18 de dezembro de 2016

Capítulo 8

Will e Crowley saíram silenciosamente para longe dos outros arqueiros, o comandante de cabelos cor de areia caminhando por entre as árvores para uma clareira pequena e tranquila. Quando ele teve certeza de que não havia mais ninguém ao alcance da voz, Crowley parou e sentou-se num toco de árvore, olhando para cima com um olhar excêntrico à Will.
— Desapontado que eu te deixei em Seacliff?  ele perguntou.
— Não! Nem um pouco!  Will respondeu apressadamente.
Então, conforme Crowley continuou a olhar para ele, ele sorriu com tristeza.
— Bem, talvez um pouco, Crowley. É muito tranquilo lá, você sabe.
— Algumas pessoas podem pensar que é não uma coisa ruim. Nós supostamente mantemos a paz no reino, afinal  Crowley disse.
Will trocou seus pés desajeitadamente.
— Eu sei. É só que...
Ele hesitou e Crowley acenou com a compreensão.
Will havia tido uma enorme dose de emoção em sua relativamente curta vida. A luta com o kalkara, a destruição da ponte secreta de Morgarath e seu subsequente sequestro por piratas escandinavos. Em seguida, ele escapou do cativeiro, desempenhou um papel fundamental na batalha pela Escandinávia e voltou para casa em triunfo. Desde então, ajudou a resgatar o oberjarl Escandinavo dos bandidos do deserto e preveniu a invasão scotti em Norgate.
Com uma história como essa, era de admirar que ele desenvolvesse um gosto pela aventura – e que achasse a vida sem grandes ocorrências em Seacliff mais do que um pouco restritiva.
— Eu entendo  Crowley disse. — Você não precisa explicar. Mas tenho que admitir que eu não fui totalmente justo com você.
Ele fez uma pausa e Will o olhou com curiosidade.
— Justo?
Crowley fez um gesto desajeitado com uma mão.
— Há algo que eu tenho pensando em discutir com você  disse ele. — E acho que é importante e acho que é uma grande oportunidade para você. Mas você pode não concordar. Na verdade  ele acrescentou logo depois — é em parte a razão pela qual Halt não veio para este encontro.
Will franziu a testa, intrigado com a notícia.
— Mas eu pensei que ele...
— Oh, ele está fora perseguindo boatos sobre os forasteiros, tudo bem. Mas isso poderia ter esperado. Ele usou isso como desculpa porque não queria influenciar a sua decisão de uma forma ou de outra.
— Minha decisão? Crowley, você está falando em enigmas. Qual decisão? O que é que Halt não queria me influenciar?
Crowley indicou para Will se sentar ao lado dele e esperou até o homem mais jovem estar confortável.
— É uma ideia que eu tenho pensando por algum tempo  disse ele. — Desde que você foi correndo para Arrida buscar Erak de volta, na realidade. O nosso mundo, ou melhor, a nossa esfera de influência no mundo, está crescendo a cada dia, Will. Ele estende as antigas fronteiras feudais, passando as nossas próprias fronteiras nacionais, às vezes. A operação escandinava foi um exemplo. Assim como sua atribuição em Norgate. Nós tivemos sorte por tem alguém tão realizado e capaz como você para passar por isso e que o seu próprio posto de Seacliff foi relativamente pacífico.
Will sentiu o rubor no rosto ao louvor de Crowley, mas não disse nada. Crowley continuou.
— Normalmente, eu não poderia arrastar um arqueiro fora de seu feudo e enviá-lo para outro lugar por semanas a fio. Mas cada vez mais, estamos enfrentando esse tipo de necessidade. Algum dia em breve, por exemplo, alguém vai ter que ir a Escandinávia para ver como o tratado está funcionando, como os nossos arqueiros estão indo por lá. Quem devo enviar? Você? Halt? Vocês são as duas escolhas lógicas, porque os escandinavos os conhecem e confiam em vocês. Mas o que aconteceria aos seus dois feudos, entretanto?
Will franziu a testa. Ele podia ver o problema. Mas ele não tinha ideia de onde Crowley queria chegar
— É por isso que eu quero formar um grupo de trabalhos especiais  disse o comandante. — E quero Halt e você para executá-lo.
Will inclinou para frente, pensando sobre as palavras de Crowley. Agora ele estava interessado na ideia e quis saber mais.
— Grupo de trabalhos especiais  ele repetiu, gostando do som das palavras. — O que devemos fazer?
Crowley deu de ombros.
