29 de dezembro de 2016

Capítulo 43

O acampamento abandonado contou-lhes pouco que já não soubessem. Eles caminharam pelas áreas de grama pisada onde tendas haviam sido montadas, inspecionaram os círculos enegrecidos deixados por uma série de pequenas fogueiras de cozinha e examinaram pequenos objetos que tinham sido descartados ou esquecidos – um sapato aqui com uma com cadarços e buracos na parte inferior que haviam sido reparados, uma panela enferrujada, uma faca quebrada. E, claro, restos de comida e lixo que haviam sido apressadamente enterrados e desenterrados mais uma vez por raposas, depois que o povo se fora.
O terreno era macio e ainda havia pegadas em evidência nos arredores do acampamento. Estas mostraram que boa parte das pessoas que haviam parado aqui eram mulheres.
― Mais uma razão para acreditar que estes são convertidos ― Halt afirmou.
Malcolm concordou, mas levantou outra questão.
― Ainda assim, mulheres ou não, uma centena de pessoas é muito para nós quatro. Você tem alguma ideia de como vamos lidar com essa tarefa?
― Simples ― disse-lhe Halt. ― Nós os cercamos.
E ele disse isso com um rosto tão decidido que, por um momento, Malcolm realmente pensou que ele estava falando sério.
Havia algo de interessante para ser encontrado, que foi a direção que Tennyson e seu bando recém-ampliado de seguidores tinham tomado quando levantaram acampamento e partiram. Após várias semanas de viagem consistente ao sudeste,
Tennyson agora se dirigia para a esquerda, posição leste. O pequeno grupo se reuniu em volta de Halt quando ele desenrolou seu mapa da região. Ele indicou uma série de colinas marcadas no mapa, a um dia de viagem para o leste.
― Parece que ele está indo para estas colinas, como nós pensamos.
Horace, esticando o pescoço para ler o mapa por cima do ombro, leu a anotação no mapa onde Halt estava apontando.
― Cavernas ― ele afirmou.
Halt olhou para cima e balançou a cabeça.
― Aqueles antigos rochedos de arenito e os montes serão lotados com eles, de acordo com o que diz aqui.
Malcolm pediu para ver o mapa e quando Halt entregou-lhe, ele estudou-o por alguns minutos, traçando um caminho com o seu dedo aqui, franzindo a testa enquanto lia uma notação lá. Finalmente, ele olhou para Halt.
― Isso é bastante surpreendente ― disse ele. ― Há tantos detalhes aqui. Como você conseguiu isso?
Halt sorriu e pegou o mapa de volta e dobrou-o cuidadosamente.
― É parte do que o Corpo de Arqueiros faz ― respondeu ao curandeiro. ― Durante os últimos 25 anos, mais ou menos, mantivemo-nos ocupados atualizando mapas do reino. Cada arqueiro é responsável pela sua própria área de operações e enviamos mapas atualizados para Crowley a cada ano. Ele os tem copiado e distribuído.
Malcolm assentiu.
― Ah sim, eu conheço Crowley. Ele entrou em contato comigo logo depois que Will passou um tempo conosco. Ele estava interessado em saber mais sobre minhas práticas de cura.
― Ele disse que iria fazer isso ― Will lembrou.
Ele lembrou-se de ter contado a Halt e Crowley sobre Malcolm durante sua sessão de relato. Eles estavam interessados nas habilidades médicas do curandeiro e as outras habilidades de ilusão que ele tinha demonstrado. Conhecendo Malcolm, Will tinha tido confiança de que ele iria compartilhar suas habilidades médicas com eles, mas não as outras, que eram só dele.
― De qualquer modo ― Halt disse, trazendo assuntos de volta ao presente ― aposto que é nessa direção onde Tennyson está indo.
― Sim ― Malcolm de acordo. ― Se ele está planejando criar um quartel-general e aumentar seu grupo de seguidores, um agradável complexo de cavernas seria um lugar tão bom quanto qualquer outro.
― Bem, ficar aqui parados não vai nos levar para mais perto dele ― Halt disse. ― Nós já lhe demos uma bela vantagem.
Ele caminhou de volta para onde Abelard esperava e montou rapidamente. Então esperou impacientemente, enquanto os outros seguiam seu exemplo. Will percebeu a sua inquietação com as rédeas, enquanto observava Malcolm fazer duas tentativas fracassadas de montar atrás de Horace.
― Pelo amor de Deus, Horace ― Halt finalmente gritou. ― Não é possível que você simplesmente arraste-o atrás de você?
― Vá com calma ― Will disse suavemente.
Halt olhou rapidamente, e em seguida, deu-lhe um sorriso envergonhado.
