos, pessoal — ele fala. — Pensem. Qualquer esconderijo, qualquer ponto seguro... Qualquer lugar onde vocês já ficaram que já foi um espaço seguro...
— E a nossa antiga casa? — James pergunta, olhando ao redor.
Eu me sento mais ereto, surpreso por não ter pensado nisso.
— Certo… É claro — digo. — Boa ideia, James.
Eu bagunço o cabelo dele.
— Isso funcionaria.
Kenji bate o punho no volante.
— Sim! — diz, alto. — Bom. Excelente. Perfeito. Graças a Deus.
— Mas, e se vierem procurar por nós? — Lily questiona. — O Warner não sabia sobre sua antiga casa?
— É — respondo para ela. — Mas, se eles acham que todos do Ponto Ômega morreram, não vão pensar em me procurar. Nem procurar nenhum de nós.
Com isso, todos ficam completamente em silêncio.
O assunto tabu apareceu e, agora, ninguém sabe o que dizer. Todos nós olhamos para Castle em busca de instruções sobre a melhor forma de agir, mas ele não diz uma palavra. Está olhando diretamente para a frente, para o nada, como se tivesse sido paralisado pelo lado de dentro.
— Vamos — Alia diz em voz baixa.
Ela é a única que responde para mim e me dá um sorriso gentil ao fazê-lo. Eu decido que gosto dela por isso.
— Nós deveríamos garantir abrigo o mais cedo possível. E talvez encontrar alguma coisa para o James comer.
Eu sorrio para ela. Muito emocionado por ela falar em nome de James.
— Talvez pudéssemos encontrar algo que todos nós possamos comer — Ian interrompe, mal-humorado.
Eu franzo as sobrancelhas, mas não posso culpá-lo. Meu estômago fez alguns protestos da sua parte.
— Devemos ter bastante comida em casa — eu falo. — Ela está paga até o final do ano, então teremos praticamente tudo de que precisamos, água, energia elétrica, um teto sobre as nossas cabeças, mas vai ficar apertado e vai ser temporário. Teremos de pensar em uma solução mais a longo prazo logo.
— Parece bom — Kenji diz para mim.
Ele se vira de volta para olhar todos os outros.
— Estamos todos de acordo aqui?
Há um murmúrio de consenso e é tudo de que precisamos, na verdade, antes de partirmos e seguirmos para minha antiga casa. De volta ao começo.
O alívio me inunda.
Estou muito grato por poder levar James para casa. Por deixá-lo dormir em sua própria cama. E, embora eu saiba que não devo dizer em voz alta, uma pequena parte de mim está feliz pelo nosso tempo no Ponto Ômega ter acabado oficialmente. Há um lado bom em tudo isso e é o fato de Warner pensar que estamos todos mortos. E, embora ele esteja com Juliette agora, não vai ficar com ela para sempre. Ela ficará segura até nós podermos achar um jeito de trazê-la de volta e, até então, ele não virá atrás de nós. Podemos encontrar uma maneira de viver, longe de toda a violência e destruição.
Além disso, estou cansado de lutar. Estou cansado de fugir e sempre ter de arriscar minha vida e me preocupar constantemente com James. Quero apenas ir para casa. Quero cuidar do meu irmão. E nunca, nunca mesmo, quero sentir o que senti na noite passada.
Não posso arriscar perder James, nunca mais.

12 comentários:

  1. Adam, eu nunca te pedi nada, NÉ. Fica com a Alia pelo amor de deus, deixa a JU com o deus grego loiro de olhos verdes. Por favorrr. Pq se eu não posso ficar com ele pelo menos que seja ela. E cai na real oficial, ela e muita areia pro teu caminhaozinho

    ResponderExcluir
  2. Aiiiiih Que Alívio!O Adam Táh Se Apaixonando Pela Alia...Td Bm Q Vou Sentir Falta Do Amor Dele Pela Juliette,Maiis Isso Vaii Facilitar Bastante A Vida Dela..
    Estou Em Dúvida De Como Me Sinto Em Relação À Esse Novo Amor...Feliz??Tristíssima???

    Ñ Sei......

    ResponderExcluir
  3. #" ele é um cretino isso sim, tá nem aí pra juju, se não fosse pelo meu warner ela estaria morta, #TEAMWARNER

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! O Adam não merece a Juju! Vai lá Warner! Lindo!

      Excluir
  4. GENTE QUE PARTE QUE ELE SE INTERESSOU PELA ALIA QUE NAO ENTENDI ...?

    ResponderExcluir
  5. Eu não sei quem é mais estranho nessa história se e ele ou ela?porque Juliette está num triângulo amoroso, e Adam está preste a entrar em um pelo visto

    ResponderExcluir
  6. Não acho que ele se apaixonou pela Alia, mas eu senti uma coisinha aí. Miúda, talvez eles tenham algum envolvimento mais pra frente

    ResponderExcluir
  7. Quero que a Juju fique com o Warner, mas sei lá, coitado do Adam, sempre gostei muito dele...Espero que ache alguém pra ficar caso a Juliette fique com o Aaron.
    APOIANDO TRISTEMENTE!
    #TeamAdam #TeamWarner
    GENTE, OS DOIS SÃO PERFEITOS!
    E acho que tem uma coisinha rolando mesmo, nem que seja 0,0002% (francamente, senti um pouco de ciúmes '-')

    ~polly~

    ResponderExcluir
  8. A Alia só sorriu pra ele sendo gentil e ele ficou feliz pela gentileza de alguém isso não significa nada. Amor nao acontece assim.
    Se bem q acho q o Adam devia arrumar putra pessoa pra amar q não seja a Juliette

    ResponderExcluir
  9. Acho sim que pra frente essa Alia possa ser o prêmio de consolação do Adam por perder a Ju.😉😄
    #TEAM WARNER

    ResponderExcluir
  10. P*rra Addie pensar na Julliet ela tbm existe ... Aff T T <3

    ResponderExcluir
  11. — Bom dia, raio de sol.

    Eu tenho quase certeza que ja ouvi algum deus grego falar essa-frase em algum outro livro... Se alguem suber me conte...fiquei intrigada

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)