— Qualquer situação, dentro de Araluen ou no exterior, que exigir mais do que uma resposta rotineira. Agora que a ameaça de Morgarath foi removida, e com a nossa fronteira norte garantida, Araluen é um jogador poderoso e influente na cena internacional. Temos tratados com meia dúzia de outros países - incluindo Arrida e Escandinávia, graças a seus próprios esforços. Eu gostaria de pensar, e o rei concorda comigo, que pudéssemos ter uma pequena equipe pronta para responder a qualquer emergência que possa surgir. Aliás, eu veria Horace como parte dessa equipe também. No passado, vocês três tiveram alguns sucessos surpreendentes. Ele continuará baseado em Araluen até o momento em que for necessário. Então será destacado para trabalhar com você e Halt. E você seria capaz de recrutar outras pessoas quando precisasse delas.
— E eu estaria baseado... exatamente onde?  Will perguntou.
O rosto de Crowley revelou uma pitada de preocupação. Ele hesitou antes de responder.
— Esse é o problema. Podemos destacar um cavaleiro da Guarda Real sem muita dificuldade. Mas não podemos ter dois feudos, o seu e o de Halt, sem os seus arqueiros por longos períodos de tempo. Você teria que desistir de Seacliff.
— Ah  disse Will.
Seacliff podia ser um feudo pouco excitante, mas era seu. Ele representava a autoridade do rei na ilha pacata e, tanto quanto estava ansioso para mudar no início da noite, a ideia de simplesmente abrir mão dela veio como um puxão para ele.
— Exatamente  Crowley disse, lendo seus pensamentos. — É por isso que Halt não quer estar aqui quando você decidir. Ele sabe que ter o seu próprio feudo é uma grande coisa para um arqueiro. Isso significa independência e autoridade, e ele não quer que você seja influenciado pela presença dele quando eu colocar isso para você. Ele disse que adoraria ter você de volta em Redmont, mas tinha que ser sua decisão...
— Voltar à Redmont!  Will disse ansiosamente. — Você não mencionou isso!
Crowley franziu a testa, em seguida, assentiu.
— Não. Acho que não. Bem, esse era o plano. Você assumiria a cabana de Halt... ele e Pauline estão muito confortáveis no castelo estes dias, e você controlaria uma parte do feudo Redmont enquanto Halt cuidaria da outra. É um grande feudo, depois de tudo. Haveria muito a fazer para vocês dois.
Um sorriso enorme se espalhou sobre o rosto de Will no pensamento disso. Voltar a Redmont, onde ele cresceu. Ficar com Halt, barão Arald e sir Rodney.
E Alyss, pensou ele. O sorriso, já grande, cresceu imensamente. Crowley percebeu. Era difícil não perceber.
— Eu assumo a partir do olhar absurdamente feliz em seu rosto que a ideia encontra-se com certa quantidade de aprovação?  disse ele.
— Bem ... sim, realmente. Certamente que sim.
Mas um pensamento lhe ocorreu e ele franziu o cenho. Crowley fez um gesto para ele continuar.
— Problema?  ele solicitou.
— Redmont é um feudo importante  Will começou. — Você não poderia deixar ele sem um arqueiro no lugar se Halt e eu tivermos que atender a questões em outro lugar.
Crowley sorriu para ele.
— Eu estava esperando que você levantasse isso. Agora tenho uma chance de mostrar que gênio administrativo eu sou. O novo feudo de Gilan se encontra na fronteira nordeste de Redmont. Na verdade, o Castelo de Whitby está a menos de dez quilômetros da fronteira.  Ele levantou a mão para parar a questão imediata de Will. — Sim, sim. Eu sei, Whitby é um feudo muito importante. Então é por isso, se você concordar com tudo isso, Alun irá basear-se em Whitby, em vez do Castelo Araluen. Ele ainda pode resolver a papelada e administração para mim e estará perto se você e Halt forem chamados para longe. Nesse caso, Gilan se move para o feudo Redmont...
— Que ele está familiarizado de qualquer maneira  Will interrompeu.
— Exatamente. Ele teve o seu aprendizado lá, depois de tudo. Então Alun pode assumir o direito temporário como arqueiro de Whitby. E, claro, o jovem Clarke vai tomar seu lugar em Seacliff. Não disse que sou um gênio?
Ele estendeu as mãos, como se estivesse esperando um elogio.
Will assentiu com a cabeça reconhecimento.
— Eu tenho que concordar.
Crowley instantaneamente se tornou sério.
— Naturalmente, estamos felizes que no momento estamos abençoados com uma riqueza de pessoas talentosas. Tudo se encaixa muito bem. Tenha em mente, você ainda tem que me dizer se aceita.
— É claro que eu aceito — Will disse a ele. — Eu não poderia pensar em um plano melhor.
Eles apertaram as mãos sobre isso, sorrindo. Em seguida, Crowley disse alegremente:
— Agora tudo o que temos a fazer é contar a Halt quando ele voltar de suas pequenas férias à beira-mar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)