― Desculpe ― disse ele. ― É só que depois de todos estes atrasos, eu estou ansioso para alcançá-lo.
Mas era tanta a ansiedade e impaciência para encontrar-se com Tennyson que, eventualmente, deixava-o cabisbaixo. Halt foi empurrando-se com dificuldade. Sob circunstâncias normais, não teria tido nenhum problema em manter o ritmo que estava estabelecendo. Mas ele não estava totalmente recuperado dos efeitos do veneno ou dos dias deitado à beira da morte em seus cobertores. Halt tinha usado uma grande parte de suas reservas de energia natural e demoraria mais que um dia ou dois para restaurá-las.
Naquela noite, quando acamparam, ele escorregou da sela e ficou de cabeça baixa e exausto. Quando Will foi tirar a sela e dar água e Abelard, ele ofereceu apenas sinal de resistência.
Will e Horace cuidaram das tarefas menores, reunindo lenha, fazendo o fogo e preparando a refeição. Horace até arrumou o saco de dormir de Halt e cobertores para ele, colocando-os em uma pequena pilha de ramos frondosos que ele reuniu juntos. Halt reagiu com surpresa ao vê-lo.
― Obrigado, Horace ― disse ele, tocado pela preocupação do jovem guerreiro com ele.
Horace encolheu os ombros.
― Não foi nada.
Eles notaram que, quando a refeição foi feita, e após a xícara de café obrigatória, Halt não se demorou em torno da fogueira falando, como ele costuma fazer. Foi para seu saco de dormir e adormeceu pesadamente.
― O sono dos exaustos ― disse Malcolm ironicamente, olhando a figura parada.
― Ele está bem? ― Will perguntou ansiosamente.
― Ele está bem, tanto quanto o veneno está em causa. Mas está trabalhando com dificuldade. Ele não tem a força para manter este ritmo. Veja se você pode levá-lo para aliviar um pouco.
Ele sabia que se a sugestão viesse de Will, haveria mais chance de Halt atendê-la. Will não tinha tanta certeza.
― Eu vou tentar ― disse ele.
Mas na manhã seguinte, revigorado por uma longa noite de sono, Halt não estava com humor pra aceitar as coisas com facilidade. Ele fez caras e bocas enquanto tomavam café da manhã e desfizeram seu acampamento. Então ele montou em Abelard e estabeleceu um ritmo rápido.
Às onze da manhã, ele estava balançando na sela, seu rosto pálido com a fadiga, os ombros caídos. Will foi ao lado dele, inclinou-se e tomou as rédeas de Abelard, levando o cavalo para uma parada. Halt sacudiu-se fora de exaurida estupefação que havia tomado-lhe e olhou de volta surpreso.
― O que você está fazendo? ― ele perguntou. ― Largue minhas rédeas!
Ele tentou puxar as rédeas de aperto de Will, mas o jovem arqueiro manteve-se firme. Abelard relinchou consternado, sentindo que não estava tudo bem com seu mestre.
― Halt, você tem que diminuir o ritmo ― Will disse.
― Diminuir? Não fale bobagens! Eu estou bem. Agora me dê as rédeas de volta.
Halt tentou novamente puxar as rédeas de Will, mas percebeu com alguma surpresa que não podia quebrar o aperto de seu antigo aprendiz. Abelard, sentindo a tensão entre eles, relinchou nervosamente. Então ele sacudiu a crina e virou a cabeça para que pudesse olhar Halt nos olhos.
Isso foi algo que surpreendeu Halt. Normalmente, se alguém se apoderasse de suas rédeas, Abelard teria reagido violentamente contra essa pessoa. Em vez disso, neste confronto, ele parecia estar apoiando Will.
Isso, mais do que qualquer outra coisa, fez Halt sentir que talvez Will estivesse certo. Talvez ele não houvesse se recuperado tanto quanto pensava. O prazo era de que teriam acabado os efeitos da intoxicação em questão de poucas horas. Mas talvez esse momento estivesse atrás dele. Pela primeira vez, Halt tinha consciência de suas próprias limitações.
Na incitação de Malcolm, Horace trouxe Kicker ao lado de Abelard, com Puxão e Will do outro lado.
― Will está certo ― Horace continuou. ― Você está indo muito rápido. Se mantiver esta velocidade, vai ter uma recaída.
― E isso vai fazer você perder mais tempo do que se simplesmente parar um pouco aqui e se recuperar agora ― Malcolm colocou.
Halt olhou de um para o outro.
― O que é isso? ― ele perguntou. ― Está todo mundo conspirando contra mim? Até meu cavalo?
Foram essas últimas palavras que fizeram Will rir.
