9 de dezembro de 2016

Capítulo 19

PIERCE PROMETE “GRANDE NOTÍCIA” NO CHURRASCO
Um porta-voz de J. Rutherford Pierce prometeu um anúncio importantíssimo no “Churrasco-de-amêijoas americano” do magnata da mídia neste domingo, daqui a dois dias. É amplamente especulado que essa “grande notícia” seja o anúncio de que Pierce pretende concorrer à presidência pelo partido Patriota, um partido criado pelo próprio bilionário.
Pierce, que emergiu da obscuridade para controlar o maior império da mídia do mundo, tomou o cenário político. Ele vai entrar na corrida política como um peso instantâneo e é o provável favorito. O churrasco acontecerá em Pierce Landing, a ilha privada da família na costa do Maine. A lista de convidados não foi publicada, mas fontes informam que incluirá celebridades, ex-presidentes, heróis do esporte, a realeza, laureados do Nobel e pelo menos metade da lista das pessoas mais ricas da Forbes. Emissoras de trinta e sete países diferentes transmitirão o evento ao vivo, e estima-se que a audiência supere até mesmo o Super Bowl.
Seja lá o que J. Rutherford Pierce queira nos dizer no domingo, ele terá os ouvidos do mundo inteiro...

Nelie amassou o recorte de jornal e o jogou na lixeira mais próximo.
— Que idiota. Quem acha que o churrasco de amêijoas é americano? Pergunte as pessoas de Iowa quantas amêijoas eles comem no curso de um dia.
Sammy estava nervoso.
— Isso é sério, Nellie. Nós acabamos de explodir a fábrica do soro desse cara, e ele sabe exatamente quem nós somos. Se ele for presidente, teremos que formar uma expedição para colonizar Marte.
Os dois haviam trocado um laboratório por outro. Agora eles estavam em uma instalação subterrânea no campus da Universidade de Harvard em Cambridge, Massachussetts. Era o laboratório da Dra. Sylvia Seung, a mentora de Sammy e prima da famosa família Oh que uma vez liderara o clã Ekaterina. Embora eles não fossem mais prisioneiros, Sammy e Nellie raramente apareciam acima do solo, caso as forças de Pierce estivessem procurando por eles.
A Dra. Seung examinava um vasto mosaico de notas, diagramas e fórmulas químicas que cobria uma parede inteira do laboratório.
— Sammy, isso é sério? Quem na terra poderia imaginar as propriedades químicas dos bigodes de um leopardo extinto ou de um cristal formado por uma colisão de um meteoro pré-histórico?
— É uma longa história, professora — Sammy admitiu. — Uma receita muito antiga da própria Olivia Cahill. Ela os misturou a partir da sabedoria antiga das maiores civilizações perdidas que o mundo já conheceu. De Tikal, Troia, a Angkor. Eu não entendo exatamente como vai funcionar ainda, mas todos os ingredientes virão para cá. Cabe a mim juntá-los e sintetizá-los.
O som de vozes no corredor fez Nellie se levantar, tremendo de emoção.
— Eles estão aqui! Meus pequenos estão aqui, são e salvos!
E, em seguida, Dan irrompeu da porta e se jogou nela.
Nellie!
Ela o abraçou, depois deu um passo para trás, examinando-o da cabeça aos pés.
— Você está trinta centímetros mais alto! Passou menos de um mês. O que está tomando, somatotrofina?
— Nada se compara com sua comida! — Dan respondeu, a abraçando com força.
  — Você teria amado a minha última criação —Nellie disse a ele com satisfação — Milk shake de nitroglicerina extra, extra, extra grande. O laboratório de Pierce ainda está chovendo poeira pura.
Dan balançou a cabeça com admiração.
— Ninguém mexe com você.
A atenção de Nellie se deslocou para Jonah.
— Da última vez que vi seu rosto famoso, você estava em destaque no YouTube por salvar um cabeça-mole dos crocodilos. — Ela se virou para Hamilton, dando em seus enormes bíceps um aperto afetuoso. — O cabeça-mole, eu presumo.
Hamilton sorriu timidamente.
— Bom te ver, Nellie. O Kabra diz olá também.
— Ian? Onde ele está?
— Em quarentena no aeroporto — Dan respondeu — cercado por pessoas em trajes de materiais perigosos. Acham que ele talvez tenha pegado uma doença tropical.
— Ele pegou? — Nellie perguntou preocupada.
— Nah — Dan explicou. — Nossa cobra o mordeu no nariz, mas não podíamos dizer isso sem admitir que estávamos contrabandeando um animal protegido do Camaboja para os Estados Unidos. Eles vão soltá-lo quando o inchaço diminuir e a brotoeja sumir.
Nellie riu.
— É bom para um Lucian se sacrificar pela equipe. — Seu olhar pairou sobre os últimos a chegarem, Atticus, Jake e, finalmente, Amy.
Nellie fora a au pair das crianças Cahill, a protetora deles, e então sua tutora legal. Ela era a coisa mais próxima de uma mãe que eles tiveram desde que perderam a mãe e o pai. Então foi com os olhos do amor que ela olhou para Amy e viu o preço que o soro tinha cobrado dela.
Na superfície, Amy era a imagem da saúde – atlética e forte, cheia de energia e brilhando com uma luz interior. Mas em uma inspeção mais atenta, seu exterior robusto parecia esconder muitos detalhes preocupantes. Ela estava mais musculosa, porém mais magra, com bochechas ocas e olhos fundos. Seu porte e postura eram graciosos e confiantes, como o de uma atleta estrela. No entanto, seus movimentos eram trêmulos, e sua mão parecia ter o tremor de uma pessoa de noventa anos de idade.
Nellie Gomez era 100% resistente e preparada para qualquer coisa. Ela tinha uma tenacidade que poderia ser aplicada igualmente em aperfeiçoar uma massa folhada ou destruir um laboratório de bilhões de dólares. Mas a visão de Amy a fez perder o controle e chorar.
— Está tudo bem — Jonah a acalmou, colocando uma mão no ombro de Nellie. — Nós conseguimos os ingredientes para o antídoto. — Ele assentiu na direção de Amy. — E aí, gênio? Pronto para fazer sua mágica?
— Eu vou tentar — Sammy prometeu nervosamente.
Ele pareceu muito menos seguro do que eles teriam esperado com a vida de Amy – e o destino do planeta – sobre a balança.