― Nós percebemos que você não pode ouvir um curandeiro, um arqueiro ou um cavaleiro do reino ― replicou. ― Mas se seu cavalo concorda com eles, você não têm escolha, exceto prestar atenção.
A despeito de si mesmo, Halt não pôde impedir que o pequeno indício de um sorriso tocasse sua própria boca. Ele tentou esconder, mas o canto de sua boca se contorceu em desafio. Ele percebeu, quando avaliou honestamente, que seus amigos não estavam instigando-o a descansar a fim de lhe irritar. Eles estavam fazendo isso porque se preocupavam com ele. E percebeu que respeitava o julgamento deles o suficiente para admitir que talvez pudessem estar certos e ele pudesse estar errado. E haviam poucas pessoas que poderiam fazer Halt admitir isso.
― Halt, você precisa descansar. Se parar de ser teimoso e admiti-lo, vamos perder menos tempo no geral. Fique aqui por um dia, recupere a sua força. Horace e eu podemos ir adiante e vigiar a situação. Se você está certo, Tennyson terá se estabelecido nessas cavernas. Portanto, não há mais pressa para apanhá-lo.
O tom de Will era razoável, não argumentativo, e ele viu pela linguagem corporal de Halt que ele estava à beira da aceitar. Vendo que precisava de apenas mais um impulso, Will deu-o, invocando a autoridade máxima no mundo do arqueiro barbudo.
― Você sabe que Lady Pauline concordaria comigo ― disse ele.
A cabeça de Halt ergueu-se à citação do nome.
― Pauline? O que ela tem a ver com esta situação?
Will manteve seu olhar fixo constantemente.
― Se você continuar do jeito que está, vou ter que voltar e encará-la, e dizer-lhe que fracassei na tarefa que ela me confiou.
Halt abriu a boca para responder, mas as palavras lhe faltaram. Ele fechou a boca novamente, percebendo quão tolo ele devia parecer. Will aproveitou a oportunidade para continuar.
― E se você continuar assim, e se matar, eu não vou ter coragem de encará-la.
Halt considerou que afirmação e, lentamente, acenou com a cabeça. Ele pôde compreender os sentimentos de Will lá.
― Não ― disse ele, pensativo ― não imagino que você iria.
Então, para surpresa de Malcolm, Halt lentamente desmontou.
― Bem ― ele disse suavemente ― talvez eu devesse descansar por um dia ou mais. Eu não gostaria de exagerar as coisas.
Ele olhou em volta, viu um pequeno bosque a poucos metros da pista que vinha acompanhando e acenou para eles.
― Suponho que é tão bom um lugar para acampar como qualquer outro.
Will e Horace trocaram olhares aliviados. Antes que Halt pudesse mudar de ideia, eles desmontaram e começaram a levantar acampamento. Halt, agora que tinha dado-lhes preocupações, decidiu que poderia muito bem tirar proveito da situação. Ele encontrou uma árvore caída e sentou-se próximo a ela, descansando as costas contra o tronco e deixando escapar um pequeno suspiro.
― Vou começar a ganhar minha força de volta imediatamente ― disse a eles, com um sorriso de satisfação no rosto.
Horace balançou a cabeça quando ele e Will começaram a reunir pedras para uma fogueira.
― Mesmo quando ele cede, tem que ter a última palavra, não é? ― disse ele.
Will sorriu em resposta.
― Sempre.
Mas ele sentiu uma sensação de alívio porque Halt estava disposto a parar de impelir-se ao limite.
Malcolm, por outro lado, ficou intrigado para saber mais sobre a pessoa cujo nome poderia trazer Halt a tal grau de persuasão. Ele esgueirou-se atrás de Will, enquanto o jovem foi desenrolando seu equipamento de acampamento da sela de Puxão.
― Esta lady Pauline ― começou ele ― ela deve ser uma pessoa temível. Ela soa como uma feiticeira terrível.
Seu rosto estava inexpressivo, mas Will percebeu a diversão oculta e respondeu da mesma maneira.
― Ela é muito magra e bonita. Mas tem um poder incrível. Algum tempo atrás, ela convenceu Halt a cortar o cabelo para seu casamento.
Malcolm, que tinha notado o estilo de cabelo decididamente descuidado de Halt, levantou as sobrancelhas.
― Uma feiticeira, de fato.

2 comentários:

  1. "― Ela é muito magra e bonita. Mas tem um poder incrível. Algum tempo atrás, ela convenceu Halt a cortar o cabelo para seu casamento.
    Malcolm, que tinha notado o estilo de cabelo decididamente descuidado de Halt, levantou as sobrancelhas.
    ― Uma feiticeira, de fato."

    Kkkkkk, o Halt foi enfeitiçado!

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)