* * *

Amy habilmente aplicou pressão com seu polegar na cabeça da serpente d’água de Tonle Sap.
As pequenas presas apareceram, perfurando o látex espesso que cobria a proveta. Os Cahill observaram as gotículas claras de veneno brilharem nas presas e espirrarem para dentro do recipiente.
Jonah estava de olhos esbugalhados.
— É só isso? O Wiz quase virou comida de crocodilo por isso?
Amy massageou as glândulas de veneno para se certificar de que não havia mais líquido restando.
— Espero que seja suficiente — ela falou ansiosamente.
Sammy mediu com cuidado.
— Nós só precisamos de uma pequena medida. Então poderemos analisar a composição molecular e sintetizar uma grande quantidade.
Em seguida, os bigodes do leopardo da Anatólia foram moídos em pó e suspensos em solução. O cristal despedaçado foi derretido em um estado líquido. Um por um, os ingredientes foram meticulosamente preparados e medidos.
Enquanto Sammy trabalhava em sua magia no laboratório, a Dra. Seung, que também era médica, fez em Amy um exame físico completo. Os resultados estavam em todos os lugares. Ela registrava uma força surpreendente e reflexos que batiam recordes.
No entanto, o coração de Amy estava correndo para manter o ritmo com uma taxa metabólica que a ciência medicinal nunca tinha visto. Ela marcava além das tabelas testes de visão e audição, mas sua pressão arterial era tão alta que a braçadeira explodiu em seu braço. Um EEG revelou ondas cerebrais no mesmo patamar que as maiores mentes da história, e ainda assim, seus tremores eram consistentes com um paciente em estágios avançados do mal de Parkinson. Não havia velocidade na esteira que ela não pudesse manter confortavelmente. Embora não mostrasse sinais de febre, sua temperatura corporal se aproximava de 40°C.
Eventualmente, toda essa fala de médico foi demasiado para Dan.
— Pare com essa besteira, doutora. Nos fale logo. Um minuto ela está doente demais; no próximo ela está bem demais.
— Ela está os dois — a Dra. Seung explicou. — A fim de funcionar nesse nível extraordinário, seu corpo está literalmente se queimando de dentro para fora.
A voz de Jake mal era um sussurro.
— Quanto tempo?
— Se eu tivesse que adivinhar, e eu estou — a Dra. Seung respondeu — diria dois dias, talvez menos.
Agora o próprio coração de Dan estava acelerado, sem precisar do soro. Está acontecendo! Está realmente acontecendo! Amy está morrendo!
Amy assentiu estoicamente.
— Isso bate. A estimativa sempre foi cerca de uma semana, e eu tomei o soro há cinco dias.
— Isso bate! — o estresse de Jake começou a borbulhar — Amy, como você pode falar tão clinicamente sobre a sua vida! Se a serpente não tivesse subido no sapato do Ian, nós ainda estaríamos no Camboja procurando! Nós poderíamos facilmente ter perdido nossa única chance de salvá-la!
— Mas não perdemos — Amy o lembrou.
— Sim, por puro acaso!
Amy e Dan compartilharam um lampejo de uma conexão quase telepática que tinha crescido entre eles desde a perda de seus pais. Brilhante como era, Jake não era um Cahill, e não podia entender a lição que eles tinham aprendido na busca pelas 39 pistas. Não havia motivo em se preocupar no que poderia ter acontecido. Enquanto você ainda estivesse vivo, ainda na caça, era um bom dia. Havia um antídoto para ser feito e um aspirante presidencial para ser frustrado. Isso era tudo o que importava.
Amy e Dan viviam no momento, porque a dura experiência os tinha ensinado que não havia nenhum outro tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)